Category Archives: ALEPA

Canaã dos Carajás: Penteado vai assumir vaga deixada por Gabriel Guerreiro na ALEPA

imageO ex-vereador do município de Canaã dos Carajás, Mário Alves Silva (foto), o Penteado (PV), deverá assumir a vaga de deputado estadual deixada com o falecimento do deputado Gabriel Guerreiro, já que três outros suplentes saíram do Partido Verde para outros partidos: o 1° suplente, José Francisco, foi para o PMN, o 2° suplente, Deley Santos, migrou para o PPS e o 3° suplente, o vereador de Belém Orlando Reis, mudou-se para o PSD.

Na eleição de 2010, o então candidato Penteado obteve 3.367 votos. Ele foi diplomado suplente de deputado pelo TRE-PA no final do mês de dezembro de 2013 em atendimento a uma petição de José Carlos Lima, presidente da legenda no Estado.

Deputado Gabriel Guerreiro (PV) morre de infarto no Rio de Janeiro

Gabriel Guerreiro tinha 72 anos e foi passar o réveillon no Rio de Janeiro quando sofreu o infarto fulminante.

Gabriel Guerreiro.

O deputado estadual Gabriel Guerreiro (PV), de 72 anos, não resistiu a um infarto e faleceu no final da manhã e início da tarde desta quinta-feira, dia 02, em um hospital da cidade do Rio de Janeiro, onde estava a passeio. Nascido no município de Oriximiná, Oeste do Pará, Gabriel Guerreiro teve grande participação no cenário político do Estado do Pará nos últimos anos.

No dia 19 de novembro do ano passado, o Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE) cassou o mandato do deputado estadual Gabriel Guerreiro acusado pelo Ministério Público Eleitoral de conduta vedada e abuso de poder político e econômico durante as eleições de 2010. Após recorrer da sentença, o Tribunal Superior Eleitoral, através de liminar concedida promoveu o retorno de Gabriel Guerreiro ao cargo de Deputado Estadual no dia 18 de dezembro de 2013. Depois da decisão, ele voltou à Assembleia Legislativa do Pará (Alepa) até que seu recurso fosse julgado por esta instância superior. O presidente da Alepa, deputado Márcio Miranda (DEM), já havia tomado conhecimento da decisão do TSE.

A ação do MP Eleitoral se baseou em investigações da Polícia Federal sobre um esquema de liberação de planos de manejo que se instalou na Secretaria de Meio Ambiente (Sema) do estado, desarticulado durante a operação Alvorecer, em dezembro de 2010.

De acordo com o MP, a mesma investigação já levou à cassação do mandato do deputado federal Cláudio Puty (PT), que conseguiu uma liminar do TSE para se manter na legislatura. No caso de Guerreiro, ex-titular da pasta de meio ambiente, ele foi flagrado em escutas telefônicas autorizadas judicialmente, solicitando a liberação de planos de manejo. O interlocutor era o então secretário-adjunto José Cláudio Cunha, que já foi condenado a perda dos direitos políticos pelo TRE.

Comoção
A Assembleia Legislativa do Estado do Pará (Alepa) informou que está providenciando a remoção do corpo do deputado Gabriel Guerreiro para Belém do Pará, onde será velado, para em seguida ser transladado para Oriximiná, sua cidade natal, onde deverá ser sepultado. A notícia sobre a morte de Gabriel Guerreiro causou surpresa e comoção à população de Oriximiná e região Oeste, bem como no estado do Pará, pois Gabriel Guerreiro já estava no seu 7º mandado eletivo e era uma pessoa bastante querida em todo o Pará.

Suplente
Outro fato que está sendo bastante comentado é sobre quem assumirá a vaga que ficará aberta na Assembleia Legislativa do Pará. Segundo informações do deputado estadual Nélio Aguiar, que é de Santarém e foi um grande amigo de Gabriel Guerreiro, a vaga em aberto deverá ser ocupada pelo 1º suplente, que é Zé Francisco, que estava do PV, mesmo partido de Gabriel Guerreiro, mas que agora se filiou no PMN. A Justiça eleitoral deverá se manifestar sobre o assunto.

