Category Archives: CELPA

Canaã dos Carajás: Celpa honra compromisso com prefeitura e Vale e entrega no prazo a subestação.

CanaaOntem, 5, cerca de 200 pessoas estiveram presentes no auditório da Câmara Municipal para a solenidade de entrega da Subestação Elétrica provisória de Canaã dos Carajás, por parte da Celpa. O evento contou com a participação do Prefeito, Jeová Andrade, o Gerente da Celpa, Augusto Dantas, o Gerente Geral de Socioeconomia e Meio Ambiente do Projeto S11D, Engº. Abraham Athar, o Diretor do Projeto S11D, Jamil Sabe, o Presidente da Câmara, vereador Ailson Ferreira, entre outros representantes políticos e da sociedade.

Após a composição oficial da mesa diretiva, Abraham Athar iniciou os discursos elogiando a parceria entre Celpa e a mineradora Vale, sobretudo o comprometimento da Celpa em entregar no prazo previsto a Subestação. Abraham disse que a Vale continuará a investir, conforme planejado, na infraestrutura do município.

Jamil Sabe parabenizou a iniciativa dizendo que a Subestação é um acontecimento que marca o início da grande obra na parte de distribuição elétrica, da qual a Vale é parceira, e fará tudo que estiver ao alcance para que isso ocorra o mais breve possível.

Augusto Dantas iniciou pedindo desculpas à população pelos transtornos causados em função das quedas de energia. “Peço, em nome da Equatorial, novo grupo controlador da Celpa, desculpas pela demora na solução que todos tanto queriam”. Augusto disse ainda que a Celpa era mal gerida, mas que o Grupo Equatorial fará o possível para ver todos os municípios paraenses que se encontram ainda na situação que Canaã estava, bem atendidos, ou seja, com energia de qualidade em cada casa. “Não seremos um empecilho para o crescimento deste estado.” Concluiu.

Ailson Ferreira também parabenizou o Grupo Equatorial por cumprir o acordo entre Prefeitura, Vale e Celpa. Ele lembrou inclusive da reunião ocorrida no dia 20 de agosto em que a Celpa reiterou que iria fazer a entrega da Subestação até no máximo o dia 5 de setembro e isto realmente aconteceu.

O Prefeito Jeová Andrade, antes de parabenizar o Grupo Equatorial, lembrou o caso de venda da Rede Celpa, que assim como a Prefeitura de Canaã, estava sendo mal gerida, deixando muitas lacunas para resolver, fato que acarretou na venda da Celpa por apenas R$1,00. Jeová afirmou também que a Prefeitura está fazendo a sua parte, levando cabeamento padrão em todos os bairros que ainda não têm a infraestrutura necessária para a distribuição correta de energia elétrica. “Muito obrigado à população que soube aguardar a nossa atuação, pois desde o início do mandato sempre tivemos a preocupação de resolver primordialmente esta questão de energia.” Enfatizou o Prefeito.

Logo após os discursos uma placa simbólica foi descerrada e entregue pela mesa diretiva ao Prefeito como marco do evento. Antes do encerramento, Jeová Andrade fez questão de ler o texto da placa que, sobretudo, dizia: “Mais energia. Crescer e evoluir juntos”. “A Subestação inaugurada mesmo sendo provisória já resolve o nosso problema”, concluiu o Prefeito.

Celpa mantém compromisso com a Prefeitura de resolver problemas elétricos de Canaã até o dia 5 de setembro.

fotoO Prefeito de Canaã dos Carajás Jeová Andrade, representantes do Poder Legislativo, ACIACCA e Vale estiveram hoje, 20, reunidos com a Celpa em Belém. A ocasião se deu em função de reclamações repetitivas sobre a má qualidade dos serviços de fornecimento de energia elétrica no município, e teve por objetivo cobrar da Celpa a solução definitiva para tal questão, compromisso firmado anteriormente.

