Category Archives: Marabá

Vale inicia entrega de trilhos retirados da EFC ao Incra

Teve início, na última terça-feira, dia 09, em Marabá, o trabalho de entrega de trilhos da empresa mineradora Vale ao Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). A ação é resultado de um Termo de Acordo firmado em 21 de maio deste ano, o qual prevê a doação de trilhos inservíveis para as operações ferroviárias da mineradora.

Superintendente substituto e equipe da Vale acompanham o trabalho de carregamento

Nesta primeira etapa serão entregues 331 toneladas, que totalizam 4.900 metros de trilhos, que serão aplicados na construção de pontes em assentamentos rurais nos municípios do sul e sudeste do Pará. O Incra vai repassar os trilhos para as prefeituras, algumas das quais mantém convênios de infraestrutura em projetos de assentamento da região. A prefeitura de Pau D’Arco, por exemplo, será contemplada com 1.200 metros dessas peças.

Superintendente substituto assina o Termo de Entrega dos trilhos

O superintendente regional substituto do Incra no Sul do Pará, Antônio Rego, que acompanhou o carregamento dos trilhos para a prefeitura de São Geraldo do Araguaia, expôs o objetivo da parceria: “A iniciativa visa melhorar a qualidade das pontes, viabilizando a locomoção dos assentados e o escoamento da produção destes agricultores familiares. Pleiteamos os trilhos junto à Vale e conseguimos estabelecer uma ótima parceria”.

Marabá: Salame cancela licitação do lixo e pode fazer contratação direta do serviço

Por Ulisses Pompeu – Correio do Tocantins

A polêmica novela da terceirização do lixo produzido em Marabá ganhou mais um capítulo esta semana, depois que o prefeito João Salame Neto decidiu que não vai mais realizar a licitação para contratação de quatro empresas para executar o serviço, como estava previsto. Desde que assumiu o governo, o gestor demonstrou que não estava satisfeito com o trabalho da Leão Ambiental (que depois mudou o nome para Estre), mas não conseguiu encontrar outra solução para a coleta do lixo no município, que custa a bagatela de R$ 2.100.000,00 (por mês) aos cofres públicos.

LIXO-FOLHA-5Pouco mais de um ano depois de assumir o governo, o prefeito decidiu acatar sugestão de seu secretário de Obras e decidiu abrir licitação para contratação de quatro empresas para realizar o serviço. A ideia seria dividir a cidade em quatro lotes e repassar para empresas diferentes realizarem o serviço, para que não houvesse monopólio, como ocorre agora.

A licitação foi aberta, se passaram noventas dias e, na véspera, o gestor decidiu voltar atrás e comunicou o fato ao presidente da Comissão Especial de Licitação da Sevop, Bento Costa Guerra, e ao secretário municipal de Obras, Antônio de Pádua. Havia 16 empresas na expectativa de participar da licitação, sendo seis delas de Marabá, mas todas ficaram frustradas com a situação.

Para Pádua, o prefeito solicitou que fizesse um estudo para que ele possa avaliar a possibilidade da contratação direta do serviço por parte do município, acreditando que esta opção possa ser mais barata aos cofres da PMM.

Em contato com a Reportagem do CORREIO, Pádua admitiu que foi procurado pelo prefeito para esta missão e disse que até a próxima semana deverá ter um parecer conclusivo sobre a aquisição de EPI (Equipamentos de Proteção Individual), compra de máquinas e contratação de cerca de 300 servidores para realizar este serviço. “No tempo do ex-prefeito Tião Miranda, a coleta era feita por 700 pessoas, mas agora queremos investir mais em equipamentos para dar celeridade à coleta e manter a folha deste serviço mais enxuta”, diz Pádua.

O secretário avalia, por alto, que o município deverá economizar entre R$ 500 mil a R$ 600 mil por mês caso o prefeito decida acabar com a terceirização do serviço. “Mas só depois que terminarmos o levantamento teremos números precisos sobre a economia que poderemos ter se assumirmos o serviço”, avisa.

Ainda segundo Pádua, caso o prefeito decida pela contratação direta do serviço, o município vai precisar de cerca de 90 dias para adquirir equipamentos e máquinas para ter condições de iniciar a coleta. Enquanto isso, a Estre deverá continuar executando o contrato e, só neste período, terá embolsado mais R$ 6.300.000,00 de Marabá.

