Category Archives: CELPA

Tarifa de energia elétrica no Pará ficará, em média, 34,96% mais cara

Reajuste será aplicado a partir de 7 de agosto

Crédito: MPE

As tarifas de energia de mais de 2 milhões de unidades consumidoras no Pará ficará, em média, 34,96% mais cara a partir do próximo dia 7 de agosto. O aumento está relacionado ao reajuste tarifário 2014 da distribuidora Celpa, aprovado pela diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) nesta terça-feira (5/8), durante reunião ordinária.

Os consumidores residenciais perceberam um efeito médio de 34,34%, enquanto os consumidores industriais a elevação média ficará em 36,41%.

Segundo a Aneel, os custos com compra de energia nova no ambiente regulado e contratos de energia existente contribuíram para o reajuste positivo da distribuidora.

Ao calcular o reajuste, a agência considera a variação de custos que a empresa teve no ano. O cálculo inclui custos típicos da atividade de distribuição, sobre os quais incidem o IGP-M e o Fator X, e outros custos que não acompanham necessariamente o índice inflacionário, como energia comprada, encargos de transmissão e encargos setoriais.

Celpa alerta para ações de golpistas

AtençãoA Celpa, concessionária de energia elétrica no Pará, alerta os consumidores para a ação de golpistas no estado. De acordo com a empresa, pessoas tem se passado por funcionários para tirar vantagens financeiras. Um dos golpes é a cobrança para o cadastramento na tarifa de baixa renda, o que é ilegal.

“As cobranças dos serviços da Celpa são feitas apenas por meio da fatura de energia, que só deve ser paga nos agentes arrecadadores autorizados: bancos e lotéricas. Nenhum colaborador da concessionária ou das empresas que prestam serviço para a Celpa está autorizado a receber dinheiro em espécie por qualquer serviço”, esclarece a concessionária.

Eventuais serviços que a concessionária pode cobrar pela execução, conforme determinação da Aneel, são tabelados e seus valores estão disponíveis no site da empresa. Em caso de suspeita de golpe, caso o cliente receba uma proposta ilegal ou solicitação de pagamento em dinheiro, a situação deve ser denunciada imediatamente à Polícia e, ainda, comunicada a Celpa, para que a empresa acompanhe a investigação.

O executivo de Desenvolvimento de Parceiros da Celpa, Edson Naiff, reforça que o cliente deve ficar atento à identificação dos prestadores de serviço e em casos de procedimentos suspeitos alguns dados devem ser anotados.

“Em situações que os procedimentos das equipes sejam suspeitos, é importante que o cliente tome nota do número da placa do veículo que está conduzindo os colaboradores, do número da frota e do nome da pessoa que fez a abordagem. Os dados devem ser repassados às autoridades locais e informados à Celpa pelo 0800 0910196, para que seja feito o acompanhamento das investigações”, finaliza.

Farda e crachá
Os colaboradores e funcionários terceirizados da Celpa que atuam em contato com os clientes, como atendentes de agências, eletricistas, leituristas e demais profissionais de serviço de campo, possuem um fardamento com a identificação da empresa. É importante observar a presença de crachás com o nome do profissional impresso, a marca da empresa para a qual ele presta serviço e, claro, a marca da Celpa. Os veículos utilizados em campo pela concessionária e suas prestadoras também são padronizados, neles são visíveis tanto a marca da empresa terceirizada quanto da concessionária.

Justiça determina que energia elétrica em Tucuruí seja 50% mais barata para o consumidor

Conta de energia elétricaDeterminação também obriga Celpa a apresentar melhorias no serviço. Decisão ainda cabe recurso. Empresa tem 10 dias para recorrer.

Justiça do Pará determinou que a Celpa reduza em 50% o valor das tarifas de energia elétrica no município de Tucuruí, no sudeste do estado. A empresa terá também que apresentar um relatório de ações que visem melhorias no serviço prestado aos moradores da cidade em um prazo de 60 dias. A decisão surpreendeu a população, mas ainda cabe recurso.

