Category Archives: Hospital Municipal de Parauapebas

Pacientes elogiam atendimento recebido no hospital municipal de Parauapebas

Apesar da grande demanda recebida no hospital municipal, superando em algumas ocasiões a capacidade de atendimento, pacientes que necessitam dos serviços de saúde disponíveis na unidade elogiam o tratamento recebido pela equipe. “A médica que me acompanha na enfermaria passa todos os dias aqui e as enfermeiras fazem, nos horários certinhos, os curativos e me dão os remédios. Estou me sentindo bem cuidada”, elogia a dona de casa Antônia Terezinha César, que também já foi avaliada pelo cirurgião geral e aguarda o retorno do especialista.

Vela Preta“Eu machuquei meu pé esquerdo e por causa da diabetes a situação se complicou, vim ao hospital municipal e precisei ficar internado 11 dias. Aqui, a médica trabalhou no controle da diabete, que estava muito elevada, e ao mesmo tempo tratou da ferida. Fiquei muito satisfeito com o atendimento e feliz em ver praticamente todos os profissionais se preocupando com a saúde dos pacientes”, disse o repórter Ronaldo Modesto Pereira, mas conhecido como Vela Preta.

A alimentação fornecida no Hospital Municipal Teófilo Soares de Almeida Filho (HMTSAF) também entrou na avaliação dos pacientes. “Acho que a alimentação servida aqui no hospital me ajudou a melhorar a questão do diabetes, eu segui uma dieta elaborada pelos nutricionistas daqui”, informou Ronaldo Modesto.

Atendimento e Estrutura do Hospital Municipal

De acordo com João Fellipe Borges Bento, coordenador do pronto socorro do municipal, algumas mudanças foram implementadas e contribuíram para a melhoria do atendimento. “Hoje temos cinco médicos plantonistas, trabalhando das 7 às 19 horas, e no horário que compreendo o restante do período, três. Além deles, contamos também com dois cardiologistas e uma clínica geral, para suporte e acompanhamento dos pacientes da enfermaria”, explica João Fellipe.

MedicosAlém disso, a equipe médica conta também com o apoio de especialistas, 24 horas por dia, em três áreas: ginecologia, pediatria e ortopedia. “Os especialistas são acionados quando os médicos de plantão avaliam a necessidade de apoio deles”, informa o coordenador do pronto socorro, acrescentando também que outros quatro especialistas, em cirurgia geral, atuam no municipal.

O diretor geral do municipal, o ginecologista Jean Peterson, reforça que a gestão está comprometida em desenvolver cada vez melhor um trabalho de qualidade, e acrescenta também que uma das principais dificuldades encontradas no pronto socorro está relacionada ao grande número de atendimento, inclusive de pacientes de outras cidades, além da falta de esclarecimentos dos usuários com relação aos critérios de acolhimento com classificação de risco.

“O ministério da saúde estabelece o acolhimento com classificação de risco. Uma criança de um mês, por exemplo, que chega com febre muito alta, tem prioridade”, informa o diretor do hospital, esclarecendo também que cada tipo de atendimento é identificado por uma cor, sendo o vermelho o de casos de emergência, que necessitam de atendimento imediato, o amarelo, casos muito urgentes, o verde indica pacientes que podem aguardar um pouco mais e o azul aqueles que devem ser direcionados para a unidade de saúde.

Texto: Karine Gomes – Fotos Irisvelton Silva

Representantes do Governo do Estado vistoriam instalações do novo Hospital de Parauapebas

_MG_5689

Uma equipe de técnicos e gestores da Secretaria Estadual de Saúde (Sespa) juntamente com representantes da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) visitaram as instalações do prédio do novo hospital de Parauapebas na última semana. A vistoria técnica tem a finalidade de acompanhar o andamento das obras para dar prosseguimento ao processo de regionalização.

O hospital construído pela de Parauapebas será o novo Hospital Regional do Sul e Sudeste do Pará. O Termo de Cooperação Técnica entre a Prefeitura e o Governo do Estado já foi assinado e publicado no diário oficial. A estrutura conta 155 leitos de internação, 09 leitos de isolamento, 10 leitos de UTI Adulto, 5 leitos de UTI Pediátrico, 7 leitos de UTI Neo Natal.

