Category Archives: CELPA

Parauapebas: fornecimento de energia elétrica será potencializado

Por Francesco costa

“Hoje Parauapebas passa por uma situação critica no setor energético”. Assim afirmou o engenheiro elétrico Ricardo Borges, engenheiro eletricista da empresa SME – Sistema de Montagens e Engenharia Ltda -, responsável pela duplicação do sistema no perímetro urbano de Parauapebas, em entrevista em Parauapebas.

A atual subestação não comporta a demandaEle diz que, de acordo com a empresa concessionária de energia elétrica, a previsão é de que após o mês de dezembro a situação no fornecimento de energia elétrica ficará insustentável, podendo chegar a um colapso, motivo que levou à construção de uma linha com 138 KV (138 mil volts) com estrutura de concreto no perímetro urbano sustentando postes com altura mais elevada, o que causará um impacto mínimo, levando em conta que hoje Parauapebas é alimentado por duas entradas de 34,5 KV. A rede ligará as subestações Carajás, no bairro Palmares, à Subestação Parauapebas, no bairro Beira Rio. “O novo sistema contará com dois alimentadores de 30 MVA (Mil Volts Amperes). Esta é a medida adequada para suprir a necessidade energética do município que já está no gargalo”, admite Ricardo, prevendo que a potencialização será suficiente para muitos anos seguintes, mesmo levando em conta o acelerado crescimento populacional do município.

Ricardo detalhou ainda que o sistema elétrico de Parauapebas hoje trabalha com a sobrevida do transformador que trabalha extremamente sobrecarregado, o que ocasiona interrupções diárias no fornecimento, quedas frequentes de energia com consequências desastrosas como a queima de equipamentos elétricos e a perda de produtos que necessitam ser mantidos em baixas temperaturas.

O mau fornecimento de energia elétrica tem sido motivo de protestos e reivindicação da população que sofre os danos há muitos anos. Recentemente em Canaã dos Carajás a rodovia PA 160 foi interditada pedindo a melhora os serviços. O mesmo já ocorreu no perímetro urbano de Parauapebas, uma delas na Rua Marabá, onde comerciantes cansados dos intensos prejuízos e moradores que não podiam usar equipamentos como ar condicionado e geladeira, pediam providências à concessionária.

Prefeitura busca soluções para resolver problemas de energia em Parauapebas

Preocupado com a difícil situação em relação às constantes faltas de energia elétrica em Parauapebas, o prefeito Valmir Mariano, juntamente com o secretário municipal de Desenvolvimento, Heleno Costa, busca desde o inicio do mandato solucionar o problema que atinge toda a população do município.

Heleno Costa e Celpa

Atualmente, a cidade é atendida por três equipamentos conhecidos como alimentadores, que estão sobrecarregados. Um levantamento das necessidades e de todos os serviços que precisam ser executados no município e ainda um relatório fotográfico foram entregues à diretoria comercial da Celpa. Diante do exposto, a empresa prometeu tomar todas as providências necessárias para a resolução dos problemas, inclusive nos alimentadores, redes e transformadores do sistema elétrico da cidade.

O empenho da gestão municipal começa a gerar resultados. A prefeitura e a Celpa já executaram alguns serviços com o objetivo de resolver os problemas pelos próximos 20 anos. Estão sendo executados serviços como a ampliação da subestação de Carajás com dois transformadores; construção de 15 km de rede base de 138 kV da subestação de Carajás até a subestação de Parauapebas, no Bairro Beira Rio; ampliação da subestação de Parauapebas, rebaixando de 138 kV para 34,5 kV e de 34,5 kV para 13,8 kV para a distribuição na cidade; e a implantação de novos alimentadores.

No último dia 5, uma equipe da Secretaria Municipal de Desenvolvimento (Seden) recebeu a visita de uma comissão técnica da Celpa, para vistoriar as obras de melhoramento do sistema elétrico.

Segundo o gerente executivo da Celpa, Augusto Dantas, os investimentos no município estão sendo retomados e os serviços devem ser concluídos até o final ano. “Os investimentos na região de Parauapebas são da ordem de 15 milhões de reais, uma nova subestação que vai garantir energia pelos próximos 30 anos e com isso garantir o crescimento do município”, disse o gerente, que ressaltou ainda a importância e o envolvimento da gestão municipal para que os serviços aconteçam no prazo estipulado.