A população canaense não sabe mais o que fazer para melhorar a qualidade do fornecimento de energia elétrica no município. Problema extremamente recorrente, a oscilação e queda completa de energia têm ocasionado sérios danos à população, desde pane em equipamentos eletrônicos até caos em locais públicos, como lojas, bancos, que são subitamente acometidos por apagões. O poder público municipal também recebe pressões de todos os lados.

O Prefeito Jeová Andrade afirmou que “desde que assumiu a prefeitura e instaurou o Governo “Você Fazendo Parte”, tem sido incansável para conseguir junto à Celpa a solução definitiva para a oscilação de energia”.

Com este objetivo, hoje, em Belém, Jeová Andrade, junto com o Presidente da Associação Comercial Anderson Mendes, o Gerente Geral de Socioeconomia e Meio Ambiente do Projeto S11D da Vale Engº. Abraham Athar, o Presidente da Câmara Municipal Ailson Ferreira, os Vereadores João Batista, Junior Garra e Wilson do Líder, estiverem em reunião com a Equipe de Engenharia da Celpa. Ao que obtiveram o compromisso da Celpa em solucionar o problema até o dia 5 de setembro, como já estava previsto e acordado entre Prefeitura, Celpa e Vale, em reuniões anteriores.

A Celpa lamentou a situação, mas reiterou que, por problemas técnicos internos e falta de investimentos dos antigos gestores, não pode extinguir a queda de energia no dia 24 de julho, como estava previsto, mas que trabalhará

com afinco para honrar o novo prazo estabelecido, onde serão implantados dois transformadores que equilibrarão a energia até a construção da subestação de Canaã dos Carajás e anova linha de transmissão. Obras que já estão em andamento.

Sob dilúvio de reclamações, diretoria da Celpa é confrontada em sessão da Câmara em Marabá

Por Paulo Costa – de Marabá

Cerca de 60% das reclamações que chegam nos últimos três meses ao Procon de Marabá são direcionadas à Celpa, segundo informou nesta quarta-feira, 20, o coordenador do Procon José Ubiratan Sompré durante sessão polêmica na Câmara Municipal para discutir com diretores da empresa os problemas que afligem os marabaenses nesta área.

O vereador Guido Mutran (PMDB) denunciou, entre outras coisas, que o consumo de energia em 90% de todas as unidades consumidoras de Marabá, nos três últimos meses, ocorre por estimativas baseadas nos 12 últimos meses, causando transtornos financeiros à população. Criticou também o sistema de leitura dos padrões nos postes, o mau atendimento no posto da Celpa localizado da Folha 33 quando o consumidor vai realizar reclamação de faturas exorbitantes, por exemplo.

As concessionárias, explica Guido, só podem faturar pela média se o consumidor se negar a visita dos aferidores. “Quero saber qual o impedimento que a empresa teve para tomar essa decisão?”, questionou.

Diante de várias reclamações de todos os cantos da cidade contra a Celpa, Guido Mutran sugere que as comunidades afetadas ingressem na Justiça com ações populares contra as agências reguladoras (Aneel) e Arcon, que não estariam fiscalizando a Celpa como deveriam.

Vários vereadores apresentaram queixas de bairros inteiros que estão sofrendo com queda de energia em Marabá, falta de postes, transformadores com defeitos. É o caso das Folhas 6, 28, 13, Km 7, entre outros.

João Augusto reconheceu que há dificuldades em várias áreas, argumentou que a Celpa teve prejuízo de R$ 600 milhões no ano passado e já acumula prejuízo de R$ 200 milhões este ano. Apesar disso, disse que iria anotar todas as áreas apontadas pelos vereadores e que a equipe técnica vai a cada uma delas para analisar caso a caso. Ele sugeriu a criação de uma comissão envolvendo a Celpa, Câmara e Prefeitura de Marabá para percorrer os bairros e avaliar as demandas mais críticas para que elas sejam solucionadas o mais rápido possível.

João Augusto Dantas disse que desde que a Equatorial assumiu a gestão da Celpa, promoveu algumas ações para melhorar a qualidade do fornecimento de energia. Modificou o modelo de padronização de agência e anunciou que a empresa vai investir até 2014 cerca de R$ 700 milhões, sendo R$ 200 milhões apenas na região sul/sudeste do Pará priorizando Parauapebas, Redenção e Marabá.

