Marabá: com 28 “considerandos” para justificar, prefeito interino decreta Estado de Emergência no âmbito do Fundo Municipal de Saúde do município

Alegando pressão de cobradores e a dificuldade de informações quanto às decisões administrativas em execução de políticas públicas e de seus respectivos processos de aquisição de bens e serviços; e ainda a situação de caos em que foi encontrada a saúde pública do município de Marabá, o prefeito interino do município de Marabá, o petista Luiz Carlos Pies decretou Estado de Emergência no âmbito do Fundo Municipal de Saúde de Marabá pelo prazo de 180 dias.

O Decreto, que levou o número 147/2016 GP e possui 28 “considerandos” que tentam justificar sua razão, suspende temporariamente todas as despesas por parte do FMS sem expressa autorização do prefeito e ainda os pagamentos de origem não identificada formalmente, entre outras.

É bom lembrar que o Fundo Municipal de Saúde de Marabá tem hoje em caixa aproximadamente R$20 milhões. Fator mais que “considerado” para a promulgação do decreto (de olho no artigo 5º do referido documento).

Confira a íntegra do decreto:

  • Art. 1º.
    Fica decretado ESTADO DE EMERGÊNCIA financeira e administrativa no Fundo Municipal de Saúde do Município de Marabá, Estado do Pará, pelo prazo de 180 (cento e oitenta e dias), a contar da data do Afastamento dos Titulares da Prefeitura Municipal e do Fundo Municipal de Saúde;
  • Art. 2º.
    Durante o período de ESTADO DE EMERGÊNCIA fica vedada a realização de quaisquer despesas no âmbito do Fundo Municipal de Saúde sem a expressa autorização do Prefeito Municipal Interino, em concordância com o Secretário Municipal de Saúde Substituto;
  • Art. 3º.
    Durante o período máximo de 90 (noventa dias); a contar da publicação deste Decreto, FICAM SUSPENSOS TODOS OS PAGAMENTOS de origem não identificada formalmente, decorrentes do período anterior à data de afastamento do Presidente do Fundo Municipal de Saúde, até que seja feita a análise da regularidade da constituição das referidas despesas.
  • Art. 4º.
    Fica autorizada a Administração Pública Municipal, por força do artigo 24, inciso IV, da lei nº 8.666/93, a contratar serviços e adquirir materiais e equipamentos necessários à execução dos atos de gestão essenciais, no âmbito do funcionamento dos serviços de saúde, por dispensa de certame licitatório, uma vez constatada a indispensabilidade da contratação, pelo prazo máximo de 180 (cento e oitenta dias), porém deve ser garantida a busca do preço mais vantajoso para a Administração Pública.
  • Art. 5º.
    Durante a vigência do ESTADO DE EMERGÊNCIA serão inaugurados e realizados os necessários processos de aquisição de bens e serviços, bem como analisadas as necessárias dispensas e inexigibilidades, para o abastecimento de bens e serviços de Interesse Público.
  • Art. 6º.
    Fica autorizada a contratação, em estado de urgência, de assessoria jurídica e contábil, através de pessoa jurídica ou física, caso necessário, para fins de avaliar e orientar as decisões necessárias para a regularização da Atividade Administrativa desenvolvida no fundo municipal de saúde, como também para auxiliar os gestores municipais de saúde, na consecução deste propósito.
  • Art. 7º.
    Fica autorizada a contratação, em estado de urgência, de servidores temporários, caso necessário, para atender às deficiências de quadro em atividades que careçam de incremento de ações com vistas à regularização da Atividade Técnica e Administrativa desenvolvida no fundo municipal de saúde, como também para auxiliar os gestores municipais de saúde, na consecução deste propósito.
  • Art. 8º.
    Fica determinado aos Diretores de Departamento, na estrutura organizacional da Secretaria Municipal de Saúde, que procedam, urgentemente, levantamento dos bens, equipamentos e documentos do Fundo Municipal de Saúde encontrados nos prédios públicos, comunicando em relatório as dificuldades encontradas, bem como as necessidades mais urgentes, visando adoção de providências administrativas e/ou judiciais.
  • Art. 9º.
    O titular de Gestão do Fundo Municipal de Saúde deve solicitar que o Conselho Municipal de Saúde baixe resoluções confirmando o estado de precariedade em que foram encontradas as atividades do respectivo fundo, na mudança de titularidade de Gestão, bem como, se posicione sobre as prestações de contas que estejam pendentes, para adimplência do município junto aos órgãos de controle externo.
  • Art. 10.
    Este decreto entra em vigor na data de sua publicação, retroagindo seus efeitos, ao dia 04 de maio de 2016, revogadas as disposições em contrário.

