Category Archives: Zona Rural

Mutirão do Plano Safra reúne produtores rurais na Palmares Sul

Dezenas de produtores rurais assentados na zona rural da Palmares Sul prestigiaram o mutirão do Plano Safra 2014/2015, ocorrido na manhã desta terça-feira (14), no sítio do casal agricultor Joaquim e Tereza, a 14 quilômetros do centro de Parauapebas.

Plano Safra 2015

O evento contou com as presenças do prefeito Valmir Mariano, secretários municipais de Produção Rural (Sempror), Horácio Martins, e de Administração (Semad), Wady Cecílio; vereador Maridé Gomes, sindicalista Francisco de Assis, presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais; assessores de governo, imprensa e lideranças da comunidade rural.

O mutirão de Palmares Sul foi o segundo de uma série de seis que acontecerão nas seis regiões rurais divididas pela Sempror por ocasião da realização do Censo Agropecuário. O primeiro mutirão ocorreu há duas semanas na região de Cedere I, quando mais de 150 famílias de colonos foram atendidas.

O evento consiste na disponibilização de cerca de 20 tratores de esteira e de pneus para prestar serviço de preparação da terra dos agricultores de cada região, como retirada de tocos, utilização de arado, abertura de açude e outros serviços.

Ao usar a palavra, o prefeito Valmir Mariano lembrou que no ano passado o governo municipal beneficiou cerca de mil famílias de agricultores com apoio no preparo da terra, distribuição de insumos agrícolas, orientações técnicas aos colonos e oferta de logística para o transporte da produção agrícola para ser comercializada no centro da cidade.

“Nos mais de 20 anos de história do município, os colonos de Parauapebas nunca receberam tanto apoio da prefeitura como estão recebendo agora em nosso governo”, afirmou o gestor municipal, enumerando uma série de serviços prestados na zona rural, entre estes a conservação de 800 quilômetros de estradas vicinais e a construção do Centro de Abastecimento de Parauapebas (CAP).

O prefeito Valmir Mariano aproveitou para revelar à imprensa que vai construir um segundo CAP, desta vez no Bairro Rio Verde, para atender cada vez melhor os produtores rurais do município e os consumidores de produtos agrícolas da cidade.

Plano Safra 2105 2Por seu turno, o secretário Horácio Filho informou que os próximos mutirões ocorrerão nas regiões de Palmares II (envolvendo as comunidades de Três Voltas e Limão), Vila Paulo Fonteles e Vila Sanção; e por último na Apa do Gelado (Ilha do Gelado, Carlos Fonseca, Araçatuba, Rio Branco, Tapete Verde e Valentin Serra).

Segundo informou o titular da Sempror, os tratores executam os serviços em cada região num período de até duas semanas e depois o maquinário se desloca para outras colônias.

O produtor Paulo Gutenberg Torquato Holanda, popular “Paulo Picunha”, aproveitou o momento para denunciar que atualmente vêm ocorrendo vários assaltos nas propriedades rurais e pediu a interferência do prefeito para solicitar a presença da Polícia Militar para fazer ronda na zona rural com viaturas mais velozes.

Usaram ainda da palavra o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Francisco de Assis; vereador Maridé Gomes e os agricultores Manoel Freire da Silva, Juvenal Marques de Souza, o popular “Doquinha”, entre outros.

Texto: Waldyr Silva – Fotos: Anderson Souza

Emater emite Cadastro Ambiental Rural em área protegida em Parauapebas

O escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) em Parauapebas está elaborando o Cadastro Ambiental Rural (CAR) para contemplar 75 famílias de agricultores da comunidade Igarapé Gelado, localizada dentro da Área de Proteção Ambiental (APA) pertencente ao complexo de mineração da Vale, sob a responsabilidade do Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio).

O objetivo da emissão do documento às famílias é a regularização ambiental. O produtor só pode regularizar sua propriedade se tiver o documento, que também é um instrumento de preservação do meio ambiente, ao contribuir para o combate ao desmatamento.

