Category Archives: Marabá

Exclusivo: Justiça afasta cautelarmente João Salame, prefeito de Marabá, por 180 dias

O juiz César Leandro Pinto Machado, Juiz de Direito respondendo pela 4ª Vara Cível e Empresarial de Marabá, no processo de Ação Civil Pública movida pelo Ministério Público do Pará na 3ª Vara Cível contra o prefeito de Marabá, João Salame Neto, Adnancy Rosa de Miranda, Nagib Mutran Neto, Pedro Rodrigues Lima, Pedro Ribeiro de Souza, Noé Carlos Von Atzingen e Gilson Dias Cardoso referente a um débito da Prefeitura Municipal de Marabá com o Instituto de Previdência Social dos Servidores Públicos de Marabá – IPASEMAR, no valor de R$14.653,483,16 (quatorze milhões, seiscentos e cinquenta e três mil, quatrocentos e oitenta e três reais e dezesseis centavos), deferiu pedido do MP e afastou do cargo, por 180 dias, o prefeito de Marabá João Salame Neto.

Confira parte da decisão que afastou o prefeito:

DEFIRO O PEDIDO LIMINAR requerido pelo Ministério Público para, nos termos dos artigos 7º, parágrafo único, 16, 20, parágrafo único, da Lei 8.429/92 (Lei de Improbidade Administrativa), para determinar:

1 – A INDISPONIBILIDADE DE BENS MÓVEIS E IMÓVEIS, nos seguintes termos: Prefeito Joao Salame Neto, no valor de R$31.520.586,54 (trinta e um milhões, quinhentos e vinte mil, quinhentos e oitenta e seis reais e cinquenta e quatro centavos); Secretária Municipal de Assistência Social Adnancy Rosa de Miranda, no valor de R$279.874,74 (duzentos e setenta e nove mil, oitocentos e setenta e quatro reais e setenta e quatro centavos); Secretário Municipal de Saúde Nagib Mutran Neto, no valor de R$7.202.209,91 (sete milhões, duzentos e dois mil, duzentos e nove reais e noventa e um centavos); Secretário Municipal de Educação Pedro Ribeiro de Souza, no valor de R$22.082.983,60 (vinte e dois milhões, oitenta e dois mil e novecentos e oitenta e três reais e sessenta centavos); Secretário Municipal de Finanças Pedro Rodrigues Lima, no valor de R$1.955.518,29 (um milhão, novecentos e cinquenta e cinco mil, quinhentos e dezoito reais e vinte e nove centavos), devendo utilizados os sistemas RENAJUD, INFOJUD E SISTEMA DE INDISPONIBILIDADE DE BENS IMÓVEIS;

2 – A realização de procedimento via BACENJUD, em relação aos mesmos valores e pessoas acima referidos;

3 – O AFASTAMENTO CAUTELAR DO CARGO, PELO PRAZO DE 180 (CENTO E OITENTA) DIAS, nos termos da fundamentação supra, dos seguintes agentes públicos: Prefeito o Sr. João Salame Neto, Secretária Municipal de Assistência Social a Sra. Adnancy Rosa de Miranda, Secretário Municipal de Saúde o Sr. Nagib Mutran Neto, Secretário Municipal de Educação o Sr. Pedro Ribeiro de Souza, Secretário Municipal de Finanças o Sr. Pedro Rodrigues Lima.

NOTIFIQUEM-SE os requeridos, para oferecerem manifestação por escrito, que poderá ser instruída com documentos e justificação, no prazo de 30 (trinta) dias, aplicando-se o princípio da adequação processual, ante a multiplicidade de réus, nos termos do art. 17, §7º da Lei 8.429/92, sendo que as cautelares aqui aplicadas serão reavaliadas, após a apresentação de todas as informações preliminares dos réus, bem como a manifestação do Ministério Público sobre as mesmas, pelo que assiná-lo o prazo de 15 (quinze) dias ao parquet. Notifiquem-se e intimem-se.

AUTORIZO O PLANTÃO.

Marabá, 04 de maio de 2016.

