Category Archives: Marabá

Marabá tem 10 candidatos na quarentena eleitoral

ELEIÇÕES 2016Por Ulisses Pompeu –  de Marabá

A Justiça Eleitoral em Marabá analisou, até o último dia 12 de setembro, os pedidos de registro de candidatura de 333 postulantes a um cargo eletivo no município. Mas nem todos passaram direito. Pelo menos um foi reprovado de cara, três pediram pra sair (renunciaram) e dez estão na corda bamba, ou seja, foram indeferidos pela Justiça, mas ingressaram com recurso.

Todos os indeferidos são candidatos a vereador. Edna Maria de Souza teve seu pedido de registro de candidatura indeferido pela Justiça Eleitoral e não recorreu. Outros dez também foram barrados, mas estrebucharam e apelaram à Justiça, tentando manter-se no páreo e disputar uma das 21 vagas na Câmara Municipal de Marabá.

Os indeferidos são Adelmo Azevedo de Lima (os motivos já foram relatados neste blog há uma semana), Adriano Silva Pereira, Dalila Alencar Conceição, Marcell de Souza Ribeiro, Elaine Nunes da Silva, Floreny Rodrigues Pereira, Gilvanete de Sousa Feitosa, Tamara de Jesus Barbosa de Castro, Jó Silva de Almeida e Hotacilinha Barros Pilenghy.

O indeferido com recurso, segundo a Justiça, é aquele candidato julgado não regular por não atender as condições necessárias para o deferimento do registro, que interpôs recurso contra essa decisão e aguarda julgamento por instância superior.

Ainda não há uma data para que o Tribunal Regional Eleitoral julgue o caso dos dez indeferidos. Isso deve ocorrer antes da eleição do dia 2 de outubro.

Os três que desistiram de concorrer a vereador são: Erotildes Tavares Pinto, Jaqueline Alves da Cruz e Nagila Rodrigues Zucolotto.

Além destes, até hoje consta no site do TSE um grupão de 41 candidatos que aparecem no sistema da Justiça Eleitoral como “Pendentes de julgamento” e não tiveram seus pedidos apreciados pelo juiz eleitoral. Sobre isso, a reportagem consultou o Cartório Eleitoral de Marabá e foi informada que esse neste caso específico, o site está desatualizado, e que praticamente todos os 41 tiveram o registro deferido, restando apenas atualização no sistema DivulgaCand.

Eldorado dos Carajás
Em Eldorado dos Carajás sete candidatos a vereador tiveram seus pedidos de registro de candidatura indeferidos pela justiça eleitoral. Desses, cinco entraram com recurso e aguardam julgamento.

Curionópolis
Em Curionópolis quatro candidatos a vereador foram indeferidos pela justiça eleitoral. Nenhum deles recorreu da decisão.

Canaã dos Carajás
Em Canaã dos Carajás cinco candidatos a vereador foram indeferidos pela justiça eleitoral.  Apenas um deles (Claudio Nascimento-PT) entrou com recurso. No município, três candidatos aguardam julgamento.

Parauapebas
Em Parauapebas apenas um candidato (Eli Farias-PSDC) teve seu registro de candidatura indeferido pela Justiça Eleitoral. Resta apenas um pedido de registro pendente de julgamento, o do candidato Josué Cabral, do PPS.

Na majoritária todos os cinco candidatos foram deferidos pela justiça eleitoral local. Contra os deferimentos dos candidatos Darci Lermen (PMDB) e Chico das Cortinas (PPS) existem recursos que foram encaminhados ao Tribunal Regional Eleitoral e aguardam julgamento.

Unifesspa realiza hoje debate entre candidatos a prefeito de Marabá

debate-politico-300x218Faltando onze dias para os mais de 159 mil eleitores de Marabá irem às urnas para escolherem o próximo prefeito da quarta maior cidade do estado pelos próximos quatro anos, a Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (UNIFESSPA), através da Faculdade de Ciências Sociais do Araguaia Tocantins, organiza e realiza hoje, o primeiro debate entre os candidatos a prefeito de Marabá.

O debate está previsto para iniciar às 19h30 e será transmitido ao vivo pela internet, direto do auditório do Campus I da universidade, na Folha 31 – Nova Marabá, onde também serão instalados telões para que a comunidade acadêmica e pessoas que não conseguiram reservar vagas para o auditório possam assistir.