Para a diretora estadual do Departamento de Desenvolvimento da Rede de Assistência de Média e Alta Complexidade, Conceição Oliveira, a obra segue evoluindo. “Já temos andar com 80% de obra concluída. Estamos inspecionando para tudo seja dentro dos padrões”, declarou a diretora.

A obra será entregue pela Secretaria Municipal de Obras (Semob) à Semsa para instalação dos equipamentos por andar. Os serviços do terceiro andar estão quase concluídos. Segundo o Secretário Adjunto de Saúde, Raimundo Henrique, parte dos equipamentos já foi comprada, outros já estão em licitação e a entrega do hospital está prevista para o primeiro semestre de 2015.

Fonte : Semsa

 

Parauapebas: MP, Município e empresa celebram TAC para conclusão das obras do Hospital Municipal.

O Ministério Público do Estado do Pará (MPPA), por meio do procurador de Justiça Nelson Pereira Medrado e a promotora de Justiça Crystina Michiko Taketa Morikawa, celebrou, na última segunda-feira, 21, com o Município de Parauapebas, representado pelo prefeito Valmir Queiroz Mariano, e a empresa Decol Engenharia e Comércio Ltda, representado por João Lauro Araújo Tavares, Termo de Ajuste de Conduta (TAC) para que sejam concluídas as obras do Hospital Municipal de Parauapebas (HMP), cujo início remonta o ano de 2008 e não foram finalizadas até hoje, devido às várias alterações do projeto, o que está prejudicando a sociedade local que necessita do atendimento do SUS.

imageAtualmente a população da cidade está sendo atendida de forma precária no único hospital municipal em funcionamento, já que as obras do HMP se arrastam há cinco anos, com constantes investimentos sem que a sociedade receba em contrapartida o atendimento digno de saúde.

Há ainda a necessidade de regionalizar os serviços do HMP para que o atendimento da população se faça da melhor maneira possível. De acordo com os representantes do MPPA “é possível realizar alterações (quantitativas e qualitativas) no contrato administrativo, para melhor adequação técnica aos objetivos contratados, em razão de fatos não previstos ou imprevisíveis por ocasião do pacto inicial”.

Porém, para que o novo hospital municipal venha a estar apto a receber a demanda de um hospital regional, se fazem necessárias novas adequações no contrato, que resultarão em um acréscimo de cerca de R$ 9.754.218,35 no valor e uma prorrogação do prazo de entrega de mais 180 dias.

Após concluído, o Hospital Municipal deverá realizar atendimentos materno-infantil, hemodiálise e urgência em trauma de usuários do Sistema único de Saúde (SUS), não apenas a população de Parauapebas, mas também dos municípios próximos como Canaã dos Carajás, Curionópolis e Eldorado dos Carajás.

Entenda o caso

Em 2008 foi contratada a empresa Multisul Engenharia Ltda para realizar as obras do Hospital Municipal de Parauapebas com valor de R$ 8.683.139,35, no prazo de 12 meses, porém, em razão da necessidade de se realizar adequações ao projeto inicial e alterações na execução do projeto, as obras foram paralisadas. Posteriormente, em janeiro de 2011, a Prefeitura contratou a empresa Decol Engenharia e Comércio Ltda, no valor de R$ 25.235.644,38, para realizar a execução do projeto de conclusão e ampliação do novo HMP, empresa esta que está hoje na execução das obras.

image

O projeto já foi alterado sete vezes, o que exige prorrogação do prazo de execução e aumento quantitativo nos valores da obra. Até o nono termo aditivo, a obra já alcançava o montante de R$ 39.004.892,93, dos quais aproximadamente 12 milhões referem-se às adequações do projeto inicial.

A preocupação maior do MPPA é a de que “o recebimento da obra nos termos em que está contratada poderá impossibilitar o início imediato do atendimento ao público dessa futura unidade de saúde, posto que demandará a realização de novo procedimento licitatório para a contratação de outra empresa para as adequações que se fazem necessárias para o funcionamento do hospital”, ressaltam os representantes do Ministério Público.
Dos termos

Assim, foi firmado no TAC que, no prazo de 30 dias, o município de Parauapebas deverá elaborar projeto com as alterações recomendadas pelo Governo do Pará e encaminhá-lo à Decol para elaboração de proposta financeira e ao MPPA, bem como deve comprovar e reservar os recursos orçamentários e financeiros necessários para pagamento dos serviços executados.