Gabinete do Prefeito Municipal de Marabá, Estado do Pará, em 22 de Junho de 2016.

Luiz Carlos Pies
Prefeito Municipal de Marabá em exercício

 

Nota de esclarecimento do Incra sobre a transparência nos processos da reforma agrária no sul do Pará

Com relação às recentes matérias veiculadas na imprensa sobre a Sentença da Justiça Federal, que trata da transparência no processo de distribuição de terras no Sul e Sudeste do Pará, a Superintendência Regional do Incra do Sul do Pará informa que:

1. Está em curso em todo o país um processo de regulamentação do processo de seleção das famílias beneficiárias do Programa Nacional de Reforma Agrária;

2. Com a recente edição do Decreto Nº 8.738 de 03 de maio de 2016, houve o aperfeiçoamento dos procedimentos de seleção das famílias candidatas, de verificação das condições de permanência do beneficiário e das ocupações irregulares dos projetos de assentamento, dentre outros;

3. Ainda está em discussão no Incra Sede, em Brasília, a Instrução Normativa que define o rito para operacionalização destas ações;

4. A Superintendência Regional do Incra do Sul do Pará mantêm diálogo permanente com a Justiça Federal e o Ministério Público Federal, no sentido de esclarecer as ações realizadas, demonstrando todos os entraves existentes no cadastro e seleção de famílias e na supervisão ocupacional dos assentamentos da região. Exemplo disso é que, dia 15 de março deste ano, houve realização da Inspeção Judicial na sede do Incra em Marabá, com a presença do Juiz Federal Marcelo Honorato, titular da 1ª Vara Federal, e da Procuradora da República Nathália Mariel.

5. A gestão do Incra compartilha a necessidade de melhoria dos procedimentos de regularização com a Justiça Federal e Ministério Público Federal. No entanto, há questões pontuais na Sentença que serão analisadas pela Procuradoria Federal Especializada do Incra, que deverá avaliar a pertinência de recorrer das mesmas.

INCRA – SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DO SUL DO PARÁ

SESC-PA abre concurso com 880 vagas de até R$ 4,9 mil

O Serviço Social do Comércio do Estado do Pará (SESC-PA) vai selecionar 880 candidatos para o preenchimento de vagas existentes, ou que vierem a vagar durante a validade deste novo certame, em virtude de demissão, aposentadoria, falecimento ou criação de novas vagas no seu Quadro de Pessoal.

Os interessados em ingressar no SESC serão lotados em um dos municípios de Belém, Ananindeua, Santarém, Castanhal, São Francisco do Pará, Benevides, Inhangapí, Salinópolis, Marabá, Capanema, Tailândia e Rondon do Pará. Veja o edital

SESC-PA abre concurso com 880 vagas de até R$ 4,9 milO certame está sendo realizado sob a responsabilidade da CONED – Consultoria e Assessoria Educacional com a participação da Comissão de Processo Seletivo do Sesc-DR/PA.

Os salários oferecidos para os servidores variam entre R$ 945,00 e R$ 4.950,00, mais benefícios como Vale Transporte, Plano de saúde, Vale Alimentação no valor de R$ 374,00, Seguro de vida, Auxilio Creche para filho com idade até 3 anos 11 meses e 29 dias.