O debate será mediado pela professora Dra. Marilza Sales Costa e será dividido em quatro blocos, sendo dois de temas livres, onde candidatos perguntam a candidatos, e dois de temas sorteados. O critério de participação dos candidatos no debate é o mesmo definido pelo Tribunal Superior Eleitoral, que diz que podem participar os candidatos de partidos ou coligações com mais de nove deputados federais na Câmara.

Todos os quatro candidatos foram procurados, mas somente três confirmaram presença: Manoel Veloso (DEM), da Coligação Pra Reviver Marabá; Jorge Bichara (PV), da Coligação Certeza de Um Tempo Novo Para Marabá; e Rigler Aragão, do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL). Sebastião Miranda (PTB) da Coligação Todos Por Marabá, foi procurado pela organização por quatro vezes, tendo sua assessoria dado como resposta à universidade que o mesmo estaria em Belém participando de atividades da Assembleia Legislativa, impossibilitando assim sua participação.

Para acompanhar o debate ao vivo pela internet a partir das 19h30, o internauta deve clicar aqui

Prefeitura de Marabá esclarece sobre suspensão no fornecimento de energia elétrica

A Administração Municipal vem a público esclarecer que a ação da Celpa, em suspender o fornecimento de energia elétrica dos prédios públicos municipais, se deu em todo o sul do Pará, ressalvando que, no caso de Marabá, a Prefeitura devia apenas as faturas de julho passado.

Comunica que essas faturas foram quitadas nesta terça-feira, dia 20, à exceção das contas das Secretarias de Educação e de Saúde, que estão negociando com a Celpa a fim de sanar as dívidas para com a concessionária.

Reforça ainda que a prioridade dos recursos que entraram no caixa dessas duas secretarias foi pagar os salários dos servidores.

ASCOM- PMM

Marabá: Celpa corta energia de 16 prédios municipais por falta de pagamento

Por Ulisses Pompeu –  de Marabá

celpa-mbaCom três meses de atraso no pagamento das faturas de energia elétrica, a Celpa está sendo implacável com a Prefeitura de Marabá. Quatro equipes da empresa estão cortando, na manhã de hoje, a energia de 16 prédios públicos, entre eles da Secretaria Municipal de Assistência Social (Seasp) e da Semed (Secretaria Municipal de Educação). Não há confirmação se escolas, hospitais ou postos de saúde estejam no pacote negro da Celpa.

Na Seasp, a energia foi cortada às 8h30 e os servidores ficaram no escuro. Foram para os corredores e não faziam atendimento. Na recepção, onde a reportagem do blog esteve às 9h30, os servidores atenderam gentilmente, apesar da falta de energia. Todavia, os serviços internos não estavam sendo executados. “Soubemos que o pessoal do Gabinete do Prefeito está correndo para pagar a energia ainda pela manhã. Esperamos voltar a trabalhar ainda hoje”, disse a assessora da Secretária Municipal de Assistência Social.

Na Semed, a Reportagem do blog chegou no momento em que os funcionários da Celpa estavam subindo na escada para cortar a energia. No prédio trabalham mais de 150 pessoas, que também deixaram suas principais atividades, pois depende da energia para ligar computadores e outros aparelhos eletrônicos, além das centrais de ar.

Mais cedo, funcionários da Celpa informaram que a energia seria cortada de 16 prédios municipais, inclusive do prédio da Prefeitura, localizado na Folha 31, Nova Marabá, o que de fato aconteceu às 10h20. No Centro Administrativo funcionam a SDU, Secretaria de Gestão Fazendária e Secretaria Municipal de Administração, outra que está no escuro.

Ainda este ano, a Celpa chegou a ameaçar o corte de energia em prédios da Prefeitura de Marabá. Enviou extrato da conta em atraso para a Câmara, onde houve uma grande mobilização e a Prefeitura acabou pagando as faturas em atraso. A conta de energia dos prédios da Prefeitura gira em torno de R$ 800 mil a R$ 1 milhão por mês.

celpa-mba-2

Antigamente, havia um encontro de contas, a partir do que a Celpa arrecadava da iluminação pública, mas agora isso não acontece mais. Ninguém do governo João Salame foi encontrado para esclarecer sobre os cortes de energia elétrica em 16 prédios da PMM.

