Marabá tem 10 candidatos na quarentena eleitoral

ELEIÇÕES 2016Por Ulisses Pompeu –  de Marabá

A Justiça Eleitoral em Marabá analisou, até o último dia 12 de setembro, os pedidos de registro de candidatura de 333 postulantes a um cargo eletivo no município. Mas nem todos passaram direito. Pelo menos um foi reprovado de cara, três pediram pra sair (renunciaram) e dez estão na corda bamba, ou seja, foram indeferidos pela Justiça, mas ingressaram com recurso.

Todos os indeferidos são candidatos a vereador. Edna Maria de Souza teve seu pedido de registro de candidatura indeferido pela Justiça Eleitoral e não recorreu. Outros dez também foram barrados, mas estrebucharam e apelaram à Justiça, tentando manter-se no páreo e disputar uma das 21 vagas na Câmara Municipal de Marabá.

Os indeferidos são Adelmo Azevedo de Lima (os motivos já foram relatados neste blog há uma semana), Adriano Silva Pereira, Dalila Alencar Conceição, Marcell de Souza Ribeiro, Elaine Nunes da Silva, Floreny Rodrigues Pereira, Gilvanete de Sousa Feitosa, Tamara de Jesus Barbosa de Castro, Jó Silva de Almeida e Hotacilinha Barros Pilenghy.

O indeferido com recurso, segundo a Justiça, é aquele candidato julgado não regular por não atender as condições necessárias para o deferimento do registro, que interpôs recurso contra essa decisão e aguarda julgamento por instância superior.

Ainda não há uma data para que o Tribunal Regional Eleitoral julgue o caso dos dez indeferidos. Isso deve ocorrer antes da eleição do dia 2 de outubro.

Os três que desistiram de concorrer a vereador são: Erotildes Tavares Pinto, Jaqueline Alves da Cruz e Nagila Rodrigues Zucolotto.

Além destes, até hoje consta no site do TSE um grupão de 41 candidatos que aparecem no sistema da Justiça Eleitoral como “Pendentes de julgamento” e não tiveram seus pedidos apreciados pelo juiz eleitoral. Sobre isso, a reportagem consultou o Cartório Eleitoral de Marabá e foi informada que esse neste caso específico, o site está desatualizado, e que praticamente todos os 41 tiveram o registro deferido, restando apenas atualização no sistema DivulgaCand.

Eldorado dos Carajás
Em Eldorado dos Carajás sete candidatos a vereador tiveram seus pedidos de registro de candidatura indeferidos pela justiça eleitoral. Desses, cinco entraram com recurso e aguardam julgamento.

Curionópolis
Em Curionópolis quatro candidatos a vereador foram indeferidos pela justiça eleitoral. Nenhum deles recorreu da decisão.

Canaã dos Carajás
Em Canaã dos Carajás cinco candidatos a vereador foram indeferidos pela justiça eleitoral.  Apenas um deles (Claudio Nascimento-PT) entrou com recurso. No município, três candidatos aguardam julgamento.

Parauapebas
Em Parauapebas apenas um candidato (Eli Farias-PSDC) teve seu registro de candidatura indeferido pela Justiça Eleitoral. Resta apenas um pedido de registro pendente de julgamento, o do candidato Josué Cabral, do PPS.

Na majoritária todos os cinco candidatos foram deferidos pela justiça eleitoral local. Contra os deferimentos dos candidatos Darci Lermen (PMDB) e Chico das Cortinas (PPS) existem recursos que foram encaminhados ao Tribunal Regional Eleitoral e aguardam julgamento.

Doxa aponta crescimento de Valmir Mariano, que passa a frente na reta final

A candidatura de Valmir Mariano decola e já supera seu principal adversário nestas eleições. A informação oficial da Coligação Trabalho e Desenvolvimento (PSD, PDT, PSC, PSDM, PMN, PMN, PPL, PT) veio da pesquisa realizada pela Doxa – Arte e Comunicação.

A pesquisa foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TER) no último dia 13, sob o número nº PA-08674/2016. Os números apurados mostram que Valmir assumiu a liderança na preferência do eleitorado.

