Category Archives: Marabá

Mutirão de limpeza prepara cemitérios de Marabá para o Dia de Finados

CEMITÉRIO DA SAUDADE - N. M. -DINHO AIRES  (1)A Prefeitura de Marabá está realizando um mutirão de limpeza nos cemitérios da cidade, com vista ao Dia de Finados, lembrado em 2 de novembro. Uma equipe da Secretaria de Viação e Obras Públicas (Sevop) começou, no último dia 29 de setembro, os trabalhos de poda da grama e de árvores, limpeza e cortes de arbustos, pelo campo santo do Bairro São Félix; seguido do Cemitério São Miguel, na Velha Marabá, onde os trabalhos de limpeza já foram concluídos.

A equipe composta por 45 trabalhadores finaliza nesta quarta-feira (22) a limpeza do Cemitério da Saudade, na Folha 29. “Estamos com 15 roçadeiras para limpar esse cemitério que é o maior da cidade”, informou o diretor de Limpeza Urbana do município, José Leite.

Segundo Leite, essa semana terá início os serviços de reposição de bloquetes, e de pintura de meio-fio e do muro no Cemitério da Saudade. Ele explicou ainda que nesta terça-feira (21), uma equipe começou o trabalho de poda de árvores no Cemitério Jardim da Saudade, no Núcleo Cidade Nova.

Início

CEMITÉRIO DA SAUDADE - N. M. -DINHO AIRES  (3)Os funcionários do Departamento de Limpeza Urbana iniciaram o trabalho pelo Cemitério do Bairro São Félix, onde foram realizados os serviços de roçagem, poda de árvore e recolhimento de galhos e folhas. José Leite informou ainda que a pintura de meio-fio será feita a partir dessa semana.

No Cemitério São Miguel, o mais antigo da cidade, os serviços de limpeza já foram concluídos. Ainda segundo o coordenador do Departamento de Limpeza do Município, também será realizada nos próximos dias a pintura do meio-fio e do muro.

O diretor de Limpeza Urbana do Município orienta as pessoas que tem seus entes queridos enterrados nos cemitérios de Marabá que antecipem a limpeza dos túmulos, uma vez que tem pessoas que deixam para a véspera do Dia de Finados. “Elas colocam os materiais que foram retirados nos locais que já foram limpos, então se torna impossível voltar para limpar tudo”, disse, lembrando que a prefeitura tem a sua responsabilidade, mas cada cidadão também precisa contribuir com a limpeza.

Os cemitérios da zona rural também estão sendo preparados. O de Murumuru e da Vila Sororó já receberam limpeza e a equipe da prefeitura vem fazendo a manutenção para que continuem limpos.

Pecuária Verde realiza circuito de palestras em Marabá, Redenção, São Felix do Xingu e Xinguara a partir desta terça (21)

A ideia é mostrar ao setor produtivo que a pecuária pode ser sustentável, economicamente viável, lucrativa, e com resultados bem superiores em relação à pecuária tradicional

Com o objetivo de difundir os resultados dos três anos de atuação no Pará, o projeto Pecuária Verde, sediado em Paragominas, realizará a partir desta terça (21) até quinta-feira (24) um Circuito de Palestras nos sindicatos rurais dos municípios de Marabá, Redenção, São Felix do Xingu e Xinguara. As palestras serão ministradas pelos pesquisadores Moacyr Corsi e Mateus Paranhos, consultores do projeto, e por Mauro Lúcio Costa, diretor executivo do Pecuária Verde. A ideia é mostrar ao setor produtivo que a pecuária pode ser sustentável, economicamente viável, lucrativa, e com resultados bem superiores em relação à pecuária tradicional.

Mauro Lúcio 3Em 2013, a produtividade das áreas intensivas do projeto foi de 30,33 arrobas por hectare, representando um aumento de 24,6% sobre 2012. Ainda em 2013, os produtores tiveram margem de lucro de 6,08%, um percentual 54,6% maior do que o ano anterior. Para este ano, a expectativa é de aumentar a produtividade para 35,95 arrobas por hectare. “A meta é chegar entre 7 a 8 arrobas líquidas por hectare. Isso representa 10 vezes mais em termos de produção, ficando equivalente ou mesmo superando a soja e outras culturas”, destaca Moacyr Corsi, pesquisador da Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” (Esalq/USP).

