Category Archives: Minha casa, minha vida

Marca do governo Dilma, Brasil Sem Miséria é alvo de fraudes pelo país

“Não queria luxo, não. Só sair do aluguel. Aluguel vence muito ligeiro”, diz Maria do Socorro Ribeiro, de 31 anos, inscrita no programa Minha Casa Minha Vida, no município de Redenção, no Pará, e não contemplada com uma das 500 casas entregues em 29 de março deste ano. Socorro vive com os filhos de 9 e 14 anos e o marido, servente de pedreiro que luta contra um glaucoma que já cegou um olho. Com problema crônico nos rins, ela deve mais de R$ 500 de aluguel e só não foi despejada porque a proprietária do imóvel tem “pena de botar para fora”. O Bolsa Família de R$ 134 por mês é o que sustenta os quatro. E a pouca comida chega à mesa graças às cinco galinhas que cria.

- A casa ia mudar tudo. Não é que a gente ia ter mais dinheiro. Ia ter sossego – diz.

Enquanto Socorro sonha com a casa própria, o primeiro empreendimento do Minha Casa Minha Vida em Redenção é alvo de investigação da Polícia Federal (PF) e do Ministério Público Federal (MPF). A suspeita é que as casas foram usadas como moeda eleitoral pelo prefeito Wagner Fontes (PTB), que tentou se reeleger, mas perdeu no primeiro turno para Vanderlei Coimbra Noleto (PRP).

O Minha Casa Minha Vida, para famílias que recebem de 0 a 3 salários mínimos, é um dos programas voltados para o público-alvo do Brasil Sem Miséria, plano lançado em 2011 como carro-chefe do governo Dilma Rousseff e que reúne ações como o Bolsa Família, o Programa de Aquisição de Alimentos e o Programa de Erradicação do Trabalho Infantil. Em todo o Brasil, até 15 de outubro, mais de 300 mil unidades foram entregues nessa faixa de renda. Mas o plano – criado para tirar 16,2 milhões de pessoas que ainda vivem abaixo da linha de pobreza extrema, isto é, com renda mensal inferior a R$ 70 – enfrenta uma série de fraudes investigadas por MP, PF, Controladoria Geral da União (CGU) e Tribunal de Contas da União (TCU), como mostra levantamento do GLOBO nos órgãos de controle.

País afora, o Brasil Sem Miséria é alvo de fraudes comandadas por pessoas que deveriam zelar pela boa execução do programa – mas se transformaram em exploradores da miséria e não se constrangem em ludibriar os que estão no extremo da pobreza, para quem falta até comida.

Na Paraíba, um esquema envolvendo o Programa do Leite desviou milhões, enquanto famílias recebiam leite adulterado. Em Mato Grosso do Sul, um gato recebeu o Bolsa Família. E, pelo país, são comuns casos em que pessoas sem o perfil dos programas foram neles incluídas, enquanto outras que realmente precisam estão de fora. Nos últimos seis meses, O GLOBO garimpou nas cinco regiões brasileiras exemplos dessas fraudes, que miram a verba pública do Brasil Sem Miséria mas atingem o brasileiro mais miserável. Elas são o tema da série de reportagens publicada a partir de hoje.

Embora enfrente problemas, o Brasil Sem Miséria, que este ano teve orçamento de R$ 28,26 bilhões, tem sido a garantia de vida melhor para famílias como a de José Carlos Sousa, de 25 anos. Ele vive em Redenção, com a mulher e o filho de 5 anos, e viu a vida mudar desde que trocou um quartinho mofado por uma casa de dois quartos, sala, cozinha e banheiro no Jardim América II, onde estão as unidades do Minha Casa Minha Vida.

Cunhada do prefeito ganha casa

Na cidade paraense de Redenção, diz a PF, além de usar o Minha Casa como moeda eleitoral, a prefeitura entregou unidades para pessoas que não estavam na faixa de 0 a 3 salários mínimos. Por lá, até a cunhada do prefeito foi contemplada.

