Category Archives: Belém

Simão Jatene é diplomado para a nova gestão à frente do Executivo Estadual

Nova Imagem (2)

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) concluiu , o processo eleitoral referente a 2014 com a diplomação dos 61 candidatos eleitos no Estado. Em cerimônia realizada no centro de convenções da Universidade Federal do Pará (UFPA), 41 deputados estaduais, 17 deputados federais, além do senador Paulo Rocha, do vice-governador Zequinha Marinho e do governador Simão Jatene, receberam das mãos do desembargador Leonardo Noronha o documento que os habilita a tomar posse nos respectivos cargos.

Na abertura do evento, o desembargador do TRE falou sobre a evolução do processo eleitoral e quanto o último pleito mostrou a importância da democracia para o Estado. “Essa cerimônia mostra a seriedade do nosso processo eleitoral e o quanto ele é fundamental para a execução do estado democrático de direito. Por isso, todos estão de parabéns, por mais uma vez ajudar a construir a democracia desse país”, destacou o magistrado.

Para o novo vice-governador do Estado, a expectativa para a próxima gestão deve ser marcada pela integração do Pará. “Apesar de ser a continuação de uma gestão, temos que pensar que os próximos quatros serão de um novo governo, muito mais integrado regionalmente e cada vez mais voltado para o bem estar da população”, ressaltou Zequinha Marinho.

Aplaudido pelo publico durante a entrega do diploma, o governador Simão Jatene agradeceu pelos votos e afirmou que deve realizar mudanças significativas na próxima gestão. Em entrevista coletiva, o governador falou sobre a reforma administrativa do governo e os novos projetos do governo. “As reduções aprovadas pela Assembleia Legislativa tratam de atividades meios e não de atividades fins. Não houve extinção de órgão; o que ocorreram foram fusões de secretarias, que agora passam a centralizar ações que antes desenvolvidas de forma descentralizada. Por isso, quero tranquilizar a população e ressaltar que essa reforma visa, antes de tudo, a qualidade da gestão”, afirmou.

Fonte: Agência Pará

Especialistas debatem desenvolvimento local na Amazônia

O tema será abordado no seminário da série Diálogos Capitais Metrópoles Brasileiras, que ocorre nesta terça-feira no Hangar

A Amazônia tem 51% do território brasileiro, 25% da população e responde por 8% do PIB (Produto Interno Bruto) do país, segundo dados Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Para colocar em pauta a relevância da região e aprofundar a discussão sobre o desenvolvimento, envolvendo atores importantes, como o poder público, empresas privadas e entidades do terceiro setor, Belém recebe nesta terça-feira (09), o seminário da série Diálogos Capitais Metrópoles Brasileiras, que abordará o tema “Geração de Renda e Desenvolvimento Local”. O evento será realizado pela revista CartaCapital, sob curadoria do Instituto Envolverde, às 8h, no Hangar Centro de Convenções e Feiras da Amazônia e será aberto ao público.

Dal MarcondesPara o jornalista Dal Marcondes, colunista de CartaCapital e diretor executivo do Instituto Envolverde, o seminário Diálogos Capitais dá a oportunidade de se debater políticas públicas que normalmente não são tratadas pela mídia ou ao menos com um enfoque diferente. “Queremos lançar um olhar isento de ranços partidários sobre temas fundamentais para a qualidade de vida e o desenvolvimento das grandes cidades brasileiras. A série Diálogos Capitais – Metrópoles Brasileiras tem sido uma experiência importante ao lançar luz sobre temas relevantes”, destaca o jornalista, informando que após o evento serão produzidas matérias especiais que serão publicadas, posteriormente, pela revista CartaCapital.

A série teve início em 2014, com encontros realizados em São Paulo, Belo Horizonte, Recife e Porto Alegre. Em São Paulo foram abordados diversos temas, como habitação, segurança e mobilidade, enquanto nas outras capitais os diálogos foram focados em um único tema. Belo Horizonte debateu mobilidade urbana, Recife assistiu um relevante diálogo sobre segurança pública e Porto Alegre discutiu cidadania e economia criativa.

