Resultados de pesquisa para: parauapebas-pa

Mais um advogado é assassinado no Pará

OAB protesta, e lembra que é o nono caso desde 2011

Na noite desta quinta-feira (3/4), George Antônio Machado foi mais uma vítima da violência contra advogados no Pará. Dois homens em uma moto o executaram a tiros e estão foragidos. George era carioca, casado, tinha 53 anos, dois filhos também advogados, e morava em Parauapebas. O crime ocorreu em Marabá, onde estão reunidos os presidentes das subseções da Ordem dos Advogados do Brasil.

De julho de 2011 até a data de hoje, foram assassinados naquele estado nove advogados.

O presidente da OAB, Marcus Vinicius Furtado Coêlho, divulgou a seguinte declaração:

“Mais uma barbaridade contra um colega advogado, nova crueldade que choca e indigna nossa classe e também a sociedade. A OAB exige que os órgãos de segurança elucidem rapidamente este e outros crimes, com punição exemplar dos envolvidos”.

Leonardo Accioly, presidente da Comissão Nacional de Defesa das Prerrogativas da OAB, também comentou o assassinato:

“É mais um crime que escancara a fragilidade institucional que o Pará atravessa. Quando se atinge o advogado, é um duro golpe na democracia e no direito à defesa. E é justamente por se tratar de um advogado que se presume um atentado em razão da profissão exercida. Trataremos do tema no Encontro Nacional de Prerrogativas, que se inicia no próximo dia 9 de abril”, adiantou.

O procurador Nacional de Defesa das Prerrogativas da OAB, José Luis Wagner, defendeu a hipótese de intervenção da União no estado:

“Este novo crime contra um colega impõe ao governo estadual que reconheça a necessidade de pedir ajuda federal para enfrentar a situação de violência desenfreada existente no Pará”, afirmou.

Recentemente, Marcus Vinicius Furtado Coêlho esteve no Pará, juntamente com a Comissão Nacional e a Procuradoria de Defesa das Prerrogativas. Na ocasião, foi discutida a questão da segurança pública no estado – em especial no tocante aos advogados – e propostas medidas em conjunto com o governo estadual.

Nota da OAB – Subseção Parauapebas

A Ordem dos Advogados do Brasil – OAB/PA Subseção de Parauapebas, Estado do Pará, vem a público manifestar em nome de toda a Ordem dos Advogados, o mais profundo pesar pelo falecimento do causídico George Antônio Machado, inscrito na OAB/PA 9.706, nesta quinta-feira (03/04/2014), vítima de homicídio, ao tempo em que presta condolências aos familiares, colegas e amigos enlutados pela irreparável perda.

Neste ato, declaro luto de 03 dias em homenagem aos dedicados serviços prestados à sociedade e á OAB de Marabá e Parauapebas-PA.

Deivid Benasor da Silva Barbosa
Vice Presidente da OAB/PA – Subseção de Parauapebas-PA.
Presidente em Exercício.

Parauapebas: acusado de matar funcionário público já está sob liberdade provisória

imageO juiz titular da 3ª Vara Penal de Parauapebas, Dr. Líbio Araújo Moura, atendeu solicitação da defesa de Gilberto Corrêa da Silva Ribeiro, que na madrugada de sábado (08) atropelou o funcionário público Jonas Quirino Fonseca, matando-o, expedindo o Alvará de Soltura garantindo que, preliminarmente, o acusado responda ao processo por homicídio (Art. 121 do C.P.B.) em liberdade.

Segundo a decisão do magistrado, não foram apresentados requisitos primordiais para que o acusado fosse mantido preso, já que, conforme testemunhos, o mesmo não apresentava sinais de embriaguez quando do fato, pressupondo assim a inocência do acusado e lhe garante a correta aplicação da Lei. Para o magistrado, o caso se configura como culposo, quando não há a intenção de matar e é incabível a manutenção da prisão. Sobre a não aplicação de fiança, Líbio Moura afirma em sua decisão que a mesma seria incoerente pois não houve materialização de dolo.

Como o processo está em fase de inquérito policial, Gilberto permanecerá em liberdade, exceto se, no futuro, o Ministério Público o denunciar por crime doloso, juntando provas para tal e solicitando sua prisão. Nesse caso, o magistrado voltaria a analisar o pedido.