SalameFalhas no edital

Procurado pela Reportagem do CORREIO, por telefone, o prefeito João Salame justificou que determinou o cancelamento da licitação porque foram identificadas algumas falhas no edital. Segundo ele, serão necessários 60 dias para que o certame seja realizado integralmente. O gestor também confirmou que encomendou um estudo para avaliar os custos para o município executar o serviço de coleta de lixo, sem necessidade de contratar uma empresa. “A contratação direta é uma possibilidade que estamos avaliando”, observou.

Entenda o caso

A (grande) ideia de repassar a coleta de lixo por valor milionário para uma empresa privada foi do ex-prefeito Maurino Magalhães de Lima, que logo no início de seu mandato anunciou que iria realizar a contratação. Como havia rejeição popular, ele promoveu o caos, deixando de coletar o lixo para “provar” que só a terceirização iria resolver o problema.

Em abril de 2011 foi dada a ordem de serviço para a questionável Leão Ambiental executar a coleta e destinação final para os resíduos sólidos. Em três anos de trabalho criticado pela população, a Leão já embolsou cerca de R$ 80 milhões da Prefeitura de Marabá, sem falar o questionamento judicial sobre a legalidade do contrato entre a empresa e o município.

Tão logo foi diplomado prefeito, em 2012, João Salame viajou para Columbus, no estado americano de Ohio, para conhecer o projeto pioneiro daquele estado para destinação de resíduos sólidos. Ele ainda projetou outra viagem no início do governo para a Europa, para conhecer outras experiências exitosas, mas não chegou a viajar por conta de uma greve de servidores.

Governador do Pará entrega licença de instalação para SINOBRAS fase II em Marabá

O vice-presidente da SINOBRAS, Ian Corrêa, recebeu das mãos do Governador do Pará, Simão Jatene, a Licença de Instalação da SINOBRAS Fase II que terá capacidade de 500 mil toneladas/ano, com início da operação  previsto para março de 2016. A solenidade foi realizada na noite de ontem, dia 02/07, no auditório central do Sistema Nacional de Aprendizagem Industrial – SENAI, em Marabá. Na oportunidade estiveram presentes colaboradores da Siderúrgica, representantes do governo, associações de classe, entre outros.

SinobrasO documento autoriza o início da instalação do empreendimento ou atividade, de acordo com as especificações constantes dos planos, programas e projetos executivos aprovados, incluindo as medidas de controle ambiental e demais condicionantes, da qual constituem motivo determinante.

Segundo o Governador Simão Jatene, “este é um momento de festejar a iniciativa de empresas como a SINOBRAS que ampliam seus investimentos no Pará”. Para Davi Leal, Secretário de Estado de Indústria Comércio e Mineração, o fato de empresas investirem cada vez mais no Pará demonstra a importância do Estado. “O Pará é a bola da vez”, disse ele.

Ian Corrêa avaliou o momento como muito positivo para o Estado e para a empresa. “Estamos aqui recebendo nossa licença com muito orgulho. Para a expansão da SINOBRAS faremos um investimento previsto na ordem de US$ 200 milhões que  irá gerar a duplicação da capacidade de produção, com a Laminação 2 da SINOBRAS. O projeto de expansão inclui também  a instalação de um fragmentador de sucatas (Shredder),  uma  nova subestação de energia de 230 Kv e a extensão dos galpões da laminação/trefila  ”, adiantou Ian.  Além da SINOBRAS, representantes da empresa Correias Mercúrio, que também está em fase de instalação, no Distrito Industrial de Marabá, receberam a licença de instalação.

Série C: Águia consegue liberação do Estádio Zinho Oliveira

{C2972C91-0131-4B07-9723-05B824A1FB09}_zinho-oliveira2

Marabá, PA, 02 (AFI) – Os laudos do estádio Zinho Oliveira vão vencer neste mês e, querendo o aval para usá-lo na Série C do Campeonato Brasileiro, o Águia se antecipou e solicitou junto à Federação Paraense de Futebol uma nova vistoria técnica para que os laudos sejam expedidos a tempo. No local, a comissão chefiada pelo tenente coronel Cavalcante verificou entulhos e pequenos reparos a serem feitos. Entretanto, essas pequenas melhorias não comprometem o estádio para a realização de partidas da Série C.