- Levantamos, por meio de provas testemunhais e documentais, que o prefeito dividiu o número de casas financiadas pelo Minha Casa Minha Vida em cotas, distribuídas entre os secretários e os ocupantes de cargos da administração municipal. Eles encaminhavam e indicavam pessoas a serem beneficiadas, em troca de apoio político aos candidatos ligados ao prefeito – diz Luís Felipe da Silva, delegado da PF. – O inquérito já constatou que existem pessoas com vários imóveis e veículos próprios, com renda razoável, e ainda assim beneficiadas.

Em fevereiro, a entrega das casas foi suspensa pela Justiça Federal, que decidiu a favor de representação do MPF. O juiz da 9ª Vara Federal de Redenção determinou que o prefeito não realizasse o sorteio, antes da entrega das chaves. Em março, no entanto, a Justiça Federal liberou a entrega dos imóveis.

- As denúncias são falsas. É o grupo político adversário que fala que as casas foram entregues em troca de voto. Se aconteceu, eu não fiquei sabendo – diz o prefeito Wagner Fontes, que recebeu a equipe do GLOBO em seu gabinete e a coagiu e ameaçou quando soube o teor da reportagem.

No encontro, Fontes chegou a dizer que “se (alguém) falar mal a fim de difamar, pode ser que amanhã ou depois esteja morto”, e contou a história de um blogueiro da região que “sumiu”. A ameaça foi registrada na PF de Redenção.

Segundo o Ministério das Cidades, responsável pelo Minha Casa, a “escolha dos beneficiários é da responsabilidade da prefeitura, que estabelece os critérios aprovados pelo Conselho Municipal e está sujeito à fiscalização dos órgãos de controle”. O município é ainda o responsável pelo cadastramento, e “os dados dos candidatos são verificados pela Caixa Econômica Federal”. Em caso de “comprovada irregularidade, a Caixa requer a rescisão do contrato”.

Em Redenção, a PF investiga se as pessoas encaminhadas por Elcir Lustosa, então chefe de gabinete, e contempladas com o imóvel podiam mesmo ser beneficiadas. À polícia, Jardel Teles, gestor do Bolsa Família no município, disse que alguns não se enquadravam no perfil exigido. Também à PF, servidores da prefeitura disseram que em 2011 o então secretário de Meio Ambiente, Lázaro Marinho, esteve no Departamento de Trânsito Municipal acompanhado de um funcionário da secretaria. Ele teria dito que Marinho “possuía cinco casas para serem distribuídas”.

No inquérito, a PF investiga se Creuza de Jesus Lopes de Oliveira, cunhada de Wagner Fontes e nomeada por ele para a Comissão de Habitação (portaria 154/2011) – que tem como atribuição selecionar beneficiários do Minha Casa -, teria direito a um dos imóveis. A polícia já sabe que a servidora pública vive com Vanderlã Monteiro Fontes, irmão do prefeito, em uma casa cedida há oito anos por Wagner Fontes, no setor Santa Tereza, área central da cidade. E que, mesmo tendo recebido as chaves em 29 de março, até julho não havia se mudado.

Segundo o ministério, os donos dos imóveis têm 30 dias para ocupar as casas. “A não ocupação no prazo implica rescisão de pleno direito do contrato de venda e compra. Quando comprovado que o beneficiário não ocupou por motivo alheio à vontade, o prazo pode ser estendido.”

Procurada, Creuza não explicou por que não havia se mudado – “não é da sua conta” – e afirmou que “nunca” fez parte da Comissão de Habitação. O prefeito confirmou que a nomeou para a comissão. Disse que a “demitiu” e que nova comissão foi criada. O advogado da prefeitura e o assessor especial do gabinete ficaram de enviar esse documento, mas isso não ocorreu até o fechamento da edição.

- Ela vive com meu irmão, com quem tem um filho, e eu dei a eles uma casa – diz Fontes. – Entregamos 500 casas e eu soube de duas ou três situações que me contrariaram. Creuza ganhou e fiquei contrariado. Eu não sabia que fez o cadastro.

