Category Archives: Marabá

Convênio entre Vale e Prefeitura de Marabá aumenta em 60% número de vagas em escolas municipais

Alunos na Escola Luiza Nunes Fernandes, no Núcleo Nova Marabá

Alunos na Escola Luiza Nunes Fernandes, no Núcleo Nova Marabá

Com investimentos em torno de R$ 2,3 milhões, a Vale irá assegurar o aumento de 467 novas vagas em três escolas do Núcleo Nova Marabá: Francisca de Oliveira Lima, Miriam Moreira dos Reis e Luzia Nunes Fernandes. A ação é parte de uma série de convênios firmados com a Prefeitura de Marabá para promover o avanço do município, nas áreas da saúde, educação e infraestrutura.

O aumento corresponde à cerca de 60% na capacidade atual de atendimento das escolas. Serão 26 novas salas de aula, além de quadras poliesportivas, salas de informática, reforma de refeitório, biblioteca e cozinha. Os prédios serão ainda adaptados, permitindo a acessibilidade de pessoas portadoras de deficiência.

A maioria das obras já foi iniciada e começará a ser inaugurada ainda em 2015, ano em que a Vale comemora 30 anos de atuação no Pará e no Maranhão.

Órgãos da prefeitura são remanejados para a Marabá Pioneira

Com o objetivo de revitalizar o comércio da Praça Duque de Caxias, na Marabá Pioneira, o prefeito João Salame está mudando o Procon (Proteção ao Consumidor), o Saci (Serviço de Atendimento ao Cidadão) e as secretarias municipais de Ação Comunitária, Trabalho e Cidadania (Semac) e Mineração, Indústria, Comércio, Ciência e Tecnologia (Sicom) para o prédio em que durante muitos anos funcionou a Caixa Econômica Federal. O novo espaço que abrigará os quatro órgãos será inaugurado oficialmente no dia 5 de abril, data do aniversário da cidade.

1Por conta dessa mudança, alguns serviços ficaram suspensos por alguns dias. O Procon, porém, já está atendendo no local deste a última segunda-feira (23). Segundo Ubiratan Sompré, coordenador do órgão, diariamente são atendidas cerca entre 20 e 25 pessoas e as principais queixas são contra a Celpa, seguida das companhias telefônicas e lojas de departamentos. Além disso, eles recebem denúncias diárias e fazem fiscalizações e também tem as audiências no setor jurídico.

Saci

Já no Saci, por conta da mudança para o novo prédio, não haverá atendimento nem segunda-feira (30) nem terça-feira (31). A previsão é de que os serviços sejam retomados na quarta-feira, 1° de abril. Os atendimentos que estavam agendados para esses dias foram remarcados para os dias 8 e 9 de abril.

Os principais serviços disponibilizados pelo Saci são a emissão de Carteira de Identidade, Carteira de Trabalho e, a partir de agora, será oferecido o serviço de 2ª, 3ª, 4ª e 5ª vias do CPF, além de atendimento da Celpa.

Para Westermack Souza, coordenador do Saci, com essa mudança os servidores trabalharão em um espaço mais adequado e salas climatizadas. “Também melhorará para os usuários, pois todos os ônibus passam próximo ao prédio”, disse.

Semac

A Secretaria Municipal de Ação Comunitária, Trabalho e Cidadania, que também funcionava na Folha 32, na Nova Marabá, já começou a realizar a mudança para o novo prédio. “A infraestrutura é mais adequada, a acessibilidade vai ser melhor, pois as pessoas portadoras de necessidades especiais serão atendidas no primeiro piso”, explicou Nágila Marina, secretária de Ação Comunitária.

Ela lembrou ainda que o Sine, o Saci e o Procon são subordinados à Semac e que, além disso, a secretaria também está fomentando o artesanato no município. “No dia da inauguração do prédio vamos ter uma feira de artesanato, uma programação cultural e todos estão convidados a participar”, disse.