“Não detectamos nada de anormal, apenas a limpeza na área entre as arquibancadas cobertas e a descoberta, além de pequenos reparos na tubulação do banheiro. O que vimos é que o estádio está em ótima conservação, as arquibcandas excelentes, as saídas de emergência muito boas, enfim, está tudo certo. Essa pequena pendência deve ser corrigida em menos de duas horas”, afirmou o tenente coronel Cavalcante.

Com a antecipação da liberação dos laudos do estádio Zinho Oliveira, o Águia passa a ter uma dor de cabeça a menos para a preparação da equipe visando o retorno da Série C do Campeonato Brasileiro.


“Estamos focados em retornar bem na série C, por isso não queremos que nada atrapalhe essa situação de laudo sempre nos trazia complicações de última hora. Queremos deixar tudo certo aqui no Zinho Oliveira. Estamos fazendo a nossa parte, agora precisamos que a torcida possa nos apoiar já no jogo do dia vinte de Julho contra o CRB”, declarou Sebastião Ferreira Neto, o Ferreirinha.

Marabá: para beneficiar quatro bairros da periferia, João Salame assina convênio com a Vale

DSC_5998O prefeito João Salame assinou na manhã desta quarta-feira (02), convênio entre a Prefeitura de Marabá e a mineradora Vale para a implantação do programa de revitalização das áreas urbanas da Estrada de Ferro Carajás (EFC).

“Os R$ 29,7 milhões do convênio serão investidos nos bairros do Araguaia (Fanta), Nossa Senhora da Aparecida (Coca-Cola), Alzira Mutran (Km 07) e São Félix, além dos túneis nos Km 729 e 730”, disse Selbe Meireles, diretor de relacionamento da Vale.

Segundo o diretor, o projeto aprovado por ambas as partes envolve ações em segurança, acessibilidade e qualidade de vida. “Através da construção do muro, podemos evitar o tráfego de pessoas nas áreas mais perigosas ao longo da ferrovia. As passarelas, viadutos e túneis vão impedir o trânsito de pessoas e veículos nos momentos em que os trens pararem na ferrovia”, disse.

A urbanização nas áreas próximas à ferrovia também é primordial, contemplando no pacote de obras a interligação entre os bairros Araguaia a Alzira Mutran, além da interligação de São Félix à BR-222.

“É com grande satisfação que testemunho a assinatura desse convênio. A comunidade só tem a ganhar com isso”, disse João Diniz, presidente da associação de moradores da Coca-Cola.

Jeania dos Santos é moradora do bairro Alzira Mutran e vem lutando por melhorias nos bairros desde 2000. “Hoje é um dia de alegria, alcançamos uma meta que foi árdua. Hoje somos parceiros, finalmente”, disse.

“Gostaria de ressaltar não a questão material do convênio, mas sim o diálogo com a comunidade e com o poder público. Juntos, podemos mudar a situação de muitas pessoas nessa região.O prefeito João Salame pode contar conosco nessa caminhada”, ressaltou João Coral, diretor de energia da Vale.

O prefeito João Salame lembrou que em meio a tantas dificuldades, R$ 29 milhões podem parecer uma quantia pequena, mas é na verdade uma quantia enorme em qualquer lugar do mundo. “O que está acontecendo aqui hoje é a quebra de duas posturas extremamente radicais e comuns em nossos dias: ocupar a ferrovia ou ser capacho dos caprichos das empresas. Quero agradecer às lideranças comunitárias por nos ajudar a estabelecer o diálogo com a população na época das negociações e à Vale pela mudança de postura em relação a cidade”, disse.

DSC_6063

João lembrou que ao todo, mais de 22 quilômetros de vias públicas nas comunidades do Km 07, Alzira Mutran, Nossa Senhora Aparecida, Araguaia e São Felix receberão pavimentação, sinalização, drenagem e iluminação. Os locais foram definidos em conjunto com a Prefeitura Municipal, com o intuito de viabilizar o acesso dessas comunidades a serviços essenciais, como o transporte público. Entre as obras previstas, está a pavimentação do acesso ao túnel do bairro Nossa Senhora Aparecida.

Durante a solenidade de assinatura do convênio houve um momento de cobrança por parte do prefeito João Salame, que mesmo reconhecendo publicamente que a postura da Vale em relação a Marabá vem mudando para melhor, aproveitou a oportunidade e cobrou mais responsabilidade por parte da mineradora no que pese aos pagamentos de pequenos fornecedores e empreiteiros que trabalham para ela na região.