Fonte: O Impacto

Alepa tenta evitar greve na Polícia Civil do Pará

A pedido do deputado estadual Edmilson Rodrigues (PSOL), o presidente do Poder, deputado Márcio Miranda (DEM), o líder do governo e as lideranças dos partidos na Assembleia Legislativa do Pará reuniram com os dirigentes do Sindicato dos Servidores Públicos da Polícia Civil do Estado (Sindpol), na manhã desta quarta-feira, 20. O objetivo foi mediar o diálogo com o governo do estado para evitar a greve da categoria, assim como a dos policiais militares, marcada para iniciar no próximo dia 26. Na mesma sessão, Edmilson anunciou o recado do Executivo sobre a garantia de não desconto dos dias parados aos servidores em greve do Departamento Estadual de Trânsito (Detran). 

“A participação da Assembleia foi importante na negociação para o fim da desocupação do prédio e o fim da greve dos servidores da educação”, lembrou Edmilson, na tribuna. Do lado de fora da Assembleia, o Sindetran e o Sindpol realizaram ato público. “Não dá para o governo ignorar a ameaça de greve nas polícias civil e militar”, continuou o líder do PSOL, em plenário, ao demonstrar preocupação com o aprofundamento da crise da insegurança pública no Estado. “Acreditamos na negociação como caminho para solucionar o impasse, evitando a greve dos policiais. Mas se houver greve, os policiais terão a minha solidariedade e a do povo do Pará”, destacou Edmilson, na tribuna da Alepa. Ele foi aplaudido pelos policiais civis e pelos servidores em greve do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), que lotavam as galerias da Casa. 

O psolista, que acompanha de perto as lutas dos trabalhadores, também defendeu o atendimento dos pleitos do Sindicato dos Servidores do Detran (Sindetran): elaboração do Plano de Cargos, Carreira e Remuneração (PCCR), realização de concurso público e adicional de risco de vida aos agentes de trânsito. “O PCCR do Detran já está na Casa Civil e será enviado para a Alepa (votar) amanhã (quinta-feira, 21)”, afirmou a deputada Cilene Couto (PSDB) respondendo aos anseios dos grevistas.

Reunião – Na reunião, o presidente do Sindpol, Rubens Teixeira, reivindicou como pautas principais para serem levadas ao governo a gratificação de nível superior a todos os policiais, pois hoje, apenas parte da categoria recebe o benefício correspondente a R$ 580, enquanto essa vantagem é negada aos demais, gerando insatisfação pela ausência de tratamento isonômico entre a categoria. A segunda exigência é o enquadramento funcional dos servidores. Por último, a categoria exige a incorporação dos abonos concedidos em gestões anteriores ao vencimento base. Enquanto não houver a incorporação, reivindicada há muitos anos, os servidores correm o risco de perder esses abonos a qualquer momento, além de que não podem ser incluídos no cálculo da aposentadoria. “Em 2011, o governo prometeu incorporar o abono em 2012 e 2013, mas não cumpriu”, reclamou o diretor jurídico Pablo Farah. Sobre a gratificação de nível superior, ele informou que, na véspera, o Sindpol obteve ganho de causa na justiça que obriga o estado a estender o benefício a todos os policiais. O sindicato teme que o governo recorra da decisão.

Na oportunidade, o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Civis do Estado do Pará (Sepub), Ezequiel Sarges, cobrou a valorização dos trabalhadores do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe). “Todos os acordos firmados com o governo do estado não foram descumpridos. Hoje, mais de três agentes prisionais estão internados no hospital, vítimas de ferimentos nas recentes rebeliões ocorridas nas Seccionais Urbanas da Cremação e de São Brás. Os agentes sofrem ameaça, mas não podem andar armados. Todo final de semana há motins e tentativas de fuga nas unidades prisionais. Enquanto isso, a Susipe renova os agentes a cada três anos, substituindo o pessoal experiente por indicados de políticos sem qualquer experiência”, criticou.