Em Belém, serão discutidos temas relacionados ao desenvolvimento local, como os desafios da Amazônia e o papel da agricultura e da pecuária. A abertura do seminário será realizada pelo prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, seguida da palestra “Modelos de desenvolvimento para a Amazônia e para o Brasil”, que será ministrada pelo Secretário Executivo da Rede Nossa Belém, José Francisco Ramos. A Rede atua junto ao poder público local em questões de desenvolvimento urbano e social.

Após a palestra magna será realizado o diálogo “Geração de renda e desenvolvimento local”, com a participação de Suênia de Souza, diretora do Centro Sebrae de Sustentabilidade, João Meirelles, diretor do Instituto Peabiru e João Coral, diretor de Energia e Institucional da Vale  no Pará. O diálogo será mediado pelo jornalista Dal Marcondes.

O ambientalista João Meirelles, diretor geral do Instituto Peabiru, ressalta que o encontro ampliará a abordagem de questões fundamentais para a região. “O evento dá a oportunidade de se discutir temas ‘invisíveis’ para a metrópole e que precisam ser abordados como segurança alimentar, educação de qualidade e segurança fundiária”, observa.

Dal Marcondes frisa a importância do seminário da série Diálogos Capitais chegar a Belém. “A cidade é uma metrópole cosmopolita e entrada para a Amazônia brasileira, além de ser a capital de um dos estados mais dinâmicos da região, com uma economia que ainda busca caminhos menos predatórios em relação ao ambiente e ao desenvolvimento social. Um evento na cidade tem o potencial de chamar a atenção para novos formatos de desenvolvimento”, acredita.

Programação

  • 8h-9h – Credenciamento e wellcome coffee
  • 9h1-9h40– Abertura Zenaldo Coutinho - Prefeito de Belém
  • 9h40- 10h30 – Palestra “Modelos de desenvolvimento para a Amazônia e para o Brasil” – José Francisco Ramos, Secretário Executivo da Rede Nossa Belém
  • 10h30-10h45 - Coffee Break
  • 10h45 – 12h15 – Mesa de Diálogos“Geração de renda e desenvolvimento local”
    Suênia de Souza – Diretora do Centro Sebrae de Sustentabilidade
    João Meirelles - Diretor do Instituto Peabiru e Escritor
    João Coral - Diretor-Executivo de Recursos Humanos, diretor de Energia e Institucional da Vale, no Pará
    Mediação – Dal Marcondes, jornalista Envolverde/Carta Capital

Leilão da Alfândega do Porto de Belém arrecada mais de R$ 720 mil

No último dia 14 de novembro, a Receita Federal realizou leilão eletrônico para pessoas físicas e jurídicas. As mercadorias estavam divididas em 13 lotes.

O leilão foi promovido pela Alfândega da Receita Federal no Porto de Belém e contou com a participação de 34 proponentes, sendo 11 licitantes habilitados para participação na fase de lances. Dos lotes constantes no edital, todos os 13 foram arrematados, atingindo o montante de R$ 720.042,00 (setecentos e vinte mil e quarenta e dois reais).

Os relatórios referentes aos atos praticados e resultados obtidos no presente leilão poderão ser consultados no Sistema de Leilão Eletrônico – SLE, no site da Receita Federal.

CartaCapital traz Diálogos Capitais a Belém

Um relevante diálogo sobre desenvolvimento local na Amazônia, com a participação de especialistas de empresas, governo e ONGs, apontando problemas e as soluções disponíveis.

Após ter passado pelas capitais de São Paulo, Belo Horizonte, Recife e Porto Alegre, chega, pela primeira vez, em Belém o seminário da série Diálogos Capitais Metrópoles Brasileiras, trazendo o tema “Modelos de desenvolvimento para a Amazônia e para o Brasil”. O evento, promovido pela revista CartaCapital, em parceria com o Instituto Envolverde, será realizado no próximo dia 09, no Hangar Centro de Convenções e Feiras da Amazônia. O seminário será aberto ao público, com inscrição online pelo site www.dialogoscapitais.com.br/belem.

Na pauta um amplo diálogo sobre desenvolvimento local, com um olhar voltado para as grandes cidades da região Norte, os desafios da Amazônia e o papel da agricultura e da pecuária. Dentro da programação convidados dos campos político, governamental, empresarial e de organizações sociais que contribuem para o diálogo e compartilham ideias. A abertura do seminário será realizada pelo prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, seguida da palestra “Modelos de desenvolvimento para a Amazônia e para o Brasil”.