Marabá recebe 1º Seminário de Desenvolvimento Econômico Regional

A cidade de Marabá recebeu nesta quarta-feira (02) o 1º seminário de Desenvolvimento Econômico Regional, um projeto do Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES) em parceira com a Secretaria Municipal de Indústria e Comércio (Sicom) e Associação Comercial de Marabá (Acim).

MarabáCidade

Com o tema “O BNDES e suas formas de atuação para Micro, Pequenas, Médias Empresas e gestão pública”, o seminário foi sediado pelo Senai, contando com o apoio da instituição, do Sebrae e do governo do estado.

“O seminário foi dividido em dois momentos, onde pela manhã as alternativas de fomento ao desenvolvimento de projetos de colaboração entre o BNDES e prefeituras foi discutido. Na parte da tarde teremos a participação do empresariado, para a discussão de planos e alternativas para o desenvolvimento das empresas em Marabá e região”, disse Marcelo Araújo, secretário municipal de Indústria e Comércio.

Segundo o secretário, o BNDES tem como objetivo descobrir como pode fomentar o crescimento de municípios, prestando serviços às prefeituras e empresários.

“O BNDES talvez seja o maior banco da América Latina, ele pode alavancar a economia de nossos municípios, mas para isso é necessário que haja mais rapidez e menos burocracia no processo de avaliação de projetos, considerando que a administração pública é a parte que oferece menos riscos de inadimplência”, declarou o prefeito João Salame, em sua fala no seminário.

O prefeito fez questão de lembrar a Antônio Elias e Vitor Burns, diretores e representantes do presidente do BNDES, Luciano Coutinho, que Marabá tem R$ 130 milhões em projetos encaminhados e aguarda resposta com ansiedade uma reposta positiva do banco.

Impedida pela justiça eleitoral, Bernadete ten Caten lança filho a deputado estadual

Dirceu Ten Caten

Com problemas na justiça eleitoral, a deputada estadual petista Bernadete ten Caten não concorrerá à reeleição em outubro próximo.

Porém, os ten Caten terão um representante concorrendo a um cargo na Alepa ano que vem. Bernadete, que se elegeu pela primeira vez em 2006 com mais de 36 mil votos, registrou seu filho Dirceu ten Caten para a disputa.

Marabá: Juiz acata pedido do MP-PA e determina instalação de delegacia especializada

Após o Ministério Público do Estado do Pará (MPPA), por meio das 9ª e 10ª promotoras de Justiça de Marabá, respectivamente, Alexssandra Muniz Mardegan e Lílian Viana Freire, entrarem com Ação Civil Pública (ACP), no final de março, 31, exigindo instalação de Delegacia da Infância e Juventude de Marabá, o juiz Eduardo Antonio Martins Teixeira acatou, nessa quinta-feira, 26, o pedido das promotoras que constataram irregularidades quanto ao acolhimento e a permanência de adolescentes em conflito com a lei nas delegacias do município.

Marabá

De acordo com as promotoras Alexssandra e Lílian, as irregularidades foram apuradas através de procedimento administrativo preliminar instaurado devido “a permanência de adolescentes na Delegacia Regional em local inadequado, com tratamento desumano e (…) em condições insalubres, desrespeitando aos preceitos estabelecidos no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA)”.

Reformas
Durante a tramitação do referido procedimento, a Delegacia Regional de Marabá foi submetida à reforma, tendo suas atividades suspensas. Os adolescentes apreendidos em prática de ato infracional passaram a ser custodiados em outra delegacia, que, no entanto, apresentavam situação semelhante à Regional: má conservação dos espaços, infiltrações, falta de iluminação e ventilação e interdição em uma das celas.

Espaço para a Mulher
As promotoras de Justiça identificaram também que no espaço físico em que hoje funciona a Delegacia Especializada no Atendimento ao Adolescente (Data) está, desde 2010, a Delegacia da Mulher (Deam), também sem as instalações específicas para o atendimento de adolescentes, confirme prevê a legislação, obrigando ao acúmulo de funções. Somado a isso, “a equipe policial realiza também o trabalho de uma delegacia especializada de Proteção a Criança e ao Adolescente – em que investiga e apura envolvimento de crianças e adolescentes vítimas de crimes sexuais”.