Fonte: Enize Vidigal – ASCOM do Dep. Edmílson Rodrigues

ALEPA: sessão debaterá violência contra advogados

Por Enize Vidigal – de Belém

Os recentes casos de violência contra advogados no Pará, especialmente relacionados ao exercício da profissão, serão debatidos em sessão especial da Assembleia Legislativa do Estado, nesta quinta-feira, 17. A realização do evento foi requerida pelo deputado estadual Edmilson Rodrigues, mediante a aprovação unânime dos demais parlamentares. O evento acontecerá no auditório João Batista, a partir das 9 horas da manhã.

Desde 2011, pelo menos seis advogados paraenses foram vítimas de assassinato e de tentativas de assassinato, conforme o levantamento da Ordem dos Advogados do Brasil Seção Pará (OAB-PA). Confira: Pedro Mascarenhas Júnior, morto em Belém, em 08 de dezembro de 2011; Fábio Teles dos Santos, morto em 21 de julho de 2011, em Cametá; Marcos Siqueira Bastos, morto em 26 de julho de 2012, em Castanhal; Jorge Guilherme de Araújo Pimentel, morto em 02 de março de 2013, em Tomé-Açú; Jorge Luiz da Silva Alexandre, atualmente ameaçado de morte em Santa Maria do Pará; Cesar Ramos da Costa, Alessandra Souza Pereira e Rodrigo Cruz sofreram atentado no dia 04 de abril de 2013, com armas de uso exclusivo das forças armadas, na rodovia “Alça Viária”, em Abaetetuba. Eles foram salvos pela blindagem do carro em que estavam. Ainda está sob investigação o homicídio do advogado Luigi Vasconcellos Freire, ocorrido na casa dele, no dia 15 de setembro deste ano.

Entre os convidados que confirmaram presença à sessão, está o conselheiro federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e membro da Comissão Nacional de Defesa das Prerrogativas e Valorização da Advocacia, Evandro Pertence, que é filho do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Sepúlveda Pertence. Além dele, o presidente da OAB Seccional Pará, Jarbas Vasconcelos; a delegada-geral adjunta Cristiane Lobato, que representará o secretário estadual de Segurança Luís Fernandes Rocha; e o delegado João Bosco, diretor de Polícia Especializada da Delegacia Geral de Polícia Civil.

Segundo Edmilson, a sessão atende ao interesse público ao defender os profissionais que são essenciais para o exercício da justiça e cidadania. “É necessário dar um encaminhamento para o drama vivido por esta categoria, na perspectiva de sanar os problemas, rumo à construção de uma realidade mais digna aos advogados e advogadas. A Assembleia não pode se omitir em buscar uma solução para garantir o exercício pleno da advocacia. Afinal, é mister desta casa de leis a defesa da cidadania e do Estado Democrático.”

Também foram convidados para a sessão, representantes do Tribunal de Justiça do Pará (TJE), do Ministério Público Estadual (MPE), do Ministério Público Federal (MPF) e da Sociedade Paraense de Defesa dos Direitos Humanos (SDDH).

Hidrovia do Rio Tocantins é tema do I Fórum de Trabalho da Frente Parlamentar de Navegação e Portos no Pará

A Frente Parlamentar de Navegação e Portos no Pará (FPNP) realizará no próximo dia 30 de setembro o I Fórum de Trabalho, cujo tema será a “Hidrovia do Rio Tocantins” considerada de fundamental importância para viabilizar a navegabilidade do Rio Tocantins e o escoamento da produção de produtos industrializados e de grãos na região.

Na ocasião, será apresentado o estágio atual do projeto de derrocamento do “Pedral do Lourenço”, no Rio Tocantins, pelo professor-doutor Hito Braga, da Universidade Federal do Pará. O projeto está em fase final para ser licitado pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes – DNIT.