“O cadastro servirá como um mapeamento das propriedades. Poderá verificar se o agricultor está obedecendo à legislação que exige a reserva de 80% da área. Se não estiver, ele é obrigado a fazer a recomposição”, diz o engenheiro agrônomo Raimundo Júnior, da Emater.

A emissão do cadastro foi uma solicitação do ICMBio à Emater, e conta com a parceria da Secretaria Municipal de Produção Rural de Parauapebas. De acordo com Raimundo Júnior, com as visitas às propriedades e a coleta de dados para elaborar o documento para cada família, a conclusão do trabalho deve levar cerca de seis meses. “Iniciamos as atividades de elaboração na semana passada, e o processo deverá ser concluído até janeiro de 2015”, informa o engenheiro.

Na APA do Igarapé Gelado a atividade principal é a fruticultura, com destaque para o cultivo de banana, taperebá (cajá), açaí e cupuaçu. Depois da conclusão de emissão do CAR, há a expectativa de ampliar a cadeia produtiva por meio de financiamento rural, que também necessita do documento.

Fonte: EMATER

Abertura do 7° Campeonato Rural de Futebol de Campo ocorre neste domingo

Neste domingo (17), a partir das 8h, cerca de 800 atletas participarão do Torneio Início que marca a abertura do 7° Campeonato Rural de Futebol de Campo. O evento esportivo será realizado na Vila Valentim Serra, zona rural do município de Parauapebas, e os jogos ocorrerão durante o dia todo.

O campeonato, que é organizado pela Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (Semel), está programado para encerrar em novembro, durante esse período os jogos ocorrerão sempre aos finais de semana, nos campos das Vilas: Três Voltas, Carimã, Valentim Serra, Sanção e Onalício Barros.

Serviços: Abertura do 7° Campeonato Rural de Futebol de Campo
Data: 17/08
Horário: 8h
Local: Vila Valentin Serra

Parauapebas: prefeitura recebe da Vale estrutura da escola Jorge Amado

Durante cerimônia ocorrida na manhã de terça-feira (12), a empresa Vale fez cessão de toda a estrutura da Escola Municipal Jorge Amado, localizada na Apa do Igarapé Gelado, zona rural de Parauapebas, para a Prefeitura Municipal.

Construída pela empresa privada em 2009, como parte integrante da Estação Conhecimento, a unidade educacional funcionava por meio de um convênio firmado entre a Prefeitura e a Fundação Vale, sendo que o corpo de funcionários e a administração da instituição já era de responsabilidade da Secretaria Municipal de Educação (Semed).

De acordo com o documento assinado, a cessão ocorre por meio do regime de comodato. Dessa forma, assim como sua respectiva gestão e funcionários, a manutenção da estrutura física também passa a ser de total responsabilidade da Prefeitura por um período de 20 anos.

Ao todo, são mais de 30 mil metros quadrados, divididos entre a área do prédio escolar, composto por seis salas de aula, anfiteatro, laboratório de informática, sala de leitura, sala de apoio, bloco administrativo, banheiros, refeitório, cozinha industrial, passarelas cobertas e alojamento para os professores; e a área do complexo esportivo, com campo de futebol oficial, pista de atletismo, vestiários e duas salas onde funcionam as aulas do programa Mais Educação.

APA2

A escola, que conta atualmente com mais de 50 funcionários e atende a cerca de 250 alunos, da Educação Infantil à Educação de Jovens e Adultos (Eja), antes de ser entregue à Prefeitura foi ampliada e reformada. “Hoje a comunidade recebe um presente: uma escola nova, ampla e com espaços adequados, o que contribui muito para o ensino e a aprendizagem. Aqui já funcionamos em tempo integral, com atividades extras, o que torna o aprendizado muito mais significativo para esses alunos e melhora o rendimento escolar”, afirma Juliana de Souza, secretária municipal de Educação.