Ele reconhece que no escritório de atendimento ao público, localizado às margens da Rodovia BR-230, não há estacionamento para os clientes e que há poucos pontos de atendimentos, que a agência está mal localizada, não tem acesso fácil para moradores. Por isso, a empresa está construindo uma nova sede, localizada na Folha 21, a qual terá 10 guichês de atendimento e que ela será inaugurada até 30 de novembro próximo. “Ela já entra no novo padrão Celpa e os clientes receberão senhas para serem atendidos”, informou, dizendo que a empresa está estudando abertura de novas agências em Marabá, mas não deu prazo para isso acontecer.

Aneel define novos valores da tarifa de energia elétrica no Pará

O custo de geração de energia foi o que mais impactou no índice de reajuste.

A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) definiu hoje (06/08), em reunião pública, o percentual de reajuste das tarifas de energia elétrica praticadas no Pará. As novas tarifas entrarão em vigor a partir de amanhã (07/08) para as mais de 1,9 milhão de unidades consumidoras localizadas nos 144 municípios do estado.

O reajuste médio para o consumidor paraense foi de 9,18%, sendo que os clientes do grupo B (clientes ligados em baixa tensão) perceberão efeito médio de 11,52% e no grupo A (clientes atendidos em alta tensão) o efeito médio do reajuste foi de 4,36%.

Para chegar a esses índices, a Aneel levou em consideração o custo de geração, de transmissão e a atualização monetária que tem como base o IGPM.  No entanto, este ano, o que mais impactou no reajuste das tarifas foi o uso de energia proveniente das térmicas.

Em virtude do baixo nível de água nos reservatórios das hidrelétricas, o Operador Nacional do Sistema (ONS), responsável pelo Sistema Interligado Nacional (SIN), precisou acionar essas usinas térmicas, cujo custo de geração é significativamente mais elevado que o das hidrelétricas.

Enquanto a utilização das térmicas foi o fator preponderante no reajuste, a parte que fica com a concessionária paraense, a Celpa, foi o que menos impactou no novo valor da tarifa vigente no Pará, com um percentual de 2,71% de reajuste. Esse índice foi o menor que a inflação do período, que foi de 5,12% de IGPM.

Mais informações sobre os processos de reajustes tarifários podem ser consultadas no endereço eletrônico da ANEEL (www.aneel.gov.br ), perfil espaço do consumidor, na cartilha “perguntas e respostas sobre tarifas de distribuidoras de energia elétrica“.

Fonte: Assessoria de Comunicação Aneel

Celpa apresenta Plano de Reestruturação na Câmara dos Deputados

Em audiência na manhã desta quinta-feira, 27, na Comissão de Integração Nacional, Desenvolvimento Regional e da Amazônia, em Brasília (DF), a diretoria da Celpa apresentou seu Plano de Reestruturação. O Plano é um conjunto de medidas administrativas, financeiras e de engenharia que estão sendo implementadas desde que a nova gestão da Celpa assumiu o controle da concessionária em 1º de novembro de 2012.

Renan Bodra, diretor de Gente e Gestão da Celpa, disse que a empresa implantou um Plano de Demissão Voluntária (PDV), ao qual 246 pessoas  aderiram, adiantando que todos os colaboradores trabalham hoje para reverter o quadro econômico e financeiro em que a empresa se encontra, por entenderem que é com dedicação que cada um contribuirá para o sucesso da concessionária e a manutenção de seus empregos. “Em virtude disso, nosso foco é investir para reverter esse quadro e fornecer energia de qualidade aos nossos clientes, garantindo a prestação de um serviço cada vez melhor.”, afirma Bodra.

Sobre promover demissões em massa, os gestores da Celpa foram firmes em assegurar que os desligamentos feitos após o PDV foram pontuais, de colaboradores que não se adaptaram ao novo modelo de gestão ou sem perfil para assumir o desafio da mudança necessária. “No momento em que estamos, precisamos contar com colaboradores comprometidos com a empresa e com os resultados”, reforçou o Gerente Jurídico, Armando Nascimento.