Segundo o ministério, servidores públicos podem ser beneficiados desde que estejam na faixa de renda determinada. A PF investiga se Creuza tem mesmo renda entre 0 e 3 salários.

Mesmo investigado, Fontes, de olho na reeleição, determinou no segundo semestre o cadastramento de mais três mil pessoas no Minha Casa e prometeu mil casas. Não contou que o governo federal ainda analisa dois novos projetos, que somam 893 unidades. Por isso, seguindo determinação do MP Eleitoral, a PF instaurou novo inquérito em 28 de setembro. E apura suposto crime de corrupção eleitoral.

- A investigação apura novas denúncias de uso do programa como instrumento para obter votos – conta o delegado Luís Felipe da Silva.

Fonte: Agência Globo

Lista dos beneficiários excluídos do Programa Minha Casa, Minha Vida em Parauapebas

A Prefeitura Municipal de Parauapebas torna pública a segunda lista dos beneficiários que foram excluídos do Programa Minha Casa, Minha Vida, em função da incompatibilidade com as normas ditadas pelo programa. E neste mesmo ato publica a lista dos novos contemplados que substituirão os primeiros, conforme abaixo colacionado:

Beneficiários excluídos

Novos beneficiários

Rejane Andrade Lima Francisca das Chagas Santos Bessa
Francisca Silva Sousa Luciano Sampaio de Castro
Ana Flavia Alves de Souza Leide Laura Bandeira da Silva
Selma Gomes Morais da Costa Maria Antônia Felício dos Santos
Leila Ramos Mendes Camila Roseth Rodrigues
Raimunda Silva Cruz Meire de Sousa Miranda
Larissa Ravena Rodrigues de Sousa Alzira Cristina Miranda de Lima
Maria Edilene Viana Gomes Cleidiane de Brito Silva
Marlene dos Santos Ivoneide dos santos Freitas
Regiane do Nascimento Freitas Cristiana Carvalho Marinho
Maria Sildeane Teixeira de Castro Maria Lucia de Freitas Gonçalves
Raquel de Souza Silva Francisca das Chagas Oliveira
Alcilene da Silva Monteiro Gerlande de Almeida Freire
Marcia Maria da Silva Miranda Flavia Silva Gomes
Rita Helena Silva Machado Mariene Costa de Sousa
Maria do Rosário Silva dos Santos Marcia Simone dos Santos Ramos
Maria Lizete Soares de Sousa Cristaline Rodrigues Conceição
Raimunda Alves Lima Ferreira Claudete Baldoína Silva
Rosilene Bezerra da Silva Raposo Francisca Silva e Silva

Fonte: ASCOM PMP

Parauapebas: prefeitura assina contrato para construção de 650 moradias populares

HELDER MESSIAHS 066.JPG. A reunião aconteceu no gabinete do prefeitoA reunião realizada durante a manhã desta quarta-feira, 04, no gabinete do Prefeito Darci Lermen, marcou a assinatura do contrato entre a Prefeitura Municipal de Parauapebas, Caixa Econômica Federal e HF Engenharia, para a construção de 650 moradias que contemplarão as famílias de baixa renda, inscritas no programa “Minha Casa, Minha Vida” (MCMV), com renda entre zero e três salários mínimos.

Com o objetivo de reduzir o déficit habitacional, a parceria é um marco para o município, tendo em vista que possibilitará a construção de mais um empreendimento habitacional popular. Segundo o superintendente da Caixa Econômica Federal, Floriano Kruly, Parauapebas receberá um investimento de 33 milhões de reais do Governo Federal. “Essa é mais uma conquista para o município. Esse empreendimento trará uma melhoria para a qualidade de vida dos cidadãos que necessitam de moradia”, disse.