Idealizado em 2011 pelo Sindicato dos Produtores Rurais de Paragominas (SPRP), em parceria com o Fundo Vale e Dow AgroSciences, o Pecuária Verde tem como principal objetivo otimizar e intensificar a produção pecuária, evitando a abertura de novas áreas de pastagem e, ao mesmo tempo, proporcionando acondicionamento de maior quantidade de animais por hectare, promover o aumento da produtividade e da lucratividade dos produtores, além de investir na capacitação dos trabalhadores, produtores e técnicos que participam do processo.

Para Mauro Lúcio Costa, diretor executivo do projeto, o sucesso do empreendimento é fruto da parceria do setor produtivo com essas instituições, que ofereceram suporte e consultoria técnica para o avanço do projeto. “Foi uma parceria muito feliz, que garantiu êxito a um trabalho, que mostrou para o setor produtivo que a pecuária é economicamente viável quando alicerçada em pilares sustentáveis, tendo suporte tecnológico, além de consultoria técnica”, declara.

Carina Pimenta, gerente do Fundo Vale, avalia que o Pecuária Verde é bastante inovador porque trouxe conhecimento técnico aos produtores, que adaptaram as tecnologias à realidade local. “Sempre acreditamos no sucesso do projeto, que provou que é possível desenvolver uma pecuária sustentável, gerando economia e ao mesmo mantendo a floresta em pé, conservando os recursos e melhorando a qualidade de vida das pessoas”, pontua.

Bem estar – Outro grande diferencial do Pecuária Verde foi a aplicação do novo conceito de bem-estar para todos os que participam da cadeia produtiva.”Depois que os envolvidos no trabalho perceberam os benefícios do projeto, inclusive na qualidade de vida dos trabalhadores, a mudança ocorreu de forma natural. Um bom exemplo disso são os vaqueiros, que mudaram a rotina de vida com as ações do projeto e alcançaram melhores resultados de produtividade. Durante uma pesquisa, muitos revelaram ser sentir menos cansados no final do dia e com melhor qualidade de vida, tendo mais disposição para ficar junto com a família e desfrutar do lazer”, destaca Mateus Paranhos, da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita (Unesp), um dos consultores do projeto.

O vaqueiro Antônio Moura, que trabalha há 18 anos na fazenda Rancho Fundo, confirma as melhorias proporcionadas pelo projeto. “Antes, os equipamentos eram antigos e isso não ajudava o nosso trabalho. Dava uma grande canseira e vontade de desistir. Com a vinda dos professores, que ensinaram a melhorar o manejo, a estrutura do curral e tecnologia da fazenda, graças a Deus melhorou muito e a vida mudou da água pro vinho”, afirma.

Projeto mudou a forma de se fazer pecuária

O Pecuária Verde incentiva o desenvolvimento de práticas mais sustentáveis de pecuária no município de Paragominas, baseadas nos pilares de adequação e bem-estar na fazenda, além do manejo de pastagem. Integram o projeto seis fazendas-piloto: Marupiara, Teolinda, Rancho Fundo, São Luiz, Bonita e Santa Maria.

Com o acompanhamento técnico e aplicação de novas tecnologias para melhorar sua produção, os pecuaristas transformaram 10% de suas propriedades em um verdadeiro laboratório de produção intensiva. Quando questionados sobre a eficácia do Pecuária Verde, os produtores são unânimes em dizer: mudou a forma de fazer pecuária em Paragominas.

Proprietário da fazenda Rancho Fundo, Pércio de Barros, diz que antes do projeto, já praticava uma pecuária diferenciada, mas queria ir além. “Precisávamos melhorar nas propriedades a questão ambiental, social, trabalhista e agregar valor ao nosso produto. A pecuária estava perdendo espaço para a soja e outras atividades. Queríamos mostrar que ela tinha o seu valor. Com a intensificação, as seis fazendas envolvidas tornaram-se modelo de uma pecuária produtiva, socialmente correta e na parte ambiental, resolvendo os passivos”, ressalta.