Candidatos de nível fundamental poderão concorrer aos cargos de Cozinheiro, Administrador de Portaria, Auxiliar de Serviços Gerais, Vigia, Auxiliar de Cozinha, Merendeiro, Salgadeiro, Padeiro, Doceiro, Chapista, Açougueiro, Auxiliar de Açougueiro e Saladeiro.

Quem possui escolaridade de nível médio ou técnico pode tentar os cargos de Assistente de Administração, Auxiliar de Saúde Bucal, Operador de Caixa, Inspetor de Sala, Despenseiro, Auxiliar de Atividades Sociais (Recreação, Áudio e Vídeo, Nutrição e Dietética); e Técnico em Instrução (Corte e Costura, Cabeleireiro).

Já quem possui nível superior concorre às funções de Técnico em Instrução (Guitarra e Contrabaixo, Inglês, Canto, Teclado), Advogado, Médico, Cirurgião Dentista, Assistente Técnico (Designer e Multimídia, Nutricionista, Contador e Cultura), Orientador Pedagógico e Professor de Educação Infantil e Anos iniciais. Serão reservadas ainda, 5% das vagas para candidatos portadores de deficiência.

As inscrições no seletivo poderão ser feitas entre os dias 14 de julho e 15 de agosto de 2016 por meio do endereço eletrônico da CONED – www.coned.com.br. No momento da inscrição, o candidato deverá optar pelo Cargo/ Município de Lotação para o qual deseja concorrer, bem como a cidade, dentre Belém, Castanhal, Santarém ou Marabá, onde deseja realizar a prova. Serão cobradas taxas de participação nos valores de R$ 50,00 para os cargos de Nível Fundamental, R$ 60,00 para os cargos de Nível Médio e R$ 68,00 para Nível Superior.

As provas objetivas serão aplicadas no dia 18 de setembro de 2016, nas cidades de Belém, Marabá, Santarém e Castanhal; e serão compostas de questões de múltipla escolha sobre as áreas de Língua Portuguesa, Conhecimentos Pedagógicos, Legislação do Sesc, Matemática, Conhecimentos Básicos de Informática e Conhecimentos Específicos, de acordo com o cargo.

Serão 35 questões para todos os inscritos, exceto Administrador de Portaria, Auxiliar de Serviços Gerais, Vigia, Auxiliar de Cozinha, Merendeiro, Cozinheiro, Salgadeiro, Padeiro, Doceiro, Chapista, Açougueiro, Auxiliar de Açougueiro e Saladeiro, que deverão responder a 30 questões.

Para ser considerado aprovado no processo seletivo os candidatos devem acertas pelo menos 50% das questões da prova objetiva. A seleção terá validade por 1 ano, a contar da data de homologação do resultado, podendo ser prorrogada por igual período, a critério do Sesc/PA.

Centro de Perícias Científicas Renato Chaves realizou 204 necrópsias em Parauapebas no primeiro semestre de 2016

O Núcleo Avançado de Parauapebas do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves divulgou hoje (07) o balanço do primeiro semestre de 2016 das necrópsias realizadas pela unidade referente aos municípios de Parauapebas, Canaã dos Carajás, Curionópolis e Eldorado dos Carajás.

Segundo Leila Maria de Almeida Costa, administradora do Núcleo Avançado de Parauapebas do CPCRC, foram realizadas um total de 204 necrópsias no primeiro semestre, sendo 142 oriundas de Parauapebas; 29 de Canaã dos Carajás; 17 de Curionópolis; e 16 de Eldorado dos Carajás.

As armas de fogo continuam liderando o ranking das mortes na região. No primeiro semestre, 60 pessoas perderam a vida por este instrumento, o que aponta uma morte a cada 3 dias. O trânsito matou 26 pessoas no período, o que dá uma média de uma morte por semana.

Confira a tabela completa das necrópsias realizadas em Parauapebas dos quatro municípios atendidos:

Necróspisia 1 semestre 2016 IML

O Instituto Médico Legal (IML) de Parauapebas, um dos braços do Centro de Perícias Científicas “Renato Chaves” começou a funcionar com o serviço de necrópsia em 27 de maio de 2014, após assinatura de convênio específico. Antes, o IML funcionava apenas com serviços burocráticos, encaminhado os corpos para Marabá.