Também será realizado o debate “Geração de renda e desenvolvimento local”, com a participação de Suênia de Souza, diretora do Centro Sebrae de Sustentabilidade, João Meirelles, diretor do Instituto Peabiru e João Coral, diretor de Energia e Institucional da Vale,  no Pará. O debate será mediado pelo jornalista Dal Marcondes, colunista de CartaCapital e diretor da agência Envolverde. Marcondes, colunista de sustentabilidade de CartaCapital e diretor executivo do Instituto Envolverde. Recebeu por duas vezes o Prêmio Ethos de Jornalismo e é membro do Conselho de Ética do Fórum Amazônia Sustentável.

Dal Marcondes ressalta que a série Diálogos Capitais propõe a interação de governos, empresas privadas e sociedade civil para refletir sobre os principais problemas relacionados ao desenvolvimento local e juntos estabelecerem proposições que contribuam para a resolução dessas dificuldades.  “Queremos jogar luz sobre os principais problemas das megacidades e mostrar as soluções disponíveis”, destaca.

Serviço:

  • Seminário da série Diálogos Capitais Metrópoles Brasileiras
  • Dia: 09 de dezembro de 2014
  • Horário: 8h às 13h
  • Local: Hangar Centro de Convenções & Feiras da Amazônia – Av. Doutor Freitas, s/n.
  • Inscrições pelo site: www.dialogoscapitais.com.br/belem

Programação

  • 8h-9h – Credenciamento e wellcome coffee
  • 9h1-9h40– Abertura Zenaldo Coutinho - Prefeito de Belém
  • 9h40- 10h30 – Palestra Gilberto Carvalho – Secretaria Geral da Presidência da República
  • 10h30-10h45 - Coffee Break
  • 10h45 – 12h15 – Mesa de Diálogos“Geração de renda e desenvolvimento local”
  • Suênia de Souza – Diretora do Centro Sebrae de Sustentabilidade
  • João Meirelles - Diretor do Instituto Peabiru e Escritor
  • João Coral - Diretor-Executivo de Recursos Humanos, diretor de Energia e Institucional da Vale, no Pará
  • Mediação – Dal Marcondes, jornalista Envolverde/CartaCapital

Educação ambiental de Parauapebas será destaque em fórum brasileiro

Parauapebas terá presença de destaque quando for realizado em Belém o VIII Fórum Brasileiro de Educação Ambiental, que ocorrerá no período de 3 a 6 de dezembro de 2014. O Centro de Educação Ambiental de Parauapebas (Ceap) é uma entidade parceira da Prefeitura, através das secretarias municipais de Meio Ambiente (Semma) e de Educação (Semed), ICMBio e Ufra, que obteve a aprovação de cinco artigos, entre relatos, experiências e contribuição inseridos nos projetos desenvolvidos na cidade.

Para os educadores ambientais do Ceap, autores dos artigos, a divulgação para a comunidade científica, bem como a comunidade em geral, vem mostrar o reconhecimento das experiências e das ações já desenvolvidas, evidenciando o trabalho dos integrantes do Centro.

O secretário de Meio Ambiente, André Rosa de Aguiar, acredita que esses relatos de educação ambiental mostram que “estamos caminhando para um ambiente mais sustentável, e a melhor forma de solidificarmos isso é através da educação ambiental, e a secretaria é parceira dessa ideia”.

Artigos aprovados

  • Projeto Flona vai à Escola: a experiência de conhecer para preservar no município de Parauapebas
  • Projeto Jovem Ambientalista atuando na mudança de atitude de jovens de Parauapebas
  • Parauapebas como instrumento para aulas práticas na construção do saber
  • Educação Ambiental e Cidadania: um relato de boas práticas ambientais dentro das escolas de Parauapebas
  • A problemática do lixo sob a ótica da educação infantil em Parauapebas.

Texto: Agenor Garcia

Goiás acerta detalhes para receber Corinthians em Belém no dia 19/11

06-11-2014-08-11-03-goias-acerta-detalhes-para-receber-corinthians-no-para--esta-99-certoGoiás e Corinthians devem mesmo se enfrentar em Belém, no Pará, no próximo dia 19, pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro. O clube esmeraldino negocia os últimos detalhes do acordo com o Governo do do Pará, responsável pelo Estádio Mangueirão.