CÉSAR LEANDRO PINTO MACHADO
Juiz de Direito respondendo pela 4ª Vara Cível e Empresarial de Marabá, respondendo, neste processo, pela 3ª Vara Cível na condição de 1º substituto automático, nos termos do Código Judiciário do Estado (Lei nº 5.008 de 10.12.1981) e da Portaria 4638/2013-GP, retificada pela Portaria 1027/2015-GP

Aqui, o inteiro teor da decisão.

EMATER e Banco da Amazônia buscam estratégias para fortalecer produção de abacaxi em Marabá

Próximo a completar um ano da entrega simbólica da chave de um caminhão Acello 815/44 Mercedes Benz, no valor de R$ 149.129,00 (cento e quarenta nove mil e cento vinte nove reais), em noite memorável na Expoama, a equipe do escritório de Marabá da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater), em conjunto com a gerente Leila Micherle e a agrônoma Sheila Patrícia Gomes, do Banco da Amazônia – Agência Nova Marabá, visitaram no último dia 25 (segunda-feira) a propriedade da família Soares para reforçar a parceria em favor da agricultura familiar com ênfase na produção de abacaxi.

IMG_5231

Desde 2006, a família se estabeleceu no Assentamento Belo Vale, localizado a 18 Km da sede do município de Marabá. Iniciaram as atividades com a produção e comercialização de hortaliças, mas a perspectiva da família era a cultura do abacaxi, que foi implantada naquele mesmo ano, em uma área inicial de 05 ha, atualmente a cultura ocupa 08 hectares da propriedade.

Toda a produção é comercializada no mercado local, nas feiras de Marabá. Com o aumento da produção, a aquisição de um caminhão através do Pronaf Mais Alimentos, elaborado pela EMATER e contratado pelo Banco da Amazônia, foi essencial para garantir a comercialização da produção sem a necessidade de atravessadores.

A gerente da agência do Banco da Amazônia da Nova Marabá, Leila Micherle Souza pôde constatar in locu a experiência da família, e não teve dúvidas quanto à viabilidade do projeto elaborado pela EMATER para aquisição do caminhão.

E, no que depender da família, o caminhão será muito bem utilizado, pois pretendem aumentar a produção de abacaxi, limão e ponkan, que hoje juntas ocupam 12 ha e geram uma renda bruta anual de aproximadamente R$ 150.000,00 (cento e cinquenta mil reais). Além de outras culturas que completam a renda e alimentação da família, tais como o milho, a melancia e hortaliças.

O técnico em agropecuária da EMATER Richardson Mourão constatou que a experiência do Sr. Jovailton e sua família têm influenciado seus vizinhos, pois muitos já estão diversificando a produção com a implantação da cultura do abacaxi e citros. Além disso, produtores de outros municípios, como Novo Repartimento, já adquiriram mudas de abacaxi com Sr. Jovailton e estão diversificando a produção.

A socióloga Franceli Sousa Silva (EMATER) explicou: “trata-se de uma experiência inovadora, pois em uma região onde predomina a bovinocultura são raras as experiências de diversificação da produção, especialmente com fruticultura. Que tenham êxito em todas as etapas da cadeia produtiva, ou seja, desde a produção até a comercialização”.

Para o engenheiro agrônomo Weberson Rodrigues Rocha coordenador local da EMATER em Marabá “o cultivo do abacaxi fortalece a agricultura familiar no município de Marabá e também na economia local, pois produz e gera renda dentro do município, além de dispor de frutas frescas, produzidas localmente, gerando trabalho e renda”.

Hospital Regional de Marabá é referência para 22 municípios da região.

O Hospital Regional do Sudeste do Pará – Dr. Geraldo Veloso (HRSP), em Marabá, é referência para mais de 1 milhão de moradores da região. Criada em 2006, a unidade possibilitou à população serviços de média e alta complexidades que não são ofertados em outra unidade da rede pública na região e, em alguns casos, nem na rede particular. Em 2015, o HRSP realizou mais de 22,7 mil consultas médicas, 3,3 mil internações e 2,7 mil cirurgias. O acesso a esses serviços se dá a partir da Central de Regulação de Leitos Hospitalares, gerenciada pela Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa).