“A parceria com a prefeitura é muito importante, pois ela está nos ajudando com as questões das autorizações de passagem da linha de transmissão, que em alguns pontos ainda estão embargados pelos proprietários. Junto com a prefeitura e a câmara de vereadores, vamos chegar ao consenso comum para poder agilizar a obra e garantir o prazo de entrega, que é no final de 2013”, finalizou Augusto Dantas.

Segundo o secretário Heleno Costa, estão acontecendo obras também na zona rural. Na subestação da Vila Palmares, já foram adquiridos três transformadores com potencial específico, que aguardam somente as bases serem concluídas. O barramento de 230 kV para 138 kV está pronto, ou seja, é o ponto de partida da rede de alta tensão que levará a energia da subestação da Vila Palmares para a subestação no bairro Beira Rio.

O secretário contou ainda que já estão no canteiro de obras dois transformadores de 30 MGA, com controle automático de carga, que corrigirão qualquer queda de tensão, garantindo energia estável à população, e está sendo acoplada ao sistema atual mais uma linha de 34,5 kV para reforçar e dar mais confiabilidade ao sistema que abastece a cidade até a linha de transmissão (LT) de 138 kV entrar em operação.

Com a nova LT de 138 kV, serão disponibilizados mais três novos alimentadores que garantirão energia para o distrito industrial, permitindo a instalação de novas indústrias e a disponibilidade de energia para todos os loteamentos.

Fonte: ASCOM PMP

Canaã dos Carajás: Celpa honra compromisso com prefeitura e Vale e entrega no prazo a subestação.

CanaaOntem, 5, cerca de 200 pessoas estiveram presentes no auditório da Câmara Municipal para a solenidade de entrega da Subestação Elétrica provisória de Canaã dos Carajás, por parte da Celpa. O evento contou com a participação do Prefeito, Jeová Andrade, o Gerente da Celpa, Augusto Dantas, o Gerente Geral de Socioeconomia e Meio Ambiente do Projeto S11D, Engº. Abraham Athar, o Diretor do Projeto S11D, Jamil Sabe, o Presidente da Câmara, vereador Ailson Ferreira, entre outros representantes políticos e da sociedade.

Após a composição oficial da mesa diretiva, Abraham Athar iniciou os discursos elogiando a parceria entre Celpa e a mineradora Vale, sobretudo o comprometimento da Celpa em entregar no prazo previsto a Subestação. Abraham disse que a Vale continuará a investir, conforme planejado, na infraestrutura do município.

Jamil Sabe parabenizou a iniciativa dizendo que a Subestação é um acontecimento que marca o início da grande obra na parte de distribuição elétrica, da qual a Vale é parceira, e fará tudo que estiver ao alcance para que isso ocorra o mais breve possível.

Augusto Dantas iniciou pedindo desculpas à população pelos transtornos causados em função das quedas de energia. “Peço, em nome da Equatorial, novo grupo controlador da Celpa, desculpas pela demora na solução que todos tanto queriam”. Augusto disse ainda que a Celpa era mal gerida, mas que o Grupo Equatorial fará o possível para ver todos os municípios paraenses que se encontram ainda na situação que Canaã estava, bem atendidos, ou seja, com energia de qualidade em cada casa. “Não seremos um empecilho para o crescimento deste estado.” Concluiu.

Ailson Ferreira também parabenizou o Grupo Equatorial por cumprir o acordo entre Prefeitura, Vale e Celpa. Ele lembrou inclusive da reunião ocorrida no dia 20 de agosto em que a Celpa reiterou que iria fazer a entrega da Subestação até no máximo o dia 5 de setembro e isto realmente aconteceu.

O Prefeito Jeová Andrade, antes de parabenizar o Grupo Equatorial, lembrou o caso de venda da Rede Celpa, que assim como a Prefeitura de Canaã, estava sendo mal gerida, deixando muitas lacunas para resolver, fato que acarretou na venda da Celpa por apenas R$1,00. Jeová afirmou também que a Prefeitura está fazendo a sua parte, levando cabeamento padrão em todos os bairros que ainda não têm a infraestrutura necessária para a distribuição correta de energia elétrica. “Muito obrigado à população que soube aguardar a nossa atuação, pois desde o início do mandato sempre tivemos a preocupação de resolver primordialmente esta questão de energia.” Enfatizou o Prefeito.