Segundo a diretora da instituição, Lúcia Santana, as atividades oferecidas aos alunos nos horários extras são informática, horta, educação física e as do programa mais Educação: letramento, dança, futebol e artesanato.

APA 1

“Sabemos das carências que o país sofre na área de educação, tanto com relação à infraestrutura quanto à valorização dos profissionais. Nesse contexto, parabenizamos o município de Parauapebas pelos investimentos realizados na área e enfatizamos que estamos aqui para apoiar esse processo de melhoria contínua na educação de Parauapebas”, destacou o diretor de operações Ferrosos Norte da Vale, Paulo Horta.

O prefeito Valmir Mariano finalizou os discursos das autoridades presentes no evento destacando a importância do trabalho realizado em parceria com a Vale no município e reforçando que uma das alternativas econômicas para a cidade é a transformação desta em um polo do conhecimento.

“A educação é um dos pilares do nosso governo. Além dos investimentos que temos feito em infraestrutura, também ofertamos qualificação para os profissionais que atuam nessa área. Como exemplo, temos as formações continuadas e o curso de pós-graduação para professores da rede pública municipal, que será ofertado em breve”, destacou Valmir Mariano.

Renovação de convênio para assistência técnica

Além do documento de cessão da área da escola, também foi assinado durante a cerimônia o Termo Aditivo ao Convênio nº 014/2010 entre o município de Parauapebas, a Fundação Vale e a Estação Conhecimento.

O documento trata da permanência do apoio técnico dos servidores que atuam na Secretaria Municipal de Produção Rural (Sempror) junto aos produtores rurais da Vila Apa, assim como a cessão de alguns profissionais para atuarem no laticínio que será implantado e gerenciado pelos próprios produtores, com o apoio de um programa específico desenvolvido pela Estação Conhecimento.

Fonte: ASCOM SEMED

Série produção rural: investimentos da Prefeitura reforçam empreendedorismo rural


image_preview (1)A família da agricultora Andréa Silva tomou uma decisão que demonstra a importância dos investimentos da Prefeitura para a ampliação da produção rural no município: deixou o trabalho e a vida na zona urbana da cidade, arrendou um pedaço de terra e começou a investir na agricultura familiar.

Com uma área arrendada de sete alqueires (na região da Paulo Fonteles), pagando mensalmente o valor de R$ 350,00, a família gastou todas as economias na estruturação da terra e quando os recursos chegaram ao fim, procurou a Secretaria Municipal de Produção Rural (Sempror) e recebeu apoio de gradeamento, adubo, sementes, mudas e orientação técnica.

“Meus pais são agricultores até hoje e eu sempre tive vontade de retornar para o campo. Deixei o trabalho de supervisora em uma empresa e vim pra cá com meu marido e um amigo. Temos três meses trabalhando e já vimos bons resultados, em um sábado desses vendi mais de R$ 500 só de hortaliças”, reforça a produtora destacando a importância do apoio da prefeitura para o sucesso do seu empreendimento rural.

Todo o trabalho de preparação da terra, plantio e colheita é realizado por Andreia, seu esposo e o amigo da família, o grupo já pretende procurar novas áreas para ampliar a produção. Diego Ribeiro, zootecnista da Sempror e coordenador da região Paulo Fonteles, destaca que Andrea é um dos muitos exemplos de produtores que tem alcançado renda suficiente para manter suas famílias com a produção rural, contando com apoio da prefeitura.

Avaliação do trabalho desenvolvido na Zona Rural

Para Horácio Martins, secretário municipal de Produção Rural, é satisfatório ver produtores alcançando bons resultados, isso é o fruto do trabalho da equipe da Sempror e colabora para o alcance do objetivo almejado por PREFTtodos que é a independência do pequeno produtor rural.

