Conceição do Araguaia: IFPA lança curso Superior de Agronomia

Hoje, 11, o IFPA Campus Conceição do Araguaia irá ganhar oficialmente mais um curso. Vai ocorrer a sessão especial de lançamento do curso Superior de Agronomia (Engenharia) do Campus. Serão apresentados o curso, os professores e o vestibular 2011.

A solenidade está marcada para as 19:00 horas, no auditório do Campus Conceição do Araguaia. Na ocasião haverá a presença de autoridades da Câmara Municipal e da Prefeitura de Conceição do Araguaia. Após a solenidade os participantes serão recepcionados com um coquetel.

“Será um momento ímpar, nós queremos tornar Conceição um polo da educação”, disse o diretor do Campus, Rui Alves Chaves, em entrevista com a Ascom. A programação será transmitida pela TV IFPA.

Serviço: O Campus fica localizado na rua Couto Magalhães, nº 1649 – setor universitário.

Fonte: ASCOM – IFPA

[ad code=1 align=center]

10 Responses to Conceição do Araguaia: IFPA lança curso Superior de Agronomia

  1. Em breve será Parauapebas que irá receber o IFPA e não por esforço do poder público municipal. Aguardem!!!!!!!!!!

  2. Infelizmente… Parauapebas ainda não foi agraciada com uma instituição Técnica como o IFPA, além de UFPA, UEPA e melhorias na UFRA. Eu torço que venha logo pois a cidade Precisa!!!

  3. Wdson Magalhaes,

    Avanca a passos largos a formatacäo de proposta que poderá mudar definitivamente os rumos históricos de nossa cidade. E tenha certeza, näo se trata de promessa de político.
    Trata-se da proposta que deverá ser formalmente apresentada à Vale, servindo como contrapartida pela implantacäo de ferrovia que ligará os projetos da Serra Sul ao pátio ferroviário existente.
    A proposta, resumidamente, tem o mérito de em uma só tacada viabilizar a implantacäo de um Cidade Universitária, qualificando a médio prazo a educacäo na cidade, assim como servirá de “cabeca de ponte” para iniciarmos a implantacao de uma nova matriz econômica baseada na prestacäo de servicos, esta sim com altas taxas de crescimento em todo o mundo.
    A proposta prevê um planejamento para que em médio prazo possamos ter algo em torno de 10 a 12 mil alunos universitários em diversas áreas.
    Esta medida, com certeza, nos livraria da dependência em relacäo à mineracäo, economia primária, que vive ao sabor das oscilacöes do mercado mundial de commodities.
    Nós que participamos da comissäo de negociacöes com a Vale (Prefeito, Gabinete, Seplan, Urbanismo, Meio Ambinte, Procuradoria e Secult) estamos otimista com os resultados dos debates.

    Em breve a comunidade será convocada ao debate nas audiências públicas sobre o projeto.

    Cláudio Feitosa
    Secult Parauapebas

  4. Enquanto isto Parauapebas aguarda decisão da Vale quanto ao (in)requerimento do Poder Execultivo Municipal, pois mais de 440 milhões é pouco para fazer parcerias com institutos e/ou Universidades e alavancar a cultura de nossa Juventide e de nossa sociedade.

  5. Caro Cláudio Feitosa

    Muito bom saber mesmo que anda a passos largos a criação da cidade universitária, em Parauapebas. Gostaria, se possível, de mais detalhes desse projeto, pois achei uma boa iniciativa sim, a carência de mão de obra qualificada para a Região do projeto Carajás é imensa, tendendo a se agravar ainda mais com o projeto Serra Sul (S11D), em Canaa. Cursos de engenharias e áreas tecnológicas voltadas para a demanda da VALE e seus empreendimentos seriam bastante viáveis, como também cursos nas áreas de saúde, para suprir a carência da região.
    Outra coisa, achei bastante interessante quando se fala em qualificação profissional para iniciar uma nova matriz econômica (o setor de serviços prestados), pois além de gerar um nova área a ser investida e explorada, a capacitação leva a uma melhora clara na qualidade de servicos prestados, e isso é uma urgência extrema em nossa cidade que, infelizmente, pecamos muito em atendimento ao cliente e dinamismo comercial (quem nunca foi mal atendido em comércio que atire a primeira pedra!). Hoje Parauapebas ocupa a posição de Centro da microrregião de Parauapebas (digo a região do complexo Carajás) e essa influência regional tenderá a crescer mais e mais, tanto pela demanda populacional, tanto por influência econômica como também da criação de novos municípios nesse entorno (algumas vilas da região do contestado ja visam emancipação política). Uma boa universidade aqui treinaria não apenas profissionais competentes que mudariam o perfil comercial do município como também auxiliaria mais ainda o treinamento e reciclagem dos profissionais já existentes (através de cursos, atualizações e treinamentos voltados a logistica), ajudando a consolidar ainda mais essa posição estratégica para o nosso município.
    Mais uma pergunta… qual seria essa universidade? UFPA, UEPA? UFRA? A futura UNIFESSPA (Univ. Federal do Sul e Sudeste do PA) ou a uma universidade Particular?

  6. Tomara que a cidade se encha de universitários, sim. Mas pra isso o cidadão tem que passar em vestibular. Cursinho de prévestibular aqui no Peba nem se sustenta, considerando uma comunidade de 150 mil hab. Como se vê educação não é prioridade.

  7. Caro Wdson,

    a proposta em estudo prevê a implantação de uma cidade universitária, ou seja, um conjunto de prédios com destinação exclusiva pra a educação que possam abrigar diversas instituições, sejam públicas ou privadas.
    A proposta passa também pela implantação da Unifesspa (Univ. Federal do Sul e Sudeste do PA).
    Como disse, a proposição está em fase de arremate, e estamos muito otimistas quanto ao desfecho das conversações.
    Mas o ponto chave disso tudo é o significado de médio prazo, já que se tivermos 12 mil estudantes universitários abrigados em nossa comunidade, podemos dizer, definitivamente, que nos livramos da dependência em relação à mineração.
    Sem querer fazer muito “farol” do referido projeto, acho que é justo dizer que esta oportunidade, se consagrada, se transformará na mais importante “descoberta” na cidade, desde o anúncio da “descoberta” de Carajás.
    Afinal, como diziam os mineiros, “minério não dá duas safras”, e, como bem sabemos, a educação é árvore que não para de dar frutos.

    Cláudio Feitosa
    sec. municipal de Cultura

  8. gostaria de deixa minha observação sobre o assunto me descupe pela eusadia porem se depender da vale com certeza isso irá acontecer mais se depender do poder publico será mais uma grande utopia essa cidade univercitaria pois não vejo interresse nenhum vindo do nosso poder publico pois a grandes massa nem sempre concorda com a verdadeira opinião publica veja por exemplo nosso prefeito foi um professor que a cada dia envengolha toda categoria e o interresse do mesmo e nada nada nada digo se medo em uma utopia de premeira cantegoria .

  9. quero saber quais dos municipios paraense ira ter a segunda etapa da ifpa, de pedagogia.

  10. raysa da silva vieira disse:

    Para termos um futuro brilhante
    so vai depender nos mesmos
    pois as oportunidades estao em nossa frente

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>