Confira o inteiro teor da decisão que garantiu ao acusado a liberdade provisória:

Libio Moura“Tratam os autos sobre comunicação da prisão em flagrante de GILBERTO CORRÊA DA SILVA RIBEIRO, devidamente qualificado nos autos, incurso, provisoriamente, no tipo do art. 121 do C.P.B c/c 302 da Lei 9.503/97.

Ao analisar o evento, verifica-se que o agente foi preso na ardência do fato. No dia 08 de março último, durante a madrugada, o indiciado conduzindo um veículo tipo Corsa Sedan pela Rua F, bairro Cidade Nova, perdeu o controle da direção e atingiu a vítima Jonas Quirino Fonseca, bem assim abalroou dois veículos estacionados no meio fio. O ofendido e o agente foram encaminhados ao hospital, mas Jonas Quirino não resistiu aos ferimentos e morreu.

As testemunhas presenciais inquiridas não relataram que o agente aparentasse uso de bebida alcóolica, tampouco foi realizado qualquer tipo de exame pericial em Gilberto Correa.

Presentes, portanto, os requisitos formais e materiais da segregação, HOMOLOGO o auto.

Conforme dispôs a Lei 12.403/11, necessário verificar se presentes os requisitos autorizativos desta prisão, então descritos no art.312, do CPP – o que a nova lei chamou de conversão (inciso II, art.310, CPP).

A prisão cautelar jamais pode se confundir com a própria antecipação da tutela definitiva, dada sua natureza essencialmente instrumental. Mas não só isso, já que esta medida instrumental também deveria respeitar o princípio da homogeneidade das cautelares, feição do princípio da proporcionalidade/devido processo legal substancial, que regulamenta o tempo da restrição da liberdade.

A Lei 12.403/11 trouxe um rol preferencial de medidas cautelares civis que devem ser aplicadas e esgotadas antes de se valer da prisão, o que caracteriza a subsidiariedade desta opção. (capítulo V – Das Outras Medidas Cautelares – vide art.319, CPP). Um traço marcante destas cautelares preferenciais, não revelados explicitamente pelo regime jurídico das cautelares “penais”, é que tais medidas exigem posturas de autodisciplina e autodeterminação por parte do investigado, afinal, não muito diferente da prisão, em que ocorre a efetiva limitação do direito de liberdade, estas medidas, por certo, também restringem parcialmente a deambulação do investigado (vide incisos II, III, IV, V, VII e IX, art.319 e 320, CPP).

Por outro lado, diante do princípio constitucional da presunção de inocência, a segregação antes do definitivo julgamento assume caráter processual, ou seja, jamais pode representar perspectiva de pena, uma antecipação, ao contrário, deverá servir ao andamento do feito, com a mesma natureza das medidas cautelares da área civil. A prisão provisória representa, em verdade, medida cautelar criminal.

Desse modo, cabe ao magistrado aferir a necessidade de garantir o normal andamento da demanda com a custódia do agente. Se a liberdade em nada prejudicar, a medida é cogente.

Verificando o evento e as condições pessoais do agente, não se vislumbram quaisquer das variantes do art. 312 do Código de Processo Penal, a saber: necessidade de garantir a ordem pública, a ordem econômica, garantia da instrução criminal ou para assegurar a aplicação da lei penal. Em outros termos, a custódia do agente, na presente data, não interessa à persecução.

“Se a ordem pública, a instrução criminal e a aplicação da lei penal não correm perigo deve a liberdade provisória ser concedida, nos termos do art. 310, parágrafo único, do CPP. A gravidade do crime que lhe é imputado, desvinculada de razões sérias e fundadas, devidamente especificadas, não justifica sua custódia provisória” (TACRSP, RT 562/329).

Ainda que se possa discutir sobre o elemento subjetivo na ação, em tese se está diante de um acidente de trânsito na modalidade culposa, o que depende da atuação ministerial para capitulação. Contudo, por ora, não se vislumbra a necessidade de prisão.

Ante o exposto, inexistindo interesse na segregação provisória da indiciada para servir ao procedimento, CONCEDO A LIBERDADE PROVISÓRIA, com exclusão de garantia real, de GILBERTO CORRÊA DA SILVA RIBEIRO, pois ausentes os requisitos do art. 312 do CPP.

