Category Archives: CELPA

Sistema de atendimento da Celpa

CELPAA Celpa vem fazendo uma série de investimentos. O intuito é garantir cada vez mais a melhoria de seus processos junto aos mais de 2 milhões de clientes no estado do Pará. Entre essas ações está a implantação de um novo sistema de atendimento, intitulado Atendimento Sistema SAP. Com este salto tecnológico, é possível integrar diversos processos da empresa, garantindo maior rapidez eficácia.

Durante o período de transição do sistema, alguns serviços passaram por ajustes, entre eles a entrega de faturas. Porém, estes processos já estão retornando à normalidade e a empresa destaca que nenhum de seus clientes será prejudicado pela mudança. Para mais esclarecimentos, o cliente pode buscar os canais de atendimento e obter, por exemplo, acesso a segunda via da fatura de energia. Por meio do aplicativo para dispositivos móveis Android, site (www.celpa.com.br), postos credenciados ou as agências de atendimento, também é possível obter mais informações.

Sistema SAP -  A tecnologia SAP é o sistema de gestão empresarial mais utilizado no mundo. Com ele, é possível integrar todos os serviços da concessionária e garantir que os processos sejam realizados com muito mais segurança e agilidade. Entre os benefícios que devem ser alcançados com a entrada em operação do sistema, está o melhor gerenciamento e rastreabilidade das demandas encaminhadas à empresa, assim como um maior controle dos diferentes canais de atendimento da Celpa, que incluem plataformas web, agências de atendimento e call center. Isso tudo agregará uma melhoria da performance no tratamento de um dos principais focos de atenção da concessionária nesta nova gestão: o cliente.

Fonte: Assessoria de Imprensa Celpa

Canaã dos Carajás ganha nova subestação de energia

Subestação Celpa de Canã dos CarajásA obra ainda inclui a construção de linhas de transmissão e alimentadores para atender a cidade.

Amanhã, terça-feira, dia 19, a Celpa, em parceria com a Vale, fará a inauguração de uma nova subestação de energia no município de Canaã dos Carajás. A obra proporciona uma melhor distribuição de carga e garante um fornecimento de energia elétrica firme e de qualidade para a cidade do Sudeste paraense. A subestação já está energizada e beneficia diretamente mais de seis mil famílias na região.

No total, o investimento em Canaã dos Carajás fica na ordem dos R$ 38 milhões. Além da subestação, o trabalho também contemplou a construção de mais de 58 quilômetros de linha transmissão, que liga Parauapebas a Canaã, e, ainda, a implementação de mais três alimentadores para atender o município. A obra toda traz melhorias aos seguintes bairros: Portal do Sol, Parque Ecológico, Vale Verde e loteamentos Boa Viagem, Novo Horizonte, Parque dos Carajás, Paraíso das Águas.

Para o diretor da área de Distribuição da Celpa, Daniel Negreiros, a nova subestação, e as outras ações que a envolvem, são uma importante aquisição para um dos municípios de grande destaque na economia do Estado. “Garantindo um fornecimento de energia firme e com maior qualidade, nós proporcionamos satisfação ao cliente e mais desenvolvimento para Canaã dos Carajás. É exatamente esse o nosso compromisso com todo o estado do Pará”, avalia o diretor.

A nova linha de transmissão faz parte também de um pacote de 30 obras em investimentos sociais que a Vale vem desenvolvendo no município. “Mais uma vez, a Vale atua como parceira na melhoria dos serviços públicos prestados para a população. Essa rede traz melhor qualidade de vida para Canaã e ainda mais potencial para atração de novos empreendimentos e o seu crescimento”, destaca o líder de Socioeconomia do Projeto Ferro Carajás S11D da Vale, Leonardo Neves.

Ao longo de pouco mais de três anos em que está sob nova gestão, a Celpa atuou no município de Canaã dos Carajás com a construção de uma subestação provisória e as ampliações das subestações Sossego e Vila Planalto. Também foi viabilizada a construção de dois novos alimentadores para a área urbana da cidade e instalações de equipamentos de compensação e regulação de tensão.