A partir do derrocamento do conjunto de pedras, denominado Pedral do Lourenço, haverá a utilização plena da hidrovia no trecho de aproximadamente 500 km, que vai de Marabá até Vila do Conde, em Barcarena, no Pará. Com isso, finalmente as eclusas do Tocantins serão retiradas da inércia. De acordo com a FPNP, este será o primeiro passo para que se atinja o objetivo de minimizar os custos de transporte no Brasil.

Vale ressaltar que a derrocagem foi um compromisso assumido pelo governo federal dentro de um pacote de investimentos que teria como contrapartida da mineradora Vale a instalação de complexo siderúrgico mineral em Marabá. Caberia ao governo do Pará ações de infraestrutura na área que contará com a utilização de navios com capacidade de carga de 19 mil toneladas.

O Fórum de Trabalho será a oportunidade de a FPNP apresentar seus membros parlamentares, membros colaboradores, entidades e professores à sociedade e destacar a necessidade de todos se manifestarem em favor do transporte aquaviário, que trará à região competitividade no mercado internacional, com a minimização dos custos Brasil/Transporte, alcançando a celeridade no desenvolvimento regional e nacional.

O público-alvo do evento são os gestores públicos em todos os níveis, universidades, classe política, imprensa e a sociedade paraense em geral. A intenção é que todos abracem a causa que é de interesse geral, já que o Brasil tornando-se mais competitivo no mercado favorecerá a todos.

Sobre a Frente Parlamentar

A Frente Parlamentar de Navegação e Portos no Pará- FPNP- é uma comissão externa da ALEPA, criada através de requerimento do deputado estadual Ítalo Mácola, de Nº 215/2013 de 23 de abril de 2013, subscrito e aprovado à unanimidade em 22 de maio de 2013.

Fazem parte da FPNP cinco deputados estaduais efetivos e cinco suplentes e, na condição de membros colaboradores, as entidades Fiepa, Fenavega, Sindarpa, Sindopar e Atoc, além dos professores especialistas no assunto, Ramiro Nazaré e João Tertuliano Lins.

Os deputados efetivos da FPNP são: Ítalo Mácola (PSDB), Tião Miranda (PTB), Hilton Aguiar (PSC), Parsifal Pontes (PMDB) e Valdir Ganzer (PT). Os suplentes são Luis Rebelo (PP), Antônio Rocha (PMDB), Ana Cunha (PSDB), Nélio Aguiar (PMN) e Gabriel Guerreiro (PV).

Objetivos da FPNP

  • Defender o uso do transporte modal aquaviário e multimodal, incluindo-se a navegação, buscando a minimização do custo Brasil/Transporte com desenvolvimento sustentável, já que é o de menor impacto ambiental.
  • Fomentar o aproveitamento múltiplo dos recursos hídricos para a construção de hidrovias e portos fluviais e marítimos.
  • Incentivar e apresentar sugestões de projetos de Leis Estaduais e Federais e projetos de preservação e recuperação ambiental dos rios navegáveis e potencialmente navegáveis no Estado do Pará.
  • Promover a revisão de Leis Estaduais relacionadas à navegação, portos e terminais hidroviários no Estado do Pará.
  • Viabilizar projetos e investimentos públicos e privados destinados às atividades de interesse do setor nos municípios situados nas áreas lindeiras das hidrovias, rios e costa navegáveis.

Fonte: Estadão

Sessão sobre cooperativismo proposta por Zimmer contará com exposição de produtos e serviços

_MG_9104Com o objetivo de debater políticas públicas de apoio ao Cooperativismo no estado do Pará, o deputado estadual Milton Zimmer propôs por meio de requerimento a realização de uma sessão especial sobre o segmento, aprovada por unanimidade pelos deputados.

O evento será no próximo dia 27 de junho, a partir das 14:00h, no plenário João Batista, na Assembleia Legislativa. A proposição também servirá para apresentar o pré – projeto de Lei do Cooperativismo do Pará e ainda terá a função de celebrar o Dia Internacional do Cooperativismo, instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU), comemorado este ano no dia 06 de julho, cujo tema é “Empresas cooperativas continuam fortes em tempos de crise?”.