Deixo de arbitrar fiança, pois ainda que a Lei 12.403/11 tenha estendido à caução a um rol maior de delitos, entendo, em primeiro momento, que sua fixação ainda representa uma incoerência sistêmica, pois para os delitos hediondos e tráfico de drogas, a liberdade ainda é concedida sem qualquer vínculo real, enquanto os delitos menos graves estão sujeitos à garantia. Entendo, assim, obrigatória a aplicação do art. 350 do CPP.

Ciência ao Ministério Público e à Defensoria Pública”.

Parauapebas, 10 de março de 2014

image

ALVARÁ DE SOLTURA

LÍBIO ARAÚJO MOURA, Juiz de Direito Titular da 3ª Vara Penal da Comarca de Parauapebas, na forma da lei, etc.

Pelo presente ALVARÁ DE SOLTURA, que vai por mim assinado e ao responsável pela prisão, junto à Delegacia de Polícia Civil, desta cidade e Comarca, que coloque em liberdade, de imediato, SE POR OUTRO MOTIVO NÃO ESTIVER SEGREGADO, o preso GILBERTO CORRÊA DA SILVA RIBEIRO, NATURAL DE BREJO GRANDE DO ARAGUAIA-PA, NASCIDO AOS 23.08.1994, ENCANADOR, PORTADOR DO RG. 6140277 SSP-PA, POSSUI 01 FILHO, ENSINO MÉDIO COMPLETO, RENDA MENSAL DE R$ 1.400,00, FILHO DE GILBERTO GARCIA RIBEIRO e ROSANIA CORRÊA LIMA, RESIDENTE A AVENIDA J, QD.39, LT.07, BAIRRO JARDIM CANADÁ, PARAUAPEBAS-PA. FONE: (94) 9221-4707., em virtude de lhe ter sido REVOGADA SUA PRISÃO PREVENTIVA. Dado e passado nesta cidade e Comarca de Parauapebas, Estado do Pará, aos dez (10) dias do mês de MARÇO do ano de dois mil e quatorze (2014). Subscrito pela própria autoridade judiciária.

image

Gilberto Corrêa da Silva Ribeiro foi assistido desde sua prisão pelos advogados Jakson de Souza e Silva e Vanderlei Almeida Oliveira, de Parauapebas.

Parauapebas SEMMA publica notificações administrativas

ESTADO DO PARÁ
PEFEITURA MUNICIPAL DE PARAUAPEBAS
SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE

EDITAL DE AUTUAÇÃO E DE DECISÃO ADMINISTRATIVA Nº. 001/13

O Secretário Adjunto Municipal de Meio Ambiente Sr. Zoênio Silva, na qualidade de Autoridade Ambiental, com fulcro no decreto nº. 52/13, considerando que o serviço prestado pela Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos – ECT, não atende determinados perímetros da cidade de Parauapebas; que algumas empresas possuem endereços insuficientes para entrega e ainda que algumas tentativas de entrega dos servidores desta SEMMA foram sem êxito pela recusa dos responsáveis em receber documentação.

Esta SEMMA por meio deste Edital notifica as respectivas empresas abaixo relacionadas das autuações e/ou Decisões Administrativas, concedendo-lhes, conforme estabelece a Lei 4283/04, o prazo de 05 (cinco) dias, contados desta publicação, para interpor defesa da autuação em primeira instância, ou recorrer em segunda instância das Decisões Administrativas , junto ao Gabinete do Prefeito. Ressalta-se que o recurso deverá ser protocolado nesta SEMMA, localizada a Rua Rio Dourado, s/n, Complexo Operacional – 2º. Piso, Bairro Beira Rio que irá anexar o recurso ao processo ou encaminhar para decisão em segunda instância.

N° PROCESSO

AUTO DE INFRAÇÃO

    DATA

INFRAÇÃO

Nº. CPF/CNPJ

OBS.

531/12  
J. E. da Silva Oliveira

815/2012

12/11/2012

Deixar de atender as exigências quando notificado pelo órgão Ambiental e ainda exercer Atividade sem Licença Ambiental. Art. 80 do Decreto Federal  6514/08 e Art. 27 da Lei 4253/02.

16.889.881/0001-83

Auto de Infração

687/12
E.J.B. Cantanheide LTDA.