Sicom

A Secretaria Municipal de Mineração, Indústria, Comércio, Ciências e Tecnologia (Sicom) terminou ontem, sexta-feira (27), a mudança do antigo local onde funcionava para a Praça Duque de Caxias. Os serviços devem ser retomados no novo prédio na próxima segunda-feira (30).

O secretário de Indústria e Comércio, Marcelo Almeida Araújo, lembrou que um dos principais projetos da secretaria é a Sala do Empreendedor, que está aqueles que trabalhavam na ilegalidade.

Sine

A sede do Sine (Serviço Nacional de Emprego), que também funcionava na Folha 32, Quadra e Lote Especial, mudará para a Velha Marabá. Mas, para o prédio onde funcionava a Secretaria de Turismo (Setur), na Rua Carlos Leitão, entre a Avenida Antônio Maia e Rua 7 de Junho.

Por conta da mudança, os serviços do Sine estarão suspensos a partir de segunda-feira (30) e serão retomados no próximo dia 6 de abril, um dia depois da inauguração oficial do novo prédio.

As principais demandas do Sine são: cadastro do trabalhador no Programa “Mais Emprego”, captação de vagas de emprego no setor empresarial, encaminhamento do trabalhador cadastrado para o mercado de trabalho e seguro-desemprego.

O coordenador do Sine Daniel Sá alerta, entretanto, que os mesmos serviços do órgão são feitos na Estação Cidadania, no Shopping Pátio Marabá.

Fonte: Assessoria de Comunicação – Ascom Prefeitura de Marabá

Em seminário realizado na Câmara Municipal de Marabá, empresário defende hidrelétrica sem eclusa.

Divaldo Santos“Marabá não deveria ter o menor interesse na construção de eclusa, pois não beneficiaria o município. Caso isso ocorra, corremos o risco de a indústria vertical da soja não se instalar aqui”. Divaldo Santos, empresário.

Não é só de hidrovia com eclusa que vivem os argumentos em defesa do desenvolvimento de Marabá. Na tarde desta terça-feira, 24, durante palestra que apresentou para vereadores e servidores da Câmara Municipal de Marabá, o empresário Divaldo Santos, ex-proprietário da siderúrgica Simara e que está investindo na construção de um porto particular para embarque de grãos, falou durante três horas e opinou, de forma polêmica, que para Marabá, é mais importante que a hidrovia venha sem eclusas e que a verticalização mineral, nos moldes da Alpa, não seria interessante para a cidade.

De acordo com o palestrante, isso tornaria Marabá, necessariamente, um entreposto de soja, criando uma cadeia produtiva em torno do produto. “Marabá não deveria ter o menor interesse em que se construa eclusa, pois não beneficiaria o município. Com esse modelo, as barcaças com produtos vindos do Mato Grosso e Goiás tirariam Marabá da posição de entreposto comercial e indústria vertical da soja não se instalará aqui”.

Divaldo apresentou ainda informações macro de mercado de produção do Brasil e do mundo, afirmando que é necessário que se fomente logística para o escoamento da produção nacional e, nesse cenário, a hidrovia do Tocantins Araguaia seria fundamental. Ele apresentou um estudo que indica que o Brasil, em 2020, será o maior supridor do mercado mundial.

O empresário informou que a produção de soja mundial é dominada por Brasil, Estados Unidos e Argentina, e nessa trilogia o Brasil é quem tem o maior espaço para crescimento. “Nosso país gasta 92 dólares na produção de soja, e nos EUA e Argentina o custo é bem menor. Cerca de 54% da produção nacional de soja advém do Norte e Nordeste, e é exportado pelo porto de Santos, e São Francisco do Souza. O destino da exportação brasileira é prioritariamente para China, que fica com 50% da soja e do milho”, observou.

Divaldo ainda explanou sobre o custo médio dos modais de transportes, enfatizando que a hidrovia é 120% mais barata que a ferrovia e 430% do que a rodovia. “Não tenho medo de dizer que a Baía do Guajará (situada no norte paraense) será o maior entreposto de soja do mundo”.