EXCLUSIVO: dono de escolinha de futebol em Marabá é condenado a 27 anos por estupro e pedofilia

bira-ramos-3Preso desde abril deste ano, Ubiratan Ramos de Carvalho, o Bira Ramos, proprietário da Escolinha de Futebol Camisa 10, a mais tradicional de Marabá, recebeu uma dura resposta da Justiça nesta segunda-feira, 19, por seus atos reprováveis.  Ele foi condenado a 27 anos e 10 meses de reclusão, soma de penas por duas acusações de estupro de vulnerável e uma pelo artigo 241-B do Estatuto da Criança e do Adolescente: adquirir, possuir ou armazenar, por qualquer meio, fotografia, vídeo ou outra forma de registro que contenha cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente.

A sentença foi prolatada pelo juiz Daniel Gomes Coelho, da 1ª Vara Criminal de Marabá, depois de um longo trabalho de instrução do processo pelas Promotorias de Justiça da Infância e Criminal, em parceria com as investigações da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher e Delegacia Especializada no Atendimento à Criança e ao Adolescente (DATA), que tem à frente a delegada Ana Paula Fernandes.

Bira Ramos é conhecido em Marabá por revelar grandes craques do futebol brasileiro, entre os quais o jogador Elkeson, que atuou pelo Botafogo, Seleção Brasileira, e que até chegou a doar um ônibus para a escolinha de futebol de Bira quando foi transferido para o futebol chinês por um valor milionário.

Mas Bira Ramos também teve atuação no jornalismo marabaense por mais de 20 anos. Em 2009, ele chegou a ser preso por pedofilia, mas as denúncias não prosperaram como a Promotoria pretendia. Agora, com 27 anos a cumprir, pelo menos dois quintos da pena – mais de 11 anos – deverá ser cumprida em regime fechado, provavelmente no Centro Regional de Recuperação Agrícola Mariano Antunes (Crama), onde está preso.

Bira aguardava preso o julgamento por força de mandado de prisão preventivo expedido pela Comarca de Marabá e cumprido pela equipe da DEAM.

A prisão de Bira, em abril deste ano, foi realizada na escola de futebol dele, no Núcleo Cidade Nova. Neste ano, além de ser preso em cumprimento de mandado, ele ainda recebeu voz de prisão em flagrante, uma vez que a Polícia Civil encontrou imagens pornográficas envolvendo crianças no aparelho celular do agora condenado.

Sem um metro de esgoto sanitário, Marabá vê elefante branco e caro ostentar mais de R$ 100 milhões parados

estacao-de-tratamento-de-esgoto-em-marabaA obra da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de Marabá, iniciada em janeiro de 2011, está parada há mais de um ano e não tem previsão para ser concluída e colocada em funcionamento. O prazo inicial para terminar e colocar em funcionamento era julho de 2014, mas foi protelando, as obras se arrastando, até paralisar completamente.

Segundo o gerente regional da Cosanpa em Marabá, Paulo Barbosa, não há previsão para que seja entregue. Enquanto não fica pronto, o esgoto corre a céu aberto, oferecendo risco à saúde da população. O valor total do empreendimento, de acordo com a informação que consta na placa afixada na Rua das Cacimbas, Bairro Amapá, é de R$55.525.470,20, mas Barbosa diz que já foram empregados mais de R$ 160 milhões. Toda essa verba é proveniente do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), mas é de responsabilidade do Governo do Estado do Pará, que tomou o empréstimo através da Caixa Econômica Federal.

A estação de Tratamento, no Bairro Amapá, tem agora apenas um vigilante. O canteiro de obras foi desmobilizado e a empresa que realizava as obras nunca mais colocou uma máquina lá dentro. Paulo Barbosa garante que 80% da obra estaria concluída desde 2014, faltando apenas a instalação de equipamentos automatizados. “Falta só adaptar os equipamentos que já estão em Marabá. Então, uma parte toda a Cosanpa cumpriu. Mas tinha que é da prefeitura, que são as grotas, a Criminosa e a do Aeroporto, que não foram tocadas”, afirmou.