Para o prefeito Darci Lermen, o MCMV é um dos programas essenciais do Governo Federal e tem mudado a vida de muitas famílias de baixa renda. “Esse programa tem um alcance social inacreditável, principalmente, porque atende os mais necessitados. Entendemos que para ter uma vida digna é fundamental que se tenha uma casa; todo mundo sonha com um lugar seu para cuidar. Criamos as condições favoráveis para transformar a vida das pessoas”, destacou.

A previsão é que as obras iniciem em um mês, com conclusão em 15 meses. As unidades habitacionais serão construídas no Bairro Vila Nova, ao lado do Residencial dos Minérios.

 

Atualização de Cadastro

A partir do dia 15 de agosto, as pessoas já inscritas no Programa “Minha Casa, Minha Vida”, podem atualizar o cadastro no Departamento de Cadastramento da Secretaria Municipal de Habitação (SEHAB), localizado na Rua Belém, 311 (esquina com a Rua 4), Bairro Primavera.

Depois da seleção, o interessado é convocado para apresentação da documentação. A prestação mínima é de R$ 50, sem entrada, e a primeira parcela é paga somente após o imóvel estar pronto. Além disso, o financiamento do imóvel tem prazo máximo de 10 anos.

Fonte: ASCOM PMP

Comunicado Secretaria de Habitação de Parauapebas

A Prefeitura Municipal de Parauapebas torna pública a lista dos beneficiários que foram excluídos do Programa Minha Casa, Minha Vida, em função da incompatibilidade com as normas ditadas pelo programa. E neste mesmo ato publica a lista dos novos contemplados que substituirão os primeiros, conforme abaixo colacionado:

LISTA DOS EXCLUÍDOS

NOVOS BENEFICIÁRIOS

01 – Analice de Sousa

02 – Antônia Luciene Santos Silva

03 – Carla de Cassia Moura

04 – Claudete Baldoína Silva

05 – Cristina Paiva Costa

06 – Deusuita Rodrigues de Souza

07 – Elaine Lobo Moraes

08 – Elisabete da Silva Mendes

09 – Gracilene da Silva Souza

10 – Lia Dutra Correa

11 – Luzia Sousa Santos

12 – Maria de Fátima de J. da S. Pereira

13 – Maria de Nazaré Teixeira Martins

14 – Maria Eliete Franca Oliveira

15 – Maria Sonia de Sousa Cirqueira

16 – Maria Zuleide Carvalho

17 – Raimunda Farias da Luz

18 – Vanderlete Meireles Araújo

19 – Vera Lucia de Araújo Alcântara

01 – Lusimar Carvalho de Sousa Monteiro

02 – Maria Marlene da Silva

03 – Rosicleia Silva Lima

04 – Francisca Franciane Morais Santos

05 – Francisca Oliveira Sousa

06 – Vanicléia Rodrigues Queiroz

07 – Deuzamar de Oliveira da Silva

08 – Valdineide Victor da Silva

09 – Alexsandra Oliveira Souza

10 – Francineide de Sousa Alves

11 – Ivanilde Oliveira de Sousa

12 – Sheila Batista de Souza

13 – Maria Aparecida da Silva Santos

14 – Margarida O. da Costa Silva

15 – Aldenir dos Santos Sousa

16 – Claudete Cardoso dos Santos

17 – Samara Ferreira da Silva

18 – Marlene Bento da Silva

19 – Maria José Rocha Martins

1000 famílias realizam o sonho da casa própria em Parauapebas

Emoção foi o que não faltou na entrega das residências do Programa Minha Casa, Minha Vida.  A Prefeitura de Parauapebas, juntamente com a Caixa Econômica Federal, entregou 1000 unidades habitacionais às famílias beneficiadas pelo programa, durante uma cerimônia realizada no sábado, 28, às 18h, no Residencial dos Minérios, bairro que as casas foram construídas.