Deve ainda realizar consulta ao Tribunal de Contas do Município (TCM/PA) sobre a viabilidade financeira do adiamento contratual pretendido, assim como da adequação da proposta de adiamento contratual com a empresa Decol, verificando a legalidade deste adiamento.

Solicita ainda que o Município encaminhe ao MPPA cópia do projeto originário e demais alterações realizadas ao longo da execução da obra, assim como informações sobre a execução dos contratos firmados anteriormente. Pede também que sejam enviadas informações atualizadas sobre o número de habitantes e a prestação dos serviços públicos de saúde do município, como número de hospitais, leitos disponíveis, principais atendimentos e números de pacientes atendidos para o serviço de hemodiálise, maternidade e traumatologia.

Deve ainda apresentar ao MPPA relação de todos os equipamentos adquiridos para suprir o novo hospital municipal, com indicação do local onde estão armazenados e o estado em que se encontram.

No prazo de 30 dias, a empresa Decol Engenharia deve demonstrar sua regularidade fiscal e financeira ao MPPA; apresentar proposta financeira para a finalização do projeto e execução de obras do HMP e expor relatórios de todos os serviços já realizados e a data da aquisição dos equipamentos previstos no contrato firmado.

Por fim, no prazo de 180 dias a partir da assinatura do termo aditivo, a Decol deverá entregar a obra devidamente concluída.

Caso as obras não sejam concluídas no período firmado, o Município deverá notificar a Decol e determinar a instauração de procedimento para apuração de responsabilidade pela inexecução do contrato.

Veja AQUI o TAC na íntegra.

Equipamentos de alta tecnologia são instalados no HMP

Depois de adquirir modernos aparelhos de ultrassonografia, a prefeitura equipa o centro cirúrgico do Hospital Municipal de Parauapebas (HMP) com equipamentos modernos e dotados de alta tecnologia. Arco cirúrgico, cardiotocógrafos, monitores multiparâmetros, respiradores, desfibriladores e bisturi elétrico vão contribuir para maior eficiência dos procedimentos médicos.

image_preview

Nesta quarta-feira (16), acompanhado do secretário de municipal de Saúde, Rômulo Maia, da secretária adjunta, Carine Neves e da diretoria do HPM, o prefeito Valmir Mariano vistoriou o funcionamento dos novos equipamentos, conhecendo a função e o beneficio de cada um, como o arco cirúrgico, equipamento utilizado durante cirurgias ortopédicas.

“Esse equipamento proporciona uma melhora significativa no procedimento cirúrgico como a assertividade na cirurgia. É também um beneficio muito grande para o paciente, tendo em vista que antes era preciso deslocá-lo até a sala de raio x, hoje esse aparelho fornece uma imagem instantânea e de alta resolução durante o ato cirúrgico”, relata Rodrigo da Rocha, ortopedista e traumatologista.

O hospital municipal realiza em média 15 cirurgias ortopédicas semanalmente por meio do processo de agendamento, além das demandas de urgência. De acordo com a gerente de enfermagem do HMP, Nilcélia Farias, os novos equipamentos fornecem maior segurança no diagnóstico e condutas a serem tomadas pelos profissionais.

“Dos equipamentos uma grande novidade na rede municipal de saúde foram os dois cardiotocógrafos que servem para auxiliar os profissionais no acompanhamento do trabalho de parto”, explicou a enfermeira informando que o equipamento emite um registro gráfico da frequência cardíaca fetal.

Segundo o secretário municipal de Saúde, Rômulo Maia, os novos aparelhamentos fazem parte de uma série de melhorias na rede municipal de saúde. “Esse arco cirúrgico é o melhor do estado do Pará na rede pública, em termo de tecnologia”, disse o secretário, destacando que para sua aquisição a Prefeitura investiu R$ 329 mil, com recurso próprio.

Além dos equipamentos, o prefeito também conferiu a qualidade da nova rouparia do hospital, adquirida recentemente. O material é utilizado na maternidade, centro cirúrgico, pronto socorro e em procedimentos de internação e lençóis de cama.

Jatene e Valmir Mariano assinam convênio de regionalização do Hospital Municipal de Parauapebas Teófilo Soares

image

EXTRATO DE TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA

Partes: Estado do Pará e o Município de Parauapebas.