“Queremos que o produtor tenha condições para gradear a sua terra, comprar suas sementes, comercializar seus produtos, sem necessitar da dependência de governos. Queremos agricultores independentes e produtivos, todo o apoio que damos é com esse objetivo”, destaca o secretário.

Sobre os investimentos realizados pela Sempror na zona rural, Horácio Martins destaca números impressionantes como a construção de 135 tanques de piscicultura e a entrega de 175 toneladas de rama de maniva (muda de mandioca), durante o período do Plano Safra 2013/2014.

“Queremos ser referência na produção de farinha em todo o estado do Pará, assim como na produção de peixes, estamos trabalhando para isso”, informa o secretário antecipando também que está desenvolvendo um trabalho específico para a comercialização de peixe para a merenda escolar.

Zona Rural de Parauapebas recebe primeiro consultório odontológico

Posto odontológico Zona RuralSeis comunidades serão beneficiadas com a oferta de serviços de saúde bucal na zona rural de Parauapebas. Com inauguração marcada para as 16h desta quarta-feira (07), o anexo do Posto de Saúde da Vila Paulo Fonteles é o primeiro do gênero na região e atenderá à demanda da Vila Sanção, Garimpo das Pedras, Vila Albani, Rio Branco e APA, além das comunidades vizinhas.

EquipamentosSegundo o Coordenador Municipal de Saúde Bucal, Marco Aurélio Lopes, em média, 20 pessoas serão atendidas no local de segunda a sexta-feira. Os procedimentos incluem limpezas, restaurações, raspagens periodontais, canais, entre outros. O modelo de atendimento será semelhante ao do Programa Saúde da Família (PSF), no qual o paciente faz o tratamento durante o tempo necessário e já sai das consultas com os retornos agendados.

A unidade conta com recepção, banheiros, consultório odontológico, copa e está equipada com cadeira odontológica, autoclave, fotopolimerizador e raio-x, além do compressor odontológico. A entrega do consultório faz parte da programação dos 26 anos de Parauapebas.

Serviço

Assunto: Inauguração do anexo do Posto de Saúde da Vila Paulo Fonteles (Saúde Bucal)

Local: Vila Paulo Fonteles

Horário: 16h

Vale e Fundação Vale doam patrulha mecanizada para produtores rurais

entrega_patrulha_mecanizada_1Vale e Fundação Vale doaram, via Agência de Desenvolvimento Econômico e Social de Canaã dos Carajás, uma patrulha mecanizada para a comunidade da Vila Bom Jesus, localizada na zona rural de Canaã dos Carajás. O equipamento permitirá melhorias na produção agrícola da região e o aumento na geração de renda dos trabalhadores rurais locais.

A patrulha mecanizada é composta por máquinas e implementos para a recuperação de solos, preparo de áreas para plantio, tratos culturais e colheita, entre outros. A doação contempla 11 implementos, como trator, plaina agrícola, grade aradora, grade niveladora, carreta graneleira, roçadeira, plantadeira, distribuidor de calcário e adubo, arador, encantadeira, batedeira de cereais e pulverizador.

Parauapebas: “ 2013 foi um ano de avanços”, diz Valmir Mariano

EDUCAÇÃO

imagePrefeito, no início do mandato o senhor anunciou que umas das prioridades do seu governo seria a educação. O que foi feito em 2013 por essa área?

Valmir Mariano – Este ano, já inauguramos seis unidades educacionais, sendo três na zona rural e três na zona urbana. Outras três escolas já estão construídas e serão entregues à comunidade no início do ano letivo de 2014, uma no Bairro dos Minérios e duas no Rio Verde. Além isso, mais cinco escolas continuam em construção, com término previsto para o ano que vem. Temos mais oito em processo de licitação e abriremos mais licitações para construção de novas escolas no próximo ano. Oferecemos formação continuada para toda a rede, com aproximadamente 2.300 professores; incentivamos o desporto estudantil com os Jogos Interescolares de Parauapebas (JIPs) e, recentemente, adquirimos 100 ônibus escolares que deverão atender aos nossos alunos em 2014.