Resultado
Tendo em vista que os adolescentes que aguardam decisão judicial na delegacia de Polícia estão submetidos a instalações físicas em condições insalubres (falta de higiene, segurança) e todas às privações de liberdade, as promotoras de Justiça Alexssandra e Lílian entraram com Ação Civil Público, pedido aceito pelo juiz Eduardo Teixeira, para que “seja determinada a implantação de uma delegacia especializada que contemple atendimento aos adolescentes em conflitos com a lei, e crianças e adolescentes vítimas de crimes, devendo funcionar de forma ininterrupta, inclusive em período noturno, feriados e finais de semana”.

E que seja determinada que a referida unidade policial disponha de equipe técnica especializada, com todos os recursos humanos e materiais necessários para os funcionamentos.

Belém e Parauapebas receberão exposição sobre Floresta Nacional Tapirapé-Aquiri

A mostra é uma homenagem pelos 25 anos da unidade de conservação

A exposição fotográfica sobre a Floresta Nacional Tapirapé-Aquiri (Flonata), localizada entre os municípios de Marabá e São Félix do Xingu e que comemora este ano o seu Jubileu de Prata, continua em cartaz no shopping de Marabá até julho, com entrada gratuita. Em agosto, a mostra itinerante passará por Belém e depois por Parauapebas.

Exposição2~_1

A exposição é composta por 22 fotos dispostas em 11 painéis, reunindo  os trabalhos dos fotógrafos João Marcos Rosa e L. Maoli, além de fotos do acervo do Parque Zoobotânico Vale. Entre as imagens estão a do encontro dos rios Aquiri e Itacaiúnas, que marca o limite entre as áreas protegidas. Há também  fotos de aves, répteis e mamíferos, como o cachorro-do-mato-orelhas-curtas, considerada uma das espécies raras da região.

A mostra é uma iniciativa do Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio) em parceria com a Vale e a Fundação Casa da Cultura de Marabá.

A Floresta Nacional do Tapirapé-Aquiri é uma unidade de conservação que  integra o Mosaico de Carajás, maior área contínua de Floresta Amazônica do sudeste do Pará, com aproximadamente 1,2 milhão de hectares. A Vale ajuda a proteger este patrimônio natural, promovendo a conservação da biodiversidade da área em conjunto com o ICMBio.

Na região, está localizado também o Salobo, com mina em Marabá, que representa a segunda operação de cobre da Vale no Brasil. O empreendimento adota a tecnologia como diferencial e o resultado é a ecoficiência em suas operações, com menor consumo de energia e de água. A sua planta de beneficiamento, por exemplo, permite o reaproveitamento de aproximadamente 98% de toda a água utilizada no processo de beneficiamento do minério.

Polícia Civil cumpre mandado de prisão de líder de acampamento no sudeste paraense

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Conflitos Agrários (DECA) de Marabá, prendeu o líder de acampamento de sem-terras Moisés Jorge Costa da Silva, no final da tarde desta quarta, 25, na zona urbana do município. Ele é acusado de comandar um esquema para abater mais de 400 cabeças de gado, dentro da propriedade rural ocupada pelo grupo no município de Eldorado dos Carajás, sudeste do Pará. O delegado Victor Leal, titular da DECA de Marabá, comandou a prisão do acusado decretada por ordem judicial.

De acordo com as investigações, Moisés Jorge é líder de um acampamento localizado no interior de uma propriedade rural em Eldorado dos Carajás. O delegado da DECA explica que o crime na região vem ocorrendo há mais de quatro anos. A ordem de prisão foi deferida pela Comarca de Curionópolis em 28 de fevereiro de 2014, por determinação do juiz Danilo Alves Fernandes.

Moisés Jorge foi preso em decorrência de operação que contou com apoio de policiais civis do NAI (Núcleo de Apoio à Investigação) de Marabá. Victor Leal detalha que a prisão visa promover a pacificação na área rural em todo sudeste do Pará. Ele ressalta que as investigações mostraram que, só na propriedade rural em que o preso estava acampado, mais de 400 cabeças de gado já foram abatidas. As investigações irão continuar para identificar e efetuar a prisão dos outros integrantes do grupo criminoso.

Fonte: Polícia Civil do Pará