Paulo disse que não culpa a prefeitura pelo descumprimento do acordo, visto que o país e o município passam por uma crise econômica. Além disso, acrescentou que atualmente a tubulação que despejaria o esgoto tratado a mais de 300 metros dentro do rio já foi colocada, assim como todo o encanamento que atravessa a ponte do Rio Itacaiunas. A estação, segundo ele, já deveria estar pronta e em funcionamento, coletando o esgoto de 75% a 80% de toda a cidade.

Por outro lado, o gestor da Ambiental Saneamento, Roberval Marco Rodrigues, alegou que a falta de obras nas grotas não interfere no funcionamento da estação da Cosanpa, que é independente. “Inclusive o tronco necessário para a funcionalidade da ETE foi concluído com o apoio da Prefeitura, mas as grotas não seriam determinantes para o atraso da obra. Quando a construção foi iniciada, a questão das grotas ainda estava em projeto e as demais áreas de operações da Cosanpa já poderiam estar despejando seus efluentes na estação”, ressaltou. Roberval disse ainda que a ETE pode funcionar de acordo com a capacidade de efluentes gerada e que, na medida em que as obras fossem se encerrando, ela já receberia o esgoto.

Vale realiza adequações na Estação Ferroviária de Marabá

Estação Ferroviária de Marabá agora é o prédio mais acessível da cidade.

Depois de uma perícia do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves, a pedido da 13ª promotora de Justiça de Marabá, a mineradora Vale fez adequações na Estação Ferroviária do município para adequar-se às normas técnicas. Além disso, ouviu sugestões de cadeirantes, cegos e outros portadores de necessidades especiais para realizar a obra.

estacao-ferroviaria-de-maraba

A apresentação do resultado final ocorreu esta semana, dia 13, com a participação de uma perita do Centro de Perícias Renato Chaves; do Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência; de um professor de engenharia da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (o qual vem atuando em parceria com esta Promotoria de Justiça nas demandas afetas à acessibilidade); e ainda de representantes de associações de pessoas com deficiência.

vagao-adaptado-para-cadeirantesOs visitantes conheceram as alterações que foram realizadas na estação e ainda o trem de passageiros da Vale, que transporta cerca de 1.300 pessoas por dia e mantém um vagão adaptado para portadores de necessidades especiais.

A promotora de Justiça Lílian Viana Freire informou que tramita na Promotoria de Justiça Inquérito Civil instaurado para assegurar esse direito. “Para a garantia dos direitos das pessoas com deficiência que usam o serviço e transporte ofertado pela empresa Vale S/A, o Ministério Público requisitou ao Centro de Perícias Renato Chaves de Marabá a realização de perícia técnica na Estação Ferroviária de Carajás e no Trem de passageiros da Estrada de Ferro Carajás em relação cumprimento das normas que garantem a acessibilidade e os preceitos da NBR-9.050/2004 e NBR-14.020”, explicou a promotora de Justiça Lílian Freire.

O Ministério Público do Estado realizou quatro reuniões sobre o tema envolvendo representantes da empresa Vale, do Conselho das Pessoas com Deficiência, Núcleo de Acessibilidade da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará e Universidade do Estado do Pará (Uepa), e ainda de associações e comunidades de pessoas com  eficiência. “Foi constatado que a empresa, cumprindo a recomendação do Ministério Público, adotou várias medidas para a garantia da acessibilidade na estação  ferroviária e no trem de passageiros com a adequação de vários itens constantes no laudo pericial”, afirmou Lílian Freire.

Nos próximos dias será realizada perícia complementar pelo Centro de Perícias Renato Chaves na estação e no trem de passageiros para a verificação da observância na integralidade das normas de acessibilidade. Entre os ajustes realizados visando à conformidade com as recomendações do MPE, o piso de entrada da estação foi nivelado e construído um novo acesso, mais largo, para passageiros com dificuldade de locomoção ou cadeirantes. Hoje, as vagas para PCDs e idosos estão demarcadas e ficam em frente aos acessos. Além disso, o piso interno do prédio também foi trocado para um mais aderente para que os passageiros não tivessem mais risco de escorregar, além do piso tátil por toda a estação até o trem para as pessoas portadoras de deficiência visual. Para elas, também foi colocado um mapa em braile e alto-relevo para que tenham autonomia para circular pelo prédio.