Ele disse ainda que a Celpa é uma empresa privada à qual não se aplica a estabilidade de emprego. Por isso considera inadequada a  greve que o Sindicato dos Urbanitários e Engenheiros do Estado do Pará deflagraram no dia 17 deste mês, à qual apenas 25% dos colaboradores aderiram e os demais mantiveram as atividades normalmente.

O Plano de Reestruturação já proporcionou a geração de 620 novos postos de trabalho, criando novas oportunidades para os paraenses, sendo que 300 deles somente com a transferência a Central de Atendimento para o Estado. “Visando melhorar ainda mais o atendimento à população paraense, contratamos empresas especializadas e experientes, que atuam também em outras concessionárias de energia.”, esclareceu o Gerente Jurídico.

O Plano inclui também redução de custos, redesenho de processos e da estrutura organizacional, com vistas a torná-la mais ágil e eficiente. Além de prever um aporte de R$ 700 milhões até o fim de 2014 para investimentos na melhoria no sistema, na prestação de serviço à população paraense e na reestruturação da empresa.  Com isso, a concessionária busca equilibrar sua saúde econômico-financeira e quitar a dívida decorrente da recuperação judicial.

Fonte: Assessoria de Imprensa Celpa

Laudo aponta que a Celpa foi vítima de sabotagem

O laudo oficial expedido nesta sexta-feira, 21, pelo Instituto de Criminalística Renato Chaves, aponta como sabotagem a causa da queda de 14 postes em sequencia, no último dia 17, que interrompeu integralmente o fornecimento de energia elétrica nos municípios de Ipixuna do Pará e Ulianópolis e na zona rural de Paragominas, na região nordeste do Estado.

O laudo concluiu que os danos “foram feitos de forma proposital, por pessoas com conhecimento técnico”. Devido à extensão dos danos, foi necessário que a Celpa deslocasse todas as equipes de manutenção disponíveis na região, que ainda trabalham na recomposição total da estrutura danificada.  Apenas Ulianópolis ainda sofre os efeitos da derrubada dos postes da rede elétrica.

A sabotagem caracteriza crime de dano qualificado, passível de punição (artigo 163, III do Código Penal), bem como crime de atentado contra os serviços públicos (artigo 265 do Código Penal). Esses crimes podem ser punidos com pena de reclusão de 1 a 5 anos, além de multa.

Para a Celpa, essa foi uma situação totalmente atípica que foi registrada em Boletim de Ocorrência na Delegacia de Polícia de Paragominas. A empresa está colaborando com a investigação policial e não medirá esforços para encontrar os responsáveis para que sejam punidos pelo crime e responsabilizados pelos prejuízos causados à população paraense.

Celpa: Nota à imprensa

Em relação ao movimento grevista conduzido pelos Sindicatos dos Urbanitários e dos Engenheiros, a Celpa entende que se trata de uma paralisação imotivada, já que a empresa não está fazendo nenhuma demissão coletiva.

No mês de abril, a Celpa disponibilizou um plano de demissão voluntária (PDV) ao qual aderiram 246 colaboradores e as demissões que ocorreram após o PDV foram pontuais, de colaboradores que não se adaptaram ao novo modelo de gestão ou não estão alcançando os resultados esperados.

A Celpa reforça ainda que é uma empresa privada à qual não se aplica a estabilidade de emprego.

Quanto à disponibilidade dos serviços, tanto as agências quanto a Central de Atendimento estão funcionando normalmente. Os demais serviços tem a garantia legal de equipes mínimas para atendimento aos clientes durante a paralisação.

A Celpa esclarece que as empresas que prestam serviço para a companhia possuem experiência e atuam em vários estados brasileiros, sendo referência em sua área de atuação. Algumas dessas empresas já trabalhavam para a empresa na antiga gestão.