Logo após os discursos uma placa simbólica foi descerrada e entregue pela mesa diretiva ao Prefeito como marco do evento. Antes do encerramento, Jeová Andrade fez questão de ler o texto da placa que, sobretudo, dizia: “Mais energia. Crescer e evoluir juntos”. “A Subestação inaugurada mesmo sendo provisória já resolve o nosso problema”, concluiu o Prefeito.

Celpa mantém compromisso com a Prefeitura de resolver problemas elétricos de Canaã até o dia 5 de setembro.

fotoO Prefeito de Canaã dos Carajás Jeová Andrade, representantes do Poder Legislativo, ACIACCA e Vale estiveram hoje, 20, reunidos com a Celpa em Belém. A ocasião se deu em função de reclamações repetitivas sobre a má qualidade dos serviços de fornecimento de energia elétrica no município, e teve por objetivo cobrar da Celpa a solução definitiva para tal questão, compromisso firmado anteriormente.

A população canaense não sabe mais o que fazer para melhorar a qualidade do fornecimento de energia elétrica no município. Problema extremamente recorrente, a oscilação e queda completa de energia têm ocasionado sérios danos à população, desde pane em equipamentos eletrônicos até caos em locais públicos, como lojas, bancos, que são subitamente acometidos por apagões. O poder público municipal também recebe pressões de todos os lados.

O Prefeito Jeová Andrade afirmou que “desde que assumiu a prefeitura e instaurou o Governo “Você Fazendo Parte”, tem sido incansável para conseguir junto à Celpa a solução definitiva para a oscilação de energia”.

Com este objetivo, hoje, em Belém, Jeová Andrade, junto com o Presidente da Associação Comercial Anderson Mendes, o Gerente Geral de Socioeconomia e Meio Ambiente do Projeto S11D da Vale Engº. Abraham Athar, o Presidente da Câmara Municipal Ailson Ferreira, os Vereadores João Batista, Junior Garra e Wilson do Líder, estiverem em reunião com a Equipe de Engenharia da Celpa. Ao que obtiveram o compromisso da Celpa em solucionar o problema até o dia 5 de setembro, como já estava previsto e acordado entre Prefeitura, Celpa e Vale, em reuniões anteriores.

A Celpa lamentou a situação, mas reiterou que, por problemas técnicos internos e falta de investimentos dos antigos gestores, não pode extinguir a queda de energia no dia 24 de julho, como estava previsto, mas que trabalhará

com afinco para honrar o novo prazo estabelecido, onde serão implantados dois transformadores que equilibrarão a energia até a construção da subestação de Canaã dos Carajás e anova linha de transmissão. Obras que já estão em andamento.

Sob dilúvio de reclamações, diretoria da Celpa é confrontada em sessão da Câmara em Marabá

Por Paulo Costa – de Marabá

Cerca de 60% das reclamações que chegam nos últimos três meses ao Procon de Marabá são direcionadas à Celpa, segundo informou nesta quarta-feira, 20, o coordenador do Procon José Ubiratan Sompré durante sessão polêmica na Câmara Municipal para discutir com diretores da empresa os problemas que afligem os marabaenses nesta área.

O vereador Guido Mutran (PMDB) denunciou, entre outras coisas, que o consumo de energia em 90% de todas as unidades consumidoras de Marabá, nos três últimos meses, ocorre por estimativas baseadas nos 12 últimos meses, causando transtornos financeiros à população. Criticou também o sistema de leitura dos padrões nos postes, o mau atendimento no posto da Celpa localizado da Folha 33 quando o consumidor vai realizar reclamação de faturas exorbitantes, por exemplo.

As concessionárias, explica Guido, só podem faturar pela média se o consumidor se negar a visita dos aferidores. “Quero saber qual o impedimento que a empresa teve para tomar essa decisão?”, questionou.