Já o trem, ganhou um sistema mecânico automático na porta de entrada do vagão especial para a entrada dos cadeirantes sem que eles precisem da ajuda dos acompanhantes. Trata-se de uma ponte retrátil com piso aderente para evitar acidentes. Já dentro do vagão: barras de apoio, cintos de segurança que prendem as rodas das cadeiras e banheiro adaptado foram algumas das mudanças.

MP Eleitoral apreende ônibus de Miss Marabá e conduz candidata à vereadora para a Polícia Federal

onibus-da-sdu-de-maraba-apreendido-no-mpA partir de uma denúncia anônima, as promotoras Josélia Leontina de Barros e Mayanna Queiroz, do Ministério Público Eleitoral, apreenderam um ônibus da SDU (Superintendência de Desenvolvimento Urbano de Marabá) por volta de 22 horas desta quarta-feira, 14. O veículo transportava a Miss Marabá Fablina Rafaela Paixão, que seguia para Belém, onde disputaria hoje, quinta-feira, 15, o Miss Pará 2016.

Junto com Fablina estavam ainda no ônibus da SDU cerca de 25 pessoas, entre familiares e sua empresária Rayta Soylares, também candidata a vereadora por Marabá. O ônibus foi apreendido e encontra-se no pátio do Ministério Público Estadual, na Agrópolis do Incra. Os ocupantes também foram conduzidos para prestar depoimento, que demoraram até por volta de meia noite.

miss-maraba-fablinaJá Rayta, que é candidata a vereadora, foi conduzida para a Polícia Federal, que é responsável pela apuração de crimes eleitorais. A promoter sempre conduziu candidatas a competições de beleza e Flabina era uma das pupilas, inclusive já venceu outros certames menos importantes.

A promotora Mayanna Queiroz informou que há indícios de crime eleitoral, mas também de crime de improbidade administrativa, devendo aguardar o depoimento do superintendente de desenvolvimento Urbano, o que deve acontecer ainda nesta quinta-feira. “Só então vamos avaliar se o ônibus será liberado”, sustentou ela, observando que há indícios de desvio de finalidade de um bem público, que deveria estar sendo usado para as ações específicas do órgão fundiário e não transportando candidata a miss para concurso.

Para realizar a apreensão em flagrante, as promotoras fizeram campana no bairro Santa Rosa, próximo ao Centro de Saúde João Batista Bezerra, onde reside Fablina e seus pais. Com 1,78 de altura, ela concorre a certames de beleza desde 16 anos, tendo sido Garota Expoama e disputado também o Rainha das Rainhas do Carnaval de Belém pelo Clube Monte Líbano.  (Ulisses Pompeu – de Marabá)

Inelegíveis e desgastados colocam parentes para concorrer em Marabá e Itupiranga

ELEIÇÕES 2016Por Ulisses Pompeu –  de Marabá

A lei eleitoral está a cada ano mais rígida com os candidatos a cargos eletivos. Alguns dos que já desfrutaram da missão de atuar no Executivo ou Legislativo acabam ficando impedidos de se candidatar por vários motivos diferentes. Em Marabá pelos menos três neófitos tiveram de entrar na disputa porque seus consanguíneos (marido, mãe ou pai) ficaram inelegíveis. Os parentes mais populares e famosos receberam cartão vermelho da Justiça Eleitoral e ficaram temporariamente expulsos do jogo político.

Os três em questão são políticos de carteirinha e muito conhecidos na cidade: Nagib Mutran, Júlia Rosa e Maurino Magalhães.

A lista é ampliada com a família Badeco. O pai, que já foi vereador, agora tenta voltar à Câmara Municipal depois que o filho, Gerson, exerceu dois mandatos e chegou a ser afastado no último acusado de utilizar veículo oficial em sua última campanha. Conseguiu reverter a situação na Justiça, mas preferiu retirar-se da cena política e apoiar o pai. É uma tentativa de manutenção da família Badeco no poder.

Mas voltemos ao caso dos três nomes mais renomados na política marabaense. Nagib Mutran e Júlia Rosa sofreram a mesma sanção jurídica. Depois de eleitos em 2012, assumiram seus cargos e posteriormente foram denunciados pelo Ministério Público Eleitoral porque receberam doação de uma empresa irregular, que tinha menos de um ano de existência. Recorreram enquanto puderam e em todas as instâncias, mas perderam o mandato há mais de um ano.