821/2012

13/11/2012

Poluição hídrica e do solo. Art. 99 da Lei 4283/04 e Art. 62 da Lei 6514/08

09.041.470/0001-78

Auto de Infração

381/10
Jeisell da Conceição de Castro

250/2010

25/04/10

Perturbação  do sossego público Art. 10 e 11 da Lei 4283/04

793.116.872-00

Decisão Administrativa

261/09
Francisco Andrade de Albuquerque

114/2009

21/05/2009

Disposição de material (Aterro) em Área de Preservação Permanente Art. 2 do Decreto Federal 4771/65 e Res. Conama 303/02

237.252.223-04

Decisão Administrativa

375/12

H.F Engenharia Empreendimentos

886/2012

06/12/2012

Causar poluição de qualquer natureza, Causar Poluição Atmosférica, deixar de atender condicionantes da Licença Ambiental. Art. 61 e art 62 inciso II e art 66 inciso II do Decreto Federal  6514/08.

02.260.706/0004-60

Autuação

017/13 D.R

Feitosa Neto Comercial de Gesso Goiás

906/2013

27/05/2013

Atividade sem Licença Ambiental. Art.  27 da Lei 4253/02.

10980040/0001-09

Decisão Administrativa

511/12
José Lucas de Oliveira

803/2012

01/10/2012

Deixar de atender as exigências quando notificado pelo órgão Ambiental. Art. 80 do Decreto Federal 6514/08.

32920695215

Decisão Administrativa

2ª Instância

 

 

459/11

Paulo Vidal da Silva

570/2011

22/08/2011

Supressão de APP, desvio de Igarapé e Atividade sem Licença Ambiental. Art.  100 e 101 da Lei 4283/04 e art 27 da Lei 4253/02 e Art. 43 do Decreto Federal 6514/08.

339.236.719-20

Decisão Administrativa

2ª Instância

 

703/12
Wilson do Nascimento Oliveira

992/2013

12/03/2013

Atividade se Licença Ambiental. Art.  27 da Lei 4253/02.

28078977387

Decisão Administrativa

 

381/12
Idílio José da Silva

900/2013

15/05/2013

Atividade se Licença Ambiental. Art.  27 da Lei 4253/02.

20807287253

Decisão Administrativa

 

1083/10
José Ribamar Gomes de Sousa

327/2010

08/10/2010

Poluição Sonora. Art. 11 da Lei 4283/04

01261133358

Decisão Administrativa

 

053/10
Otoniel da Silva e Silva

940/2013

26/04/2013

Deixar de atender as exigências quando notificado pelo órgão Ambiental. Art. 80 do Decreto Federal 6514/08.

688240252-34

Decisão Administrativa

128/13
Eduardo Martins Bar e Restaurante- ME

842/2013

16/03/2013

Atividade sem Licença Ambiental. Art.  27 da Lei 4253/02.

15.653.170/0001-42

Decisão Administrativa

278/13

Alves e Maia LTDA-ME

 

951/2013

22/05/2013

Atividade se Licença Ambiental. Art.  27 da Lei 4253/02.

435.859.491-34

Autuação

63/13

Ednaldo dos Santos Silva-ME

1104/2013

18/07/2013

Deixar de atender as exigências quando notificado pelo órgão Ambiental. Art. 80 do Decreto Federal 6514/08.

07678294/0001-54

Autuação

160/13
Evaldo Andrade do Nascimento

943/2013

15/05/2013

Atividade sem Licença Ambiental. Art. 27 da Lei 4253/02.

736.113.012-72

Decisão Administrativa

369/12
Neuzivan Soares Pereira

832/13

06/03/2013

Atividade se Licença Ambiental. Art. 27 da Lei 4253/02.

363.969.823-15

Decisão Administrativa

 

Parauapebas-PA, 16 de Dezembro de 2013.

Erro de digitação faz lateral deixar clube pagando multa dez vezes menor

Diretoria do Parauapebas-PA afirma que valor da rescisão do jogador Leo Rosa é de R$ 5 mil, mas atleta vai atuar na Tuna Luso após pagar R$ 500

Léo Rosa disputou a Série C pelo Águia (Foto: Tarso Sarraf/O Liberal)Léo Rosa disputou a Série C pelo Águia (Foto:Tarso Sarraf/O Liberal)

O lateral-direito Leo Rosa, do Parauapebas, acabou sendo protagonista de uma história no mínimo inusitada, que chamou a atenção no futebol paraense. O jogador foi contratado pelo clube para a disputa da Primeira Fase do Paraense 2014, mas uma proposta da Tuna, que também está na competição, fez com que o atleta pedisse a rescisão após duas rodadas, mesmo sem ter feito nenhuma partida oficial.