A determinação foi uma resposta ao pedido de liminar contra a concessionária de energia elétrica, proposta pelo Ministério Público Estadual (MPE) por meio da promotoria de Tucuruí. A justificativa é que a empresa não tem fornecido os serviços adequados na cidade, além de que as constantes quedas de energia elétrica têm causado prejuízos à população.

O juiz substituto da comarca de Tucuruí, Thiago Cendes, deferiu a liminar que obriga a Celpa a tomar medidas que garantam a melhoria dos serviços prestados na cidade. A empresa foi notificada no dia 14 de abril e partir desta data tem 10 dias para recorrer.

Fonte: G1-PA

Parauapebas fica às escuras durante o fim de semana

Parauapebas ficou às escuras durante praticamente todo o último fim de semana. Problemas climáticos foram as alegações da Celpa para o apagão, que teve início às 8 horas do sábado. Em alguns bairros a energia só foi restabelecida ao meio dia do domingo.

vela

Dois transformadores de 30 KW localizados na subestação da Palmares I, que atende o município, teriam sido atingidos por um raio. Em virtude disso a Celpa teria sido obrigada a desligar toda a rede para efetuar a troca.

Por volta das 14 horas a Celpa ligou parte da cidade, sendo priorizados locais onde estão os hospitais. Em outros bairros a energia retornou às 6 horas do domingo. No bairro Chácaras, por causa de uma maldita canela que costumeiramente é a última a ser acionada, a energia só voltou ao meio dia de domingo. Um desrespeito total à população.

Problemas acontecem e há de se dar o desconto, todavia, a Celpa deve se preparar melhor para tais problemas climáticos, já que nesse período eles são recorrentes. Não se pode aceitar que um município onde a empresa tanto arrecada a população fique 24 horas sem receber energia elétrica.

O pior de tudo é que a empresa não informa nada sobre o ocorrido. A imprensa e a população, se quiserem informações, que procurem a “Rádio Peão”, outro desrespeito.

Funcionários da Celpa entram em greve no oeste do PA

Equatorial_Celpa

Cerca de 60% dos funcionários da Celpa Equatorial no oeste do Pará entraram em greve a partir da 0h deste sábado (1º). A informação foi confirmada pelo diretor regional do Sindicato de Urbanitários do Estado do Pará, Narciso Sena. Segundo ele, a principal proposta da greve é fazer com que a empresa mantenha o quadro de funcionários e seus postos de trabalho.

A proposta é evitar que essas demissões, que ocorreram ao longo do tempo e no período em que a empresa iniciou a sua recuperação judicial, voltem. Eles já deram sinal de que vão demitir. Pelas últimas reuniões, foi dito que a empresa iria retomar com a terceirização de mão de obra e isso vai resultar, provavelmente, em mais demissões”, explicou Sena.

A Celpa Equatorial é a concessionária de energia que atende o estado do Pará. Em 2013, a empresa, que estava em processo de recuperação judicial, elaborou um plano de demissão voluntária para contornar a crise. O plano foi elaborado em acordo com o sindicato e prevê a elevação da jornada diária de trabalho de 7h para 7h30 e a manutenção de um quadro mínimo de 1.822 trabalhadores.

Para evitar esse processo de demissão injustificada, os trabalhadores fizeram esse acordo. A empresa lançou um projeto de demissão voluntária, onde o funcionário também trabalharia 30 minutos a mais todos os dias, até para ajudar que a empresa se recuperasse, ressaltou Sena. De acordo com o diretor, esse acordo tinha validade até o dia 31 de janeiro. Em nota, a Celpa Equatorial informou que o acordo tem vigência até março de 2014.

Celpa tenta, na justiça, barrar as movimentações programadas para esta sexta-feira

imageA Centrais Elétricas do Pará – Celpa – deu entrada ontem na 1ª Vara Cível da Comarca de Marabá em uma ação de Interdito Proibitório contra os líderes do Movimento Contra a Celpa – MCC – no município.

Na peça inicial, o advogado da Celpa pede que se cancele as manifestações programadas pelo movimento para acontecer no final da tarde desta sexta-feira (31).