Por isso, Júlia Rosa, que tem um amplo trabalho social nos quatro cantos da cidade, acabou indicando seu filho Tony Rosa para concorrer em seu lugar. Os cartazes de Tony têm, ao lado, a foto da mãe, que não ficou com a imagem arranhada, apesar da derrota judicial.

Já Nagib Mutran não pensou duas vezes. Com as mãos amarradas pela Justiça, o ex-vereador catapultou o nome de sua esposa, Cristina Mutran. Ambos são médicos e Cristina já exerceu mandato de deputada estadual há mais de 10 anos, quando Nagib também estava inelegível na década de 1990, quando era prefeito de Marabá.

Agora, a novidade é que o ex-prefeito Maurino Magalhães, que deixou a prefeitura de Marabá no final de 2012 sob uma enxurrada de dívidas, acabou sendo declarado inelegível pela Justiça. Quatro anos depois anda com o filho Mauro Sérgio Magalhães a tiracolo para todos os cantos da cidade, principalmente onde executou obras em seu governo, na periferia e zona rural.

E para fechar a troca de sangue na urna, o caso mais recente e marcante aconteceu no vizinho município de Itupiranga, a 43 quilômetros de Marabá. Atormentado pela marcação cerrada da Justiça e por ter sido declarado inelegível, o ex-prefeito Adécimo Gomes acabou recuando. Abandonou a campanha e indicou seu irmão, Eider Gomes, para tentar retomar o poder daquele município.

Antiiiiiiga! Essa é uma prática antiga. No passado, quando um candidato ficava inelegível, mantinha seu nome nas urnas e apenas algumas horas antes da eleição trocava o seu por nome da esposa, filho, irmão ou outro parente. Isso aconteceu, por exemplo, em São João do Araguaia no passado recente, quando Mário Cézar Sobral Martins lançou o nome de sua esposa Marlene Martins dois dias antes da eleição e ela acabou ganhando, mas foi ele quem governou de forma biônica por quatro anos.

A regra do jogo político mudou. Resoluções do TSE e a Constituição Federal delimitam a legalidade dos parentes que podem disputar vagas. A Resolução nº. 22.717, em seu artigo 15, parágrafo segundo, diz que “o cônjuge e os parentes consanguíneos ou afins, até o segundo grau ou por adoção, do prefeito são inelegíveis para sua sucessão, salvo se este, não tendo sido reeleito, se desincompatibilizar 6 meses antes do pleito (Constituição Federal, art. 14, § 7º)”.

Nota de pesar pelo falecimento de Hiran Bichara Gantus

A Prefeitura de Marabá, na pessoa do Prefeito Municipal João Salame Neto, vem de público manifestar profundo pesar e solidariedade com a família de um dos mais importantes personagens da história do município: Hiran Bichara Gantus, 88 anos, falecido por volta de uma hora da madrugada desta terça-feira, dia 13 de setembro, em Belém, em decorrência de parada cardiorrespiratória.

Hiran Gantus nasceu em Marabá, em 5 dezembro de 1928. Filho de pais libaneses – Jorge Bichara e Isabel Gantus -, ele se destacou como pioneiro no incentivo à Cultura regional, ao fundar o Cine Marrocos e trazer a Sétima Arte a Marabá, expandido também a exibição cinematográfica aos municípios de Parauapebas, Conceição do Araguaia e Jacundá.

Também teve destacada atuação da política local, eleito para quatro mandatos de vereador da Câmara Municipal de Marabá, tendo sido, inclusive, presidente do Legislativo.

Na Aviação Civil, Hiran Gantus também teve papel relevante, tendo sido representante regional das Viações Aéreas de São Paulo (Vasp).

Incentivador da prática esportiva Hiran Bichara fundou, em 1943, o Clube Atlético Marabá (CAM) e foi o primeiro presidente dessa agremiação.

Casado com Nazaré Gabi Bichara (in memoriam), ele deixa quatro filhos: Jorge Bichara Neto, Jorgina Gabi Bichara (Gina), Evaldo Gabi Bichara e Hiran Bichara Júnior (in memoriam).

O corpo de Hiran Bichara Gantus será velado no salão da Igreja de Nossa Senhora da Conceição, na Praça do Novo Horizonte, e o sepultamento ocorre às 17 horas desta terça-feira, 13, no Cemitério de São Miguel, na Marabá Pioneira.