- Fui para o Parauapebas, mas percebi que as condições lá não eram muito legais e minha família estava longe. Então pedi para sair, pois surgiu a possibilidade de ir para a Tuna e trabalhar com o Lecheva (treinador) seria uma oportunidade boa, sem contar que minha casa fica a dez minutos do estádio – conta o lateral.

Até ai, tudo bem. O problema é que o Parauapebas não aceitou o pedido, exigindo que fosse paga a multa rescisória de R$ 5 mil, que equivale a cerca de seis meses de salário do atleta, o que deixou a transferência inviável. Porém, o empresário do jogador conseguiu achar uma saída. É que o contrato assinado por ambos apresentava uma multa compensatória, a que o jogador paga para sair do clube, de apenas R$ 500 e não de R$ 5 mil.

- O Leo nos procurou e pediu nossa ajuda. O clube queria, pelo menos, R$ 3 mil para liberá-lo, com certeza confiando na cláusula, mas percebi que esse valor não constava lá, e sim o de R$ 500. Acredito que eles devem ter se enganado, pois ninguém contrata alguém com multa inferior ao salário. Entramos com uma ação de consignação  (quando se faz o pagamento da multa) e também pedindo a rescisão indireta por parte do atleta (renunciando os direitos que teria), baseado no artigo 28 da Lei Pelé.  Graça a Deus terminou tudo bem para o Leo e ele vai poder jogar normalmente – disse David Merabet, que é advogado do lateral-direito.

Leo Rosa, 27 anos, com passagens por clubes como o Águia de Marabá, deve estrear com a camisa da Tuna no próximo final de semana, contra o São Raimundo, em Belém.

Fonte: GloboEsporte.com

Araguaína sediou Encontro Macrorregional de Gestão e Municipalidade‏

Mais de 75 municípios participaram do encontro que contou com palestras e oficinas que promoveram competências técnicas e de gestão para captação de recursos

Realizado pela Prefeitura de Araguaína, com apoio da Prefeitura de Parauapebas-PA, o Encontro Macrorregional de Gestão e Municipalidade – EMGM reuniu representantes de 76 municípios dos estados do Tocantins, Pará e Maranhão, entre os dias 2 e 4 de outubro.

Com a realização de cinco palestras e cinco oficinas, o evento capacitou 265 servidores, gestores e estudantes de administração. “As dificuldades existem e muitas vezes os caminhos são complexos. E é sempre bom ressaltar que a lei deve ser cumprida. Por isso, é fundamental compartilharmos essas informações e, acima de tudo, colocarmos em prática”, ressaltou o prefeito de Araguaína, Ronaldo Dimas.

O encontro contou com palestrantes e monitores de renome nacional, como o coordenador-geral da Secretaria de Relações Político-Sociais da Presidência da República, Luiz Alberto Ribeiro; a coordenadora geral de Monitoramento e Avaliação de Políticas Regionais, do Ministério da Integração, Camila Fasolo; Raimundo Godoy, do Instituto Áquila; e José Antônio Neto, da Infraero.

Avaliação positiva
Conforme cálculo das avaliações feitas pelos participantes, a organização e execução do evento foram avaliadas como ótima/boa por mais de 90% dos participantes. As palestras de um modo geral agradaram o público, contribuindo com a construção do conhecimento e desenvolvendo novas ideias para a gestão.

As oficinas foram bastante procuradas, em especial as de Regime Diferenciado de Contratação – RDC e Trabalho Social, que superaram em 50% o número de vagas, capacitando 82 pessoas. As oficinas de Ordem Bancária de Transferência Voluntária, Prestação de Contas e Legislação de Convênios capacitaram mais 75 pessoas.

“Abrimos inscrição para 25 pessoas em cada oficina, e contamos na maioria com participantes além desse número, além de termos participação, inclusive, de autoridades”, apontou o secretário de Gestão e Capacitação de Recursos do Município, Júlio Sampaio.