O reposicionamento do candidato é resultado de uma campanha arrojada no rádio e na TV, e marcada nas ruas pela Onda Azul. Valmir já percorreu dezenas de bairros da sede do município e comunidades da zona rural, mostrando o resultado de três anos e meio de governo, cujos destaques são os avanços nas áreas de habitação, saúde, educação e segurança.

doxa1

O gráfico acima mostra o crescimento de Valmir Mariano (PSD), que apontava o candidato do PMDB, Darci Lermen a frente nas duas últimas pesquisas. O fato principal para o crescimento de Valmir Mariano foi o horário eleitoral gratuito na TV. Enquanto Darci Lermen pouco mostrou em seus programas, preferindo usar uma montagem grosseira de uma entrevista concedida à Marcelo Bacana, o staff eleitoral do atual prefeito vem mostrando sistematicamente as centenas de obras realizadas por ele ao longo desses 3,5 anos, e apontando que quem compara vota em Valmir.

Diferente de Marabá, onde o ex-prefeito Tião Miranda lidera as pesquisas em virtude de uma calamitosa gestão de João Salame, em Parauapebas a disputa por votos será até o último dia. Resta saber se Darci saberá conviver com essa crescente queda e reverter a situação. Faltam 11 dias para a eleição.

Tucuruí tem prazo adicional na concessão para cobrir risco hidrológico

tucuruigeracaoO contrato de concessão da hidrelétrica de Tucuruí foi prorrogado em 50 dias pela Agência Nacional de Energia Elétrica, como resultado da repactuação do risco hidrológico da usina em janeiro desse ano. O término do contrato passa de 11 de julho para 30 de agosto de 2024. A concessão de Tucuruí foi outorgada por decreto à Eletronorte em 1974 e tem prazo de vigência de 50 anos. A usina localizada no rio Tocantins, no Pará, tem potência instalada de 8.370 MW.

A renegociação do risco de geração das usinas hidrelétricas está prevista na 13.203, aprovada em 2015. A legislação prevê que o resultado do déficit de geração do ano passado que não for ressarcido ao gerador no prazo remanescente da vigência do contrato de venda de energia poderá ser compensado com a extensão do período de concessão da usina. A regra se aplica à situação de Tucuruí.

A decisão servirá para cobrir as perdas financeiras acumuladas pela usina durante a estiagem prolongada enfrentada nos últimos anos, tratado no setor como risco hidrológico.

Mundo SENAI 2016 levará atrações gratuitas para 11 municípios paraenses

mundo-senaiNos dias 28 e 29 de setembro o SENAI Pará abrirá suas portas em onze municípios do estado para a realização do Mundo SENAI 2016. Com a expectativa de atrair mais de 23 mil pessoas, o objetivo do evento é aumentar o interesse do público sobre iniciativas inovadoras, os serviços e as profissões voltadas para o segmento industrial.

Contando com a participação de alunos e ex-alunos, parceiros, empresários, escolas e comunidade, o Mundo SENAI traz, entre as atrações, serviços gratuitos de orientação profissional, palestras educativas e minicursos diversos nas áreas de alimentos, confecção, calçados, construção civil, informática, soldagem, marcenaria, mecânica, eletricidade, entre outras. Com isso, os participantes poderão conhecer a realidade das profissões e, assim, ter mais segurança na escolha da carreira profissional, considerando o cenário da indústria de sua região.

Atualmente, no Brasil, apenas 11% dos jovens entre 15 e 17 anos fazem algum curso de educação profissional junto com educação regular, enquanto a média nos países desenvolvidos é acima de 50%. Diante deste cenário, o diretor regional do SENAI Pará, Dário Lemos, diz que o Mundo SENAI também tem o objetivo de mostrar aos jovens que a educação profissional é o caminho mais seguro para o ingresso no mercado de trabalho e quem decidir por ele terá um diferencial na busca por empregos.

“Os grandes empreendimentos que estão se instalando no Pará devem gerar perto de 190 mil novos postos de trabalhos até 2020. O SENAI Pará tem se modernizado e se adequado para atender a estas demandas. O jovem que se preparar agora tem grandes chances de conseguir um bom lugar no mercado de trabalho sem precisar ir para outros estados”, considera Lemos.

Visando, ainda, constante alinhamento ao mercado, o evento também será uma oportunidade para empresários expressarem suas demandas por capacitação, tecnologia, inovação, gestão, entre outras, e conhecerem de perto as soluções que o SENAI e parceiros disponibilizam para a indústria. Nos espaços do evento também serão realizadas várias ações voltadas a qualidade de vida, empreendedorismo, acesso a estágio, etc.