Ourilândia do Norte: PF desarticula garimpo ilegal em aldeia indígena

garimpo ilegalA Polícia Federal deflagrou hoje (7/7) a Operação Muiraquitã, no município de Ourilândia do Norte, sul do Pará. A ação visou desarticular um esquema criminoso de garimpo e comercialização ilegal de ouro extraído do interior da Terra Indígena Kayapó.

Aproximadamente 70 policiais federais participam da Operação. Eles dão cumprimento a 11 mandados de prisão preventiva, a 14 mandados de busca e apreensão e a 3 mandados de condução coercitiva, expedidos pela Justiça Federal de Redenção/PA. Além de Redenção/PA e Ourilândia do Norte/PA, estão sendo executados mandados nas cidades de Porto Nacional/TO e São José do Rio Preto/SP.

As investigações a respeito da exploração ilegal do ouro na Terra Indígena Kayapó iniciaram-se no final de 2015. Em sobrevoo da área, realizado em março deste ano pela FUNAI e Polícia Federal, verificou-se que o coração da atividade garimpeira na região Sul do Pará, atualmente, é realizada no garimpo da Aldeia Turedjan, em Ourilândia do Norte. Foram identificadas cerca de 40 pás-carregadeiras posicionadas em diversos pontos de garimpos, situados num raio de aproximadamente 10 Km, o que demonstrava o ritmo da atividade extrativista ilegal na região.

Ouro, clandestinidade e ameaças de morte

A reserva indígena se tornou o destino de centenas de garimpeiros clandestinos. Conforme estimativas dos servidores da FUNAI, são extraídos 20 kg de ouro por semana do local, o que pode representar movimentação mensal de R$ 8 milhões, considerado o valor do grama do ouro no “mercado paralelo”.

O fluxo de pessoas nessa região resultou em conflitos entre os garimpeiros, que disputavam uma mesma área, gerando um clima tenso, onde ameaças de morte eram uma constante. Alguns indígenas participavam diretamente da atividade criminosa, e, em alguns casos, eram responsáveis por decidir os conflitos entre garimpeiros, delimitando a área que cada um poderia explorar. O avanço da atividade garimpeira também gerava graves crises entre tribos diversas que ocupam reservas limítrofes na região.

As investigações apontaram para o envolvimento de indígenas da própria Aldeia Turedjan, que compactuavam e lucravam com a atividade garimpeira clandestina, bem como comerciantes de ouro da região. Estes atuavam como receptadores do minério extraído ilegalmente, repassando-o para os estados do Tocantins e São Paulo, de onde era distribuído para o resto do país.

Poluição e desmatamento

Os danos ambientais causados pela atividade clandestina de mineração são muitos. Os mais recorrentes são desvio do curso de rios, desmonte hidráulico (no caso de garimpagem mecânica), aterramento de rios e contaminação do solo, ar e águas através de metais pesados, principalmente o mercúrio. A paisagem de locais onde existem ou já existiram garimpo é modificada. Vegetações são extintas e animais fogem ou morrem por causa da contaminação causada.

Indiciamentos e aprofundamento das investigações

Até o momento, ficou demonstrada que os investigados incidiram na prática dos crimes de usurpação de bem da União (art. 2º da Lei nº 8.176/91), extração de recursos minerais sem autorização (art. 55 da Lei nº 9.605/98), diversos outros crimes ambientais (arts. 38, 44 e 54 da Lei n°9.605/98), Receptação qualificada (art. 180, §1º, do CP) e Associação Criminosa (art. 288 do CP).

Com a busca e apreensão de documentos, em complemento às declarações dos envolvidos, pretende-se aprofundar as investigações, no sentido de identificar outros participantes do esquema criminoso. Serão averiguados a extensão dos danos ambientais causados e a prática do crime de lavagem de capitais (art. 1° da Lei 9.613/98) pelos comerciantes de ouro, que auferiam lucros altíssimos com a atividade criminosa.