Espécie: Termo de Cooperação Técnica, que entre si celebram o Estado do Pará e o Município de Parauapebas.

Objeto: O presente termo tem por objeto a Cooperação técnica, financeira e interinstitucional, visando à atuação entre signatários, voltadas à Regionalização do Hospital Municipal de Parauapebas, que passará a se chamar Hospital Regional de Parauapebas.

Prazo de vigência: O presente acordo vigorará por tempo indeterminado, salvo manifestação de qualquer das partes para rescindi-lo.

Assinam o presente Acordo de Cooperação Técnica:

Estado do Pará, CNPJ Nº 05.054.861/0001-76, neste ato representado pelo Excelentíssimo governador do Estado, Simão Robson Oliveira Jatene, e o Município de Parauapebas, CNPJ nº22.980.999/0001-15, neste ato representado por seu Prefeito Valmir Queiroz Mariano.

Data da assinatura: Belém-PA, 28 de abril de 2014.

Texto extraído do Diário Oficial do Pará

Semsa disponibiliza resultado de exames a doadores de sangue da campanha de 2013

 

Já estão disponíveis os resultados dos exames realizados durante a campanha de doação de sangue ocorrida nos dias 26 e 27 de outubro do ano passado. Os exames podem ser retirados pelos doadores na Agência Transfusional, localizada no Hospital Municipal de Parauapebas, até o dia 28 de fevereiro.

Para ter acesso ao resultado dos exames, basta que o doador apresente um documento de identificação com foto. A retirada pode ocorrer de 8h às 12h e de 14h às 18h, de segunda a sexta-feira. Ao todo, são oito resultados, entre eles, Hepatites, HIV e Doença de Chagas.

O Hospital Municipal de Parauapebas está localizado na rua A, S/N, Quadra 7, Lote especial.

Parauapebas: grupo de trabalho define ações para acelerar obras na saúde

O governo municipal criou um grupo de trabalho com o objetivo de acelerar a finalização da obra do novo hospital municipal, assim como realizar a reforma do atual Hospital Municipal Teófilo Soares e a construção de uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) até o final desse ano.

Integram esse grupo de trabalho o prefeito Valmir Mariano, os secretários de saúde, Rômulo Maia, e de obras, Dário Veloso, o procurador geral do município, Marcones José dos Santos e o assessor de comunicação Walmor Costa. Nesta segunda-feira (27) o grupo realizou uma visita para acompanhar o andamento das obras do novo hospital e verificar a real necessidade de reforma do hospital atual.

A visita foi realizada no período da manhã e na parte da tarde o grupo se reuniu para definir as ações. Durante a reunião, o secretário de obras informou que a primeira etapa do novo hospital deverá ser entregue em outubro , quanto ao hospital atual ficou definida a realização de uma reforma completa até o final do ano.

Em relação à construção de uma UPA, ficou definida a realização até o final do ano, obra que vai desafogar o atendimento no hospital municipal, de acordo com o secretário de saúde. Rômulo Maia antecipou também que fará a ampliação da Unidade de Cuidados Intermediários (UCI) neonatal, com apoio de recursos do governo federal por meio do programa cegonha.

Foto: Anderson Souza | Fonte: Ascom

Hospital Municipal deve ser inaugurado até dezembro

Iniciada há mais de cinco anos, com recursos públicos da ordem de R$ 40 milhões, a construção do prédio do novo hospital municipal de Parauapebas, finalmente, encerra no final deste mês, quando, então, as instalações começam a receber móveis, equipamentos e demais aparelhos hospitalares. A revelação à Reportagem do CORREIO DO TOCANTINS é do secretário municipal de Saúde, Afonso Mata Vidinha.

Promessa de campanha do atual prefeito Darci José Lermen (PT), a construção do novo hospital teve início por volta de 2007, ainda na primeira gestão do alcaide, com previsão de ser inaugurada dentro de seis meses. De lá para cá, várias datas de inauguração já foram anunciadas, mas a obra nunca foi concluída.

Com nível de média e alta complexidade, a unidade pública de saúde, que vem sendo construída com capacidade de 155 leitos, de acordo com o secretário, será inaugurada no mês de dezembro, quando encerra o mandato do atual prefeito do município.