Nesses três anos de projeto, Pércio assinala que o Pecuária Verde criou modelos de sustentabilidade, provando que era possível elevar a produtividade. “Agora não podemos limitar o Pecuária Verde ao bioma da Amazônia. É um projeto que pode ser realizado em qualquer parte do Brasil. A pecuária intensiva é economicamente viável. A extensão do projeto deve demorar mais tempo em função da quebra de paradigmas. A ideia é formar uma associação para se continuar com a consultoria. Precisamos fazer a ligação entre produtor e consumidor, aproveitando os novos nichos no mercado lá fora”, observa.

Hemopa de Marabá promove mais uma campanha de doação de sangue

O Hemocentro Regional de Marabá realiza a partir desta quarta-feira (15) até sexta (17) a campanha de doação voluntária de sangue, com o tema “Unidos pela Vida. Unidos pela fé. Doe sangue”. A meta é coletar 90 bolsas de sangue, para suprir o estoque estratégico do hemocentro, aproveitando a mobilização na cidade em função do Círio de Nossa Senhora de Nazaré, que acontecerá em Marabá no próximo domingo (19).

doe-sangue1O Hemocentro de Marabá garante atendimento transfusional para a rede hospitalar de 37 municípios do sul e sudeste do Pará. Segundo a técnica responsável pelo serviço de captação de doadores da unidade, a assistente social Roberta Duarte, o hemocentro tem uma média mensal de 650 coletas de bolsas de sangue e atende cerca de 640 solicitações de transfusão. O Hemocentro Regional de Marabá também dispõe de atendimento hematológico, beneficiando mensalmente cerca de 140 pessoas.

“Reforçamos o convite para antigos e novos doadores da nossa região, que podem mostrar seu amor à Virgem de Nazaré salvando vidas, com esse simples e nobre gesto da doação voluntária de sangue”, ressaltou Roberta Duarte, enfatizando que a doação é um processo rápido, simples, indolor e seguro.

Assim como as demais unidades da hemorrede estadual e nacional, o Hemocentro de Marabá também enfrenta eventuais dificuldades com a redução do número de doadores. Mas a unidade participa também de ações de responsabilidade social, visando incentivar a doação voluntária. O doador Rafael Sá, com tipo sanguíneo “O Negativo”, foi acionado pelo Hemocentro em caráter de urgência, para atender um paciente internado no Hospital Regional de Marabá. Ele decidiu iniciar uma campanha, desafiando amigos a se tornarem doadores. “Ao aceitar o desafio, o voluntário posta uma foto no ato da doação, desafiando mais três amigos, e assim, sucessivamente”, explicou Roberta Duarte.

O doador de sangue deve ter boa saúde, mais de 50 kg e estar na faixa etária de16 anos completos a 67 anos. É necessário portar documento de identidade original e com foto, e estar alimentado no momento da doação. O homem pode doar a cada dois meses, e a mulher a cada três meses.

Serviço: O Hemocentro de Marabá fica na Rodovia BR-230 (Transamazônica), Quadra 12, s/n, entre as avenidas Hiléia e Amazônia, no bairro Amapá. Fone: (94) 3324-1645 / 3324-1810 / 08002808118. Site: www.hemopa.pa.gov.br

Aeroporto de Marabá entra em fase final de obras

Projeto prevê que ampliação do terminal de passageiros seja concluída em dezembro de 2014

As obras de ampliação do terminal de passageiros do aeroporto João Correa da Rocha, em Marabá, entraram em fase de conclusão, segundo informações da Secretaria de Aviação Civil. A expectativa é que o novo terminal, com dimensões ampliadas e sala de embarque com 350 m2, seja entregue até o mês de dezembro deste ano.