Fonte: Assessoria de Comunicação Social da Polícia Federal no Pará

TJ do Pará recorre ao STF por folga às sextas de julho

O presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Pará (TJ-PA), Constantino Guerreiro, impetrou ontem, por meio da Procuradoria Geral do Estado (PGE), um mandado de segurança com pedido de liminar, no Supremo Tribunal Federal (STF) para fazer valer a portaria nº 3047, de 29 de junho, que facultou o expediente em todas às sextas-feiras do mês de julho.

A portaria foi tornada sem efeito por decisão liminar monocrática do conselheiro Emmanoel Campelo, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) a pedido da OAB-PA, que criticou duramente a decisão do Tribunal. A relatoria do recurso caberá ao Ministro Roberto Barroso, que responde pela presidência do STF no recesso do judiciário.

Nas suas justificativas, o TJ-PA alegou que o ponto facultado se justificava em razão da redução da demanda jurisdicional no Estado por causa das férias, quando boa parte da população geralmente sai da cidade em direção aos balneários.

Ponderou ainda que a Secretaria de Informática do Tribunal havia programado para os finais de semana deste mês (de sexta-feira a domingo), “manutenção preventiva/corretiva nos sistemas informatizados utilizados pelo Poder Judiciário do Estado do Pará”.

Ao discordar da portaria do TJ-PA, a OAB alegou ser “público e notório” o acúmulo de audiências e processos, principalmente nos Juizados Especiais, “onde existem audiências designadas para somente 2018”. Citou ainda o atraso no cumprimento das metas do CNJ, e o “déficit de 600 servidores em todas as especialidades”.

Metas – De acordo com a OAB das 90 varas existentes hoje na Região Metropolitana de Belém 45 – ou seja, 50% – não conseguem alcançar a Meta n° 1 do CNJ, que prevê o julgamento de quantidade maior de processos de conhecimento do que os distribuídos no ano. E que das 164 Varas existentes em todo o interior do Estado, 111 não alcançam a meta estipulada, ou seja, 68% não possuem um nível de produtividade considerado aceitável pelo CNJ.

Motivo para a folga

A portaria foi tornada sem efeito por decisão liminar monocrática do conselheiro Emmanoel Campelo, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) a pedido da OAB-PA. (Foto: Agência CNJ)

No pedido para suspender a portaria do TJ-PA, a OAB-PA destacou o fato de que o Judiciário do Estado, ”ao passo que decidiu facultar as sextas-feiras do mês de julho, no mesmo dia, publicou a Portaria no 3048/2016, por meio da qual reconheceu a necessidade de realização de força tarefa para o cumprimento da Metas CNJ nº 04/2016 e 6/2016, determinando a realização de força tarefa em todas as Varas e Comarcas do Poder Judiciário do Estado do Pará, no período de 22 a 26 de agosto de 2016, das 8hrs às 17hrs, no primeiro grau de jurisdição”.

Em sua decisão Emmanoel Campelo concordou com as alegações da OAB e disse que a portaria do TJ do Pará contraria entendimento do CNJ, do Supremo Tribunal Federal, ao que determina o Código de Processo Civil e a Constituição Federal.

“Indago, qual o fundamento para suspender o prazo processual no Judiciário Estadual do Pará, neste período? Qual a motivação, quando há ausência do cumprimento das metas deste CNJ, fato demonstrado nos relatórios referentes às Metas Nacionais do ano de 2016, enviados no mês de abril do corrente ano… e se a Corte requerida apresenta carência de servidores? Dessa forma, não há razão legal para que o Tribunal declare ponto facultativo nas sextas-feiras do mês de julho, ocasionando transtorno aos jurisdicionados e limitando indevidamente o acesso à Justiça”, ponderou o conselheiro, tornando sem efeito a portaria. Além de facultar o expediente a portaria, publicada no dia 30/06, também suspendeu os prazos processuais e audiências nas sextas-feiras de julho (dias 1,8,15,22 e 29), sem prejuízo do funcionamento do Plantão Judiciário em 1º e 2º graus. (Luiz Flávio / Diário do Pará)

Receita abre na sexta-feira consulta ao segundo lote de restituição do IRPF de 2016. No Pará, mais de 37 mil serão contemplados.