Apesar disso, ainda existem anexos e o turno intermediário. Há previsão para resolver esta questão?

Valmir Mariano – Todos os anos, o grande número de alunos que entram na rede municipal de educação aumenta a demanda por vagas que já é muito alta. Mesmo assim, já começamos a eliminar os anexos com a construção de novas escolas em 2013 e faremos muito mais no ano que vem. Eliminar os anexos e o turno intermediário foram compromissos que assumi e que vou cumprir. Nossa expectativa é que até o final do ano que vem todos os alunos estudem em escolas de qualidade e não precisem mais recorrer aos anexos. Infelizmente, o turno intermediário é uma realidade muito antiga e um problema que vai levar um pouco mais de tempo a ser resolvido, mas até 2015 vamos extinguir esse turno e garantir mais conforto e qualidade no desenvolvimento da educação em nossas escolas.

E sobre o ensino superior?

Valmir Mariano – Este ano, firmamos convênio com a Universidade Federal do Pará (UFPA) e estamos trazendo três novas turmas dos cursos de Direito, Engenharia Civil e Engenharia Mecânica. Mas Parauapebas ganhou muito mais este ano. Só para citar um exemplo, além das 150 vagas da UFPA, o município recebeu mais 160 vagas destinadas aos professores que dão aula na rede pública, por meio do Plano Nacional de Professores da Educação Básica (Parfor). Os cursos são Licenciatura em Matemática, História, Pedagogia e Teatro. Além disso, continuamos os trabalhos em parceria com a UFPA e a Vale para a implantação de um polo da UFPA no município e, em um futuro próximo, um novo campus universitário.

SAÚDE

imageA saúde é um campo sensível em Parauapebas. Quais foram os principais desafios enfrentados pela prefeitura nessa área?

Valmir Mariano – Um dos grandes desafios foi acompanhar a demanda por atendimento nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e no Hospital Municipal de Parauapebas (HMP): a média mensal foi de 12 mil pacientes no HMP e de 90 mil nas Unidades de Saúde. Também tivemos que melhorar a estrutura do hospital e das UBSs, contratar mais profissionais para melhorar o atendimento, além de trabalhar com saúde preventiva.

E as principais conquistas?

Valmir Mariano – O desafio é muito grande, mas avançamos muito em 2013. O Hospital Municipal passou por reformas paliativas, 16 Unidades de Saúde do município estão sendo reformadas e ampliadas, contratamos novos profissionais, entre médicos, enfermeiros e agentes, e isso melhorou nossa capacidade de atendimento. O número de médicos, por exemplo, cresceu 20% desde o início do ano até aqui. Também aumentamos o número de enfermeiros, quase dobramos o número de agentes de endemias e adquirimos 10 novas ambulâncias 0km. É importante frisar que são seis ambulâncias semi-UTI e quatro ambulâncias UTI, coisa que o município nunca teve e tudo comprado com recurso próprio. Isto é um grande avanço. Também criamos o Centro de Especialidades Integradas, o CEI, e agora todas as consultas com especialistas da rede pública podem ser feitas em um só lugar. Além disso, foram adquiridos mais de 300 novos equipamentos para aparelhar o serviço de saúde do município. Nos primeiros meses do ano que vem Parauapebas vai contar com uma unidade do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e duas Unidades de Pronto Atendimento 24 h, e as UPAS, além de novas Unidades de Saúde que iremos construir ao longo de 2014.

E sobre o novo Hospital Municipal? Quando ficará pronto?

Valmir Mariano – O Hospital Municipal já está em fase de acabamento da obra civil, que é a parte da construção propriamente dita. O segundo e o terceiro piso já ficam prontos neste mês e a previsão da Semob é finalizar tudo até março. Estamos em conversa avançada com o Governo do Estado para tornar o nosso hospital um Hospital Regional, referência em saúde no estado e com tudo que a população precisa para ser bem atendida.