Essas ações puderam ser refletidas nos indicadores de qualidade do fornecimento. Para ter uma ideia, em um comparativo entre 2014 e 2015, o número de horas que os moradores de Canaã dos Carajás ficaram sem luz (DEC), reduziu em 42%. Já em relação à quantidade de vezes que a população da cidade ficou sem energia (FEC) essa redução foi de 36%. Em uma comparação com o ano de 2012, quando a concessionaria foi assumida pela nova gestão, a melhoria é bem mais expressiva: a redução de DEC é de 71,9% e a do FEC é de 56%.

Subestações
Desde 2012, já foram 119 subestações construídas ou reformadas pela Celpa em todo o Estado. As subestações são responsáveis pela distribuição da energia. Antes de chegar às residências, a eletricidade percorre um sistema de transmissão que começa nas usinas e passa por estas subestações. Elas elevam e rebaixam a tensão de acordo com a necessidade de distribuí-las pelas redes de distribuição (media tensão), que comportam pequenos transformadores em postes, que finalmente reduzem a tensão para ser entregue e consumida pelos clientes da Celpa.

Fonte: ASCOM CELPA

Mais de 57 mil famílias no Pará podem deixar de ter descontos na conta de luz

Os usuários da Tarifa Social devem fazer a atualização dos dados sociais para continuar recebendo o benefício

Tarifa social no PAAté o final do mês de junho, mais de 57 mil famílias em todo o estado do Pará podem perder o benefício da Tarifa Social de Energia Elétrica, caso não atualizem os dados sociais do Cadastro Único (CadÚnico) junto aos Centros de Referência e Assistência Social (CRAS). O cadastro deve ser atualizado a cada dois anos pelos beneficiários do programa, que concede descontos de 10% a 65% na conta de energia elétrica. A ação deve ser realizada também para que os usuários continuem usufruindo de outros programas sociais oferecidos à população de baixa renda.

Em Belém o número de famílias que pode perder o benefício, até o fim do primeiro semestre, chega a mais de 9.800, seguido de Ananindeua, com cerca de 3.700, Marabá com mais de 2.900 e Santarém com cerca de 1.400 famílias.

Para os cidadãos verificarem se precisam fazer a atualização do Cadastro Único, a Celpa orienta que entrem em contato com a central de relacionamento do Ministério do Desenvolvimento Social, pelo número 0800 707 2003 e informem-se. Após os dados estarem atualizados, o cliente deve entrar em contato com a Celpa por meio do 0800 091 0196 e informar. Caso o cliente ainda não seja beneficiário e possua o NIS (Número de Identificação Social), ele pode ir até uma agência de atendimento da Celpa ou ligar para a central de teleatendimento da empresa e inscrever-se no Programa Tarifa Social.

Além de estar com os dados atualizados no CadÚnico, é necessário também ter uma renda familiar mensal de até meio salário mínimo (R$ 440,00) por pessoa para receber os descontos da Tarifa Social. Idosos com 65 anos ou mais e pessoas com deficiência de qualquer idade também têm direito ao benefício, via BPC – Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social.

Famílias com renda mensal de até três salários mínimos, também podem ser beneficiadas, desde que tenham entre os membros da família pessoa em tratamento de saúde domiciliar que requeira uso contínuo de equipamentos hospitalares, os quais consumam energia elétrica. Para este caso, é necessário apresentar laudo médico certificando a situação de saúde e a previsão do período de uso do aparelho. Laudo médico homologado por médico do Sistema Único de Saúde (SUS).

A gestora do processo na Celpa, Ana Paula Barbosa, alerta ainda que as famílias que se encaixam no perfil e já perderam o benefício, por não terem atualizado seus dados junto ao CRAS, podem recuperá-lo a qualquer tempo. “É importante destacar que estas famílias ainda podem procurar o CRAS mais próximo de suas residências para efetivar a atualização cadastral, assim o benefício poderá retornar”, esclarece Ana Paula.