HR de Marabá

Foi dessa forma que o estudante Felipe Coelho dos Santos, de 18 anos, conseguiu atendimento no HRSP. Ele é morador de Piçarra, que fica a 222 quilômetros de Marabá e é um dos 22 municípios de referência do hospital. Ele sofreu um acidente de motocicleta no dia 31 de março e, como teve fratura exposta, foi encaminhado para o Hospital Regional de Marabá, especializado em atendimento em traumato-ortopedia.

O coordenador técnico da Central de Regulação instalada dentro do HRSP, Luís Sérgio Matos, explica que os municípios referenciados possuem cotas para atendimento ambulatorial e cirurgias eletivas, aquelas que não possuem caráter de emergência. Nas situações de urgência e emergência, o paciente é admitido no hospital quando encaminhado pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) ou pelo Corpo de Bombeiros, desde que o caso seja de média ou de alta complexidade.

“O Samu conhece o perfil de atendimento do Hospital Regional e sabe que pacientes baleados na cabeça, com fraturas expostas ou uma vítima de Acidente Vascular Cerebral que precisou ser intubada, por exemplo, são casos que atendem o perfil do hospital. Ao contrário de um paciente que tenha sido alvejado com um tiro no braço sem repercussão no membro ou mesmo pacientes com queixas menores, como dor de cabeça e dor abdominal. Esses casos precisam ser investigados por um médico de um hospital de ‘portas abertas’ e, caso aquele paciente necessite de apoio de Unidade de Terapia Intensiva após o diagnóstico definitivo, aí ele é encaminhado para o Regional”, afirma Luís Sérgio.

Adepará lança em Marabá primeira etapa da Campanha de Vacinação contra a Febre Aftosa

AftosaO Governo do Estado, através da Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará (Adepará), lança, no próximo sábado (30), a primeira etapa da Campanha Estadual de Vacinação contra a Febre Aftosa/2016. O lançamento será no município de Marabá, sudeste paraense, com a presença de autoridades de governo, sindicatos rurais e produtores. A vacinação do rebanho de bovinos e bubalinos do Estado será realizada entre 1º e 31 de maio, em todo o território paraense, com exceção do Arquipélago do Marajó e municípios de Faro e Terra Santa.

A Adepará é a responsável pela campanha, que tem importância estratégica para a balança comercial do Estado. Servidores do órgão lotados por todo o Pará estarão envolvidos e acompanharão o trabalho para garantir que todo o processo de vacinação atenda às metas da Agência, que é alcançar o mais alto índice vacinal.

Quase 21 milhões de cabeças de gado deverão ser imunizadas, em 108.746 propriedades, espalhadas em 127 municípios paraenses. O produtor é o responsável pela vacinação e tem até o dia 15 de junho para fazer a comunicação da vacina nos escritórios da Adepará. “O produtor ganha a valorização do gado, já que o mercado é signatário da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), que exige gado livre de febre aftosa. A Adepará, através das políticas públicas, promove a saúde e o bem-estar animal, fiscalizando a vacinação e a qualidade da vacina, certificando a pecuária paraense”, explica o gerente do Programa de Erradicação da Febre Aftosa da Adepará, o médico veterinário George Santos.

Segundo George Santos, como a etapa abrange 127 municípios, é fundamental o trabalho dos técnicos da Agência. “Como o Estado do Pará é de dimensões comparadas a de muitos países, torna-se laborioso o alcance da vigilância da vacinação. Com a vacinação podemos almejar melhores status sanitário ao rebanho do Pará, que é o 4º maior rebanho do Brasil”, diz.

Para o diretor geral da Adepará, o médico veterinário Luciano Guedes, a campanha é de grande importância para o Estado por manter a condição sanitária conquistada, de ser livre de febre aftosa com vacinação. “Manter o Estado livre da febre aftosa foi uma das maiores conquistas do setor produtivo. Garantir a permanência deste status é importante para o produtor rural, que garante a sanidade e valorização do seu rebanho”, fala.

Trabalho – No período da etapa, técnicos da Adepará farão mais de 2.500 atividades fiscalizadas, sendo vacinações assistidas (onde os técnicos acompanham a vacinação de todo o rebanho de uma determinada propriedade), fiscalizada (onde acompanhamos a vacinação de uma parte do rebanho de uma determinada propriedade) e vacinação oficial (quando os técnicos vacinam os animais de uma determinada propriedade). “A meta de cobertura vacinal é de, no mínimo, 94%, tanto em rebanho bovídeo, quanto em propriedades, lembrando que a OIE determina cobertura mínima de 90% em regiões livres com vacinação”, detalha George.