As famílias que receberam a chave da casa própria, no local da cerimônia, já podem providenciar sua mudança. Cada uma das 1000 residências conta com uma área de 40,8 m², composta por sala integrada à cozinha, banheiro, dois quartos e área de serviço. O bairro foi entregue com toda a infraestrutura básica de água, energia e asfalto e uma praça para recreação dos moradores. Está em processo de licitação a construção de uma escola padrão para o bairro, com 12 salas de aula, biblioteca, sala de leitura e cantina. Enquanto isso, os alunos da rede pública terão transporte escolar.

“Meu coração hoje bate mais forte do que o coração de qualquer um que está aqui, pois ele bate mil vezes, por mil famílias, que hoje realizam o sonho de ter uma casa. Nossa cidade é uma mistura de gente de todos os Estados do Brasil, mas todas essas pessoas querem construir a felicidade e, para serem felizes precisam da casa própria”, declarou emocionado o Prefeito, Darci Lermen. O prefeito aproveitou a ocasião para pedir ao superintendente da Caixa Econômica Federal da região sul do Pará, Floriano Kruly, a liberação da construção de mais unidades habitacionais para Parauapebas.

A dona de Casa, Poliana Silva, foi uma das contempladas pelo Programa. Moradora de Parauapebas há 10 anos, e portadora de necessidade especial, diz ter dificuldade de arrumar emprego, o que tornava distante o objetivo de comprar uma casa. Ao saber da existência do programa pela televisão, se interessou, fez sua inscrição, e o sonho que era distante foi realizado. “Para mim é um sonho receber essa casa, estou muito feliz”, comemorou Poliana.

A construção do Bairro Residencial dos Minérios ficou sobre a responsabilidade da empresa HF Engenharia, com a qual ficou acordado que uma parte dos materiais da construção seria adquirida em Parauapebas, além disso, foi solicitado que a mão-de-obra local fosse priorizada.

O contrato para a construção das casas foi assinado entre a Caixa Econômica Federal e a Empresa HF Engenharia, e abrangeu o valor de cerca de 40 milhões de reais.

Autoridades
Estiveram presentes na cerimônia de entrega das casas o Prefeito Darci Lermen, superintendente da Caixa Econômica Federal, Flroriano Kruly, secretários de: Habitação, Antônio Neto; Administração, Luis Vieira; Produção Rural, Clovis Laurindo; a ex-governadora, Ana Júlia; deputado estadual, Milton Zimmer; vereadores Odilon Rocha, Euzébio Rodrigues, Wolner Wagner e demais autoridades.

Parauapebas: Programa Minha Casa, Minha Vida entrega 1000 unidades habitacionais neste sábado, 28

Bairro dos Minérios - Foto de Helder Messiahs

No próximo dia 28 de abril, sábado, o sonho da casa própria se concretizará para 1000 famílias de Parauapebas. Nessa data, ocorrerá a cerimônia de entrega das casas do Programa Minha Casa, Minha Vida. O evento inicia às 17h00 e conta com uma programação especial.

A partir do dia 29, cada morador tomará posse da sua residência. O bairro será entregue com toda a infra-estrutura básica de água, energia e asfalto e uma praça para recreação para os moradores. Está em processo de licitação a construção de uma escola padrão para o bairro, com 12 salas de aula, biblioteca, sala de leitura e cantina. Enquanto isso, os alunos da rede pública terão transporte escolar.

Cada moradia conta com uma área de 40,8 m² composta por sala integrada à cozinha, banheiro, dois quartos e área de serviço. Para que os moradores pudessem verificar o funcionamento e infraestrutura das casas, eles realizaram vistorias entre os dias 29/02 e 05/03. Após o período de vistorias, a Caixa Econômica Federal iniciou o processo de elaboração dos contratos para sua devida assinatura e, posteriormente, foi definida a data de entrega oficial do empreendimento.

A construção do Bairro Residencial dos Minérios ficou sobre a responsabilidade da empresa HF Engenharia, com a qual ficou acordado que uma parte dos materiais da construção seria adquirida em Parauapebas, além disso, foi solicitado que a mão-de-obra local fosse priorizada.