Por fim, o palestrante disse ser fundamental que Marabá crie uma Agência de Desenvolvimento no município, com suporte e condições de fomentar seu crescimento e atrair investidores.

Em seguida, os vereadores fizeram alguns questionamentos e se posicionaram sobre o tema explorado na reunião. Por sugestão do presidente do Legislativo, a cada pergunta o palestrante respondia em seguida.

A vereadora Irismar Melo advertiu que é preciso que a Agência de Desenvolvimento pense não apenas na questão do crescimento econômica, mas tenha também uma visão macro das necessidades sociais e ambientais. “Marabá já viveu vários ciclos, todos eles de exploração e extrativistas, deixando ônus social para a população”, lamentou a vereadora.

Pedro Correa reconheceu que a CMM está propondo um seminário para debater os grandes empreendimentos em Marabá e opinou que a Associação Comercial de Marabá (ACIM), por muitas vezes deixa aquele poder fora das discussões, e ressalvou que é preciso socializar mais as informações.

O presidente da Câmara, Miguel Gomes, contrapôs a argumentação do palestrante de que a hidrovia sem eclusas é mais interessante para Marabá. “E eu penso na hidrovia Araguaia Tocantins como um todo, gerando desenvolvimento para toda a região, diminuindo a pobreza, que é predominante no sul e sudeste do Estado”, ponderou.

Por Ulisses Pompeu – Correio do Tocantins

Marabá e municípios vizinhos recebem treinamento para enfrentar desastres naturais

Nesta terça-feira, 24, a Defesa Civil do Estado inicia, em Marabá, o treinamento que está preparando municípios paraenses para o enfrentamento de desastres naturais, como alagamentos, enxurradas e inundações. O curso faz parte do Plano de Contingência para Desastres Hidrológicos e começou a ser realizado este mês na região sudeste. Tucuruí foi o primeiro município a receber o curso, que começa nesta terça, 24, no polo Marabá.

O treinamento tem carga de 24 horas, divididas em três dias, e é ministrado por quatro técnicos da Defesa Civil. Os participantes têm acesso a conhecimentos sobre a Política Nacional de Defesa Civil, elaboração de plano de contingência, utilização do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres, solicitação de reconhecimento federal e solicitação de recursos.

De acordo com a Defesa Civil, cerca 90 municípios assinaram acordos de criação de uma coordenação do órgão, sendo que menos da metade estão em atividade. O próximo polo a receber o treinamento é Bragança, onde o curso será realizado nos dias 30 e 31 de março e 1º de abril.

EMATER em Marabá tem projetos de crédito rural aprovados

Neste inicio de 2015, o escritório local da EMATER-PA em Marabá manteve o ritmo de elaboração e liberação de projetos no âmbito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), são 40 Pronaf Mais Alimentos e 01 Pronaf A aprovados pelo Banco da Amazônia – Agência Nova Marabá. O montante a ser investido na agricultura familiar neste mês de março é de R$2.127.000,00 (dois milhões e cento e vinte e sete mil reais).

P1010607

Técnicos, funcionários do banco e agricultores, com destaque à participação das mulheres.

No dia 18 de março foram liberados aproximadamente um milhão de reais com a contratação de 15 Pronaf. Os projetos foram elaborados pelos técnicos Richardson Mourão e Cássio Rafael, vistoriados pelo técnico André Luiz do Banco da Amazônia, monitorados pela gerente geral do Banco da Amazônia – Nova Marabá Sra. Leila Michele de O. Souza

Além destes projetos, o esloc Marabá já elaborou mais 18 Pronaf que estão em análise pelo banco, que somam um total de R$1.000,300,00 (um milhão e trezentos reais). Segundo o técnico Richardson Mourão, a perspectiva é que sejam investidos, até maio/2015, mais de três milhões de reais no município de Marabá através dos projetos elaborados pela EMATER e contratados pelo Banco da Amazônia.

Para socióloga Franceli de Sousa Silva (Coordenadora Local da EMATER em Marabá) é cumprimento do papel institucional da EMATER de prestar assistência técnica e extensão rural e garantir o crédito rural para que os/as agricultores/as desenvolvam o aspecto econômico e garanta a geração de renda. Observou a significativa participação das mulheres no ato de assinatura do contrato.