A Celpa reforça ainda que no Estado, 75% dos colaboradores estão trabalhando normalmente nesta segunda-feira, o que sinaliza que o movimento não possui o apoio da maior parte dos empregados.

Assessoria de Comunicação Celpa

Celpa alerta para segurança no período junino

A festa junina é uma gostosa brincadeira, mas que tem que ser levada a sério para que não se torne um pesadelo. Além de todos os detalhes, um item que não pode ser ignorado é a segurança. Nesse mês de junho a Celpa reforça o alerta sobre os cuidados com a rede elétrica na hora de organizar as quadras juninas ou até mesmo enfeitar as ruas.

Se a pessoa for enfeitar a rua com bandeirolas e balões, entre outros adereços, não deve fazer próximo à rede elétrica. Ao fazer isso ela pode sofrer uma descarga elétrica e até morrer. Mas há ainda o risco pelo uso de material metálico, como, por exemplo, o papel laminado que é condutor de energia e que pode ocasionar acidentes fatais. Na hora de enfeitar a festa, o ideal é utilizar materiais isolantes e biodegradáveis, para minimizar os riscos de curto-circuito.

Situação bastante comum nessa época do ano é a rede de distribuição ser atingida por foguetes ou pelas chamas de fogueiras muito altas. Quando isso ocorre causa curto-circuito, podendo inclusive danificar eletrodomésticos que estão ligados, além de deixar as pessoas sem energia.

Outro alerta importante vai para as pessoas que montam barracas em festas juninas e fazem ligações improvisadas e irregulares na rede elétrica. “É muito importante observar as orientações de segurança para que as festas sejam tranquilas. Muitas vezes algumas práticas aparentemente comuns nessa época do ano põe em risco a vida de quem trabalha e de quem se diverte durante as festas juninas, além de comprometer a qualidade do fornecimento de energia.” diz o Gerente de Relacionamento com Parceiros, Segurança e Meio Ambiente da Celpa, Ivan Aragão.

A montagem de barraquinhas, camarotes e arquibancadas deve obedecer a uma distância mínima de 1,5 metro em relação à rede. Mas, somente a Celpa pode realizar ligações provisórias para atender festividades. Nesse caso, a orientação é que o dono da barraca junina procure uma agência de atendimento da concessionária para solicitar a ligação provisória com antecedência de 72 horas (três dias úteis) levando consigo o CPF e a carteira de identidade, devendo informar qual a finalidade e endereço da ligação.

Siga as dicas:

  • Jamais amarre fios ou enfeites na fiação elétrica.
  • Não utilize os postes como suporte para os enfeites.
  • Não manuseie mastros de ferro próximo à rede elétrica.
  • Não tente passar fios ou cabos sobre a rede.
  • Não acenda fogueiras ou solte fogos de artifício próximos à fiação elétrica.

Em caso de acidentes, deve-se:

  • Isolar o local, não permitindo a aproximação de outras pessoas.
  • Jamais tocar em fios partidos.
  • Não tentar retirar objetos ou pessoas que estejam em contato com fios, sem que antes um profissional capacitado assegure que a energia foi desligada.
  • Acionar imediatamente a Celpa pelo telefone 0800 091 0196 e o Corpo de Bombeiros.

Fonte: Assessoria de Imprensa /Celpa

NOTA À IMPRENSA: Celpa mantém serviços à população paraense

Sobre a paralisação:

A paralisação não tem prejudicado os serviços e atendimento aos clientes da Celpa, tanto na Região Metropolitana de Belém como nas cidades do interior do Pará. Em Belém, apenas 10% dos colaboradores sindicalizados pararam. Em Marabá, apenas 5% e em Santarém apenas 10%. A Central de Atendimento e todas as agências continuam funcionando normalmente.

Acreditamos que isto significa que os trabalhadores da Celpa, em sua maioria, não apoiam o movimento de paralisação, compreendendo que a Celpa está no caminho certo: o de revisão de seus procedimentos para prestar um serviço cada vez mais ágil e melhor à sociedade paraense.