Aeroporto  João Correa da Rocha - Marabá

O projeto prevê ainda a implantação de novas instalações para uso das empresas de aviação, acréscimo no número de balcões de check-in e novas esteiras para coleta de bagagem e reforma e ampliação de banheiros. O saguão do aeródromo será ampliado em mais 120 metros quadrados, passando para 570 metros quadrados.

Administrado pela Infraero, o aeroporto de Marabá é o 44º maior do país em movimentação de passageiros, ficando à frente de cidades como Macapá, Rio Branco e Joinville, por exemplo. A cidade do sudeste paraense é um importante polo industrial, mineiro e agrícola.

Em 2013, um total de 466 mil pessoas passaram pelo aeroporto.

Aviação regional

O aeroporto de Marabá é um dos 270 aeródromos contemplados na primeira fase do programa de aviação regional promovido pelo governo federal. O objetivo é fazer com que 96% dos brasileiros fiquem, no máximo, a 100 quilômetros de distância de um aeroporto com condição de operar voos regulares.

Fonte: Secretaria de Aviação Civil

SENAC abre Processo Seletivo para Parauapebas e Marabá

Processo seletivo SenacO Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial Administração Regional no Pará – SENAC/PA, torna público que estão abertas as inscrições para o PROCESSO SELETIVO destinado a selecionar candidatos para o preenchimento de vagas existentes no seu Quadro de Pessoal, para lotação no Municípios de Marabá e Parauapebas, no Estado do Pará, sendo realizado sob a responsabilidade da Comissão de Processo Seletivo, de acordo com a Resolução SENAC 875/2008, conforme as normas e condições estabelecidas no Edital abaixo. Para maiores informações ligue para 0800 7014492. Inscrições abertas – clique aqui

PSS – 02/2014 – Parauapebas e Marabá

Edital de Abertura – PSS02/2014 – clique aqui / Anexo Iclique aqui / Anexo IIclique aqui

Anexo IIIclique aqui  / Formulário de Lactante – clique aqui

Rapidinhas

Visita
O ministro-chefe da Secretaria de Aviação Civil, Moreira Franco, visita nesta quarta-feira (24) as obras de melhorias que estão realizadas no aeroporto João Corrêa da Rocha, em Marabá. O projeto de melhorias, que começou em novembro de 2013, prevê, entre outros, a reforma e ampliação do terminal de passageiros, e deve ser entregue em dezembro deste ano.

Mãe Joana
A Câmara Municipal de Parauapebas, tudo indica, virou casa de Mãe Joana. Vereador é interpelado pelo público presente e impedido de falar na tribuna; gasto anual com manutenção de jardim é pelo menos vinte e cinco vezes maior que o valor da obra; e, pra variar, vereador do Solidariedade alega, da tribuna, que seu partido “saciou-lhe” o direito de “veriar”. Tá bonito demais!

Engenharia
Com o objetivo de conhecer o processo de tratamento e distribuição de água de Parauapebas, aproximadamente 100 alunos dos cursos de engenharia civil e gestão ambiental da Universidade de Santo Amaro (Unisa) e Faculdade Metropolitana de Marabá visitaram as estações de tratamento de água e esgoto no sábado (20). Acompanhados por professores e técnicos do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saaep), os estudantes tiveram a oportunidade de vivenciar na prática o conteúdo que é estudado em sala de aula.

Minério de ferro
O momento é sensível para a mineração, com o preço do minério de ferro em constante baixa. Segundo informações, a Vale tem um teto mínimo para operar e com o atual preço (U$80,00) já muito próximo desse limite, alguns cortes nas despesas e nos investimentos já se fazem necessários para a continuidade da produção. É esperar pra ver e torcer para que tais cortes não atinjam o Complexo Minerário de Carajás, pois a previsão de reaquecimento do mercado de minério de ferro é pra 2016, quando a Índia deve aumentar a demanda pelo produto.

Curso
Em Parauapebas, profissionais da rede municipal de ensino iniciaram na última quarta-feira (17), o Curso de Extensão Universitária de Prevenção do Uso de Drogas para Educadores de Escolas Públicas. O objetivo é contribuir com a formação continuada dos professores da educação básica, capacitando-os para realizações de ações preventivas na escola e tornando-os aptos para uma abordagem adequada diante das situações que envolvam o uso de drogas ilícitas (crack, cocaína, maconha) e licitas (álcool, cigarro).