Diante de várias reclamações de todos os cantos da cidade contra a Celpa, Guido Mutran sugere que as comunidades afetadas ingressem na Justiça com ações populares contra as agências reguladoras (Aneel) e Arcon, que não estariam fiscalizando a Celpa como deveriam.

Vários vereadores apresentaram queixas de bairros inteiros que estão sofrendo com queda de energia em Marabá, falta de postes, transformadores com defeitos. É o caso das Folhas 6, 28, 13, Km 7, entre outros.

João Augusto reconheceu que há dificuldades em várias áreas, argumentou que a Celpa teve prejuízo de R$ 600 milhões no ano passado e já acumula prejuízo de R$ 200 milhões este ano. Apesar disso, disse que iria anotar todas as áreas apontadas pelos vereadores e que a equipe técnica vai a cada uma delas para analisar caso a caso. Ele sugeriu a criação de uma comissão envolvendo a Celpa, Câmara e Prefeitura de Marabá para percorrer os bairros e avaliar as demandas mais críticas para que elas sejam solucionadas o mais rápido possível.

João Augusto Dantas disse que desde que a Equatorial assumiu a gestão da Celpa, promoveu algumas ações para melhorar a qualidade do fornecimento de energia. Modificou o modelo de padronização de agência e anunciou que a empresa vai investir até 2014 cerca de R$ 700 milhões, sendo R$ 200 milhões apenas na região sul/sudeste do Pará priorizando Parauapebas, Redenção e Marabá.

Ele reconhece que no escritório de atendimento ao público, localizado às margens da Rodovia BR-230, não há estacionamento para os clientes e que há poucos pontos de atendimentos, que a agência está mal localizada, não tem acesso fácil para moradores. Por isso, a empresa está construindo uma nova sede, localizada na Folha 21, a qual terá 10 guichês de atendimento e que ela será inaugurada até 30 de novembro próximo. “Ela já entra no novo padrão Celpa e os clientes receberão senhas para serem atendidos”, informou, dizendo que a empresa está estudando abertura de novas agências em Marabá, mas não deu prazo para isso acontecer.

Aneel define novos valores da tarifa de energia elétrica no Pará

O custo de geração de energia foi o que mais impactou no índice de reajuste.

A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) definiu hoje (06/08), em reunião pública, o percentual de reajuste das tarifas de energia elétrica praticadas no Pará. As novas tarifas entrarão em vigor a partir de amanhã (07/08) para as mais de 1,9 milhão de unidades consumidoras localizadas nos 144 municípios do estado.

O reajuste médio para o consumidor paraense foi de 9,18%, sendo que os clientes do grupo B (clientes ligados em baixa tensão) perceberão efeito médio de 11,52% e no grupo A (clientes atendidos em alta tensão) o efeito médio do reajuste foi de 4,36%.

Para chegar a esses índices, a Aneel levou em consideração o custo de geração, de transmissão e a atualização monetária que tem como base o IGPM.  No entanto, este ano, o que mais impactou no reajuste das tarifas foi o uso de energia proveniente das térmicas.

Em virtude do baixo nível de água nos reservatórios das hidrelétricas, o Operador Nacional do Sistema (ONS), responsável pelo Sistema Interligado Nacional (SIN), precisou acionar essas usinas térmicas, cujo custo de geração é significativamente mais elevado que o das hidrelétricas.

Enquanto a utilização das térmicas foi o fator preponderante no reajuste, a parte que fica com a concessionária paraense, a Celpa, foi o que menos impactou no novo valor da tarifa vigente no Pará, com um percentual de 2,71% de reajuste. Esse índice foi o menor que a inflação do período, que foi de 5,12% de IGPM.

Mais informações sobre os processos de reajustes tarifários podem ser consultadas no endereço eletrônico da ANEEL (www.aneel.gov.br ), perfil espaço do consumidor, na cartilha “perguntas e respostas sobre tarifas de distribuidoras de energia elétrica“.

Fonte: Assessoria de Comunicação Aneel

Celpa apresenta Plano de Reestruturação na Câmara dos Deputados

Em audiência na manhã desta quinta-feira, 27, na Comissão de Integração Nacional, Desenvolvimento Regional e da Amazônia, em Brasília (DF), a diretoria da Celpa apresentou seu Plano de Reestruturação. O Plano é um conjunto de medidas administrativas, financeiras e de engenharia que estão sendo implementadas desde que a nova gestão da Celpa assumiu o controle da concessionária em 1º de novembro de 2012.