A princípio, o novo hospital vai começar a funcionar em janeiro por etapas, iniciando com o funcionamento pleno da maternidade, que atende a uma média de quatro mil partos por ano. Em seguida, os outros departamentos do hospital entrarão em funcionamento.

Indagado sobre a atual capacidade funcional do antigo hospital municipal “Teófilo Soares”, com 74 leitos, Afonso Vidinha informou que aquela casa de saúde funciona hoje com a prestação de serviços de cerca de 700 profissionais, a metade do que vai precisar o novo hospital de Parauapebas. Para suprir esta lacuna, é necessário que o governo municipal realize concurso público para contratação de novos servidores.

CAPACITAÇÃO
Com a recente saída da Oscip (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público) Bem Viver da administração do hospital, a Prefeitura de Parauapebas celebrou convênio com a Universidade Federal do Pará (UFPA), por meio da Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa, (Fadesp), com o objetivo de capacitar os servidores do HMP para assumirem a nova casa de saúde pública, a partir de janeiro de 2013.

“A Fadesp é a instituição que vai nos auxiliar a implantar um programa de desenvolvimento e capacitação do pessoal que atua na área de saúde. O foco do programa é fazer com que esses servidores estejam aptos a trabalhar no novo hospital municipal”, detalha o secretário municipal de Saúde.

Fonte: Waldyr Silva – Correio do Tocantins

Parauapebas: Conselho Municipal de Saúde se reúne amanhã para decidir sobre permanência da Oscip a frente do Hospital Municipal

Amanhã, 23, às 14 horas, no anexo da Secretaria de Saúde, acontece reunião do Conselho Municipal de Saúde de Parauapebas com a seguinte pauta:

- Saída da Oscip Bem Viver do comando do Hospital Municipal Teófilo Soares;

- Capacitação dos conselheiros;

- Apresentação de prestação contas da gestão 1° quadrimestre, entre outras.

Parauapebas: Conselho Municipal de Saúde deverá reprovar contas da Oscip Bem Viver. Parceria não deu certo e está perto do fim.

Em Parauapebas, as ações vinculadas a saúde devem receber um parecer do Conselho Municipal de Saúde, órgão permanente e deliberativo formado por representantes do Governo, dos prestadores de serviço, profissionais de saúde e usuários.

O CMS atua na formulação de estratégias e no controle da execução da política de saúde, inclusive nos aspectos econômicos e financeiros.

Como agente controlador da saúde, o Conselho Municipal recebeu, para fiscalização e aprovação, as contas da Oscip Bem Viver ( que administra o Hospital Municipal Teófilo Soares ) referentes aos últimos doze meses.

As referidas contas foram encaminhadas à uma Comissão Interna do CMS para análise. Segundo relatou um dos conselheiros, não existe a menor possibilidade das mesmas receberem um parecer pela aprovação, tamanha a discrepância dos números.

Reunião da Comissão Interna para emissão do parecer final está agendada para o dia 16 de agosto. Já a reunião que votará o parecer e aprovará ou não as contas apresentadas pela Bem Viver deverá acontecer no dia 23 de agosto.

Parece que a parceria Prefeitura de Parauapebas/ Oscip Bem Viver não anda nada bem. Segundo informações, em julho, o atual secretário de Saúde, Afonso Vidinha, só teria autorizado o pagamento da Folha de Pagamento e outras despesas essenciais ao funcionamento do Hospital administrado pela Oscip.

É bom lembrar que essa parceria com a Oscip foi aprovada pelo CMS em 17 de maio de 2011. Este Blogger esteve presente nesta reunião e é testemunha que houve a aprovação sob a tutela de que caso a ação não desse certo poderia ser rescindida a qualquer momento. De lá pra cá várias ações judiciais foram impetradas contra a contratação da citada Oscip e não houve a tão esperada e relevante melhora nos serviços naquela casa de saúde.

Segundo o contrato celebrado entre as partes, PMP e Oscip, este pode ser rescindido por qualquer das partes a qualquer momento. Resta saber se a Semsa e a PMP esperarão a desaprovação das contas pelo Conselho Municipal de Saúde para tomar a atitude de rescindí-lo.

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.
Site Protection is enabled by using WP Site Protector from Exattosoft.com