Números de Marabá e região

A regional da Adepará em Marabá possui hoje 2.494.806 milhões de cabeças de bovídeos espalhadas em 12.314 propriedades. A regional é composta pelos municípios de Curionópolis, Eldorado dos Carajás, Itupiranga, Marabá, Nova Ipixuna e Parauapebas.

  • Curionópolis – 280.432 cabeças de gado/352 propriedades
  • Eldorado dos Carajás – 308.085 cabeças de gado/2.273 propriedades
  • Itupiranga – 584.189 cabeças de gado/3.177 propriedades
  • Marabá – 1.105.403 cabeças de gado/4.623 propriedades
  • Nova Ipixuna – 107.957 cabeças de gado/1.029 propriedades
  • Parauapebas – 108.740 cabeças de gado/860 propriedades

Três municípios paraenses com maior rebanho do Pará

  • São Félix do Xingu – 2.224.509 de cabeças de gado/5.276 propriedades
  • Marabá – 1.105.403 cabeças de gado/4.623 propriedades
  • Novo Repartimento – 959.166 cabeças de gado/5.673 propriedades

Calendário

Vacinação: 1 a 31 de maio

Notificação nos escritórios da Adepará: até 15 de junho
A Adepará realiza cinco campanhas contra a febre aftosa ao longo do ano

  • 15 de março a 30 de abril – etapa de vacinação das Zonas de Proteção de Faro e Terra Santa.
  • 1 a 31 de maio – Campanha Estadual de Vacinação/maio 2016.
  • 15 de julho a 30 de agosto – etapa de vacinação das Zonas de Proteção de Faro e Terra Santa.
  • 15 de agosto a 30 de setembro – etapa de vacinação da Ilha do Marajó (etapa única, em função das condições geoclimáticas).
  • 1 a 30 de novembro – Campanha Estadual de Vacinação/novembro 2016.
Por Camila Moreira – Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará

Hospital Regional de Marabá realiza 8ª SIPAT‏

Segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT), anualmente são registrados 270 milhões de acidentes de trabalho no mundo. Mais de 1 milhão desses casos acontecem no Brasil, sendo uma das principais causas o descumprimento de normas básicas de proteção, como o uso de equipamento de proteção individual. Com o intuito de conscientizar colaboradores e prestadores de serviço sobre a importância do trabalho seguro e os riscos de doenças ocupacionais, de 25 a 29 de abril, o Hospital Regional do Sudeste do Pará – Dr. Geraldo Veloso (HRSP), em Marabá, realiza a 8ª Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho (SIPAT). A programação foi aberta pela Banda do Exército, que animou colaboradores e usuários na tarde desta segunda-feira (25).

Para o diretor geral do HRSP, Valdemir Girato, dada a natureza do ambiente hospitalar, a prevenção e o treinamento contínuo da equipe são essenciais para reduzir os riscos de acidente na unidade. “O hospital tem 498 colaboradores que se dedicam a cuidar de pessoas e, por isso, estão expostas a riscos. Conscientizá-las sobre a importância do cuidado pessoal e com o próximo no ambiente de trabalho, sem dúvida, ajuda a evitar situações inseguras”, comentou o administrador.

O envolvimento de todos os colaboradores na prevenção de acidentes foi reforçado pelo técnico de Segurança do Trabalho, James Moura, na palestra de abertura da 8ª SIPAT. Ele usou a linguagem do futebol para mostrar que segurança se faz em equipe. Como o jogador de meio de campo, que faz o passe para a equipe fazer o gol, o funcionário prudente está atento à segurança de todos, não apenas a sua, porque sabe que o resultado é do time. “Cerca de 80% dos acidentes de trabalho estão relacionados a comportamentos, portanto, poderiam ser evitados”, relatou o palestrante.

As principais causas de acidentes são descumprimento de procedimentos, falta de capacitação para determinada tarefa, acesso a locais proibidos, desrespeito à sinalização e uso de álcool e outras drogas.