Quanto ao conteúdo e o desempenho, os palestrantes foram avaliados pelos participantes como ótimos/bons pelas 137 pessoas.

II EMGM
O evento foi realizado em parceria com a Prefeitura de Parauapebas,cidade onde acontecerá o II Encontro Macrorregional de Gestão e Municipalidade em 2014. Segundo o prefeito,Valmir Mariano, a iniciativa de capacitar os gestores da macrorregião norte é muito importante, uma vez que, na visão dele, o desenvolvimento do país caminha para a nossa região.

“Sentimos as dificuldades de gestão e captação de recursos e também faltam projetos elaborados para termos acesso ao dinheiro. Diante desta realidade, o encontro foi fundamental para gerar conhecimento, capacitar os servidores e dar mais agilidade à execução dos investimentos”, comentou.

O Encontro
O evento, que além de promover competências técnicas e de gestão, visou criar uma rede de integração entre os municípios que vivenciam situações regionais similares buscando soluções sustentáveis, com viabilidade financeira e social.

Um dos objetivos do encontro era que, com o conhecimento adquirido, os municípios também tivessem a oportunidade de crescimento igualitário e melhorassem seus índices sociais.

O evento previa, por meio de palestras e oficinas, o aumento da capacidade de captar recursos e executar ações voltadas para a eficiência no atendimento à população.

Fonte: ASCOM/Pref. Araguaína-TO

Comércio Exterior: no acumulado, São Paulo foi o município brasileiro que mais exportou em 2013. Porém, é de Parauapebas o maior superávit comercial.

De janeiro a agosto deste ano, São Paulo foi o município brasileiro que mais exportou, com vendas de US$ 6,130 bilhões, superando Parauapebas-PA (US$ 6 bilhões) que até julho liderava o ranking. Na sequência estão os municípios de Santos-SP (US$ 4,366 bilhões), Rio de Janeiro-RJ (US$ 3,991 bilhões) e Paranaguá-PR (US$ 3,384 bilhões).

Parauapebas-PA registra ainda o maior superávit comercial no acumulado anual, com saldo de US$ 5,834 bilhões. O município foi seguido por Santos-SP (US$ 3,509 bilhões), Nova Lima-MG (US$ 2,394 bilhão), Anchieta-ES (US$ 2,017 bilhões) e Paranaguá-PR (US$ 1,924 bilhão). 

Na lista dos municípios que mais importaram nos primeiros oito meses de 2013, aparece Manaus-AM (US$ 9,219 bilhões), na primeira posição, seguido de São Sebastião-SP (US$ 9,128 bilhões), São Paulo-SP (US$ 8,960 bilhões), Rio de Janeiro-RJ (US$ 6,605 bilhões) e Itajaí-SC (US$ 4,198 bilhões).

Com informações do MDIC.

Parauapebas é a cidade que mais exportou no ano

O volume de venda externa do município somou US$ 5,271 bilhões entre janeiro a julho deste ano, segundo o MDIC. O local, sede da maior mina de ferro da Vale  do distrito de Carajás, também registrou o maior superávit comercial no período, de US$ 5,112 bilhões.

O Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) informou hoje os cinco municípios brasileiros que mais exportaram de janeiro a julho deste ano. E primeiro lugar está a cidade de Parauapebas, no Pará, ao vender US$ 5,271 bilhões no período, seguido por São Paulo (US$ 5,201 bilhões), Santos-SP (US$ 3,880 bilhões), Rio de Janeiro-RJ (US$ 3,413 bilhões) e Angra dos Reis-RJ (US$ 3,024 bilhões).

Parauapebas-PA registrou também o maior superávit comercial do período, com US$ 5,112 bilhões, segundo o MDIC. O município foi seguido por Santos-SP (US$ 3,088 bilhões), Nova Lima-MG (US$ 2,082 bilhões), Paranaguá-PR (US$ 1,736 bilhão) e Anchieta-ES (US$ 1,724 bilhão).

Na lista dos municípios que mais importaram nos primeiros sete meses de 2013, São Sebastião-SP (US$ 8,697 bilhões) aparece na primeira posição, seguido de Manaus-AM (US$ 7,933 bilhões), São Paulo-SP (US$ 7,811 bilhões), Rio de Janeiro-RJ (US$ 5,892 bilhões) e São Luís-MA (US$ 3,967 bilhões).