Renan Bodra, diretor de Gente e Gestão da Celpa, disse que a empresa implantou um Plano de Demissão Voluntária (PDV), ao qual 246 pessoas  aderiram, adiantando que todos os colaboradores trabalham hoje para reverter o quadro econômico e financeiro em que a empresa se encontra, por entenderem que é com dedicação que cada um contribuirá para o sucesso da concessionária e a manutenção de seus empregos. “Em virtude disso, nosso foco é investir para reverter esse quadro e fornecer energia de qualidade aos nossos clientes, garantindo a prestação de um serviço cada vez melhor.”, afirma Bodra.

Sobre promover demissões em massa, os gestores da Celpa foram firmes em assegurar que os desligamentos feitos após o PDV foram pontuais, de colaboradores que não se adaptaram ao novo modelo de gestão ou sem perfil para assumir o desafio da mudança necessária. “No momento em que estamos, precisamos contar com colaboradores comprometidos com a empresa e com os resultados”, reforçou o Gerente Jurídico, Armando Nascimento.

Ele disse ainda que a Celpa é uma empresa privada à qual não se aplica a estabilidade de emprego. Por isso considera inadequada a  greve que o Sindicato dos Urbanitários e Engenheiros do Estado do Pará deflagraram no dia 17 deste mês, à qual apenas 25% dos colaboradores aderiram e os demais mantiveram as atividades normalmente.

O Plano de Reestruturação já proporcionou a geração de 620 novos postos de trabalho, criando novas oportunidades para os paraenses, sendo que 300 deles somente com a transferência a Central de Atendimento para o Estado. “Visando melhorar ainda mais o atendimento à população paraense, contratamos empresas especializadas e experientes, que atuam também em outras concessionárias de energia.”, esclareceu o Gerente Jurídico.

O Plano inclui também redução de custos, redesenho de processos e da estrutura organizacional, com vistas a torná-la mais ágil e eficiente. Além de prever um aporte de R$ 700 milhões até o fim de 2014 para investimentos na melhoria no sistema, na prestação de serviço à população paraense e na reestruturação da empresa.  Com isso, a concessionária busca equilibrar sua saúde econômico-financeira e quitar a dívida decorrente da recuperação judicial.

Fonte: Assessoria de Imprensa Celpa

Laudo aponta que a Celpa foi vítima de sabotagem

O laudo oficial expedido nesta sexta-feira, 21, pelo Instituto de Criminalística Renato Chaves, aponta como sabotagem a causa da queda de 14 postes em sequencia, no último dia 17, que interrompeu integralmente o fornecimento de energia elétrica nos municípios de Ipixuna do Pará e Ulianópolis e na zona rural de Paragominas, na região nordeste do Estado.

O laudo concluiu que os danos “foram feitos de forma proposital, por pessoas com conhecimento técnico”. Devido à extensão dos danos, foi necessário que a Celpa deslocasse todas as equipes de manutenção disponíveis na região, que ainda trabalham na recomposição total da estrutura danificada.  Apenas Ulianópolis ainda sofre os efeitos da derrubada dos postes da rede elétrica.

A sabotagem caracteriza crime de dano qualificado, passível de punição (artigo 163, III do Código Penal), bem como crime de atentado contra os serviços públicos (artigo 265 do Código Penal). Esses crimes podem ser punidos com pena de reclusão de 1 a 5 anos, além de multa.

Para a Celpa, essa foi uma situação totalmente atípica que foi registrada em Boletim de Ocorrência na Delegacia de Polícia de Paragominas. A empresa está colaborando com a investigação policial e não medirá esforços para encontrar os responsáveis para que sejam punidos pelo crime e responsabilizados pelos prejuízos causados à população paraense.

Celpa: Nota à imprensa

Em relação ao movimento grevista conduzido pelos Sindicatos dos Urbanitários e dos Engenheiros, a Celpa entende que se trata de uma paralisação imotivada, já que a empresa não está fazendo nenhuma demissão coletiva.