O juiz, Daniel Coelho Gomes, coerentemente e em decisão muito bem embasada, citando, inclusive os artigos 5º XVI e 6º, caput, da CF ( do direito de manifestação) e o artigo 22 do Código do Consumidor (das obrigações das concessionárias), indeferiu o pedido de cancelamento feito pela empresa. Todavia, através de um oficial de justiça, mandou citar Jader dos Santos, o idealizador do movimento, para que durante as manifestações se preserve o patrimônio da empresa, assim como se mantenha o direito constitucional de ir e vir dos funcionários da empresa.

Além de Marabá, estão programadas para hoje manifestações contra a Celpa em Belém, Canaã dos Carajás, Eldorado dos Carajás, Tucuruí, Marituba e Parauapebas. O Movimento reivindica, entre outras, a baixa no valor das tarifas cobrados pela Celpa, uma melhor qualidade nos serviços, isenção de imposto para quem consome ate 50 Kwh e melhorias no atendimento presencial.

Celpa será alvo de manifestações em várias cidades no dia 31/1

O Movimento Contra a Celpa (MCC) está se articulando e mobilizando a população de várias cidades que estão insatisfeitas com os serviços prestados pela Celpa Equatorial. Várias manifestações já estão confirmadas para acontecer simultaneamente no dia 31 de janeiro de 2014, às 16 horas, entre elas em:

  • Belém – em frente ao Palácio do Governo – informações (91) 8106-2676;
  • Marabá – na Praça da Criança – informações (94) 9274-8228;
  • Parauapebas – na Praça de Eventos – informações (94) 9108-59-63;
  • Canaã dos Carajás, em frente à sede da Celpa – informações (94) 9159-3016.

De acordo com Jader dos Santos, que coordena o movimento, entre as reivindicações estão a melhoria no atendimento, aviso prévio de cobrança e isenção de imposto para quem consome ate 50 Kwh. A mobilização vem sendo feita via rede social, clique aqui para interagir com a direção do movimento. 

Marabá: Saci retoma parceira com Celpa e atendimento ao consumidor inicia na segunda-feira

Buscando melhorar o atendimento ao cidadão, o Serviço de Atendimento ao Cidadão (Saci) vêm retomando parcerias com empresas de Marabá. Na segunda-feira (11) será reiniciado o serviço de atendimento ao consumidor pela Rede Celpa no prédio do Saci.

“A parceria surgiu desde a criação do Saci, em agosto de 1998, o serviço foi oscilando até que foi suspenso. Agora depois de 1 ano e 8 meses sem funcionar, temos a parceria de volta, onde a população poderá resolver em nosso prédio, problemas relacionados à energia elétrica”, explicou Westermack Souza, coordenador do Saci.

Ainda segundo ele, todos os serviços da fornecedora de energia elétrica serão realizados, desde registro de reclamações, parcelamento de dívidas e retirada de 2ª via da cobrança. O atendimento será realizado das 8 às 14 horas, de segunda a sexta-feira, serão distribuídas 30 senhas diárias para atendimento ao público.

Outros serviços – “No início do ano, tínhamos 58 funcionários e apenas a carteira de identidade (RG) e de trabalho (CTPS) eram feitas. Hoje com apenas 33 servidores, já somos capazes de emitir RGs e carteiras de trabalho, além de registro de nascimento e reativamos a parceria com a Celpa”, esclareceu Westermack.

Para a emissão da carteira de identidade é necessário um cadastro prévio no site da Polícia Civil (www.policiacivil.pa.gov.br), onde será agendada uma data para apresentação no Saci.

Ainda segundo o coordenador, hoje a taxa para retirada da segunda via de documentos é gerada no Saci, de forma que o cidadão pode retirá-la gratuitamente, providenciando o pagamento da guia em locais autorizados.

O Saci conta com o sistema de senhas para atendimento preferencial a idosos, gestantes, deficientes físicos e moradores da área rural do município. Todos os dias são disponibilizadas 15 vagas para moradores da zona rural, mediante agendamento e comprovante de residência. 10 vagas diárias são disponibilizadas a idosos, gestantes e deficientes físicos, distribuídas mediante agendamento por telefone ou pessoalmente.