A partir das 9 horas de amanhã, 8 de julho, estará disponível para consulta o segundo lote de restituição do IRPF 2016, que contempla 37.352 contribuintes no Estado, totalizando R$ 83.751.077,93. 

Na 2ª Região Fiscal que engloba os estados do Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia e Roraima, um total de R$ 181.606.097,78 será liberado para 90.698 contribuintes.

O lote multiexercício de restituição do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física contempla também restituições dos exercícios de 2008 a 2015.

O crédito bancário para 1.566.533 contribuintes, em todo o Brasil, será realizado no dia 15 de julho, totalizando o valor de R$ 2,7 bilhões. Desse total, R$ 951.605.753,26 referem-se ao quantitativo de contribuintes de que trata o Art. 69-A da Lei nº 9.784/99, sendo 477.147 contribuintes idosos e  51.310  contribuintes com alguma deficiência física ou mental ou moléstia grave.

A Receita disponibiliza, ainda, aplicativo para tablets e smartphones, o qual facilita a consulta às declarações do IRPF e situação cadastral no CPF. Com ele será possível consultar diretamente informações sobre liberação das restituições do IRPF e a situação cadastral de uma inscrição no CPF nas bases da Receita Federal.

A restituição ficará disponível no banco durante um ano. Se o contribuinte não fizer o resgate nesse prazo, deverá requerê-la por meio da internet, mediante o Formulário Eletrônico – Pedido de Pagamento de Restituição, ou diretamente no e-CAC, no serviço Extrato do Processamento da DIRPF.

Caso o valor não seja creditado, o contribuinte poderá contatar pessoalmente qualquer agência do BB ou ligar para a Central de Atendimento por meio do telefone 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos) para agendar o crédito em conta-corrente ou poupança, em seu nome, em qualquer banco.

Copa do Brasil: Paysandu vence o Operário-PR e está na terceira fase

Paysandu e Operário-PR decidiram ontem (06) a vaga na próxima fase da Copa do Brasil 50 dias após o jogo de ida, disputado no dia 17 de maio no estádio Germano Krüger, em Ponta Grossa, quando o Operário-PR levou a melhor e venceu por 1 a 0, gol de Washington. Precisando marcar, o Papão não seu sopa para o azar e fez 2 a 0 logo no primeiro tempo.

Paysandu

Já em Belém, na Curuzu, em noite de artilheiro, o zagueiro Gilvan garantiu o Paysandu na próxima fase da Copa do Brasil. Em desvantagem após perder por 1 a 0 no jogo de ida, o Papão precisava vencer por dois gols para garantir a vaga na próxima fase. Com dificuldades para finalizar, as chances vieram na bola parada. Primeiro, aos 37 minutos, Rafael Costa mandou a bola na área, Fernando Lombardi desviou e o zagueiro Gilvan aproveitou para abrir o placar. Depois, aos 43, nova cobrança de Rafael Costa para Gilvan, mais uma vez, balançar as redes. No segundo tempo, o Papão administrou o placar, enquanto o Fantasma foi para cima em busca de um gol da classificação, mas ficou no quase. Juba balançou o travessão em chute de fora da área, William Lira mandou de cabeça e a bola passou perto. Melhor para o Paysandu, que contou com a força da defesa para garantir o placar e avançar na competição.

1º Tempo – Como esperado, o Paysandu tentou pressionar desde o início em busca do gol. Porém, a primeira boa chance foi do Operário-PR, em chute de Washington, por cima. Depois, só deu Papão. O Fantasma abusou das faltas perto da área e pagou o preço. Primeiro, aos 37 minutos, Rafael Costa mandou a bola na área, Fernando Lombardi desviou e Gilvan aproveitou para abrir o placar. Depois, aos 43, nova cobrança de Rafael Costa para Gilvan, mais uma vez, balançar as redes.