“O cooperativismo é um sistema que existe há décadas em vários países e vem dando certo no Brasil e pode dar certo no Pará se tiver maior incentivo. É um instrumento que promove o desenvolvimento em função do apoio que é dado aos pequenos produtores e empresários de diversos segmentos. Com a sessão, queremos discutir mais políticas públicas de desenvolvimento para o setor e fortalecer o sistema cooperativista no Estado”, esclarece o deputado.

Para participar da mesa principal de debate, foram convidados os representantes do Sistema Cooperativo do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo do Estado do Pará (Sescoop-PA) e da Organização das Cooperativas do Pará (OCB-Pa), instituições responsáveis pela capacitação profissional e promoção social dos cooperados e defensoras dos direitos cooperativistas no Estado, respectivamente. Também estão previstos pronunciamentos de presidentes de várias cooperativas do Pará.

Na programação também consta a exposição de estandes de cooperativas de diversos segmentos, que poderão receber os visitantes durante todo o dia, com início ainda pela manhã, onde terão a chance de conferir de perto os serviços cooperativistas e a beleza de produtos artesanais e guloseimas feitas com a castanha-do-pará e de caju, geleias, entre outros. A exposição será no hall de entrada do plenário João Batista, localizado no segundo andar do prédio principal.

Economia – De acordo com o Sistema OCB/SESCOOP-PA, o Brasil conta hoje com mais de 6.600 cooperativas atuantes em 13 ramos de atividades econômicas distintas, com cerca de 9.016.527 cooperados e gera mais de 298 mil empregos diretos. Isso representa 7% do PIB (produto interno bruto) do país, gerando 40 milhões em negócios de forma coletiva. Segundo a Aliança Cooperativa Internacional (ACI), um bilhão de pessoas estão ligadas ao cooperativismo em 100 países. Mundialmente o setor gera mais de 100 milhões de empregos diretamente e movimenta aproximadamente 1 trilhão e 600 bilhões de dólares.

No Pará, o segmento vem crescendo e ganhando força econômica. O Estado configura como um dos mais expressivos do Norte quando o assunto é cooperativismo. Atualmente existem 300 cooperativas regulamentadas com mais de 100 mil cooperados. O setor paraense representa 12% das cooperativas do Brasil. As atividades agropecuárias continuam liderando, seguidas por transportes, trabalho e crédito.

Qualificação – Para qualificar os profissionais cooperativistas no Estado, o Sistema OCB/SESCOOP-PA, implantou em 2012 o primeiro curso de pós-graduação, MBA em Gestão de Cooperativas do Norte. A iniciativa é uma parceria com a Escola Superior de Cooperativismo (Escoop), com sede no Rio Grande do Sul. As aulas são ministradas em Belém e conta 35 alunos. O curso possui carga horária de 360 horas.

Fonte: ASCOM do deputado Milton Zimmer

Marabá: abertura da Sessão da Alepa é marcada por polêmica entre Tião Miranda e a bancada do PT

Por Paulo Costa – de Marabá

O que era para ser uma sessão para ouvir as demandas dos municípios do sudeste do Pará transformou-se em um palanque antecipado da eleição do próximo ano. Hoje (14) pela manhã, no Casarão Eventos, em Marabá, o deputado estadual Sebastião Miranda Filho, o Tião Miranda (PTB) fez uso da palavra durante a solenidade de abertura dos trabalhos da Sessão da Assembleia Legislativa do Pará em Marabá e acabou dando alfinetadas no governo do PT, afirmando que apenas o governo do Estado tem obras em Marabá.

Tião MirandaTião enumerou os investimentos do governo de Simão Jatene em Marabá e região, como a construção do Centro de Convenções, construção da escola Anísio Teixeira, entre outras, e relembrou que o governo federal prometeu construir a hidrovia Araguaia Tocantins, com o derrocamento do canal do Lourenço, mas até agora isso não aconteceu.