Fonte: ASCOM PMM

Por contas exorbitantes em Marabá, Celpa vira alvo da fúria popular

Por Paulo Costa – de Marabá

Elaine mostra suas contas antagônicasA conta de energia da comerciária Elaine Gomes da Silva Bequimam, residente em um bairro periférico de Marabá, saltou da média de R$25,00 mensais para R$ 890,00, 50% a mais que o salário que ela recebe.

O caso dela é um dos muitos que levaram mais de 600 consumidores de Marabá ao Procon nos últimos meses e 90% redundaram em multa para a empresa. É que a Celpa não consegue provar ao Procon que os consumidores que protestam contra as contas exorbitantes realmente consumiram aquela quantidade de Kwh. A empresa acaba cortando o fornecimento de energia e a revolta da comunidade aumenta ainda mais.

Por causa da grande e crescente quantidade de reclamações, nos últimos dias foi desencadeada um movimento pela rede social Facebook que redundou em uma passeata contra o alto valor das tarifas de energia cobrado pela Celpa. Embora o número de pessoas não tenha sido tão expressivo, o barulho que ele causou na cidade antes, durante e depois da passeata, através de reportagens na Imprensa local, incomodou a concessionária de energia, que tratou de mandar seus funcionários para casa mais cedo e fechar o escritório, para onde se dirigiu a manifestação popular.

Elaine soube da manifestação que aconteceria e pediu ao patrão uma meia folga na tarde daquele dia e se junto a outras dezenas de pessoas em frente ao Ginásio Olímpico da Folha 16 e de lá partiram em passeata por cerca de 4 quilômetros, mostrando à comunidade a indignação. “Não tenho condições de pagar essa conta. Lá em casa somos apenas três pessoas: eu meu marido e um filho pequeno. Passamos o dia fora, só temos uma geladeira, um ventilador, três bicos de luz, um liquidificador e ferro de engomar”, conta a comerciária.

Elaine reclama que ao reclamar junto ao Procon, a Celpa resolveu resolver o assunto sem consultá-la, sem entrar em sua casa para conhecer sua realidade. Um dia, quando cheguei, encontrei apenas várias faturas embaixo da porta. A Celpa tinha apenas parcelado a conta, o que não é uma solução para mim. Sei que nunca consumi tanta energia”, queixa-se ela. Cada um dos manifestantes tinha uma história para contar, todas parecidas com a de Elaine e por isso disseram que estavam protestando nas ruas.

Volta no tempo

Celpa 2Um dia antes da passeata, a Celpa foi chamada pelo Ministério Público para dar explicações sobre a grande quantidade de queixas populares em relação à grande variação das contas de energia.

A reunião foi convocada pela promotora do Consumidor, Aline Moreira Tavares, e congregou também o promotor de Itupiranga, Arlindo Cabral, e um grupo bastante representativo vereadores de Marabá, entre outras lideranças comunitárias.

O chumbo grosso contra a Celpa iniciou com o coordenador do Procon, José Ubiratan Sompré apresentar um relatório nada animador, mostrando que foram protocoladas este ano mais de 600 denúncias contra a Celpa, e que 90% delas se transformaram em multas contra a empresa. “Isso só aconteceu porque a resposta da Celpa nunca convence. A empresa só permite parcelamento e resolve o problema do consumidor queixoso. Alega que a instalação da residência está correta e não havia problema na leitura. Nos meses seguintes o mesmo acúmulo de consumo se repete, o que não é aceitável”, diz Sompré.

Diretores da Celpa ouviram bastante e anunciaram, após quatro horas de reunião, que a empresa vai enviar a Marabá uma agência móvel para passar em todos os bairros ouvindo as reclamações da comunidade e analisando caso a caso para dar celeridade às queixas de toda ordem, principalmente de cobrança abusiva. Além disso, a Celpa assumiu o compromisso de não suspender o fornecimento de energia elétrica das 33.133 unidades consumidoras que registrarem reclamação junto ao Procon até que seja feita a verificação das unidades in loco, bem como de não efetuar a inclusão dos nomes dos clientes nos órgão de proteção ao crédito.