O contrato para a construção das casas foi assinado entre a Caixa Econômica Federal e a Empresa HF Engenharia, e abrangeu o valor de cerca de 40 milhões de reais.

Para o secretário municipal de habitação, Antônio Neto, o programa Minha Casa, Minha Vida, desenvolvido pelo Governo Federal, tem dois objetivos principais: tentar diminuir um problema nacional que é o déficit habitacional e fomentar a economia .

Programa Minha Casa, Minha Vida
O Programa Minha Casa, Minha Vida é destinado a famílias com renda mensal bruta de até R$ 1.600,00 (mil e seiscentos reais), com parcelamento em 120 meses e mensalidade inicial de 10 % da renda familiar bruta, não podendo ser inferior a R$ 50,00 (cinquenta reais). A seleção para o Programa Minha Casa Minha Vida foi realizada conforme parâmetros determinados pela Caixa Econômica Federal. Em Parauapebas, foram usados cinco critérios de seleção: dois nacionais e três locais.

Os critérios nacionais foram: famílias residentes ou que tinham sido desabrigadas de áreas de risco ou insalubres e Famílias com mulheres responsáveis pela unidade familiar. Já os locais consistiram em: residir no município há pelo menos três anos; famílias constituídas com filhos em idade inferior a 18 anos sob sua guarda e tutela, priorizando as com maior número de filhos; avós com guarda e tutela de netos com idade inferior a 18 anos, priorizando aqueles com maior número de netos.

Durante a seleção dos beneficiados foi analisado cadastro por cadastro, e selecionadas aquelas famílias que mais necessitavam do apoio público.

Fonte: ASCOM PMP

Sorteio de 1.410 casas populares em Marabá será nesta quarta-feira

Por Ulisses Pompeu – de Marabá
Nesta quarta-feira, dia 25, a Prefeitura de Marabá fará o sorteio 1.410 residências do programa Minha Casa Minha Vida no Residencial Tiradentes, em Morada Nova. O prefeito Maurino Magalhães explica que o sorteio das residências vai contemplar famílias já foram definidas pela Caixa Econômica e a lista enviada para ele apenas hoje, segunda-feira.

As famílias contempladas com as 1.410 casas no Residencial Tiradentes receberão amanhã uma chave simbólica. Todas deverão estar presentes, ou enviar representante legal. Em seguida, segundo o prefeito, todas elas terão de dirigir-se à Seasp (Secretaria de Assistência Social da Prefeitura) para receber a chave verdadeira com o número de sua casa.

Com isso, ela já pode ter acesso a sua residência para zelar, mas só poderá mudar-se para lá no mês de junho, depois que o Corpo de Bombeiro considerar que as casas estarão próprias para habitação. “Trata-se de um convênio com o Ministério das Cidades, que é muito rigoroso neste aspecto”, justifica.

O gestor municipal lembrou que os dois bairros, Tiradentes e Vale do Tocantins, com 2.500 casas no total, terão toda a infraestrutura digna de um ser humano, como água, luz, asfalto, transporte, quadra de esporte, esgotamento sanitário, escola e creche. Esta duas últimas só serão inauguradas no final do ano e a Prefeitura vai disponibilizar, no segundo semestre, transporte escolar para que os estudantes que estiverem matriculados em outros núcleos possam ter acesso à escola gratuitamente.

Além disso, as famílias serão beneficiadas com vários projetos sociais, em uma parceria entre a Prefeitura de Marabá e o governo federal. Elas irão receber cursos profissionalizantes e terão prioridade no mercado de trabalho, através do SINE (Sistema Nacional de Emprego).

Maurino Magalhães disse que as pessoas cadastradas que não encontrarem seus nomes na lista ao lado não devem ficar desesperadas, porque deverão ser contempladas com as casas do Residencial Vale do Tocantins, localizado no São Félix, e que deverão ser sorteadas no dia 15 de maio, porque as obras estão um pouco mais atrasadas e a Caixa ainda está analisando os 500 cadastros remanescentes que a Prefeitura enviou recentemente.