Curso II
Com duração de seis meses e carga horaria de 180 horas, o curso, que é ofertado na modalidade de Educação a Distância (EAD), será desenvolvido de setembro de 2014 a abril de 2015, por meio de várias atividades organizadas em cinco módulos e com acompanhamento tutorial.

Mais CPIs
Os cinco vereadores que assinaram as CPIs da saúde e da educação estão prontos para assinar mais uma, agora a do lixo. Isso não aconteceu hoje em virtude da ausência do vereador Arenes (PT). Mesmo assim uma nova CPI foi protocolada na Câmara: a da Terras, com o objetivo de investigar a criação de loteamentos e a concessão de títulos definitivos na gestão anterior. É bom lembrar que os vereadores desta CPI, caso encontrem alguma irregularidade, vão ter que cortar na carne, já que o vereador Bruno Soares (PP) foi quem esteve à frente da Coordenadoria de Terras por um bom período no governo anterior.

Perdeu o prazo?
O registro de candidatura a deputado estadual do ex-prefeito de Parauapebas Chico das Cortinas (PHS) aparece como inapto (Indeferido) no site do TSE. Em contato com o candidato, o mesmo alegou que sua assessoria jurídica teria dado entrada com um recurso em tempo hábil. Todavia, olhando os trâmites do processo, o mesmo aparece como transitado em julgado e nenhum recurso é encontrado.

Piquet
A notícia ainda carece de confirmação, mas está tudo certo para que o tri-campeão de Formula 1, Nelson Piquet esteja em Parauapebas para participar de um evento automobilístico no próximo dia 26.

Comissão da Verdade: ex-soldado e vítimas reconhecem casa em Marabá como local de prisão e tortura

06 maraba guido siteApesar de alterações, imóvel, localizado em área do DNIT, foi reconhecido por vítimas

Dois camponeses presos pelo Exército e um ex-soldado que atuou no combate à Guerrilha do Araguaia reconheceram na tarde de hoje um imóvel dentro de uma área do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), no Km 01 da rodovia Transamazônica, em Marabá, coma a Casa Azul, um dos mais violentos centros de prisões, tortura e morte de toda a repressão.

A diligência foi realizada pela Comissão Nacional da Verdade que enviou três membros à Marabá: Pedro Dallari (coordenador), José Carlos Dias e Maria Rita Kehl. Os trabalhos contaram com o apoio e a participação da recém-criada Comissão da Verdade do Pará e da Comissão Especial Sobre Mortos e Desaparecidos Políticos (CEMDP).

Os camponeses Pedro Matos do Nascimento, de 75 anos, e Raimundo de Souza Cruz, o Barbadinho, de 74 anos, presos pelo Exército nos anos 70 acusados de suposta colaboração com a guerrilha do Araguaia, foram ouvidos pela CNV dentro da Casa Azul. Ambos reconheceram o local imediatamente e apontaram uma sala da casa, hoje abandonada, como a cela em que estiveram presos no ano de 1973.

Cruz, que trabalhava como farmacêutico na comunidade rural de Brejo Grande, onde vivia, relatou que foi preso doente. Ele se recuperava de uma lesão causada por um tiro acidental e estava com infecção. Isso não impediu que ele fosse torturado com choques, socos e pauladas. “Passei nove dias na Casa Azul, nesse quarto”, afirmou, emocionado.

Soldado confirma – O ex-soldado Manuel Messias Guido Ribeiro, 60 anos, atuou no campanha do Exército contra a Guerrilha do Araguaia. Ele alistou-se em 1974 e após um curto treinamento foi enviado para a região de combate no sudeste do Pará. Ficou na corporação até 1980.