No mês de abril, a Celpa disponibilizou um plano de demissão voluntária (PDV) ao qual aderiram 246 colaboradores e as demissões que ocorreram após o PDV foram pontuais, de colaboradores que não se adaptaram ao novo modelo de gestão ou não estão alcançando os resultados esperados.

A Celpa reforça ainda que é uma empresa privada à qual não se aplica a estabilidade de emprego.

Quanto à disponibilidade dos serviços, tanto as agências quanto a Central de Atendimento estão funcionando normalmente. Os demais serviços tem a garantia legal de equipes mínimas para atendimento aos clientes durante a paralisação.

A Celpa esclarece que as empresas que prestam serviço para a companhia possuem experiência e atuam em vários estados brasileiros, sendo referência em sua área de atuação. Algumas dessas empresas já trabalhavam para a empresa na antiga gestão.

A Celpa reforça ainda que no Estado, 75% dos colaboradores estão trabalhando normalmente nesta segunda-feira, o que sinaliza que o movimento não possui o apoio da maior parte dos empregados.

Assessoria de Comunicação Celpa

Celpa alerta para segurança no período junino

A festa junina é uma gostosa brincadeira, mas que tem que ser levada a sério para que não se torne um pesadelo. Além de todos os detalhes, um item que não pode ser ignorado é a segurança. Nesse mês de junho a Celpa reforça o alerta sobre os cuidados com a rede elétrica na hora de organizar as quadras juninas ou até mesmo enfeitar as ruas.

Se a pessoa for enfeitar a rua com bandeirolas e balões, entre outros adereços, não deve fazer próximo à rede elétrica. Ao fazer isso ela pode sofrer uma descarga elétrica e até morrer. Mas há ainda o risco pelo uso de material metálico, como, por exemplo, o papel laminado que é condutor de energia e que pode ocasionar acidentes fatais. Na hora de enfeitar a festa, o ideal é utilizar materiais isolantes e biodegradáveis, para minimizar os riscos de curto-circuito.

Situação bastante comum nessa época do ano é a rede de distribuição ser atingida por foguetes ou pelas chamas de fogueiras muito altas. Quando isso ocorre causa curto-circuito, podendo inclusive danificar eletrodomésticos que estão ligados, além de deixar as pessoas sem energia.

Outro alerta importante vai para as pessoas que montam barracas em festas juninas e fazem ligações improvisadas e irregulares na rede elétrica. “É muito importante observar as orientações de segurança para que as festas sejam tranquilas. Muitas vezes algumas práticas aparentemente comuns nessa época do ano põe em risco a vida de quem trabalha e de quem se diverte durante as festas juninas, além de comprometer a qualidade do fornecimento de energia.” diz o Gerente de Relacionamento com Parceiros, Segurança e Meio Ambiente da Celpa, Ivan Aragão.

A montagem de barraquinhas, camarotes e arquibancadas deve obedecer a uma distância mínima de 1,5 metro em relação à rede. Mas, somente a Celpa pode realizar ligações provisórias para atender festividades. Nesse caso, a orientação é que o dono da barraca junina procure uma agência de atendimento da concessionária para solicitar a ligação provisória com antecedência de 72 horas (três dias úteis) levando consigo o CPF e a carteira de identidade, devendo informar qual a finalidade e endereço da ligação.

Siga as dicas:

  • Jamais amarre fios ou enfeites na fiação elétrica.
  • Não utilize os postes como suporte para os enfeites.
  • Não manuseie mastros de ferro próximo à rede elétrica.
  • Não tente passar fios ou cabos sobre a rede.
  • Não acenda fogueiras ou solte fogos de artifício próximos à fiação elétrica.

Em caso de acidentes, deve-se:

  • Isolar o local, não permitindo a aproximação de outras pessoas.
  • Jamais tocar em fios partidos.
  • Não tentar retirar objetos ou pessoas que estejam em contato com fios, sem que antes um profissional capacitado assegure que a energia foi desligada.
  • Acionar imediatamente a Celpa pelo telefone 0800 091 0196 e o Corpo de Bombeiros.

Fonte: Assessoria de Imprensa /Celpa