Marabá 102 anos

Maraba-aerea

Acontece nesta quarta-feira (18), a partir das 9 horas, no Cine Marrocos, reunião entre a Secretaria Municipal de Cultura e os órgãos que compõem o sistema de segurança pública em Marabá, para começar a definir como serão as ações para garantir a tranquilidade da população durante as festividades do aniversário de Marabá, que acontece no próximo 5 de abril.

Hidrelétrica de Marabá é prioridade do governo

A construção da hidrelétrica no Rio Tocantins, em Marabá está confirmada, segundo o Diretor-Presidente da Eletrobrás Eletronorte, Tito Cardoso de Oliveira Neto. O anúncio foi feito na tarde desta quarta-feira, 4, na sede da estatal, ao deputado estadual João Chamon (PMDB/PA), que solicitou audiência para tratar do assunto. Estiveram presentes ainda o Ministro de Pesca e Aquicultura, Helder Barbalho, que intermediou a realização da audiência, e que fez questão de estar presente durante do encontro. Estiveram presentes também, o Presidente da Associação Comercial e Industrial de Marabá (ACIM), Ítalo Ipojucan, o Diretor de Planejamento da Eletronorte, Adhemar Palocci e Antônio Paiva, Gerente da Assessoria Técnica da Presidência.

DR. TITO CARDOSO  - AUDIÊCIA COM O DEPUTADO JOAO CHAMON - PMDB-PA - 03-03-15 - ROBERTO  (25)

O deputado estadual, João Chamon, afirmou que sua preocupação com a realização da obra era na verdade buscava responder as duvidas da população afetada direta e indiretamente com empreendimento. “Vi uma matéria do jornal O Estado de S. Paulo, cuja manchete era que o governo estava desistindo de usinas na Amazônia. Como parlamentar e como cidadão marabaense não podia me omitir do debate. E fiquei muito entusiasmado com a afirmativa de que o governo não desistiu e não vai preterir a implantação da hidrelétrica, que é fundamental para a região e para o país” disse o peemedebista.

Chamon garantiu ainda que a obra da hidrelétrica continua sendo prioridade, e vai ser construída, mas alguns atrasos devidos a tramites e dados técnicos, como por exemplo a emissão de licenças estão ocorrendo, e que segundo ele é normal. “Estes entraves são naturais quando estamos tratando de uma obra desta grandiosidade. A hidrelétrica é uma realidade e saber que tudo continua dentro dos planos do governo foi uma grande notícia para o modal energético do País”.

De posse da confirmação por parte do governo que a hidrelétrica continua sendo prioridade, o deputado João Chamon e o presidente da ACIM, Ítalo Ipojucan mudaram suas passagens e seguem direto para Marabá, onde já nesta quinta-feira, 5, devem começar a articulação e diálogos com as lideranças locais. O objetivo é unir todos na busca de uma base para auxiliar o governo Federal na realização das ações necessárias, a fim de destravar os processos da obra, e ajudar a Eletronorte a dar início as obras o mais breve possível.

“Agora nós vamos discutir com as principais lideranças de Marabá e da região as nossas ações e projetos, pois temos consciência que está hidrelétrica vem trazer um grande progresso para nossa região, mas também terão problemas e que precisamos começar a discutir neste momento inicial, tudo em defesa dos interesses da nossa região. Vamos dialogar com os líderes indígenas, entidades de classes, sociedade civil organizada, enfim, todos que forem atingidos pela obra”. finalizou o deputado João Chamon.