Em 2016, o Mundo SENAI ocorrerá nos municípios de Altamira, Barcarena, Bragança, Cametá, Canaã dos Carajás, Castanhal, Juruti, Marabá, Paragominas, Parauapebas e Santarém. Em todas essas unidades, uma programação especial está preparada para os visitantes. O evento, que tem a parceria da TV Liberal/Rede Globo, acontece simultaneamente em todo o Brasil nos dias 28 e 29 de setembro, das 8h às 20h. Para participar do evento não é preciso fazer inscrição. Basta escolher a unidade do SENAI mais próxima e entrar nesse universo de conhecimento.

 

Unifesspa realiza hoje debate entre candidatos a prefeito de Marabá

debate-politico-300x218Faltando onze dias para os mais de 159 mil eleitores de Marabá irem às urnas para escolherem o próximo prefeito da quarta maior cidade do estado pelos próximos quatro anos, a Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (UNIFESSPA), através da Faculdade de Ciências Sociais do Araguaia Tocantins, organiza e realiza hoje, o primeiro debate entre os candidatos a prefeito de Marabá.

O debate está previsto para iniciar às 19h30 e será transmitido ao vivo pela internet, direto do auditório do Campus I da universidade, na Folha 31 – Nova Marabá, onde também serão instalados telões para que a comunidade acadêmica e pessoas que não conseguiram reservar vagas para o auditório possam assistir.

O debate será mediado pela professora Dra. Marilza Sales Costa e será dividido em quatro blocos, sendo dois de temas livres, onde candidatos perguntam a candidatos, e dois de temas sorteados. O critério de participação dos candidatos no debate é o mesmo definido pelo Tribunal Superior Eleitoral, que diz que podem participar os candidatos de partidos ou coligações com mais de nove deputados federais na Câmara.

Todos os quatro candidatos foram procurados, mas somente três confirmaram presença: Manoel Veloso (DEM), da Coligação Pra Reviver Marabá; Jorge Bichara (PV), da Coligação Certeza de Um Tempo Novo Para Marabá; e Rigler Aragão, do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL). Sebastião Miranda (PTB) da Coligação Todos Por Marabá, foi procurado pela organização por quatro vezes, tendo sua assessoria dado como resposta à universidade que o mesmo estaria em Belém participando de atividades da Assembleia Legislativa, impossibilitando assim sua participação.

Para acompanhar o debate ao vivo pela internet a partir das 19h30, o internauta deve clicar aqui

Prefeitura de Marabá esclarece sobre suspensão no fornecimento de energia elétrica

A Administração Municipal vem a público esclarecer que a ação da Celpa, em suspender o fornecimento de energia elétrica dos prédios públicos municipais, se deu em todo o sul do Pará, ressalvando que, no caso de Marabá, a Prefeitura devia apenas as faturas de julho passado.

Comunica que essas faturas foram quitadas nesta terça-feira, dia 20, à exceção das contas das Secretarias de Educação e de Saúde, que estão negociando com a Celpa a fim de sanar as dívidas para com a concessionária.

Reforça ainda que a prioridade dos recursos que entraram no caixa dessas duas secretarias foi pagar os salários dos servidores.

ASCOM- PMM

Marabá: Celpa corta energia de 16 prédios municipais por falta de pagamento

Por Ulisses Pompeu –  de Marabá

celpa-mbaCom três meses de atraso no pagamento das faturas de energia elétrica, a Celpa está sendo implacável com a Prefeitura de Marabá. Quatro equipes da empresa estão cortando, na manhã de hoje, a energia de 16 prédios públicos, entre eles da Secretaria Municipal de Assistência Social (Seasp) e da Semed (Secretaria Municipal de Educação). Não há confirmação se escolas, hospitais ou postos de saúde estejam no pacote negro da Celpa.

Na Seasp, a energia foi cortada às 8h30 e os servidores ficaram no escuro. Foram para os corredores e não faziam atendimento. Na recepção, onde a reportagem do blog esteve às 9h30, os servidores atenderam gentilmente, apesar da falta de energia. Todavia, os serviços internos não estavam sendo executados. “Soubemos que o pessoal do Gabinete do Prefeito está correndo para pagar a energia ainda pela manhã. Esperamos voltar a trabalhar ainda hoje”, disse a assessora da Secretária Municipal de Assistência Social.