2º Tempo – Em vantagem, o Paysandu voltou do intervalo tentando administrar o placar obtido na primeira etapa. As melhores chances desta vez foram do Operário-PR. Aos 14, Lucas cobrou falta e a bola passou perto. Enquanto o Papão apostava nas bolas paradas, o Fantasma pressionava. Aos 39 minutos, Juba chutou da entrada da área e a bola explodiu no travessão. Três minutos depois, William Lira recebeu cruzamento e mandou de cabeça, com a bola passando ao lado da trave. No fim, melhor para o Paysandu, que garantiu a vitória e a vaga.

O nome do jogo - O Paysandu não marcava há três jogos. Se o ataque não vem resolvendo, coube ao zagueiro Gilvan o papel de artilheiro para garantir a classificação do Papão na Copa do Brasil. Foram dele os dois gols na vitória sobre o Operário-PR. Primeiro, ele aproveitou o desvio do companheiro de zaga Fernando Lombardi para abrir o placar. Depois, marcou de cabeça após cobrança de falta de Rafael Costa. Foi o terceiro gol de Gilvan na Copa do Brasil (ele tinha marcado um contra o Independente-PA, na primeira fase).

Próxima fase – O Paysandu encara o Juventude na terceira fase da Copa do Brasil. O jogo de ida será no dia 20 de julho, uma quarta-feira, às 19h30 (de Brasília), no estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul. A partida de volta será no dia 27 de julho, também uma quarta-feira, às 19h30 (de Brasília), no estádio da Curuzu, em Belém. Já pela Série C, o Paysandu joga no sábado, às 21h (de Brasília), contra o Londrina, no estádio da Curuzu, pela 15ª rodada da Série B do Brasileiro. (Com informações do GE)

O Pará colhe o que planta

FrutasCom uma diversidade cultural, florestal e animal fantástica, além de ser privilegiado com portos mais próximos dos principais mercados do agronegócio: EUA, China e Europa, o Pará é considerado a última fronteira agrícola, de sustentabilidade e logística do Brasil. No Pará, 30% do Produto Interno Bruto, vem do agronegócio. O PIB do agronegócio cresceu 0,6% em fevereiro de 2016 e acumula alta de 1,09% nos primeiros dois meses de 2016, segundo a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada da Universidade de São Paulo (Cepea/USP).

Na primeira reunião dos gerentes, após assumir a diretoria geral da Adepará em abril de 2015, o médico veterinário Luciano Guedes comentou: “O Pará pode triplicar a sua produção agropecuária sem derrubar nenhuma árvore, apenas com tecnologia e trabalho. Nós temos as melhores condições edafoclimáticas. Ou sejao Pará tem a vantagem geográfica. Terra plana, água, chuva, sol, tudo na medida certa, todos os meses do ano, além da maior reserva de água doce do planeta”. A produção de mel de abelha, por exemplo, cresce em larga escala, devido a características favoráveis do clima e da flora da Amazônia. A área plantada com soja e milho no Pará deve ganhar de 300 mil a 500 mil hectares ainda nos próximos cinco anos. O maior incremento será no Oeste do Pará, com a incorporação de áreas que já foram agricultáveis ou destinadas à pecuária.

Ao todo, 95% da carga de boi vivo que é exportado do Brasil, hoje, sai do estado do Pará. Além de recordes de produção em diversos setores, é também destacado nacionalmente, e principalmente, na produção da fruticultura. E está crescendo.  É o maior produtor de açaí do Brasil. Também se destaca em ser o segundo maior produtor de cacau, com 26% da produção nacional, com perspectivas de, em breve, alçar o 1º lugar, devendo duplicá-la até o ano de 2020. Tem também 74% da produção de pimenta e 18% da produção de mandioca. O maior produtor nacional de dendê respondendo por 90% da produçãoEm 2015, a alta da produção de grãos na região Norte foi de 22,1%, enquanto no Centro-Oeste foi de 8,3%. No Sul, o avanço foi de 7%. O Nordeste cresceu 5,4% e o Sudeste, 5%.