CELPA divulga resultados do 3º Trimestre de 2013

Ao final do 3T13, foi alcançada a marca de 335 mil clientes ligados à rede de distribuição de energia elétrica da CELPA através do PLPTAo final do 3T13, foi alcançada a marca de 335 mil clientes ligados à rede de distribuição de energia elétrica da CELPA através do PLPT   

As Centras Elétricas do Pará S/A (CELPA), concessionária do serviço de distribuição de energia elétrica do Pará, anunciou hoje os seus resultados do terceiro trimestre e primeiros nove meses de 2013 (3T13 e 9M13). As informações não financeiras da CELPA, as relacionadas ao Programa Luz Para Todos (PLPT) assim como as referentes às expectativas da administração quanto ao desempenho futuro da Companhia, não foram revisadas pelos auditores independentes.

No 3T13, a CELPA apresentou lucro líquido de R$100 milhões, versus prejuízo de R$ 233 milhões no mesmo trimestre do ano anterior. Se considerarmos o ajuste de despesas não recorrentes de reestruturação e Recuperação Judicial de R$26 milhões, assim como o impacto dos ativos e passivos regulatórios.

No 3T13, o Ebitda (lucro antes do pagamento de juros, impostos, amortização e depreciação, foi positivo em R$161 milhões, versus um valor negativo de R$37 milhões no 3T12. O valor registrado neste trimestre foi fortemente impactado pelo reconhecimento de R$124 milhões referentes ao recebimento de CDE para cobertura de CVA de Compra de Energia e ESS, conforme calculado no Reajuste Tarifário da Companhia ocorrido em agosto.

No 3T13, a receita bruta de venda de energia decresceu 1,5%, influenciada principalmente pelos reflexos da implementação da MP 579 e pela queda dos Custos de Construção no trimestre. Já a receita líquida atingiu R$663 milhões (R$545 milhões, desconsiderando a Receita de Construção), crescimento de 10,9% (19,6% decrescimento sem Rec. de Construção) em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

No 3T13, as vendas de energia para o mercado cativo cresceram 9,5% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior, atingindo 1.769 GWh. Tal crescimento pode ser explicado principalmente pelo crescimento econômico observado no Estado.

No 3T13, os índices de DEC e FEC da CELPA (acumulados dos últimos 12 meses) foram de 82,7 horas e 41,7 vezes, melhoras de 19,2% e 18,7%, respectivamente, quando comparados aos índices observados ao final do 3T12. Analisando os indicadores para o trimestre, é possível observar melhoras de 17,9% e 32,0% respectivamente.

As perdas totais de energia dos últimos 12 meses encerrados no 3T13 representaram 36,5% da energia requerida, representando aumento de 2,4 p.p. em relação aos 34,1% verificados no 3T12.

Em agosto  CELPA recebeu R$ 50 milhões em Adiantamento para Futuro Aumento de Capital (AFAC) de sua controladora, Equatorial Energia.

No 3T13, a carga da CELPA apresentou crescimento de 9,7% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior, enquanto as cargas nacional e da região Norte variaram 4,3% e 23,9%, respectivamente. Segundo o Boletim Mensal da ONS, o crescimento apresentado pela região Norte no período deve-se a interligação de Manaus ao SIN (Sistema Interligado Nacional) a partir do início de julho.

O volume de energia requerida pelo sistema da CELPA alcançou 2.945 GWh no 3T13, apresentando crescimento de 10,2% em relação ao mesmo período do ano anterior. O volume de energia vendida no trimestre cresceu 9,4% em relação ao 3T12.

Os investimentos da CELPA, excluindo os investimentos diretos relacionados ao PLPT, totalizaram R$78 milhões no 3T13, representando redução de 37,3% em relação ao 3T12.

Programa Luz para Todos

Ao final do 3T13, foi alcançada a marca de 335 mil clientes ligados à rede de distribuição de energia elétrica da CELPA através do PLPT, gerando um benefício direto a praticamente 1,7 milhão de habitantes no Estado do Pará. O PLPT já está presente em todos os 144 municípios paraenses, contribuindo para o desenvolvimento de áreas isoladas dos aglomerados urbanos e para a geração de renda nestas localidades. Ao longo do 3T13, o investimento direto no PLPT, que inclui gastos com materiais, fretes e serviços de terceiros, foi de R$16 milhões.

Fonte: www.ultimoistante.com.br