E o que será feito com o prédio antigo?

Valmir Mariano – O antigo prédio do hospital vai passar por uma grande reforma, que já começa no início do ano, e continuar com os atendimentos à população. A parte mais complexa do atendimento irá ocorrer no novo hospital e o prédio atual será utilizado para os mais simples.

Parauapebas cresceu muito nos últimos anos. Para muitas pessoas dos bairros mais distantes, o acesso ao hospital é muito difícil. Existe alguma alternativa para facilitar o acesso dessas pessoas ao serviço de saúde?

Valmir Mariano – Infelizmente, ainda existe em Parauapebas a cultura de procurar o Hospital Municipal para atendimentos mais simples, que podem ser realizados na atenção básica, ou seja, nas Unidades de Saúde distribuídas nos bairros da cidade e na zona rural. Ano que vem, vamos ampliar ainda mais o número de unidades para que mais bairros sejam contemplados e mais famílias tenham acesso aos serviços de saúde perto de suas casas. Além disso, a construção das duas Unidades de Pronto Atendimento 24h, as UPAs, serão construídas nesses novos bairros, uma no Beira Rio II e outra no Cidade Jardim, justamente para descentralizar o atendimento e ampliar a área de atendimento da Saúde no município.

E quanto às pessoas que precisam de tratamento fora do município?

Valmir Mariano – Este ano, avançamos bastante nessa área, com destaque para duas ações. A primeira delas foi o início da informatização do TFD (Tratamento Fora de Domicílio).

Um sistema criado pelos próprios servidores da prefeitura que vai garantir mais integração e agilidade nesse processo. Hoje, recebemos uma média de 100 pedidos de tratamento fora de domicílio por dia, em um processo de cadastramento manual. Com a informatização do TFD, os atendimentos estão mais rápidos, o que aumenta a eficiência do serviço. Adquirimos também um ônibus para conduzir os pacientes que precisam fazer hemodiálise em outros municípios, até que o novo hospital fique pronto. Isso vai dar mais conforto para essas pessoas que precisam sair de Parauapebas para fazer esse tratamento em outras cidades.

ÁGUA TRATADA

imageNo início do ano, Parauapebas enfrentava sérios problemas de distribuição de água tratada. Como está a situação hoje e o que a prefeitura tem feito para resolver essa situação?

Valmir Mariano – Em 2013, trabalhamos muito para começar a resolver essa questão. Para se ter uma ideia do quanto fizemos até aqui, dobramos a capacidade de abastecimento e distribuição de água no município e hoje mais de 40 milhões de metros cúbicos de água chegam às torneiras de Parauapebas todos os dias. Além disso, já foram iniciados os serviços de construção de sistema de captação, tratamento e distribuição de água no complexo Caetanópolis, para atender a uma população estimada em 35 mil habitantes; cinco reservatórios com capacidade para 2.500 m3 de água para atender às comunidades dos bairros Jardim Canadá, Nova Vida, Betânia e Bela Vista, e os outros cinco com capacidade para 200 m3 nos bairros e localidades Jardim Canadá, Céu Azul, Jardim América, Distrito Industrial, Vila Sanção e Vila Paulo Fonteles.

Apesar de tudo, o desperdício ainda é muito alto. O que fazer para reduzi-lo?

Valmir Mariano – São aproximadamente 150 litros de água por pessoa desperdiçados a cada dia e isso prejudica muito o abastecimento. Por isso, estamos realizando campanhas nas escolas para educar as crianças sobre o assunto e temos equipes nas ruas falando diretamente com a população. Mês passado, por exemplo, a campanha “Desperdício Zero” percorreu as ruas da cidade todos os sábados para falar desse assunto e saber a opinião das pessoas sobre o serviço, que foi bem avaliado.