Para o Ministro de Pesca e Aquicultura, Helder Barbalho, este momento inicial é fundamental o diálogo. Ele destaca a importância da obra. “A obra vai gerar emprego, aquecer a economia e também trazer desenvolvimento para da região, além claro da oferta de energia neste momento em que o Brasil sofre com a falta dela. Dialogar sobre os investimentos da construção é fundamental e a população precisa estar acompanhando tudo e ficar ciente do que a hidrelétrica representa” disse o ministro Helder Barbalho.

reuniao eletronorte

O presidente da ACIM, Ítalo Ipojucan, grande líder empresarial da região e que também vem acompanhando o projeto desde o começo. Com a confirmação da execução do projeto, Ítalo acredita que Marabá e todos os municípios afetados pela obra, devem ter um grande crescimento econômico. “As regiões Sul e Sudeste do Pará devem aproveitar a ocasião para dinamizar novos modelos de desenvolvimento que a região passa a exigir, implementando parques industriais, dinamizando a economia do comércio, explorando principalmente nossos principais setores, que aliados a hidrelétrica teremos um potencial fantástico para região, sendo uma referência no Norte do país” afirmou.

Ipojucan ainda destacou o fato de Marabá está preparada para atender todas as necessidades da obra, garantindo que a procura de serviços estruturais e mão-de-obra terá a demanda atendida. “Marabá está preparada, pois em entre 2009 e 2010 com o anúncio da ALPA a cidade e todas as classes, políticas e empresariais, se mobilizaram para que pudesse ter um fortalecimento na sua capacidade de mão-de-obra e trabalhamos fortemente para isso. chagamos a capacitar mais de 12 mil pessoas para estarem habilitadas para trabalhar naquele momento em que a ALPA tinha uma estimativa de empregar cerca de 16 mil pessoas no pico de sua obra. A classe empresarial também buscou informações e exemplos para que Marabá estivesse preparada para aquele ambiente. Eu acredito que o fato de não ter acontecido a ALPA, claro, houve uma frustração muito forte, mas hoje a cidade dispõe de uma estrutura. Hoje a Hidrelétrica está sendo apresentada com números bem mais modestos, as demandas de contratação também são inferiores, mas acredito que a cidade está preparada. Vamos trabalhar agora na antecipação das principais medidas dentro da cidade e evitar que falsas expectativas sejam criadas” disse.

Durante a audiência, entre as informações repassadas pelo Diretor-Presidente da Eletronorte, Tito Cardoso, está o envio a Marabá do Superintendente de Meio Ambiente, Rubens Guilhard, para reunir com as lideranças e população a fim de esclarecer dúvidas do projeto. Outra confirmação feita por pelo mandatário da Eletronorte, foi a da participação dele e do Diretor de Planejamento, Adhemar Palocci na Sessão Especial que deverá ser realizada na Assembleia Legislativa que vai tratar do assunto. A Sessão foi solicitada pelo deputado João Chamon, e foi aprovada por unanimidade. Chamon garantiu que devem ser convidados todas as lideranças da região, e que só aguarda agendamento por parte da ALEPA para que sejam enviados os convites.

Prefeitura de Marabá paga hoje os salários de fevereiro

A Prefeitura de Marabá está pagando nesta sexta-feira (27), os salários de fevereiro dos servidores municipais. São R$ 7.985.398,22 da folha da Educação; 3.580.362,35 da Saúde; e R$ 3.830.111,92 das demais secretarias, totalizando R$ 15.395.872,49. Neste mês, inclusive, os professores já recebem o novo valor do piso salarial da classe, além do vale-alimentação reajustado em 38,96 %, no valor de R$ 224,00 para todo o funcionalismo.

No momento em que o comércio local passa por severa crise, a injeção de mais de R$ 15 milhões mensais vem amenizar a situação e garantir mais fôlego aos empresários do setor.

Para o prefeito João Salame, pagar os servidores em dia é um dever de todo gestor e mostra o comprometimento da administração municipal para com o servidor público, embora hoje, segundo o presidente da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), Paulo Ziulkoski, 40% das 5.570 prefeituras do País ainda não tenham pagado o 13º salário integral para o funcionalismo e metade delas não possam arcar com o novo Piso Nacional dos Professores.