Sobre demissões:

Como empresa privada que precisa dar resultados e bem atender à população e a sociedade do estado do Pará, a Celpa exercita o direito de gerir as pessoas que compõe o seu quadro de colaboradores, conforme seu modelo e seus valores, entre eles a Meritocracia, e entende que a greve que está sendo proposta pelos Sindicatos é inadequada, pois visa garantir uma estabilidade de emprego que não se aplica a iniciativa privada e sim aos servidores públicos

A empresa não abre mão da busca incessante por resultados, que possam garantir sua própria sobrevivência e  a contínua melhoria dos serviços. É com esta filosofia em mente que as mudanças estão acontecendo na empresa, pois nosso compromisso é reverter o quadro econômico, financeiro e produtivo em que a Celpa ainda se encontra, melhorando a qualidade dos serviços prestados aos clientes.

A Celpa não demitiu 300 colaboradores. Desligaram-se da empresa espontaneamente, por meio do Programa de Demissão Voluntária (PDV) um total de 246 colaboradores, inclusive membros do Sindicato. Cerca de 20 foram desligados sem justa causa por não se adequarem ao novo modelo de gestão da empresa.

A empresa esclarece que não está em conflito com as categorias e não tem feito demissões coletivas ou arbitrárias.

Assim, as demissões que ocorreram até agora estão dentro do fluxo e da rotatividade normal de uma empresa privada de grande porte como a Celpa. Algumas vagas estão sendo repostas por meio de Recrutamento Interno ou Externo.

A Celpa afirma que vai continuar garantindo o atendimento aos clientes e que fará todos os esforços possíveis para que a paralisação não prejudique o povo paraense.

Teleatendimento:

Desde o dia 13 de maio, a Central de Atendimento da Celpa está operando 24 horas durante os sete dias da semana no Pará por meio de uma empresa terceirizada. Antes o teleatendimento era em Campo Grande, Mato Grosso do Sul. Antes da transferência, o nível de serviços, ou seja, a quantidade de clientes atendidos em até 30 segundos ficava em torno de 50%, sendo que hoje esse percentual é de 99%. Isso demonstra claramente a rapidez e a melhoria na qualidade do teleatendimento.

Os teleatendentes passaram por um intenso treinamento e estão constantemente sendo monitorados e orientados quanto ao atendimento prestado aos clientes, numa espécie de capacitação contínua.

Agências:

As Agências de Atendimento estão passando por um processo de reorganização visando prestar um serviço de melhor qualidade à população. Por conta disso, desde segunda-feira, dia 03, as agências estão sendo adaptadas ao novo modelo com atendimento terceirizado. Os novos profissionais passaram por treinamento intensivo e estão atendendo normalmente os clientes.

Com o novo modelo, o horário de atendimento em toda a Região Metropolitana de Belém e nas principais cidades do interior do Pará, foi estendido de 8 às 14 horas para 8 às 17 horas.

Os atendentes das Agências passarão por constantes treinamentos, monitoramento e reorientação, para garantir a qualidade do atendimento.

Os colaboradores da Celpa que atuavam em Agências de Atendimento e que tiveram interesse em permanecer na empresa foram alocados em outras áreas administrativas.

Tantos os atendentes das agências quanto os teleatendentes da Central de Atendimento, estão atuando dentro do Programa de Excelência no Atendimento (PEX), que a concessionária adotou dentro do seu novo modelo de gestão, que visa sobretudo a padronização do processo de atendimento e a satisfação do cliente.

Fonte: Assessoria de Imprensa /Celpa

Diretoria da Celpa se reúne em Marabá para a primeira Reunião de Gestão Participativa e anuncia investimentos no Sul do Pará.

Mensalmente, a Diretoria tem visitado uma regional para apresentar resultados e ouvir a opinião dos colaboradores quanto à gestão da empresa. “A Reunião de Gestão Participativa oferece aos colaboradores a oportunidade de apresentar sua área, bem como seus resultados, suas boas práticas e principais dificuldades. É uma oportunidade também para toda a Diretoria monitorar e analisar os indicadores, com a participação de todos os envolvidos, gerando o desenvolvimento de ações e soluções que refletem bons resultados para a Celpa”, avalia o presidente da Celpa, Nonato Castro. A reunião com colaboradores com regional Sul do Pará ocorreu no dia 14 deste mês.