“Em princípio sim (jogo no Mangueirão). Estamos aguardando um documento. Temos um emissário nosso lá no Pará. Posso dizer que está 99% confirmado”, afirmou Paulo Lopes, vice-presidente do Goiás, ao LANCE!Net.

Sem grandes pretensões na reta final do Brasileirão, a ideia da diretoria do Goiás é lucrar com a venda de ingressos para o duelo. A ideia de mandar a partida contra o Timão em uma das novas arenas construídas para a Copa do Mundo foi descartada por conta dos altos valores pedidos para alugar os estádios.

Em 16 jogos disputados como mandante, o Goiás tem média de 6.488 pagantes, apenas 19% da ocupação total do Serra Dourada. O maior público do time como mandante não foi nem no seu estádio, e sim em Cuiabá, quando venceu o Flamengo sob os olhares de 33.278 pagantes.

Um fator que pesou para para a partida contra o Timão ser levada para Belém é o Corinthians ter a segunda maior torcida da região Norte. Além disso, o clube paulista não joga no Mangueirão desde 2005, quando venceu o Paysandu por 2 a 0 pelo Campeonato Brasileiro daquele ano.

Fonte: Lancenet

Governo federal vai acompanhar apuração de matança em Belém

A Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República incumbiu o Ouvidor Nacional dos Direitos Humanos, Bruno Renato Teixeira, de acompanhar as investigações das mortes de dez pessoas ocorridas na noite de ontem (4) e na madrugada de hoje (5) em Belém.

Em nota, a secretaria Informa estar em contato com as autoridades do estado do Pará e do Ministério da Justiça, para obter informações sobre a apuração do caso. As mortes são investigadas pela Divisão de Homicídios da Polícia Civil.

Na noite dessa terça-feira, o cabo Antônio Figueiredo, da Polícia Militar (PM), que não estava em serviço, foi morto a tiros no bairro Guamá. Na madrugada de hoje, nove pessoas foram assassinadas em bairros diferentes de Belém, depois de serem abordadas em vias públicas por pessoas em motos.

Só após os trabalhos de investigação e da perícia criminal, a polícia poderá dizer se existe vínculo entre os homicídios com a morte do policial. A Corregedoria-geral da PM investigará o possível envolvimento de policiais nas mortes.

O jogo do acesso

Papão encara o Tupi para defender vantagem e garantir vaga à Série B

92923

Desde o dia 29 de novembro do ano passado, quando empatou sem gols com o Sport Recife, na Ilha do Retiro, e teve o rebaixamento confirmado, que o Paysandu espera pela oportunidade de voltar à Série B do Campeonato Brasileiro. Quase um ano se passou e, às 15 horas de hoje (horário de Belém), o Papão volta a campo para tentar retornar à Segundona. Há uma semana venceu o Tupi-MG por 2 a 1, em Belém. O resultado garantiu uma vantagem mínima de jogar pelo empate, mas ela existe e favorece o time paraense. Ao time mineiro basta uma vitória pelo placar mínimo de 1 a 0 para seguir adiante e conquistar o acesso. Outro 2 a 1 leva a decisão para as penalidades. Uma vitória ou empate garante a vaga ao alviazul, que também fica com o acesso se perder por um gol de diferença, desde que o placar seja de 3 a 2, 4 a 3, daí em diante, por causa dos critérios de desempate.

Na partida no estádio Radialista Mário Helênio, em Juiz de Fora (MG), o Paysandu tenta fazer valer a arrancada final que teve nos jogos de volta desse Campeonato Brasileiro. Nos nove jogos referentes ao “segundo turno”, oito deles sob o comando mais uma vez de Mazola Júnior, a equipe paraense venceu cinco vezes, empatou duas e perdeu outras duas. Curiosamente, desses nove resultados, só um, se fosse repetido, tiraria a vaga bicolor, o 1 a 0 sofrido para o ASA-AL, dia 24 de agosto, pela 12ª rodada. Um levaria a decisão para as penalidades, o 2 a 1 para o Cuiabá-MT, dia 19 de setembro, pela 16ª rodada. Os sete demais todos favorecem ao Papão, mesmo as derrotas.