Guido afirma que soldados só participavam dos combates e não da tortura. Ele contou ter sido torturado durante o treinamento e que, por se apiedar dos presos, para quem procurava oferecer água, comida e cobertas, foi repreendido e ameaçado de morte. Guido, hoje pastor evangélico, reconheceu o cômodo da casa indicado por Pedro e Raimundo como prisão e local de tortura.

Ele contou que uma das ameaças de morte que sofreu aconteceu quando o viu o corpo do guerrilheiro Peri, e de um companheiro deste, em Xambioá, crivado de balas e ensanguentado, pronto para ser enterrado numa cova rasa. “Não suportei ver aquela imagem e chorei. E um dos doutores (oficial) que comandava o sepultamento me perguntou com rispidez se eu não queria me juntar a eles (aos mortos). ‘Faço o mesmo com você. Te mato e te jogo aí dentro'”, teria dito o superior, segundo Guido.

Ao final do depoimento de Guido, ele e Pedro deram uma volta no imóvel e localizaram uma alteração na casa: uma porta que foi vedada e transformada em parede. Ambos, apesar da mudanças no local não tiveram dúvida em reconhecer a Casa Azul.

AGENDA – Amanhã, a CNV fará uma diligência, às 9h, no Cemitério da Saudade, no bairro de Nova Marabá. Em seguida, ás 10h30, a Comissão Nacional da Verdade colherá depoimentos de vítimas em audiência pública que será realizada na Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa).

Fonte: Assessoria de Comunicação Comissão Nacional da Verdade

Prefeitura de Marabá esclarece sobre transporte público para Campus II da Unifesspa

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Sobre a questão do transporte público para o Campus III da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa), no loteamento Cidade Jardim, a Prefeitura de Marabá esclarece:

1- Antes de a Unifesspa iniciar as atividades no Campus III a Prefeitura vinha dialogando com a universidade e com representantes dos moradores, por meio do Departamento Municipal de Transporte Urbano (DMTU) para atender a demanda.

2- Por meio da Ordem de Serviço 002/2014, emitida pelo DMTU, as empresas que operam o transporte público ficaram de começar a circular no itinerário a partir do último dia 8. No entanto, a UNIFESSPA solicitou que fosse adiado o serviço de transporte público para o próximo dia 15 (segunda-feira), uma vez que a universidade mantém contrato com empresa particular para atendimento dos alunos e servidores, com validade até o dia 17/09.

3- A prefeitura esclarece que o itinerário, bem como a proposta de horários, levou em conta as sugestões de representantes dos moradores da Cidade Jardim e da Unifesspa.

4- O itinerário será: Avenida Antônio Maia, Rodovia BR-230 (Transamazônica), VP oito, VE dois, Rodovia BR-230. Internamente na Cidade Jardim, os ônibus seguirão pela via lateral, a partir do escritório dos Buritis, passando pela Avenida dos Ipês, Avenida J, Avenida D, Avenida F, Avenida C, Rua I, Avenida dos Buritis, Avenida F, Avenida B, voltando à Rodovia BR-230.

Abaixo, tabela de horários elaborada pelo DMTU:

image

 

Marabá, 9 de setembro de 2014.

Assessoria de Comunicação Social
Prefeitura Municipal de Marabá

Feirão do Imposto venderá gasolina a R$ 2,10

imageInicia nesta quinta-feira a quarta edição do Feirão do Imposto em Marabá. Realizada pelo Conselho de Jovens Empresários (Conjove), entidade ligada à Associação Comercial e Industrial de Marabá, a programação se estende até sábado, 13 de setembro, quando será comercializado 7 mil litros de gasolina a R$ 2,10 o litro.

Além de orientar e alertar a população sobre a alta carga tributária que incide em diversos produtos e serviços que integram o dia a dia do brasileiro, o Feirão do Imposto pretende cobrar a aplicação efetiva e transparente dos tributos assim como a simplificação tributária, eficiência e transparência dos gastos públicos.

Na quinta tem início a programação, quando acontece a abertura oficial na Associação Comercial de Marabá às 10h da manhã. Em seguida, ocorre um almoço na Churrascaria Tertúlia. Não será cobrado o valor dos impostos, sendo o almoço comercializado de R$ 52 por R$ 43. Na sexta, dia 12, também será oferecido o almoço com imposto zero.