A Celpa tem um compromisso de investir em dois anos R$ 700 milhões, dos quais R$ 602 milhões já estão definidos como investimento no sistema elétrico paraense, para a melhoria do fornecimento. Esse recurso será aplicado em todas as regiões do Pará em obras  de ampliação do sistema elétrico e na retomada de projetos especiais, como o Programa Luz pata Todos (PLPT). Merecem destaque as novas conexões com a rede básica em Carajás e Xinguara e o Projeto Carajás-Parauapebas-Canaã 138 kV, dentre outros empreendimentos previstos na área de abrangência da regional Sul.

A Celpa também irá reforçar o sistema elétrico existente, por meio de manutenções e planos especiais de atendimento em datas estratégicas, como ocorreu nas Festas de Fim de Ano e no Carnaval, no intuito de garantir o fornecimento de energia, tratando os pontos onde o fornecimento ainda é crítico. “Em 2012, tivemos os piores indicadores de fornecimento do Brasil. Portanto,  nosso foco é investir para reverter esse quadro e fornecer energia de qualidade aos nossos clientes”, afirma o presidente da Celpa, Nonato Castro.

A visão da Celpa é ser uma empresa referencial em excelência e rentabilidade na distribuição de energia elétrica no Brasil. Para tanto, deu início a uma profunda mudança no modelo de gestão e retomou os investimentos em todo o Pará. O Plano de Reestruturação implantado pela empresa inclui redução de custos, redesenho de processos e da estrutura organizacional, com vistas a torná-la mais eficiente e ágil. Para a concessionária, isso permitirá que ela tenha recursos para fazer os investimentos necessários para a melhoria do fornecimento e atendimento da população paraense.

Os canais de atendimento também estão sendo reestruturados. A Central de Atendimento da Celpa já está em funcionamento no Pará desde o dia 13 deste mês de maio, possibilitando a geração de 300 postos de trabalho. Durante os primeiros 45 dias de operação, a Central de Atendimento em Belém estará operando em paralelo com a central de Campo Grande, para garantir que a transição ocorra da melhor forma possível. Nas agências, um novo modelo de atendimento está sendo implementado. Elas estão sendo adequadas à nova identidade visual da Celpa e os atendentes capacitados e atualizados.

A Celpa acredita neste modelo de gestão, que é adotado nas melhores empresas do mundo, especialmente porque o novo controlador já vivenciou situação como esta, conseguindo resultados surpreendentes. “Nós já sabíamos do desafio que teríamos pela frente, mas conhecemos os caminhos a serem seguidos, pois já vivenciamos isso anteriormente e vamos seguir esse modelo de sucesso”, conclui o Presidente da Celpa, Nonato Castro.

Investimentos na Região Sul do Pará
Os investimentos da Celpa no Sul do Pará contemplam áreas estratégicas e somam cerca de R$ 158 milhões. Nesse sentido, a empresa investirá na expansão do sistema e irá retomar diversos projetos, como o Programa Luz pata Todos (PLPT), as novas conexões com a rede básica em Carajás e Xinguara e o Projeto Carajás-Parauapebas-Canaã 138 kV, dentre outros empreendimentos previstos na área de abrangência da regional Sul.

Em Marabá, o Plano de Investimentos da Celpa inclui a expansão da rede elétrica para atender a novos clientes e a regularização de consumidores ligados irregularmente ao sistema elétrico. Para tanto, as subestações Eldorado dos Carajás, Redenção e Conceição do Araguaia, que atendem os respectivos municípios e outros próximos, terão a capacidade de atendimento ampliada. Também estão previstas construções de novas redes, redivisão de circuitos elétricos e implantação de novas estruturas de rede.

Fonte: Assessoria de Imprensa CELPA