Parauapebas é o maior exportador até maio

De janeiro a maio deste ano, os cinco municípios brasileiros que mais exportaram foram: Parauapebas-PA (US$ 3,755 bilhões), São Paulo (US$ 3,675 bilhões), Santos-SP (US$ 2,783 bilhões), Rio de Janeiro-RJ (US$ 2,607 bilhões) e Angra dos Reis-RJ (US$ 2,603 bilhões).

Parauapebas-PA registra também o maior superávit comercial do período, com US$ 3,628 bilhões. O município foi seguido por Santos-SP (US$ 2,168 bilhões), Nova Lima-MG (US$ 1,409 bilhão), Anchieta-ES (US$ 1,269 bilhão) e Paranaguá-PR (US$ 1,038 bilhão).

Na lista dos municípios que mais importaram nos cinco primeiros meses, São Paulo-SP (US$ 5,559 bilhões) aparece na primeira posição, seguido de Manaus-AM (US$ 5,403 bilhões), São Sebastião-SP (US$ 5,349 bilhões) Rio de Janeiro-RJ (US$ 4,295 bilhões) e São Luís-MA (US$ 3,279 bilhões).

Presidente do Águia de Marabá descarta torneio em Parauapebas

Ideia de Sebastião Ferreira, o Ferreirinha, era movimentar o Azulão durante a paralisação da Série C

Águia de Marabá treino Baenão  (Foto: Tarso Sarraf/O Liberal)Elenco do Águia folga e só retorna aos treinos na segunda-feira (Foto: Tarso Sarraf/O Liberal)

Com objetivo de movimentar o elenco do Águia de Marabá na paralisação da Série C do Campeonato Brasileiro em razão da Copa das Confederações, o presidente do Azulão, Sebastião Ferreira, o Ferreirinha, pensou em realizar um torneio na cidade de Parauapebas-PA, envolvendo, além do clube marabaense, mais três equipes. Entretanto, a ideia do mandatário máximo do Águia não foi bem recebida e a realização dos jogos foi descartada.

- Só coloquei a ideia para movimentar as equipes nesta paralisação do Brasileiro. Convidei o Paragominas, o Imperatriz-MA e o time da casa, o Parauapebas. Só que não aceitaram a minha ideia. Então, não vai ocorrer. As disputas seriam no estádio da cidade, o Rosenão.

Com isso, os jogadores do Águia ganharam uma folga no fim de semana, retornando aos trabalhos somente na segunda-feira.

Fonte: Globoesporte.com

Edital do Conselho de Ministros Evangélicos de Parauapebas

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ASSEMBLÉIA GERAL DE CONSTITUIÇÃO
CONSELHO DE MINISTROS EVANGÉLICOS DE PARAUAPEBAS

São convocados todos os Apóstolos, Bispos, Pastores, Missionários e Evangelistas das diversas titulares e/ou auxiliares das diversas evangélicas situadas na cidade de Parauapebas interessados, a se reunirem em Assembleia Geral de Constituição do CONSELHO DE MINISTROS EVANGÉLICOS DE PARAUAPEBAS, que se realizará no dia 27 de JUNHO de 2013, na Rua F, nº 40, bairro União, Parauapebas-PA (Auditório do METABASE, proximidades da portaria de acesso à Floresta Nacional de Carajás).

a. Assembleia será instalada, em primeira convocação às 19h30m e, em segunda a. deliberar sobre a constituição da associação;

b. deliberar sobre a aprovação do Estatuto Social;

c. deliberar sobre o local da sede da associação;

d. deliberar sobre a eleição dos membros da Diretoria Executiva;

e. deliberar sobre a eleição dos membros do Conselho Fiscal;

f. deliberar sobre a eleição dos membros do Conselho de Ética

g. deliberar sobre a nomeação de Diretor Executivo.

Para assinar a lista de presença como membro fundador, é necessário o preenchimento prévio da ficha de inscrição/requerimento de membro e entrega com os documentos nela relacionados, até o dia 26.06.13.

Parauapebas, 06 de junho de 2013-06-06

JOSÉ GERARDO TEIXEIRA
Presidente da Comissão Provisória pró Organização

Contato e obtenção da ficha registro de membro:
Pr. Gerardo – Cel. 9126-2572 Pr. Adonias – Cel. 9198-4194