Além das 2.500 residências do Minha Casa, o prefeito revelou que outros dois projetos de casas populares estão em andamento para Marabá em parceira com a Caixa, sendo um de 1.000 e outro de 1.500 unidades habitacionais. “Para todas elas a renda familiar tem de ser de 0 a 3 salários mínimos, que deverá contemplar famílias de baixa renda”, explica.

Além disso, a prefeitura deverá construir mais 1.373 casas no núcleo Cidade Nova para contemplar as famílias que serão removidas das proximidades da Grota do Aeroporto, que receberá obras de infra-estrutura.

Parauapebas: definida nova data para entrega das casas do programa Minha Casa, Minha Vida

A Prefeitura de Parauapebas informa que, em virtude de problemas no sistema de cadastro da Caixa Econômica Federal, que impossibilitou a finalização dos contratos dos beneficiados pelo programa Minha Casa, Minha Vida, a data de entrega das casas foi transferida do dia 13 de abril para o dia 28 de abril.

Fonte: ASCOM

Parauapebas: casas do Bairro dos Minérios serão entregues no dia 13 de abril

image

O prefeito de Parauapebas, Darci Lermen, acaba de confirmar ao Blogger que a entrega das 1.008 casas populares do Bairro dos Minérios, do Programa do governo federal denominado Minha Casa, Minha Vida será no dia 13 de abril, sexta-feira.  Darci disse ainda que não está confirmada a presença da presidente Dilma Rousseff, já que ela tem agendada uma viagem aos Estados Unidos, prevista para o período entre 9 e 13 de abril.

O bairro Residencial dos Minérios é uma obra horizontal que contribuirá para o atendimento de parte das necessidades de moradia em Parauapebas. Iniciado em janeiro de 2010 em parceria com a Caixa Econômica Federal, o projeto foi executado pela HF Engenharia, de Goiás. Cada casa tem 40.8 m²  e a área total de infra-estrutura é de 112.946,66 m². Quase todo o material usado no projeto, assim como a mão de obra, foi adquirido ou contratado em Parauapebas.

Beneficiários do Programa Minha Casa Minha Vida visitam o empreendimento Residencial dos Minérios para fazer vistoria

Inicia-se nesta quarta-feira, 29, o período de visitas dos beneficiários do Programa Minha Casa Minha Vida (PMCMV) ao empreendimento Residencial dos Minérios, em Parauapebas. Do dia 29/02 ao dia 05/03 os futuros moradores irão fazer a visita de vistoria para verificar o imóvel e o funcionamento da infra-estrutura.

A empresa HF Engenharia, construtora responsável pelas obras do Residencial, disponibilizará quatro funcionários para conduzir e acompanhar a vistoria, além do engenheiro responsável pelas obras, Bruno Vinicius. “Cada morador visitará sua própria residência e no final assinará o termo de vistoria atestando que o imóvel está de acordo com o proposto pelo Programa”, diz Bruno.

A Secretaria Municipal de Habitação (Sehab) disponibilizará 02 (dois) ônibus para levar os contemplados ao local da visita, com saída da Casa de Cadastramento da Sehab, localizada na rua 03A, nº 07, Bairro União. Os moradores foram divididos em grupos por quadra e terão turmas pela manhã com saída às 08h e turmas à tarde com saída às 14h. Deverá comparecer somente o contemplado ou 01 (um) representante da família, portando seus documentos pessoais e os do beneficiário que autorizou a visita.

O dia 05/03 ficará disponível para os moradores que por algum motivo justificável não puderem fazer a visita na data marcada.

Após a visita, a Caixa Econômica Federal iniciará o processo de elaboração dos contratos para sua devida assinatura e, posteriormente, marcará a data de entrega oficial do empreendimento.

Os beneficiários podem verificar a data de sua visita na Casa de Cadastramento da Habitação ou pelos telefones (94) 3346-8534 / 3356-0934.

Fonte: ASCOM