ZONA RURAL

imageO agronegócio é apontado por pesquisadores como uma das alternativas econômicas que Parauapebas pode desenvolver. Como seu governo tem investido nesse setor?

Valmir Mariano – Neste ano, atendemos a mais de 1.200 famílias de produtores do campo. Foram mais de mil hectares de destoca e enleiramento, mais de dois mil hectares de gradeamento, duas mil toneladas de calcário, 26 toneladas de sementes de milho, duas toneladas de sementes de feijão e 880 mil ramas de mandioca, 122 lotes secos (grandes reservatórios para captar água da chuva e outras fontes), 86 tanques de piscicultura e entrega de tratores e implementos agrícolas para atender às seis regiões da zona rural.

O abastecimento de frutas e verduras na cidade ainda conta como principais fornecedores comerciantes vindos de outros municípios. Com esses investimentos, os produtores locais poderão reverter essa situação?

Valmir Mariano – No início do ano, realizamos o Censo Agropecuário para levantar as principais demandas e o perfil dos pequenos produtores. Dividimos a zona rural em seis áreas para atender melhor as necessidades dos produtores e estamos trabalhando todos os dias para melhorar a produção e a qualidade de vida daquelas pessoas. Como resultado desse trabalho, não só iremos garantir mais competitividade aos nossos produtores como também iremos aumentar a aquisição, por parte da prefeitura, de produtos da nossa zona rural para a merenda escolar, por exemplo.

INFRAESTRUTURA

imageE quanto às obras de infraestrutura, o que foi feito?

Valmir Mariano – Vou começar falando da zona rural, um trabalho que nunca havia sido realizado. Foram quase 700 quilômetros de abertura e recuperação de estradas. Quem tiver a oportunidade de ir lá vai ver a grande diferença. Temos recebido o reconhecimento dos produtores e continuaremos trabalhando na zona rural. Na cidade não foi diferente. Pavimentamos vias e implementamos a operação tapa-buracos, que recuperou quase 10 mil m² de vias. Também estamos melhorando a integração, abrindo e ligando vias, como é o caso da Rodovia PA 160 à PA 275, no trecho que corta o Bairro Jardim Canadá, e a pavimentação da Rua F, que interliga o Bairro Beira Rio II à PA 160, passando pelo Bairro Parque dos Carajás. Também estamos construindo pontes para aumentar essa integração. Tudo isso faz parte do plano de mobilidade urbana, que prevê a duplicação das rodovias PA 160 e PA 275, da estrada Faruk Salmen e a construção da orla no Rio Parauapebas, que já vamos começar no ano que vem. Aproveito para desejar Feliz Natal e Próspero Ano Novo a toda a população de Parauapebas, na certeza de que, juntos, faremos muito mais em 2014.

Fonte: ASCOM PMP

Canaã dos Carajás realiza Diagnóstico Rural Municipal

A Secretaria de Produção e Desenvolvimento Rural (Secretaria de Agricultura) do governo “Você Fazendo Parte” começou suas atividades com uma iniciativa inédita em Canaã dos Carajás. Trata-se do Diagnóstico Rural Municipal, isto é, uma pesquisa qualitativa e quantitativa para ter pleno conhecimento de seu objeto de trabalho, o campo.

Antes de desenvolver suas atividades próprias, a Secretaria de Produção decidiu começar o ano como as grandes empresas privadas, no momento em que vão lançar um novo produto no mercado ou mesmo iniciar uma grande ação, realizando uma pesquisa para balizar os futuros trabalhos, a fim de reconhecer profundamente com está o segmento em que atua. Assim, foi realizado o Diagnóstico Rural Municipal, ocorrido de março a maio de 2013.