ECONOMIA - Segundo dados da Celpa, o benefício da Tarifa Social é capaz de alavancar uma economia de mais de R$ 400 durante o ano. Em uma conta de energia cujo consumo contabilizado seja de 230 kW, a economia chega a ser de R$ 42,85 por mês. Anualmente, isso chega a R$ 514,20. Já em uma família que o consumo é de 123 kW, a economia mensal será de R$40,15. No final de 12 meses, é uma enxugada de R$481,80 no orçamento familiar.

SERVIÇO - Para se (re)cadastrar, os beneficiários devem procurar o CRAS do seu município ou bairro, munidos dos documentos de todas as pessoas que residem no imóvel: comprovante de residência; RG; CPF; e em casos que há crianças na família é necessário levar Certidão de nascimento dos filhos beneficiados e carteira de vacinação das crianças menores de 5 anos.

Confira, por município, o número de famílias que podem perder o benefício até o final do mês de junho:

Belém

9.851

Ananindeua

3.783

Castanhal

2.160

Marabá

2.920

Santarém

1.462

Abaetetuba

907

Paragominas

1.086

Itaituba

1.376

Parauapebas

1.139

Altamira

620

Em um ano, Celpa sobe 11 posições no ranking divulgado pela ANEEL

A lista apresenta o desempenho das distribuidoras de energia elétrica em relação à qualidade do serviço prestado em 2015

AneelA Celpa subiu 11 posições no ranking de qualidade do serviço divulgado na última sexta-feira (18) pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). Na lista, estão 36 distribuidoras de energia do Brasil classificadas de acordo com a qualidade do serviço prestado no ano de 2015. A concessionária paraense ocupa agora a 17ª posição, tendo a maior evolução dentre todas as distribuidoras. Trata-se de um feito histórico no Pará, pois nunca a distribuidora subiu tantas posições em um intervalo tão curto de tempo (12 meses). No ano de 2014, a Celpa figurava na 28ª colocação. E há três anos, estava na última posição. O excelente resultado vem do arrojado investimento que a empresa faz no sistema elétrico paraense desde que começou a ser gerida, em 2012, pelo Grupo Equatorial. Desde lá, já houve uma subida de 18 posições.

Para ter uma ideia, já foram investidos mais de R$ 1,5 bilhão em ações de expansão e melhoria do sistema, que refletiram diretamente na qualidade do serviço prestado à população do estado do Pará. Um dos indicadores de destaque, e que foi determinante para essa classificação no ranking da ANEEL, está relacionado a quantidade de horas que o paraense fica sem energia (DEC), cuja redução já foi de 62% nos três anos que a Celpa atua sob nova gestão. Sobre o número de vezes em que ocorrem interrupções do fornecimento de energia (FEC), essa redução chegou a 55%. Comparando apenas 2014 com 2015, a redução de DEC foi de 22%. Já no FEC, a redução foi de 25%.

Para o presidente da Celpa, Nonato Castro, a escalada no ranking é fruto de um trabalho realizado com total dedicação por todos que fazem parte da concessionária. “O investimento ultrapassando a marca de bilhões é o maior já feito na história da distribuidora. E o intuito é de assegurar um atendimento cada vez melhor ao nosso cliente. Nós vamos continuar investindo e trabalhando com toda a dedicação possível para que dentro de poucos anos a Celpa esteja no topo deste ranking, oferecendo um fornecimento de energia com mais qualidade, pois é o que a população paraense merece”, destaca Nonato.

MELHORIAS - O forte trabalho desenvolvido pela empresa já contabiliza a construção ou ampliação de 124 subestações no Pará, além da compra de uma subestação móvel. Neste tópico destacam-se ainda a energização de subestações no Oeste do estado e na capital paraense, que puderam beneficiar mais de 500 mil famílias com energia firme e de qualidade. A atuação da empresa também ganha destaque na criação de um Centro de Operações Integradas (COI), que favorece toda a operação do sistema elétrico do Pará, com a comunicação ocorrendo de forma imediata.