O Tupi tem seus números a favor, também. Das três derrotas que teve nessa Série C, nenhuma delas foi em casa. No Mário Helênio, foram apenas três empates (Macaé-RJ, Guarani-SP e Juventude-RS, todos por 1 a 1), e seis vitórias. Até perder para o Paysandu na semana passada, o Galo Carijó defendia uma invencibilidade de 13 partidas, tendo alcançado a segunda melhor campanha dentre os times da primeira fase. É um cartel de respeito.

O equilíbrio é patente. Para o site de estatísticas esportivas Chance de Gol (chancedegol.uol.com.br), o Paysandu aparece com 50,5% de chegar à semifinal, ou seja, de garantir o acesso logo mais. Ao Tupi resta 49,5% de chances. Para a partida, o site do estatístico Marcelo Leme de Arruda crava o time mineiro com chances de 57,4% de vencer, com o empate e uma vitória bicolor com 23,2% e 19,4%, respectivamente. Isso com uma vitória do Galo, dependendo do resultado, ainda assim beneficiar ao Papão.

Entre os jogadores, esses números são coisas para analistas. Tudo será decidido dentro de campo, por quem correr mais e estiver num dia mais feliz. “A primeira decisão já foi e temos que ter tranquilidade agora. Temos uma vantagem que não é grande, por isso teremos que saber administrar isso”, afirma o atacante Bruno Veiga, autor de um gol em Belém. “Atenção terá que ser total. Uma bola pode decidir o jogo. A gente estava vencendo de 2 a 0 e o terceiro estava mais próximo quando levamos aquele gol. Um lance, uma bola decide um título”, finaliza o meia Héverton.

Dirigentes usam suposto ataque como motivação

Pelas redes sociais, dirigentes do Tupi-MG afirmaram que na saída do Mangueirão, semana passada, o ônibus que levava a delegação mineira foi atingida por latas e pedras. Ninguém chegou a se machucar, felizmente, mas o episódio vem sendo usado para motivar os jogadores. Cerca de 110 policiais que farão a segurança interna e externa no estádio Radialista Mário Helênio, que até ontem teve vendido 8 mil dos 18 mil ingressos à disposição. Já será o melhor público do Galo Carijó na competição.

Dentro do elenco do Tupi, o assunto é tocado com cuidado. “O time deles venceu o jogo e eles não tinham nada que fazer aquilo. Essa violência prejudica, acaba com o futebol. Por isso eu torço para que isso não aconteça aqui. Temos que vencê-los dentro de campo, sem pressão deste tipo”, afirmou o volante Genalvo, que não nega que o ocorrido pode ter esse fator de motivação. “Isso nos motiva sim. O susto foi grande e isso mexeu com o grupo, porque todos ficaram chateados com o que ocorreu. A nossa motivação para este jogo é muito grande e vamos buscar este acesso para o clube”.

Para o técnico do Paysandu, Mazola Júnior, ao mesmo tempo em que o ato deve ser reprovado, não deve também ser supervalorizado. Segundo ele, justamente o que foi feito pelos adversários. “O que aconteceu com o Tupi aqui já aconteceu várias vezes conosco. Time grande está acostumado com lata de cerveja no ônibus e nunca valorizamos isso”, disse. “Infelizmente, são situações normais do futebol brasileiro. Assim como eles passaram por esse calorzinho aqui, passamos várias vezes no ano e nunca criamos nenhum clima de guerra. Estamos preparados para o que der e vier. Esperamos que tudo seja resolvido dentro de campo”.

Contraprova de paciente africano com suspeita do vírus Ebola já está no Evandro Chagas, em Belém

Instituto Evandro Chagas - Belém - Foto Antônio CíceroChegou a Belém na manhã desta segunda-feira (13), a nova amostra de sangue coletada do paciente Souleymane Bah, com suspeita do vírus ebola, embora o resultado do primeiro exame tenha atestado negativo para a doença.

O Instituto Evandro Chagas (IEC), em Belém, referência nacional, informou que a segunda amostra já está sendo processada para que seja feito o diagnóstico.