A operadora de caixa Maria Valda Vieira, de 49 anos, acompanha um amigo em tratamento no hospital. Ela participou da abertura da SIPAT e comentou que o encontro foi bastante proveitoso. “Se as regras de segurança não são obedecidas, as pessoas sofrem, e não é apenas o trabalhador, é a família inteira. Em casa e no trânsito também deve ser assim. Melhor obedecer a sacrificar”, argumentou a acompanhante.

O auxiliar administrativo do Hospital Regional de Marabá, Valteir Silva, diz que a família é sua motivação maior para o cuidado no ambiente de trabalho. “Eu não estou sozinho. Tenho uma esposa e dois filhos que dependem de mim. Penso neles sempre”, afirmou o colaborador.

Programação

Até a próxima sexta-feira (25), outros temas serão debatidos na 8ª Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho do HRSP, como a prevenção de acidentes com motocicletas. Atualmente, cerca de 70% dos leitos do Hospital Regional de Marabá são ocupados por vítimas de acidentes de trânsito, sendo que os motoristas de moto são a maioria. Entre 2013 e 2015, o número de motociclistas atendidos no hospital foi nove vezes maior que o de vítimas de acidentes de carro, excluindo pedestres e ciclistas.

Também fazem parte da programação palestras sobre doenças sexualmente transmissíveis, bem-estar no trabalho, acidentes com materiais perfurocortantes, primeiros socorros e combate a princípio de incêndio.

O Hospital Regional do Sudeste do Pará é administrado pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar sob contrato de gestão com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa).

FETRAF terá candidato a vereador em Marabá

eleições-2016-municipais
Em Marabá, os Movimentos Sociais liderados pela Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar (FETRAF) realizará reunião entre amigos no dia 27 de abril quarta- feira, no auditório do Hotel São Bento – Folha 31 – Marabá, a partir das 18:30 horas. O objetivo é o pré-lançamento da candidatura a vereador do sindicalista Tião Branco. A ideia é discutir projetos de futuro para Marabá no campo e na cidade.
A comissão organizadora, que pretende reunir cerca de 150 lideranças do município, convidou o prefeito João Salame (PMDB) para fazer uma exposição de sua gestão.
 

Marabá: comunidades rurais buscam plebiscito para escolher representantes nas eleições 2016

Vila SororóUm fato inusitado está prestes a acontecer na região do município de Marabá conhecida como Sororó. É que as comunidades vizinhas à região querem se unir para escolher um único candidato para concorrer as eleições para vereador. O ungido teria o objetivo de representar e defender a região. Para tanto será realizado no dia 15 de maio, das 8h às 17 horas um tipo de plebiscito com a participação da população da região para escolher esse representante. Só na Vila Sororó, cerca de 3 mil eleitores irão escolher o representante.

São candidatos: Eron Porto, Gilvan Belo, Cleudo, Irmão Claudio, Toim do Sororó, Iane Chapa Quente e China Mototáxi.

Pelo que foi acordado, os “perdedores” apoiarão incondicionalmente o vencedor.

Esta é a segunda região a fazer uso da consulta popular com a finalidade de escolher seu representante nas eleições para o Legislativo em Marabá. A primeira foi a Vila Santa Fé.

TJPA: Câmaras Criminais recebem denúncia contra prefeito João Salame Neto

Joao-Salame-prefeito-de-MarabAs Câmaras Criminais Reunidas do Tribunal de Justiça do Pará, em decisão unânime, aceitaram a denúncia oferecida pelo Ministério Público contra o prefeito de Marabá, João Salame Neto (foto), acusado de suposto crime de desobediência, conforme o artigo 1º, inciso XIV do Decreto Lei 201/67. De acordo com os autos do processo, o órgão ministerial, através de Ação Civil Pública, requereu na Justiça a implantação do Portal da Transparência da Prefeitura de Marabá, para que fossem disponibilizadas à sociedade todas as informações quanto à administração pública municipal. A decisão judicial foi no sentido de atender o pleito do Ministério Público, mas, conforme o MP, o prefeito não cumpriu a determinação judicial. A sessão foi presidida pelo desembargador Ricardo Nunes.