Sobre às ações para melhorar o atendimento ao cliente, a Celpa inaugurou ou reformou 86 agências de atendimento e ampliou o horário de atuação, passando das 14hs para até as 17hs. A empresa ainda lançou um novo e restruturado portal de internet e aplicativo para dispositivos móveis. Nessas plataformas é possível solicitar inúmeros serviços.

Em tempo, vale destacar que quem ocupa a primeira posição do ranking divulgado pela ANEEL é outra empresa gerida pela Equatorial Energia: a CEMAR, a distribuidora que atende o estado do Maranhão e que agora é considerada a melhor concessionária de energia elétrica do Brasil.

Celpa esclarece falta de energia em parte do Pará durante a manhã desta quarta-feira (02)

Nota de Esclarecimento sobre fornecimento

Na manhã desta quarta-feira (02), por volta das 8h30, paraenses sentiram o impacto causado pelo defeito de um equipamento do sistema de Transmissão de 500KV, causando a saída completa da Subestação de Tucuruí, de responsabilidade da Eletronorte.

O problema afetou o sistema de geração e transmissão da Eletronorte, atingindo clientes das distribuidoras de energia dos estados do Pará, com exceção de uma pequena parte da região Sul, Manaus e parte do Maranhão. Parte do fornecimento já está sendo normalizado no Pará desde às 9h30, e o restante previsto para normalização total às 11h.

Equipes da Celpa mantiveram contato com o Operador Nacional do Sistema (ONS) e com Eletronorte desde que foi informada do ocorrido. As causas do dano nos equipamentos da ainda estão sendo apuradas pelas instituições envolvidas.

A Celpa informa que tem atuado com a máxima urgência para interligar suas cargas ao sistema de transmissão da Eletronorte. E que fez uma força-tarefa para manter seus clientes informados através dos líderes das regionais do Estado e atualização de notícias nas redes sociais. Diz ainda que a Central de Atendimento sofreu impacto por conta da suspensão do fornecimento, mas já está funcionando normalmente.

Assessoria de Imprensa- Celpa

Procon Parauapebas: mais de 500 reclamações registradas, em 2015, contra a Rede Celpa

Procon Parauapebas LogomarcaDe janeiro a dezembro de 2015, a concessionária de energia elétrica do estado liderou o ranking de reclamações no Procon de Parauapebas. Foram 515 registros relacionados à cobrança indevida, serviço não fornecido, reajuste abusivo de preço, taxa e mensalidade, entre outros. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (02) pelo órgão municipal.

Segundo a coordenadora do Procon, Evellyn Melo Moutinho, ano passado, aproximadamente 22% das reclamações foram relacionadas à Rede Celpa. “As demandas dividem-se entre aumento abusivo e cobrança de recuperação de energia, o popular gato”, explica, acrescentando que a maioria dos casos registrados no órgão tem tido solução junto à empresa. Porém, o resultado de um processo leva em torno de 30 a 40 dias porque é preciso ouvir a reclamação, ir à casa do reclamante, entrar em contato com a empresa e marcar a audiência.

Moradora do bairro Cidade Jardim, Liliane Pinheiro, reclama do atendimento em relação à leitura de consumo da unidade consumidora. Segundo ela, há uma diferença no valor da conta de energia de um mês para o outro. “Chegaram duas contas de energia em casa, meses de dezembro de 2015 e janeiro de 2016. Em uma delas percebi um aumento significativo no valor da conta. Mas, a minha reclamação é com a data de vencimento, pois a conta de dezembro foi entregue já vencida e agora vou ter que pagar os juros”, conta.

Casos como o da moradora do Cidade Jardim podem ser registrados no Procon, que fica localizado na Rua Araguaia, nº 40, Bairro Rio Verde. A coordenadora do órgão reforça ainda que, desde 2014, os serviços públicos e essências como energia e telefonia lideram as reclamações no órgão. “A defesa do consumidor é um ato de cidadania, então, o consumidor deve buscar amparo nos órgãos de proteção. Nós existimos para isso e é essa a nossa finalidade institucional”, conclui.

Rede Celpa

Procurada, a Rede Celpa não enviou posicionamento sobre o assunto até o fechamento dessa matéria.