Antes mesmo de Tião terminar seu discurso, os oito deputados da bancada do Partido dos Trabalhadores começaram um zum-zum-zum entre si, articulando uma manifestação. O deputado petista Airton Faleiro foi até o presidente da Alepa, Márcio Miranda (DEM) e ameaçou que a bancada do seu partido iria abandonar a sessão itinerante em Marabá se um representante do PT não pudesse usar da palavra na abertura para rebater as críticas de Tião Miranda.

Waldir GanzerAcuado, Márcio Miranda abriu o espaço e o deputado Waldir Ganzer (PT) foi à tribuna e rebateu o discurso de Tião, dizendo que as sessões fora do parlamento não deveriam servir para atacar este ou aquele governo, mas para ouvir as demandas regionais e apresentá-las, através de emendas, ao governo estadual ou até mesmo cobrar do governo federal o que for de sua competência.

O embate deve continuar agora à tarde, quando outros petistas terão espaço na tribuna e prometem apimentar ainda mais o debate iniciado por Tião Miranda.

A sessão da Alepa em Marabá continua até amanhã, quarta-feira, quando serão ouvidos vereadores e representantes de associações de moradores e demais entidades comunitárias.

Assembleia Legislativa do Pará começa sessões itinerantes por Marabá

Por Paulo Costa – de Marabá

Nos dia 14 e 15 da próxima semana, a Assembleia Legislativa do Pará (Alepa) vai realizar duas sessões itinerantes em Marabá. A programação vai acontecer no Casarão Eventos, a partir de 9 horas, e deverá contar com a participação de vários deputados estaduais, entre eles o presidente da Casa, Márcio Miranda (DEM).

Ele explica que Marabá foi escolhida para receber a primeira sessão itinerante do ano em face de estar comemorando em 2013 os seus 100 anos de fundação como município e as sessões terão a mesma estrutura das realizadas no Plenário da Alepa, em Belém.

O presidente da Assembleia Legislativa observa que a sessão itinerante da Alepa em Marabá objetiva buscar, em conjunto com representantes das entidades e órgãos locais, caminhos que reduzam as desigualdades sociais e as violações dos direitos humanos e defesa do consumidor.

A programação inicia na segunda-feira, 13, com visitas à Prefeitura de Marabá e a diversos outros órgãos das esferas municipal, estadual e federal, onde os deputados vão ouvir antecipadamente da comunidade local as demandas do município, como também da região.

Às 17 horas do mesmo dia 13, a Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa vão manter uma reunião no Plenário da Câmara

Municipal, com representantes dos poderes Legislativo e Executivo e representantes de órgãos e entidades para discutir propostas ligadas aos direitos humanos e defesa do consumidor.

Em decorrência da Sessão Itinerante da Alepa em Marabá, as sessões ordinárias da Câmara Municipal de Marabá serão antecipadas para o dia 13, segunda-feira, no horário regimental, a partir de 9 horas.

O presidente da Assembleia explica a meta em Marabá é a definição de até cinco tópicos considerados prioritários, alusivos às mais variadas áreas, e que ganharão os encaminhamentos oficiais no parlamento estadual. A Alepa colocará também à disposição dos munícipes os serviços do Centro de Atendimento ao Cidadão, que oferece gratuitamente expedição de Certidão de Nascimento, Carteira de Trabalho, Carteira de Identidade, Título de Eleitor, entre outras ações.

No dia 14 acontece a sessão de abertura, com a participação de lideranças comunitárias, prefeitos da região e demais autoridades locais. À tarde, haverá apreciação e votação de projetos de lei constantes na pauta da Assembleia Legislativa. Em seguida, serão realizadas reuniões setoriais sobre saúde, educação, cultura, esportes e turismo, transportes e obras públicas, agricultura, terras, indústria e comércio, ecologia, meio ambiente, geologia, mineração e energia, direitos humanos e defesa do consumidor, divisão administrativa do Estado, assuntos municipais e segurança.