Na sessão das Câmaras Criminais desta segunda-feira, 18, em voto-vista, o desembargador Milton Nobre, decano do Judiciário paraense, manifestou-se no mesmo sentido da relatora do processo, desembargadora Maria Edwiges Lobato, pela instauração de ação penal, por atender ao disposto no artigo 41 do Código de Processo Penal e às regras da Lei nº 8.038 de 1990. Porém, divergiu em relação ao seu acolhimento da justificativa do MP quanto à impossibilidade de suspensão condicional do processo, considerando que a questão pode ser verificada no início da instrução processual.

Para a suspensão condicional, medida despenalizadora, fase em que o processo fica sobrestado para que o acusado possa dar cumprimento às determinações que serviram de base para a instauração de ação penal, devem ser atendidos alguns critérios, dentre eles o de não estar o réu sendo processado ou ter sido condenado por outro crime (art. 89 da Lei 9.099/05). Dessa maneira, conforme o entendimento do relator do voto-vista, “uma vez recebida a denúncia, a douta relatora deve mandar expedir nova certidão, desta vez plenamente circunstanciada como originariamente requerida pelo Ministério Público, e marcar a audiência para ouvir o denunciado, tudo nos termos do art. 7º da Lei nº 8.038 de 1990, oportunidade em que o dominus lites (MP), examinando a prova atualizada de o denunciado atender ou não os requisitos do art. 89 da Lei nº 9.099, de 1995, proporá a suspensão condicional do processo ou reiterará a manifestação de seu não cabimento, sendo, neste último caso, aplicável, na ocorrência de dissidência da nobre relatora, os ditames da Súmula nº 696 do Supremo Tribunal Federal”. As informações são do Tribunal de Justiça do Estado do Pará.

Fazenda Cedro mais uma fez recebe ação de vândalos

Um grupo com mais  de 30 homens supostamente do MST, fortemente armado, invadiu a Sede da Fazenda Cedro, no município de Marabá, por volta das 1h45 desta terça-feira (19). Os invasores saíram do mato e trocaram tiros com homens que faziam a segurança da fazenda. Depois, atearam fogo nas instalações físicas e veículos que estavam no local. Os funcionário os da Cedro conseguiram fugir do local e ninguém foi ferido. A polícia foi chamada, mas não conseguiu prender ninguém.

cedro 1

cedro

 

Um Boletim de Ocorrência foi registrado na delegacia de Conflitos Agrários, em Marabá. Esta não é a primeira fez que o grupo invade a sede da Fazenda Cedro. Várias denúncias de maus tratos a funcionários e depredação do patrimônio da mesma já foram registrados.

CPT lançará o relatório Conflitos no Campo Brasil 2015 em Marabá

No dia 15 de abril, próxima sexta-feira, a Comissão Pastoral da Terra (CPT) lançará sua publicação anual, Conflitos no Campo Brasil 2015. É a 31ª edição do relatório que reúne dados sobre os conflitos e violências sofridas pelos trabalhadores e trabalhadoras do campo brasileiro, neles inclusos indígenas, quilombolas e demais povos tradicionais.

Esse ano a CPT fará o lançamento do relatório em Marabá (PA), no Centro Diocesano de Pastoral, a  partir das 13h30, dentro da programação da Conferência Internacional da Reforma Agrária, que será realizada de 13 a 17 de abril, em memória aos 20 anos do Massacre de Eldorado dos Carajás.

Assassinatos em conflitos no campo explodem em 2015

O relatório de 2015 destaca o maior número de assassinatos em conflitos no campo dos últimos 12 anos, 50 assassinatos, 14 a mais que no ano anterior, quando foi registrado o assassinato de 36 pessoas. 47 destes assassinatos ocorreram no contexto de conflitos por terra, 1 em conflitos trabalhistas e 2 em conflitos pela água.

CPT registra em 2015 o maior número de conflitos pela água dos últimos 14 anos

Os conflitos pela água cresceram 6%, passando de 127, em 2014, para 135 em 2015. É o maior número de conflitos registrado pela CPT desde que estes conflitos começaram a ser registrados em separado, em 2002.

Serviço:

Lançamento do relatório Conflitos no Campo Brasil 2015

Quando: 15 de abril (sexta-feira), a partir das 14h.

Onde: Centro Diocesano de Pastoral de Marabá – Agrópolis do Incra, Bairro Amapá – Marabá (PA).