Para implantação de novo sistema de atendimento, agências da Celpa no sul e sudeste paraense estarão fechadas ou com novo horário a partir de hoje

Para garantir um serviço cada vez melhor, a Celpa fará um intenso treinamento com os atendentes das agências de atendimento presencial para implantação do novo sistema de atendimento ao cliente. Por conta da ação de melhoria, alguns postos estarão com horário de atendimento alterado e outros ficarão temporariamente fechados.

Vale destacar que durante este período, os clientes poderão solicitar os serviços da concessionária por meio do site da empresa (www.celpa.com.br), via o aplicativo Celpa, que pode ser adquirido gratuitamente em dispositivos móveis, e também através da Central de Atendimento (0800 091 0196).

Confira abaixo os períodos em que as agências funcionarão em horário alterado ou ficarão fechadas:

  • 01 a 05 de fevereiro: Conceição do Araguaia, Cruzeiro do Sul, Pacajá, Santana do Araguaia, São Felix do Xingu, Tucumã e Xinguara.
  • 12, 19 e 26 de fevereiro: Breu Branco, Canaã dos Carajás, Dom Eliseu, Eldorado dos Carajás, Goianésia do Pará, Itupiranga, Jacundá, Novo Repartimento, Rondon do Pará, São Domingos do Araguaia e São Geraldo do Araguaia.
  • Já as agências das seguintes cidades funcionarão de 8h às 15h30 nos períodos a seguir:

image

Nos dias 08 e 09 de fevereiro, todas as agências estarão fechadas devido ao feriado de Carnaval. O retorno às atividades ocorrerá no dia 10 de fevereiro às 13h.

Pará lidera mais uma vez o ranking do Programa Luz para Todos

Dentro de um processo de universalização da energia elétrica, o Pará foi líder mais uma vez do ranking nacional elaborado pelo Ministério das Minas e Energia, que elenca quais distribuidoras de energia realizaram mais ligações do Programa Luz para Todos. Até dezembro do ano passado, a Celpa ligou à rede de energia elétrica aproximadamente 16 mil famílias localizadas na zona rural do Estado. Só no mês de dezembro esse número chegou a cerca de 3.747 ligações.

luz

Diante da importância do programa para as comunidades rurais, ribeirinhas, pequenos agricultores e indígenas, é feito um pesado investimento nas obras do programa em todas as regiões. Em 2013 foram aplicados R$ 52 milhões e já nos anos de 2014 e 2015 houve um significativo aumento de recurso na ordem de R$416 milhões. Estes investimentos possibilitaram a construção de 16.653 quilômetros de rede de energia em todas as localidades do Pará.

Neste cenário, alguns municípios são destaque no que diz respeito ao número de ligações a rede realizadas no ano passado. Bragança, por exemplo, localizada no Nordeste do Pará, foi contemplada com 1.172 ligações. Já em Belterra, foram 1.010 famílias beneficiadas. Em Pacajá também houve um número expressivo de ligações, foram 1.121. Desde o início da implantação do PLPT no Pará, o arquipélago do Marajó, por exemplo, também é destaque. Lá já ocorreram cerca de 11 mil ligações do Luz Para Todos em diversas comunidades dos 16 municípios que compõem a ilha.

Para o diretor da área de Distribuição da Celpa, Daniel Negreiros, o Pará liderar o ranking nacional pela segunda vez consecutiva é um grande sinal de progresso. “Nós estamos levando energia elétrica a estes lugares e garantindo o desenvolvimento socioeconômico da população. Esse trabalho é de uma relevância imensurável, pois estamos fazendo parte de um processo de inclusão social que resulta em qualidade de vida para esses cidadãos que moram em zonas afastadas dos grandes centros urbanos”, avalia o diretor.

O Programa Luz para Todos é federal e foi lançado em novembro de 2003. É coordenado pelo Ministério de Minas e Energia, operacionalizado pela Eletrobrás e realizado em parceria com as concessionárias de energia de todo o país, que recebem metas definidas para serem cumpridas anualmente. No Pará, neste meio tempo, a Celpa já conseguiu excelentes resultados: já foram beneficiadas mais de 382 mil famílias ou cerca de dois milhões de pessoas. Ainda é possível contabilizar a construção de mais de 78 mil quilômetros de rede de energia em todas as regiões da extensa zona territorial do Pará.