“Apesar de todas as dificuldades, nós acabamos de assinar o pagamento de todos os servidores relativos ao mês de fevereiro, inclusive dos professores, que estavam recebendo com um pouco de atraso. Lembrando que o papel do professor Pedro Souza, secretário de Educação, para regularizar essa situação, foi muito importante” destacou Salame na tarde desta sexta-feira.

Reunião discute pauta agrária de Marabá

Movimentos sociais ligados ao campo estiveram reunidos com representantes do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) na quarta-feira,  25, no auditório da autarquia em Marabá, para discutir a pauta agrária do município.

DSC_4836

Estiveram presentes os representantes do Sindicato de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Marabá (STTR), da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado do Pará (Fetagri) e da Comissão Pastoral da Terra (CPT). Os movimentos cobraram a criação de assentamentos em nove áreas localizadas na zona rural marabaense. São as fazendas:

  • Bom Futuro
  • Balão II
  • Itacaiúnas
  • Tibiriçá
  • Lajedo
  • Cabo de Aço
  • Piranheira
  • São João e
  • Ana Carina

O Incra prestou esclarecimentos a respeito do andamento dos processos administrativos de desapropriação e aquisição dessas áreas de interesse social, bem como foram estipulados prazos e encaminhamentos para cada uma das situações.

DSC_4831

No caso da Fazenda Cabo de Aço, já foi criado o assentamento Pedro Laurindo da Silva na área, mas necessita de ajustes no assentamento das famílias. O Incra e seu núcleo de meio ambiente busca junto aos movimentos uma alternativa para a conciliação da preservação ambiental com as atividades produtivas dos assentados.

Cai o número de mortes por Aids em Parauapebas

AIDSA Assessoria de Comunicação da prefeitura de Parauapebas informa que o número de óbitos causados pelo vírus da Aids em 2014 no município caiu mais da metade se comparado ao ano anterior. O coordenador do Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA), Allan Miranda, explica que essa é a maior preocupação da Prefeitura e do Ministério da Saúde, que buscam um tratamento com maior eficiência para os portadores do vírus.

“Em 2013 tivemos 12 óbitos derivados da Aids no município. Esse ano registramos cinco mortes. O diagnóstico precoce é importante, pois as pessoas que estão com o vírus iniciam de imediato o tratamento, controlando a doença e não evoluindo para o óbito” esclarece o coordenador.

Atualmente, 750 pacientes são cadastrados no CTA. Dentre esses, cerca de 300 realizam tratamento. Em 2014, foram registrados 134 novos casos da doença, um aumento de apenas seis casos comparando com 2013, que registrou 128 (o número maior foi entre homens).

Ano passado, o CTA ampliou o número de testes rápidos, realizando 8.806 testes envolvendo HIV, hepatites e sífilis. Foram realizados mais 5.700 atendimentos especializados e mais de três mil medicamentos foram distribuídos. Allan explica que diagnosticar não é problema, esclarecendo a diferença entre o vírus e a doença.

“Ter o vírus HIV é diferente de ter Aids. Muitas pessoas quando fazem o teste possuem o vírus, mas por meio do tratamento adequado, não manifestam a doença. Quando a pessoa é portadora do vírus significa que ele está em seu organismo, mas não que necessariamente, vai desenvolver a doença” esclarece Allan Miranda.

O coordenador do CTA conta que em 2014 os testes foram expandidos, saindo de dentro do centro e sendo disponibilizados em unidades de saúde, empresas e durante campanhas.

Nota do Blogger
A notícia de que não houve oferecimento à população de Parauapebas de testes rápidos para HIV é um contrassenso ao que disse o prefeito Valmir Mariano no início de 2015. Quando questionado sobre a saúde, o prefeito disse que “2015 seria o Ano da Saúde”. 

Pra se ter uma ideia da importância dos testes rápidos no Carnaval, o Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) de Marabá detectou durante o período de Carnaval, de 14 a 17 de fevereiro, cinco novos HIV (Vírus da Imunodeficiência Humana) positivos, por meio do teste rápido aplicado em diversos pontos da cidade. Dois casos de Hepatite C e um de Hepatite B também foram confirmados durante a operação realizada no período momesco naquele município.