Na Semed, a Reportagem do blog chegou no momento em que os funcionários da Celpa estavam subindo na escada para cortar a energia. No prédio trabalham mais de 150 pessoas, que também deixaram suas principais atividades, pois depende da energia para ligar computadores e outros aparelhos eletrônicos, além das centrais de ar.

Mais cedo, funcionários da Celpa informaram que a energia seria cortada de 16 prédios municipais, inclusive do prédio da Prefeitura, localizado na Folha 31, Nova Marabá, o que de fato aconteceu às 10h20. No Centro Administrativo funcionam a SDU, Secretaria de Gestão Fazendária e Secretaria Municipal de Administração, outra que está no escuro.

Ainda este ano, a Celpa chegou a ameaçar o corte de energia em prédios da Prefeitura de Marabá. Enviou extrato da conta em atraso para a Câmara, onde houve uma grande mobilização e a Prefeitura acabou pagando as faturas em atraso. A conta de energia dos prédios da Prefeitura gira em torno de R$ 800 mil a R$ 1 milhão por mês.

celpa-mba-2

Antigamente, havia um encontro de contas, a partir do que a Celpa arrecadava da iluminação pública, mas agora isso não acontece mais. Ninguém do governo João Salame foi encontrado para esclarecer sobre os cortes de energia elétrica em 16 prédios da PMM.

Pauta prevista para a sessão desta terça-feira na Câmara Municipal de Parauapebas

Estão previstas para serem apresentadas e discutidas em plenário da Câmara Municipal na sessão desta terça-feira (20), a partir das 9 horas da manhã, as seguintes proposições:

Única discussão

  • Indicação nº 087/2016, do vereador Antonio Massud (PTB), sugerindo ao Poder Executivo a implantação de uma praça pública e academia ao ar livre na 1ª e 2ª etapas do Bairro Cidade Jardim.
  • Indicação nº 088/2016, de autoria também de Antonio Massud, pedindo à prefeitura a recuperação de um bueiro na Rua José Maria Caetano, Bairro Morada Nova, bem como a recuperação das demais ruas daquela localidade.
  • Indicação nº 089/2016, de autoria do vereador Ivaniti Barrão (PSDC), requerendo do Poder Executivo a abertura da Rua Pedro Miranda com a Rua Fernão Dias, no Bairro Liberdade II.
  • Projeto de Decreto Legislativo nº 02/2016, de autoria da então vereadora Joelma Leite (PSD), sugerindo a concessão de Título de “Cidadã Honorária” à senhora Francinete Machado Cruz, “pelos formidáveis serviços sociais prestados no município de Parauapebas”.
  • Projeto de Decreto Legislativo nº 03/2016, de autoria também da então vereadora Joelma Leite, propondo a concessão de Título de “Cidadã Honorária” à senhora Cleuma Magalhães, “pelos proeminentes serviços sociais prestados no município de Parauapebas”.
  • Projeto de Decreto Legislativo nº 04/2016, de autoria ainda da ex-vereadora Joelma Leite, requerendo a concessão de Título de “Cidadã Honorária” à senhora Eulália Almeida da Silva, “pelos importantes serviços sociais prestados no município de Parauapebas”.
  • Projeto de Decreto Legislativo nº 05/2016, também da ex-vereadora Joelma Leite, propondo a concessão de Título de “Cidadã Honorária” à senhora Jurema Suely Ribeiro, “pelos relevantes serviços sociais prestados no município de Parauapebas”.

Segunda e última discussão

  • Projeto de Lei nº 034/2016, de autoria do vereador Israel Miquinha (PT), propondo alteração do nome da Avenida dos Buritis, no Bairro Cidade Jardim, para Avenida Dr. Alfredo Amâncio Filho.

Primeira discussão

  • Proposta de Emenda à Lei Orgânica nº 05/2016, de autoria dos vereadores Euzébio Rodrigues e Israel Miquinha, ambos do PT, que altera a redação do caput do Artigo 14, modifica os incisos VII e VIII do Artigo 10 e acrescenta o parágrafo único ao Artigo 10 da Lei Orgânica de Parauapebas.