De acordo com o IEC, a segunda amostra foi coletada 48h após a coleta da primeira em cumprimento ao protocolo de diagnóstico de ebola preconizado pela Organização Mundial de Saúde e Ministério da Saúde.

O resultado deve ser informado ainda nesta segunda-feira pelo Instituto Evandro Chagas ao Ministério da Saúde.

O ebola
O vírus do ebola só é transmitido por meio do contato com o sangue, tecidos ou fluidos corporais de doentes, ou pelo contato com superfícies e objetos contaminados. O ministro da Saúde, Arthur Chioro, disse que, apesar da suspeita, a situação está sob controle. “Todos os procedimentos indicados no nosso protocolo foram efetivamente aplicados com muito êxito”. (G1-PA)

Professor da Uepa tem pesquisa indicada ao Prêmio Capes de Tese 2014

premio-capes-tesesO historiador Airton dos Reis Pereira recebeu, do Programa de Pós-Graduação em História (PPGH) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), a indicação de sua pesquisa de doutorado ao Prêmio Capes de Tese 2014, oferecido pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). A pesquisa, intitulada “A Luta pela terra no Sul e Sudeste do Pará: migrações, conflitos e violência no campo”, analisa as práticas de diversos grupos sociais que estiveram envolvidos na luta pela terra, entre a segunda metade da década de 1970 e finais dos anos 2000.

Entre os atores ouvidos estão padres, agentes de pastorais, posseiros, trabalhadores rurais migrantes, fazendeiros, advogados, militantes de partidos políticos e representantes de Sindicatos dos Trabalhadores Rurais (STR), da Comissão Pastoral da Terra (CPT) e de diversas instituições como os Institutos Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e de Terras do Pará (Iterpa), entre outros.

Para o pesquisador, que é filho de trabalhadores rurais que migraram de Minas Gerais para o estado do Pará e tem larga experiência na interlocução com os atores sociais no campo paraense, atuante, inclusive na CPT, investigar essas realidades significa trazer à tona as fundamentações dos conflitos por terra na região amazônica. “Eu trabalhei na zona rural até 18 anos e tive um envolvimento muito grande com os movimentos sociais. Tudo isso, de certa forma, ajudou muito na pesquisa de doutorado e no trabalho que exerço atualmente na coordenação do campus da Uepa, em Marabá. Outro ponto importante foi o público que pesquisei. Como trabalhei com a metodologia da História Oral, a minha experiência na região facilitou o contato e entrevistas com os diversos atores”, pondera Pereira.

A tese de Airton Pereira pode ser entendida como uma narrativa que privilegia pequenos acontecimentos, marcas sutis e singulares. É um estudo que procura afastar-se das vertentes historiográficas. O trabalho revela, por exemplo, que o conceito “posseiro”, durante muito tempo atribuído ao ocupante de terras improdutivas, foi ressignificado, passando, mais tarde, à categoria “sem-terra”, que emergiu a partir da atuação do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terras (MST).a

A defesa da tese ocorreu em 24 de maio de 2013, no Centro de Filosofia e Ciências Humanas da UFPE, e foi escolhida para representar o PPGH pela Comissão de Docentes do Programa. “Acredito que a indicação de minha tese para concorrer ao Prêmio da Capes é um reconhecimento pelo trabalho que realizei. É de certa forma também reconhecimento da trajetória que construí na instituição que pertenço como professor”, revela Airton.

Devido à referência no assunto, o docente também recebe frequentes convites para participação em eventos nacionais e regionais. O próximo será o IX Encontro Regional de História, promovido pela Seção Pará, da Associação Nacional de História, que será realizado em Belém, de 10 a 13 de novembro, nas dependências da Universidade Federal do Pará (UFPA).

O Prêmio Capes de Tese oferece como premiação passagem aérea e diária para o autor e para o orientador da tese premiada para comparecimento à cerimônia de premiação, que ocorrerá no dia 10 de dezembro deste ano, em Brasília; certificado ao orientador, co-orientador(es) e ao programa em que foi defendida a tese; certificado e medalha para autor; auxílio equivalente a uma participação em congresso nacional para o orientador, no valor de R$ 3 mil; e bolsa para realização de estágio pós-doutoral em instituição nacional ou internacional.

Fonte: Uepa