O arranjo produtivo de frutas do Estado do Pará é considerado um dos mais dinâmicos quanto às possibilidades de desenvolvimento na forma de sistemas agroflorestais sustentáveis, envolvendo comunidades e pequenos produtores.

PRINCIPAIS FRUTAS

PRODUÇÃO

RANKING NACIONAL DE
PRODUÇÃO

Açaí (tonelada)

706.488

Cupuaçu (tonelada)

41.142

Abacaxi (mil frutos)

248.772

Cacau (tonelada)

52.376

Coco (mil frutos)

230.873

Banana (cacho)

539.979

Esses números, em constante crescimento que podemos perceber no agronegócio do Pará, é significativo, para um estado que não tinha o Agronegócio desse tamanho há exatos cinco anos atrás. É o Pará colhendo o que planta.

Ser do Campo – Essa alteração no eixo produtivo mudou parcialmente o cenário do campo paraense. O interior, aos poucos, vai ganhando mais estrutura, melhores condições para as famílias serem criadas, como colégios e faculdades, por exemplo, que têm nas metrópoles. A qualidade de vida vem fazendo com que as novas gerações de empreendedores rurais prefiram permanecer em casa, quando não voltarem após concluírem o curso superior. A própria indumentária do homem do campo, o clássico chapéu-bota-fivelão, voltaram a dar as caras, junto com as versões mais “urbanizadas”. Eles se assumem como “Homem do Campo”, sem a vontade de mudança.

PP declara apoio a Marcelo Catalão, pré-candidato do DEM à prefeitura de Parauapebas

Foto apoio PP (1)O Partido Progressista (PP), depois de muito dialogar com as lideranças do Partido Democratas, declarou apoio irrestrito ao projeto de governo e a pré-candidatura de Marcelo Catalão à prefeitura de Parauapebas nas eleições de outubro próximo.

A declaração de apoio aconteceu ontem, 06,  em encontro entre as lideranças dos partidos. Andreia Lima, presidente municipal do PP, afirmou que seu partido decidiu apoiar essa causa por acreditar, de fato, neste projeto. “Nós acreditamos em você, Marcelo. A nossa cidade precisa de um homem de palavra e que tenha compromisso com o novo. O PP acredita na juventude, na coragem e na força de vontade de Marcelo Catalão para fazer o melhor para Parauapebas”.

O ex-vereador Adelson Fernandes, que até então era o pré-candidato do partido à prefeitura de Parauapebas disse que retirou sua  candidatura para o próximo pleito em nome de uma aliança em favor do bem do município. “Sem egoísmo e sem vaidade. Apenas com um desejo maior de fazer com que essa cidade ande pra frente. É com essa vontade que nós nos unimos ao projeto do Marcelo Catalão e do DEM para que a nossa cidade e o nosso povo possam ser mais felizes”, declarou o agora entusiasta da campanha Catalão.

Se dizendo muito feliz e honrado por receber o apoio do PP, o pré-candidato Marcelo Catalão reconheceu que o partido vem para consolidar a base desse grande projeto para o município. “Obrigado Andreia, Adelson e a todos do Partido Progressista por virem somar forças com a gente”, afirmou o pré-candidato, informando que que nos próximos dias o Democratas vai apresentar os demais partidos que irão compor a base de apoio rumo ao Morro dos Ventos em 2017.

Nota do Blogger: O PP já foi um partido forte em Parauapebas, Nas eleições de 2012 o partido lançou 22 candidatos e obteve 16.244 votos nominais, elegendo 3 vereadores (Devanir Bruno Soares e João do Feijão), mas se dissolveu após a saída de seu presidente, o empresário Roque Dutra. Os vereadores eleitos mudaram de legenda na primeira oportunidade e o partido agora tenta se reerguer com a filiação de o ex-vereador Adelson Fernandes. O PP tem um bom grupo e procura retomar o espaço político perdido com a debandado dos eleitos. Mesmo sem a força de outrora, o PP agregará bem ao projeto de Marcelo Catalão.