No dia 15, quarta-feira, a sessão especial de encerramento vai contar com a participação de presidentes de Câmaras Municipais e sociedade civil organizada para apresentação dos relatórios dos grupos setoriais e elaboração do documento final.

Plebiscito: município de Curionópolis pode passar a se chamar Serra Leste

A Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa aprovou por unanimidade relatório do projeto de Decreto Legislativo, de autoria do deputado Fernando Coimbra (PSD), que propõe a realização de plebiscito no município de Curionópolis para ouvir a população local sobre a troca do nome da cidade para ser denominada Serra Leste.

O projeto deve entrar na pauta do plenário para votação definitiva nesta quarta-feira (27). A partir da aprovação da matéria, caberá ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PA) providenciar a realização da consulta popular dento de um prazo de 180 dias.

Curionópolis é um município localizado no sudeste do Estado o Pará, formado a partir da exploração do ouro de Serra Pelada na década de 1970. O nome do local se refere ao major reformado do Exército Sebastião Curió, militar que atuou na repressão do governo militar aos críticos do regime. Ele é acusado pelos militantes dos direitos humanos de tortura e pela morte de guerrilheiros que atuaram na região do Araguaia.

Porém, o autor do projeto afirma que a mudança proposta para mudar o nome do município tem o condão apenas de ligar a nomenclatura da cidade ao principal relevo geográfico da região, que é a Serra Leste, um complexo mineral que abriga uma das maiores jazidas de ferro do mundo.

Fernando Coimbra explica que a realização do plebiscito é uma forma democrática de ouvir o anseio da população, pois várias lideranças políticas e entidades locais já deram demonstração de que desejam que Curionópolis passe a se chamar Serra Leste. “Este nome cria projeção regional, nacional e internacional, ajuda a alavancar o turismo na região, por isso acho que devemos oportunizar a população de Curionópolis a decidir o que quer para sua cidade”, explica o deputado.

Fonte: Diário do Pará

ALEPA rende homenagem a Vicente Salles

Por Enize Vidigal – de Belém

imageA Assembleia Legislativa do Pará realizou um minuto de silêncio em homenagem ao intelectual paraense Vicente Salles, que faleceu na madrugada desta quinta-feira (7), na cidade do Rio de Janeiro aos 81 anos de idade. A pedido do deputado estadual Edmilson Rodrigues (PSOL), que era amigo pessoal de Salles, a perda desse grande nome da história do Pará foi anunciada em plenário, pelo presidente da Alepa, deputado Márcio Miranda (DEM). Natural do município de Igarapé-Açú, Salles foi pesquisador, professor, poeta, musicólogo, folclorista e Doutor Honoris Causa pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Ele foi autor de 25 livros livros, incluindo temas políticos, como as biografias de importantes figuras da políticas paraense, como Magalhães Barata e Antônio Lemos, e clássicos, como “O Negro no Pará sob o Regime da Escravidão”.

“Eu era amigo pessoal e grande admirador de Vicente Salles, por conciliar extrema humildade com singular genialidade”, disse Edmilson, emocionado. “Durante o Governo do Povo, coordenado por mim (de 1997 a 2004), Vicente Salles deu grande contribuição, realizando palestras, participando de equipe de jurados em concursos literários sobre a Cabanagem e foi grande inspirador do projeto político-pedagógico Escola Cabana, desenvolvido por esse governo. Ele teve parte da sua contribuição teórica publicada pela Prefeitura de Belém, especialmente suas contribuições acerca da Cabanagem e do Negro à nossa História, e foi homenageado dando nome ao salão de multiuso do Memorial dos Povos (localizado na Av. José Malcher).” Edmilson telefonou para a viúva Marena Salles, quando transmitiu os votos de condolência em nome do Poder Legislativo do Pará e em nome pessoal. Ela, imersa em luto, teve de Edmilson o compromisso de, dentro do possível, colaborar para que algumas obras inéditas de Vicente Salles possam ser publicadas, é o caso de rica pesquisa sobre o Lundu.