Outra novidade, este ano, é a inclusão de uma ação de doação de sangue no Hemopa que ocorre na sexta (12), com participação de todos os membros da Diretoria do Conjove e associados do Conjove e da Associação Comercial e Industrial de Marabá. A iniciativa, antes mesmo de acontecer oficialmente, já tem incentivado muitas pessoas a aderirem a esta ação solidária.

No dia 13, sábado, ocorre a venda de produtos sem impostos no Shopping por parte de lojas que aderiram ao Feirão do Imposto. No mesmo dia, acontece a venda de gasolina sem imposto, no Posto São Bento, com limite de abastecimento fixado em 20 litros para carro e 5 litros para moto. Sendo cobrado a R$ 2,10 o litro. Ainda será possível contar com a comercialização de rastreadores veiculares da Protecta, dois carros da Revemar Automóveis e uma retro escavadeira da Sotreq, todos sem impostos, também no Pátio Marabá. O evento conta com patrocínio da Porto Seguro, seguradora oficial do Feirão.

De acordo com Caetano Reis Neto, presidente do Conselho dos Jovens Empresários de Marabá (Conjove), é importante esclarecer ao consumidor sobre quais valores estão incluídos nos impostos. “Há uma contradição, a arrecadação

de impostos cresce a cada ano, enquanto não há nenhum retorno compatível ao contribuinte, uma vez que os serviços públicos deixam a desejar”, afirma Caetano.

Aplicativo – Novidade anunciada para esta edição é a apresentação de um aplicativo para smartphones e tablets que informa ao consumidor o percentual de imposto contido no valor de cada produto. Durante a exposição no Shopping, o público poderá conhecer mais sobre essa ferramenta, assim como receber instruções para a instalação do aplicativo.

O evento ocorre simultaneamente em outras 100 cidades e 18 Estados, tendo à frente a Confederação Nacional dos Jovens Empresários (Conaje). Em Marabá, conta com o apoio da Associação Comercial e Industrial de Marabá (Acim), Sindicato do Comércio de Marabá (Sindicom), Shopping Pátio Marabá, entre outros importantes parceiros.

Academia de Letras do Sul e Sudeste Paraense comemora seu 6º Aniversário com extensa programação

A Academia de Letras do Sul e Sudeste Paraense promoverá sessão solene do 6º Aniversário da Academia, lançamento da 1ª Antologia Literária, posse de novos membros efetivos, beneméritos e correspondentes, no dia próximo dia 12, às 19 horas, na Fundação Casa da Cultura de Marabá.

Programação

  • 19h00 –  Abertura – Execução do hino Nacional – Apresentação da Academia.
  • 19h30 –  Posse dos membros efetivos, beneméritos e correspondentes. Pronunciamento dos empossados.
  • 21h00 – Ato de encerramento.
  • 21h30 – Coquetel e lançamento de livros de membros da Academia e de outros autores, sendo:
  • Membros da Academia
    Eduardo castro – Marabá, Amém
    Terezinha Guimaraes – Mulheres Trabalho, Razão e Sentimentos
    Airton Souza – Pó é Mar e Infância Retorcida
    Rosa Peres – Pelo Vitrô
    Reunivan Tocantins – Páginas Soltas
    Ismael Borba – Muito Além do Horizonte Azul
    Edimilson Rodrigues – O Lago
    João Neves – Famílias Tradicionais de São João do Araguaia
    Joelthon Ribeiro – Sinestesia
  • Membros Correspondentes
    Antonio Oliveira – Eu Cecília e Uma Cadelinha Chamada Mirna
    Zacarias Martins – Anuário dos Poetas de Gurupi
    Gerald Macedo – Raízes de Xinguara
  • Outros Autores Locais e Regionais
    Cezamar Oliveira – Alfredinho Rapidinho e Dafne e os Bichos Papões
    Fátima Alveira – Universo Poético
    Adão Almeida – Literatura de Cordel
    Nilva Burjack – Contos da Vovó