ONU denuncia aumento de 50% em assassinatos de indígenas

A ONU vai denunciar nesta terça-feira, 20, em Genebra o aumento de 50% em assassinatos de indígenas no Brasil em menos de dez anos e criticar decisões tomadas pelo governo de Michel Temer. Os dados serão apresentados ao Conselho de Direitos Humanos, apontando ainda para o fracasso do governo Dilma Rousseff em fazer avançar as demarcações de terra. Já líderes indígenas nacionais classificam a situação como “genocídio”.

Se a crise vivida pelos povos indígenas foi marcada por uma omissão por parte do governo Dilma, esses mesmos grupos temem que a atual gestão Temer aprofunde os cortes de recursos na Funai e flexibilize leis permitindo a exploração de terras indígenas. Nem a Funai e nem o Ministério da Justiça estarão presentes em Genebra para o debate, deixando a resposta às acusações aos diplomatas brasileiros.

Segundo os dados que serão apresentados, o número de assassinatos de líderes indígenas subiu de 92 em 2007 para 138 em 2014. Na avaliação da entidade, a violência é o resultado da falta de demarcação de terras. O local mais perigoso é o Mato Grosso do Sul, seguido pelo Pará. Além de assassinatos, a entidade denunciará prisões arbitrárias, ameaças e intimidações.

Para a ONU, programas de defesa de ativistas de direitos humanos não têm conseguido chegar aos líderes indígenas. “Na maioria dos casos, a impunidade permite as práticas violentas contra essas povos”, avalia a organização.

Líderes indígenas nacionais também viajaram para Genebra. “Vamos falar em genocídio”, confirmou a líder indígena Sônia Bone Guajajara. “Houve uma decisão política nos governos anteriores de não avançar na demarcação de terras e tememos que isso se aprofunde ainda mais agora”, disse. “Vivemos um massacre”, adicionou Elizeu Lopes, representante do povo Guarani-Kaiowá.

Demarcação

Nesta terça-feira, a ONU vai pedir que Temer assuma o compromisso de concluir o processo de demarcação de terras, abandonado há anos pelos governos anteriores. Sem uma definição sobre essa questão, o resultado tem sido o aumento da violência, afetando principalmente os Guarani-Kaiowá e Terena no Mato Grosso do Sul, os Pataxó e Tupinambá na Bahia, os Arara e Parakanã no Pará, e os Ka’apor no Maranhão.

O informe foi produzido pela relatora da ONU para o Direitos dos Povos Indígenas, Victoria Tauli-Corpuz. Ela esteve no Brasil em março deste ano, ainda sob o governo de Dilma Rousseff e constatou que o governo do PT deixou pendentes cerca de 20 demarcações de terras que aguardam ratificação presidencial e ou declarações ministerial.

Segundo ela, o Brasil chegou a ser um dos líderes mundiais em demarcação de terras. Mas nos últimos oito anos, houve uma “alarmante ausência de progresso”.

Victoria também alerta para o fato de que propostas do novo governo apontam para um retrocesso. “Informações apontam para uma regressão preocupante na proteção dos índios”, afirmou. “No contexto político atual, as ameaças que enfrentam esses povos podem ser acentuadas e sua proteção a longo prazo sob risco”, disse.

“O que temos é a configuração de um pacote anti-indígena”, alertou Sonia. “A tendência é intensificar a perda de direitos. A pressão dos ruralistas é muito grande e vemos um movimento claro indicando um retrocesso até em áreas demarcadas”, afirmou.

A ONU também diz estar “particularmente preocupada diante de informes de que o governo está considerando reverter as ratificações e declarações de terras indígenas implementadas por governos anteriores”. Isso poderia incluir Cachoeira Seca, no Pará, Piaçaguera (SP) e Pequizal do Naruvotu (MT).

Outro alerta da ONU se refere aos cortes orçamentários na Funai. “Medidas propostas recentemente para reduzir o orçamento da Funai vão contra os interesses dos povos indígenas. Se a entidade não for apoiada, corre-se o risco de regressões”, indicou a relatora.

“Muitos avaliam o enfraquecimento institucional da Funai como um sintoma da resistência do Estado em ter uma nova relação com os povos indígenas”, indicou. No informe, a ONU apela para que o governo repense a decisão de cortar dinheiro para a Funai.