Segundo o Secretário de Produção e Desenvolvimento Rural, Jaime Andrade, o diagnóstico foi realizado em quatro etapas distintas, sendo que a primeira foi a coleta de dados em campo, onde foram feitas visitas em 100% das propriedades da zona rural, aplicação de questionários, por uma equipe de 12 pessoas e levantamento de informações técnicas dos produtores rurais, como produção animal, produção vegetal, etc. Já a segunda etapa consistiu na tabulação dos dados coletados; a terceira etapa foi a análise estatística dos dados tabulados e a última foi a elaboração de um relatório, o diagnóstico.

Segundo o Zootecnista da Prefeitura, Ramon Duarte Neves, a pesquisa, que teve por objetivo a construção de um banco de dados para a Secretaria de Produção, fornecendo uma leitura completa e macro de como de fato é o mercado rural de Canaã, “foi importante para conhecer o potencial agrícola da região, que até então ninguém tinha, em documento oficial, nenhum registro desta informação”.

Ramon afirmou também que a Secretaria de Produção precisava há tempos de um documento com este, pois não tinha nenhuma informação concreta e

registrada a respeito da produção animal e vegetal no município, e precisava conhecer melhor a zona rural, como potencial produtivo, por exemplo.

“A partir deste diagnóstico, a Secretaria de Produção já está montando seu plano de ações, que na verdade são os projetos de assistência técnica para piscicultura, apicultura, estudos com lavouras, hortas e assim por diante”, explicou Ramon Duarte, “uma vez que nós temos aqui zootecnistas, agrônomos e veterinários”, comentou.

Hoje a Secretaria de Produção já é capaz de fornecer um diagnostico real e caracterizar a situação da zona rural do município, bem como identificar o perfil produtivo de cada produtor, como produção de leite, extração vegetal, etc. Por isso a Secretaria de Produção está planejando melhor suas ações, com foco estreito no seu objeto de trabalho, sendo que alguns planos já foram definidos e outros ainda estão em andamento.

O estudo serve de base para os próximos anos de trabalho e é um documento importante que agora integra o acervo bibliográfico da Secretaria de Produção. “Não queríamos começar um projeto de assistência técnica, dando um tiro no escuro, por exemplo, nós queríamos nos respaldar tecnicamente, através deste diagnóstico, agora sim podemos dar inicio aos projetos de assistência técnica”, disse Ramon.

Além do trabalho árduo da Secretaria de Produção da Prefeitura de Canaã dos Carajás, a realização desta pesquisa contou também com o apoio de experientes parceiros no ramo, como a Emater-PA, Adepará, Cooperativa Agropecuária de Canaã dos Carajás e o Sindicato dos Produtores Rurais de Canaã.

Ao se pronunciar sobre o assunto, o Prefeito Jeová Andrade, disse que “precisamos voltar a fazer o nosso município produzir, Canaã já foi um celeiro agrícola do estado do Pará, mas hoje até a banana que consumimos vem de fora, todavia, este Diagnóstico Rural nos dará a direção correta para mudar este cenário”.

O Engenheiro Agrônomo, Roberto Ramos, explicou que a iniciativa da Secretaria de Produção foi enaltecida pelo Prefeito Jeová Andrade que parabenizou toda a equipe, não somente por planejar didaticamente todas as etapas de pesquisa a serem vencidas, mas também por ter competência para gerir e executar todo o desenvolvimento pré e pós-pesquisa.

No dia 23 de julho o Diagnóstico Rural Municipal foi apresentado oficialmente para Jeová e amanhã (06), será apresentado para as instituições que apoiaram a pesquisa.

COMUNICADO: interdição de ponte na zona rural

A Prefeitura de Parauapebas, por meio da Secretaria Municipal de Obras (Semob), informa que a ponte de acesso à Vila Cedere I será interdita para recuperação, a partir de segunda-feira (10). Durante o período de interdição, os veículos deverão utilizar um desvio construído especificamente para dar acesso à localidade. Após a recuperação da ponte, será liberada apenas para veículos pequenos. A Semob informa também que já está em processo de licitação a construção de uma nova ponte em substituição da atual.  

Ascom Parauapebas