Mais de 278 mil famílias podem perder o benefício da Tarifa Social no Pará

gifwrapNeste ano de 2016, um total de 278.104 famílias, em todo o estado do Pará, podem perder o benefício da Tarifa Social de Energia Elétrica. Essa descontinuidade ocorrerá em função do vencimento do cadastro social (Cadastro Único) realizado junto ao CRAS (Centro de Referência e Assistência Social), que deve ser atualizado a cada dois anos pelos beneficiários do programa. Em Belém esse número de famílias chega a mais de 40 mil, seguido de Ananindeua, com cerca de 18 mil e Santarém, com mais de 9 mil famílias em risco de perder o benefício.

A Tarifa Social de Energia Elétrica é destinada aos consumidores residenciais de baixa renda que disponibiliza descontos de 10% a 65% na conta de energia elétrica. Para os clientes que precisam fazer a atualização do cadastro, a Celpa orienta que liguem para a central de relacionamento do Ministério do Desenvolvimento Social, pelo número 0800 707 2003 e informem-se. Caso o cliente já tenha o NIS (Número de Identificação Social), poderá ir até uma agência de atendimento da Celpa ou ligar para a central de teleatendimento da empresa, pelo número 0800 091 0196, e inscrever-se.

Para obter o NIS a família precisa estar inscrita no CADASTRO ÚNICO (CadÚnico) para programas sociais do Governo Federal e ter uma renda mensal menor ou igual a meio salário mínimo nacional por pessoa, ou seja, R$ 440,00. Idosos com 65 anos ou mais e pessoas com deficiência de qualquer idade também têm direito ao desconto, via BPC – Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social.

Famílias com renda mensal de até três salários mínimos, podem ser beneficiadas, desde que tenham entre os membros da família pessoa em tratamento de saúde domiciliar que requeira uso contínuo de equipamentos hospitalares, os quais consumam energia elétrica. Para este caso, é necessário apresentar laudo médico certificando a situação de saúde e a previsão do período de uso do aparelho. Laudo médico homologado por médico do Sistema Único de Saúde (SUS).

A gestora do processo na Celpa, Ana Paula Barbosa, alerta ainda que as famílias que se encaixam no perfil e já perderam o benefício, por não terem atualizado seus dados junto ao CRAS, podem recuperá-lo a qualquer tempo. “É importante destacar que estas famílias ainda podem procurar o CRAS mais próximo de suas residências para efetivar a atualização cadastral, assim o benefício poderá retornar”, esclarece Ana Paula.

ECONOMIA - Segundo dados da Celpa, o benefício da Tarifa Social é capaz de alavancar uma economia de mais de R$ 400 durante o ano. Em uma conta de energia cujo consumo contabilizado seja de 230kW, a economia chega a ser de R$ 42,85 por mês. Anualmente, isso chega a R$ 514,20. Já em uma família que o consumo é de 123kW, a economia mensal será de R$40,15. No final de 12 meses, é uma enxugada de R$481,80 no orçamento familiar.

SERVIÇO - Para se (re)cadastrar, os beneficiários devem procurar o CRAS do seu município ou bairro, munidos dos documentos de todas as pessoas que residem no imóvel:

 Comprovante de residência; RG; CPF; e em casos que há crianças na família é necessário levar Certidão de nascimento dos filhos beneficiados e carteira de vacinação das crianças menores de 5 anos.

Confira, por município, o número de famílias que podem perder o benefício.

 

MUNICÍPIO

 

TOTAL DE FAMÍLIAS QUE PRECISAM ATUALIZAR CADASTRO

Belém

40.223

Ananindeua

18.089

Castanhal

10.279

Marabá

10.118

Santarém

9.320

Abaetetuba

5.081

Paragominas

4.780

Itaituba

4.695

Parauapebas

4.005

Altamira

3.248

Furto de energia gera prejuízos para toda a sociedade

Em 2015, a Celpa já regularizou cerca de 287 mil unidades consumidoras.