Outra crítica é direcionada ao fim do Ministério de Direitos Humanos. “A relatora especial considera o fim do Ministério das Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos uma regressão significativa no compromisso do Brasil em proteger direitos humanos”, indica o informe. “Isso pode ter um profundo impacto sobre os povos indígenas”, alertou a relatora, que também se diz preocupada com o futuro do Conselho Nacional de Direitos Humanos. (Isto É)

Em Tailândia, candidato revoltado após ter seu registro indeferido pela justiça eleitoral ofende juiz e promotora

macarraoA Associação dos Magistrados do estado do Pará – AMEPA – emitiu nota de repúdio e solidariedade em razão de pronunciamentos feitos por Paulo Liberte Jasper, vulgo Macarrão, candidato a prefeito de Tailândia pelo DEM, depois que o juiz eleitoral Manoel Carlos de Gouveia Soares Neto INDEFERIU seu pedido de registro de candidatura. Macarrão (foto), segundo informa a nota, vem fazendo ataques, impropérios e, de forma inacreditável assaca ofensas e ameaças a atuação institucional do judiciário naquela comarca.

Macarrão foi indeferido depois que Ely Soraya Silva Cezar, promotora de justiça de Tailândia, investida nas funções eleitorais, deu parecer contrário ao deferimento em virtude de Macarrão ter as contas relativas a convênio firmado pelo Município de Tailândia e a Secretaria de Saúde do Estado (Sespa) julgadas irregulares pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE). Posteriormente, foi condenado ainda a pagar dez mil e oitocentos reais (quantia da nota fiscal irregular encontrada); o valor não foi pago e o débito atualmente já soma mais de noventa mil reais. A promotora de justiça também sofre ataques do candidato.

Confira a íntegra da nota emitida pela AMEPA:

A Associação dos Magistrados do estado do Pará – AMEPA, entidade que congrega os juízes estaduais, por meio de seu presidente, vem externar irrestrito apoio e solidariedade ao magistrado Manoel Carlos de Gouveia Soares Neto, repudiando, com veemência, o teor das afirmações absolutamente desrespeitosas e que tentam intimidar o Poder Judiciário, proferidas pelo Sr. Paulo Liberte Jasper, que atende pela alcunha de “Macarrão”, fato ocorrido no município de Tailândia, onde o mesmo concorre ao cargo de Prefeito Municipal.

Aparentemente inconformado com o teor da decisão judicial que indeferiu seu registro de candidatura, o Sr. Paulo Jasper, ao invés de agir de forma civilizada, procurou o caminho ilegal das ofensas e ameaças ao Poder Judiciário.

Agindo como se vivêssemos em um faroeste e como se não tivéssemos Leis neste país, o referido senhor teve a ousadia de dizer em um comício, conforme vídeo que se encontra em poder da AMEPA, palavras ofensivas e de cunho intimidador ao Magistrado e à Promotora Eleitoral de Tailândia. Além disso, encontra-se em poder da AMEPA áudio imputado ao candidato, no qual teria proferido, em nosso sentir, gravíssima ameaça à vida e à segurança do Magistrado e da Promotora de Justiça, prática, em tese, prevista no art. 344 do CPB, crime de coação no curso do processo.

A AMEPA repele a forma absurdamente mal educada, deselegante e possivelmente criminosa com a qual o cidadão Paulo Jasper dirigiu-se ao Magistrado e à representante do Ministério Público, ao mesmo tempo em que deixa claro que o Estado Juiz não se intimida com ameaças de quem quer que seja, muito menos daqueles que imaginam estar acima das leis e que mostram total falta de equilíbrio e preparo para exercer relevantes funções no âmbito da administração pública.

A AMEPA deixa claro que o magistrado Manoel Carlos de Gouveia Soares Neto trata-se de um Juiz extremamente competente, firme em suas decisões e que terá apoio irrestrito de sua entidade de classe, pois, como magistrado que é, decide sempre de acordo com a lei e os ditames da Justiça.

A AMEPA informa ainda que adotará todas as providências no sentido de proceder a comunicação dos fatos à Polícia Federal para fins de instauração de Inquérito Policial, objetivando que seja apurada a possível prática do crime de coação no curso do processo.

Por fim, a AMEPA presta sua total solidariedade ao Juiz de Direito Manoel Carlos de Gouveia Soares Neto ratificando que acompanhará de perto o desenlace dos fatos e que não permitirá a violação das prerrogativas de qualquer magistrado deste Estado.

Belém, 13 de setembro de 2016

Heyder Tavares da Silva Ferreira
Presidente da AMEPA