O furto de energia elétrica é um procedimento irregular e criminoso que gera inúmeros prejuízos à sociedade, como interrupções no fornecimento, oscilações dos níveis de tensão, sonegação de impostos e acidentes com a rede. De acordo com a Celpa, só neste ano foram mapeadas e regularizadas mais 287 mil unidades consumidoras em todo o estado do Pará.

Para ter uma ideia dos transtornos que a ação fraudulenta acarreta, basta analisar o aspecto financeiro, pois os impactos das perdas energéticas podem também ser percebidos diretamente no valor da tarifa de energia. “Caso o furto de energia fosse erradicado, seria possível uma redução em aproximadamente 10% do valor da conta de energia elétrica que pagamos hoje, tendo em vista que um dos fatores determinantes para este valor é a perda não-técnica, no caso o furto. Daí a importância da população se conscientizar contra essa ação”, explica o executivo de Recuperação de Energia da Celpa, Pabllo Barbosa.

A Celpa compra anualmente mais de 11TWh (Terawatt-hora) de energia elétrica para atender toda a extensão territorial do Estado. Desse total, cerca de 31% correspondem às perdas.  Entre elas, o furto de energia figura como um dos principais vilões, responsável por um absurdo desperdício. Além de um gasto adicional para a distribuidora, as perdas afetam diretamente a qualidade do fornecimento oferecendo riscos de acidentes para a população em geral.

Por se tratar de um procedimento irregular, geralmente é executado por pessoas que não são habilitadas para trabalhar em instalações elétricas. A intervenção, além de curto circuito, gera também risco de incêndio onde existem esse tipo de ligação. Segundo dados do Corpo de Bombeiros Militar do Pará, em 2015, foram registradas mais de 38 ocorrências de incêndio envolvendo furto de energia. Não se deve esquecer, também, do risco de vida, tanto para a pessoa que executa a operação, quanto para os usuários.

Os danos da irregularidade também afetam pilares da economia, pois o furto propicia a sonegação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias (ICMS), do Programa de Integração Social (PIS) e a Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (Confins), que vêm incluídos nas contas de energia elétrica e cujos recursos arrecadados são repassados integralmente aos Governos Federal e Estadual.

De acordo com Pabllo Barbosa, a população deve atentar para o fato de que esses desvios geram uma reação em cadeia. “A partir do momento em que o Estado deixa de arrecadar, investimentos em áreas estruturais não ocorrem. Por exemplo, todo esse dinheiro perdido poderia estar sendo investido na construção de escolas, hospitais, construção e pavimentação de estradas, entre outras melhorias”, avalia o executivo.

Plano de combate às perdas
A Celpa iniciou em 2013 um incisivo plano de combate às perdas energéticas. Para isso mobilizou equipes exclusivas para este tipo de ação, que fazem fiscalização em todo o estado. Além disso, o trabalho também é realizado com base em denúncias da população.

Na Região Metropolitana de Belém o número de regularizações, durante este período de três anos, chegou a 418 mil unidades consumidoras. Em Santarém, no oeste do estado, foram regularizadas cerca de 35 mil unidades consumidoras. A Celpa também executou ações de combate às perdas em Marabá, no sudoeste paraense, onde foram regularizados mais de 20 mil clientes. Já em Altamira, na região centro-oeste do Pará, a inciativa alcançou mais de 23 mil unidades consumidoras.

Além dos muitos prejuízos que o desvio de energia pode gerar à sociedade, e dos riscos para a vida, é importante destacar que a ação é caracterizada crime e quem a pratica pode ser enquadrado em dois artigos do Código Penal Brasileiro: o 155 (furto), parágrafo 3º, que tem como pena prevista 1 a 4 anos de reclusão e multa; e o 265, que trata de atentado contra a segurança de serviço de utilidade pública e prevê pena de reclusão de 1 a 5 anos, além de multa.